Lesões Músculo Esqueléticas

06/07/2011 • Por • 765 Acessos

Lesões Músculo Esqueléticas

Este artigo tem como objectivo abordar o tema da segurança higiene e saúde no trabalho, mais concretamente as lesões músculo esqueléticas relacionadas com o trabalho (LMERT).

 As lesões músculo esqueléticas ligadas ao trabalho são um vasto grupo de patologias que têm vindo a ser frequentemente referidas no meio laborar. Neste sentido, destaca-se o uso de computadores como profissão de risco.

Palavras-chave: Segurança higiene e saúde no trabalho; lesões músculo esqueléticas; risco; prevenção.

Abstract:

This work to make an approach to the subject Hygiene, Safety and Health at Work, related to the injuries of skeletal muscle (LMERT).

The injuries of skeletal muscle, linked to work are a wide group of pathologies that have been frequently refereed at work. This way, we point out the use of computers as a high-risk occupation/job.

Key- words: Hygiene, Safety and Health at Work; Skeletal muscle injurie; Risks and prevention.

 

1          Introdução

Actualmente, existe uma preocupação crescente em todo o mundo, em relação aos efeitos das lesões músculo esqueléticas relacionadas com o trabalho, nomeadamente no que concerne à saúde e bem-estar dos trabalhadores.

 As lesões músculo esqueléticas contribuem directamente para o aumento do absentismo, das doenças incapacitantes e dos gastos em cuidados de saúde.

Nas últimas duas décadas do século XX, as lesões músculo esqueléticas relacionadas com o trabalho adquiriram, na Europa e no mundo em geral, uma importância considerável.

As perturbações músculo esqueléticas afectam milhões de trabalhadores na Europa, em todos os sectores de actividade.

A intervenção preventiva envolvendo exclusivamente o trabalhador, através da formação e informação sobre aprendizagem dos gestos profissionais ou sobre acções tendentes a reduzir a susceptibilidade individual, por exemplo, através do exercício físico, conhecer as lesões e adoptar medidas preventivas é o passo certo.

2          A Importância de SHST

Com a evolução tecnológica ocorreram melhorias significativas nas condições em que se realiza o trabalho, reduzindo, em alguns casos eliminando, muitos dos riscos existentes principalmente nos locais de trabalho. No entanto, outros riscos foram aumentando ao longo dos tempos ou que apareceram como novos riscos, e que é preciso identificar, avaliar e controlar.

Surge então a necessidade de controlar e prevenir a segurança no trabalho, que se caracteriza como um conjunto de metodologias adequadas á prevenção de acidentes no trabalho, tendo com campo de intervenção o reconhecimento e o controlo dos riscos associados aos componentes materiais do trabalho.

A Higiene do Trabalho, não menos importante, é caracterizada por um conjunto de metodologias não médicas necessárias á prevenção das doenças profissionais, tendo como principal campo de acção o controle da exposição aos agentes físicos, biológicos e químicos presentes nos componentes de trabalho, que podem ser, ruídos, vírus, químicos sólidos, entre outros.

Com a exposição ao ambiente laboral e actividade profissional, o trabalhador fica susceptível a variadíssimos tipos de doenças profissionais.

Neste sentido, surge a necessidade de vigiar a saúde dos trabalhadores, que consiste na acção de monitorizar a saúde das pessoas para detectar sinais ou sintomas de danos para a saúde relacionadas com o trabalho, com o objectivo de adoptar medidas destinadas a eliminar ou reduzir a probabilidade de ocorrência de danos.  

A vigilância da saúde é controlada, essencialmente, pela medicina do trabalho, que no fundo é uma especialidade que controla o estado de saúde dos trabalhadores em relação ao seu contexto profissional. Promove exames médicos, regulares, para avaliar a aptidão física e psíquica do trabalhador para o exercício da actividade profissional.

Actualmente, a higiene segurança e saúde no trabalho, conta com um vasto leque de informação e legislação, que regula as condições em que o trabalhador presta a sua actividade laboral.

3           Perturbações Músculo Esqueléticas

As perturbações músculo-esqueléticas dizem respeito a variadíssimos problemas de saúde. Os dois principais grupos são as dores/lesões dorso lombares e as lesões por esforços repetitivos. Tanto os membros inferiores como os superiores podem ser afectados.

