Estoque E Logistica

30/09/2009 • Por • 4,225 Acessos

fonte: http://sites.google.com/site/engenhariaprojetoseconstrucao/

Como se obtém a curva ABC?

Obtém-se a curva ABC através da ordenação dos itens que serão analisados, conforme sua importância relativa no grupo.

A montagem dos grupos pode parecer um pouco trabalhosa, mas pode ser que ela seja feita uma única vez, ou mesmo muito esporadicamente. Os itens de cada grupo permanecem enquanto permanecerem as condições que possam afetar os itens (consumo; vendas; preços; etc.). A montagem dos grupos pode ser feita em duas etapas (vamos continuar com o exemplo de um controle de estoques):

1ª Etapa:

- relaciona-se todos os itens que foram consumidos em determinado período (1);
- para cada item registra-se o preço unitário (2) e o consumo (3) no período considerado (se a análise fosse sobre vendas, ou sobre transporte, ao invés de consumo seria usada a quantidade vendida, ou a quantidade transportada, etc.);
- para cada item calcula-se o valor do consumo (4), que é igual ao preço unitário x consumo;
- registra-se a classificação (5) do valor do consumo (1 para o maior valor, 2 para o segundo maior valor, e assim por diante).

Exemplo, considerando um controle de estoque, composto de dez itens:

Material(1)

Preço Unitário(2)

Consumo(3)

Valor do Consumo(4)

Classificação(5)

Mat1

1,21

123

148,83

4

Mat2

11,90

15

178,50

3

Mat3

3,64

89

323,96

2

Mat4

5,98

12

71,76

5

Mat5

11,20

75

840,00

1

Mat6

11,98

6

71,88

7

Mat7

1,60

22

35,20

10

Mat8

0,38

84

31,92

9

Mat9

5,12

19

97,28

6

Mat10

21,60

3

64,80

8

2ª Etapa
- ordena-se os itens de acordo com a classificação (5);
- para cada item, lança-se o valor de consumo acumulado (6), que é igual ao seu valor de consumo somado ao valor de consumo acumulado da linha anterior;
- para cada item, calcula-se o percentual sobre o valor total acumulado (7), que é igual ao seu valor de consumo acumulado dividido pelo valor de consumo acumulado do último item.

Exemplo:

Material(1)

Valor do Consumo(4)

Valor do Consumo acumulado (4)

% sobre valor total acumulado(4)

Classificação ordenada(5)

Mat5

840,00

840,00

45,06

1

Mat3

323,96

1.163,96

62,44

2

Mat2

178,50

1.342,46

72,02

3

Mat1

148,83

1.491,29

80,00

4

Mat4

71,76

1.563,05

83,85

5

Mat9

97,28

1.660,33

89,07

6

Mat6

71,88

1.732,21

92,92

7

Mat10

64,80

1.797,01

96,40

8

Mat8

31,92

1.828,93

98,11

9

Mat7

35,20

1.864,13

100,00

10

Para a definição das classes A, B e C, adotando-se o critério de que A = 20%; B = 30% e C = 50% dos itens. Sendo, no exemplo 10 itens, 20% são os dois primeiros itens, 30% os três itens seguintes e 50% os cinco últimos itens, resultando, assim, os seguintes valores:
- classe A (2 primeiros itens) = 62,44%;
- classe B (3 itens seguintes) = (83,85% - 62,44%) = 21,41%;
- classe C (5 itens restantes) = (100% - 83,85%) = 16,15%;

Obs.: Se tivéssemos, por exemplo, 73 itens ao invés de 10, para A = 20%, seriam os 15 primeiros itens; B = 30%, seriam os 22 itens seguintes; e C = 50%, os 36 restantes.
Para o exemplo acima, se quiséssemos controlar, digamos, 80% do valor do estoque, teríamos que controlar apenas os quatro primeiros itens (já que eles representam 80,00%).
O estoque (ou as compras, ou o transporte, etc.) dos itens da classe A, tendo em vista seu valor, devem ser mais rigorosamente controlados, e também devem ter estoque de segurança bem pequenos. O estoque e a encomenda dos itens de classe C devem ter controles simples, podendo até ter estoque de segurança maiores. Já os itens da classe B deverão estar em situação intermediária.

Como definir e prever estoques?

Para a correta definição dos estoques, considere esses dois fatores: quanto menor o estoque menor a necessidade de capital imobilizado e nunca deve faltar produto para venda.

Ou seja, se a empresa buscar o menor estoque, corre o risco de perder uma venda por falta de produto. Além disso, produtos diferentes possuem giros diferentes e sazonalidades ocorrem em vários negócios.

Para equilibrar esses dois aspectos, um dos caminhos é a utilização intensa da informação. A partir de históricos de vendas (giro das mercadorias), por produto, por época do ano, etc é possível ter uma aproximação dos estoques mínimos necessários para atender as demandas.

Outro fator importante é o prazo de entrega dos fornecedores, quanto menores eles forem, menores também podem ser os estoques.

Apesar de todo esforço, ainda não existe solução para grandes oscilações de demanda, como as causadas por ondas de calor ou frio inesperadas, por exemplo.

Como planejar a demanda para os meus produtos?

