Gestão De Pessoas E O Planejamento Estratégico

28/02/2009 • Por • 8,100 Acessos

GESTÃO DE PESSOAS E O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

 

 

 

Se para a área da saúde já é bem difícil imaginar que sua atividade profissional é um empreendimento; que este depende diretamente do desempenho de pessoas. O que dizer então quando abordamos a necessidade destas estarem atuando de acordo com o planejamento estratégico.

 

Converso muito com meus colegas, pois é destas conversas que percebo o que eles querem entender em termos de gestão.

 

Num desses diálogos um colega me questionou a importância do planejamento estratégico, para um consultório de apenas um profissional!!!!! Eu planejo e eu faço, foi a resposta que ele deu. Neste instante questionei: como você planeja; o que você planeja; a curto ou longo prazo; qual o resultado que você espera; qual o custo que isso envolverá; e fui perguntando e ele me olhando como quem diz...."nunca pensei que isso fosse tão importante".

 

Vejamos então o porquê o planejamento estratégico não só é importante como fundamental na gestão de pessoas

 

Um projeto só é levado adiante quando as pessoas envolvidas acreditam nele e se comprometem a batalhar pelo seu êxito. As pessoas precisam entendem o porquê elas foram convocadas a participar de um projeto. Nem que este projeto seja entre o único profissional e sua única secretária. Este projeto pode ser a alavancagem de uma agenda de clientes.

 

Estudos atuais mostram exaustivamente que o empenho (nem que seja de uma única pessoa) sempre acaba revertido em bons resultados; mantendo este profissional no tão competitivo mercado de trabalho.

Mas o que é realmente um planejamento estratégico, para a área da saúde?

É encontrar prioridades e com elas as ferramentas necessárias para ir de encontro ao sucesso do resultado. Muitas vezes o profissional encontra-se tão distante dessa realidade, que a ajuda de uma consultoria especializada  para torna-lo forte e competitivo, pode ser a única solução. Fazer planejamento estratégico não é tão simples como pode parecer.

Consiste basicamente em entender o mercado que ele está inserido; não só buscar saber o que este mercado está pedindo no momento, mas principalmente o que poderá necessitar num futuro. Como seus concorrentes estão atuando; quais as soluções que o mercado está apresentando; o que precisa mudar no seu consultório; o que precisa melhorar. Tudo isso dentro de um contexto da área que ela atua e num mais amplo que seria as influências que a globalização pode gerar no seu micro sistema.

Após está compreensão, o profissional deverá treinar toda a sua equipe, motiva-la e envolve-la no sucesso da implantação do planejamento estratégico. Sem isso não há como o profissional se manter dignamente no tão concorrido mercado de trabalho.

Fala-se muito que a atual situação crítica pela qual passa a área da saúde é uma conseqüência direta do aumento do número de faculdades. Só que há um bom tempo que muitas faculdades não conseguem nem fechar turmas; então seria só esse o problema? Claro que não! Se o profissional se entender como empresário, se comportar como tal e isso inclui fazer um bom planejamento estratégico (se for o caso com consultores) e principalmente saber passar tudo para a sua equipe de colaboradores. Que só é possível se houver em sua mente um forte conceito de gestão de pessoas

Talvez a situação mais comum pelo quais os colegas mais me procuram é para perguntar sobre a aposentadoria. Lamentavelmente eles questionam quando já estão até com mais de 30 anos de profissão. Isso é um exemplo de planejamento estratégico básico!!! Pensando bem, se não houver um planejamento do presente dificilmente o profissional conseguirá ter um futuro tranqüilo. Planejamento estratégico é muito mais que entender e buscar soluções para o presente, é acima de tudo planejar o futuro.

Lembro de quando inaugurei a minha empresa. Tinha um planejamento estratégico para 5 anos, qual não foi a minha felicidade ao perceber que atingi as metas em 3 ½ anos. Isso foi fantástico! Durante todo esse período buscava me superar a cada dia, a alcançar a meta, enfim é gratificante perceber que você não só ficou no mercado como está conseguindo de forma tranqüila, por isso não consigo imaginar colegas que trabalhem sem essa dobradinha: "gestão de pessoas e planejamento estratégico".

Agora pergunto: o mercado que atuo é o mesmo de tantos colegas, então onde está a crise? Será que a crise não é pessoal? Não será uma conseqüência de não percebermos que estamos trabalhando sem uma meta, sem rumo, sem planejamento?

Concluindo, se somar um bom planejamento estratégico e este aplicado num forte treinamento de gestão de pessoas, os resultados acontecerão fatalmente.

Perfil do Autor

Maria José Carvas Pedro

Formada em Odontologia Conferencista no Brasil e no exterior Doctor em Business Administration pela Florida Christian University. Master em...