A ascenção econômica dos países emergentes

01/10/2012 • Por • 463 Acessos

Chamar o Brasil de país atrasado, ou subdesenvolvido já é algo obsoleto. Hoje o país é considerado emergente, em desenvolvimento, e desponta como um dos principais integrantes dos países que são pertencentes aos BRICS, (Brasil, Rússia, Índia, China, e África do Sul) estes que dentro de alguns anos podem ocupar o lugar das nações tradicionais no ranking das economias mais avançadas do mundo. Estes países emergentes apresentaram ao longo dos últimos anos melhorias significativos nos aspectos sociais, políticos e econômicos.

Países emergentes são responsáveis por mais de 40% do consumo no mundo

Os olhos do mundo se voltam, indubitavelmente, para esses países de economia crescente. Apesar do tsunami causado pela crise econômica de 2008, os integrantes dos BRICS, se não saíram ilesos, resistiram bravamente, e sofreram ínfimos abalos econômicos, e for fazer uma comparação com os países da Europa, e os Estados Unidos. Nas regiões de economia tradicional, os abalos foram muito maiores.

Há um item que destaca os países dos BRICS como os mais promissores do novo milênio: o enorme mercado consumidor. Os integrantes dos BRICS unidos são responsáveis por mais de 40% da população mundial, e com a alta do poder aquisitivo, classes anteriormente menos favorecidas galgam espaços no mundo das compras. Computadores modernos, televisões de LED, smartphones de última geração são bens de consumo nos quais não são mais um sonho distante da nova classe média.

Canton fair é símbolo do bônus econômico chinês

É óbvio que há peculiaridades entre os países em desenvolvimento. Nações como China e Índia investiram pesado em tecnologia e pesquisas científicas, ao passo que nos indicadores sociais, o Brasil supera os dois. Mas a China é a nação com maior PIB entre os emergentes, e hoje desponta como a segunda maior economia do planeta. Hoje atrai investidores e empresários do mundo todo e é sede da Canton fair, feira de negócios que ocorre duas vezes por ano no país, e é considerada a maior do planeta. No evento, empresários de todos os continentes comercializam seus produtos. Vale ficar atento ao potencial econômico dos países emergentes.