Para calcular a previsão de vendas de mercadorias/produtos/serviços que a empresa terá, seguem as alternativas:

- Com base nas informações internas, analisar o comportamento das vendas realizadas no último período, por exemplo, um ano, e projetá-la para um novo período. Devem ser considerados alguns aspectos que poderão influenciar essa projeção, como concorrentes, novos produtos, novos hábitos dos consumidores e eventos especiais, tais como festas, olimpíadas, eleições, etc.

- Através de pesquisas de mercado, realizar um estudo da demanda de mercadorias/produtos/serviços que poderia ser atendida pela empresa. Além das variáveis externas, tais como população, atividade econômica, situação política, nível de renda e emprego, concorrência, novos produtos, etc., que devem ser consideradas.

Quais são os objetivos da ficha de controle de estoque?

O principal objetivo da ficha de controle de estoque é controlar a movimentação individual, entradas e saídas, dos materiais de estoque, ou seja, produtos acabados, matérias-primas, etc. da empresa. Portanto, para cada produto existe uma ficha correspondente. Normalmente constam desta ficha de controle as seguintes informações:

- código e descrição do produto/material;
- unidade de consumo ( Kg, m, peça, etc.);
- estoque mínimo;
- endereço de localização no almoxarifado;
- data do evento de entrada ou saída do produto/material;
- quantidade de entrada, saída e saldo do produto/material;
- valor do custo de entrada, saída e valor do estoque atual;
- valor do custo médio e anual de aquisição do produto/material.

Para o correto preenchimento dessa ficha, os registros de entrada devem ser feitos quando do recebimento dos materiais, com base na documentação de entrada, que pode ser a própria nota fiscal ou uma nota de recebimento.
Os registros de saída devem ser feitos com base nas requisições de materiais emitidas pelos usuários.

Como elaborar o controle de estoque de mercadorias?

O gestor financeiro deverá manter controle do estoque por tipo de mercadorias/produtos existentes na empresa, da seguinte forma:

- Registrar no Controle de Estoque as quantidades, custo unitário e custo total das mercadorias /produtos adquiridos.

- Registrar no Controle de Estoque as quantidades, custo unitário e custo total das mercadorias /produtos vendidos.

- Calcular no Controle de Estoque o saldo em quantidades, custo unitário e custo total das mercadorias/produtos que ficaram em estoque.
Obs: O custo unitário é calculado pelo custo médio ponderado, da seguinte forma:
Custo Total, dividido pela Quantidade.

- Periodicamente, confirmar se o saldo apurado no Controle de Estoque "bate" com o estoque físico existente na empresa.

Modelo do Controle de Estoque:

Entradas (Compras)

Saídas (Vendas)

Saldo

Data

Qtde

C.Unit.

C.Tot.

Qtde

C.Unit.

C.Tot.

Qtde

C.Unit.

C.Tot.

01.04

1000

1,00

1.000

1000

1,00

1.000

05.04

600

1,00

600

400

1,00

400

10.04

2000

0,90

1.800

2400

0,91

2.200

15.04

800

0,91

733

1600

0,91

1.466

20.04

3000

0,80

2.400

4600

0,84

3.866

25.04

3600

0,84

3.026

1000

0,84

840

30.04

2500

1,00

2.500

3500

0,95

3.340

Como a distribuição de mercadorias e o controle de estoque podem ajudar a reduzir custos na empresa?

Através de um controle, e gestão de estoques, é possível saber qual é a demanda, ou o consumo de cada item.

Essa informação é fundamental para determinar as quantidades a serem adquiridas.

Se essa aquisição for de forma adequada, pode propiciar:
- melhores preços de aquisição;
- evitar perdas por validade, que significam custos, ou encalhes, que têm custos financeiros do capital de giro;
- evitar a falta de produtos, que significam perdas de vendas, e às vezes, do cliente.

Que tipos de estoques existem?

Podem existir vários tipos de estoques, mantidos em um ou vários almoxarifados, como:

- estoque de matéria-prima;
- estoque de materiais em processamento ou estoque em trânsito: inclui materiais entre uma operação e a seguinte;
- estoque de materiais semi-acabados: materiais estocados após algumas operações e que poderão ser transformados em um ou mais produtos;
- estoque de materiais acabados: peças isoladas de reposição e semi-montadas;
- estoque de produto acabado: produtos prontos.

Necessariamente, uma empresa deve considerar dois tipos de controle de estoque: um físico, onde estão estocadas as mercadorias, e outro de valor monetário, onde se conhece o custo de cada item e do próprio montante investido pela empresa nos estoques.

É comum uma empresa manter em seu estoque peças paralelas, até por questão de custo; estas peças não são originais, não são de fabricação própria da empresa, são de concorrentes. Mas todas elas devem figurar do controle dos estoques e contabilizadas normalmente.

Não é aconselhável a guarda no almoxarifado de materiais que não constem nos registros, pois dificulta os controles e também a tomada rápida de decisões.

Perfil do Autor

Sergio Lopes de Souza Junior

Especialista em projetos EPC e automação de projetos de engenharia. Administrador de CAD/CAE Administrador de Sistemas de Materiais Oracle...