As perturbações músculo esqueléticas estão fortemente relacionadas como o trabalho. Estas incluem a movimentação manual de cargas, posturas e movimentos inadequados, movimentos altamente repetitivos, utilização das mãos com esforço, pressão mecânica directa sobre os tecidos do corpo, vibrações e ambientes de trabalho frios.

As causas subjacentes à organização do trabalho incluem ritmos de trabalho, trabalho repetitivo, tempo atribuído às tarefas, sistemas remuneratórios, trabalho monótono e também factores psicossociais. Alguns tipos de perturbações estão associados a tarefas ou profissões específicas.

4          O que são as LMERT

A designação "lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho (LMERT) abrange um conjunto de doenças inflamatórias e degenerativas do sistema locomotor. Designam-se LMERT, (lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho) as lesões que resultam da acção de factores de risco profissionais como a repetição, a sobrecarga e/ou a postura adoptada durante o trabalho.

As LMERT geralmente localizam-se no membro superior (LMEMSRT) e na coluna vertebral, mas podem ter outras localizações, como os joelhos ou os tornozelos, dependendo da área do corpo afectada e da actividade de risco desenvolvida pelo trabalhador.

5          Os Sintomas das LMERT

Os principais sintomas das Lesões Músculo-esqueléticas são:

  • Dor normalmente localizada, mas que se pode expandir para outras áreas corporais;
  • Sensação de dormência ou de "formigueiros";
  • Sensação de peso;
  • Fadiga ou desconforto localizado;
  • Sensação de perda ou mesmo perda de força.

Na grande maioria dos casos, os sintomas surgem gradualmente, agravam-se no final do dia de trabalho ou durante os picos de produção e aliviam com as pausas ou o repouso prolongado, como por exemplo no período de férias.

Se a exposição aos factores de risco se mantiver, os sintomas, que inicialmente são intermitentes, tornam-se gradualmente persistentes, prolongando-se muitas vezes pela noite, mantendo-se mesmo nos períodos de repouso e interferindo não só com a capacidade de trabalho, mas também, com as actividades do dia-a-dia, contribuindo para a perda da qualidade de vida das pessoas.

Quando as situações clínicas evoluem para a doença crónica, pode surgir também edema (inchaço) da zona afectada e mesmo hipersensibilidade a todos os estímulos.

As LMERT podem ser agrupadas de acordo com a estrutura afectada:

  • Tendinites ou tenossinovites são lesões localizadas ao nível dos tendões e bainhas tendinosas, como por exemplo a tendinite do punho, a epicondilite e os quistos as bainhas dos tendões;[1]
  • Síndromes canaliculares, em que há lesão de um nervo, como acontecem na Síndrome do Túnel Cárpico e na Síndrome do canal de Guyon;
  • Raquialgias, em que há lesão osteoarticular e/ou muscular ao longo de toda a coluna vertebral ou em alguma parte desta;
  • Síndromes neurovasculares, em que há lesão nervosa e vascular em simultâneo.

6       Causas das LMERT

As causas das LMERT são várias, no entanto as sobrecargas dos tendões, dos músculos, das articulações e dos nervos, constituem o principal factor de risco.

Um factor de risco é algo do trabalho que pode provocar um efeito adverso (negativo), por exemplo nos tendões (tendinites). A exposição ao factor de risco pode provocar, doença ou lesão, dependendo ainda de outros factores adicionais.

O uso cada vez mais intenso do computador não apenas em contexto laboral mas também a nível pessoal, e um número elevado de horas diárias de utilização do mesmo, é outro factor que contribui fortemente para o aumento do risco e desenvolvimento de LMEMS. Isto porque as posições que adquirimos quando o utilizamos e os movimentos repetitivos, principalmente na utilização do rato potenciam as lesões musculares e tendinites.

7          Como Minimizar ou Eliminar as Lesões Músculo Esqueléticas

É importante observar a situação real de trabalho visto que há muitos factores que dependem da actividade e do posto de trabalho e que contribuem fortemente para potenciar as lesões músculo esqueléticas.

Há que dar atenção a todos os factores de risco prováveis, especialmente quando o seu efeito sinergético pode originar novos riscos.

Devem-se encontrar soluções eficazes para fazer frente às circunstâncias específicas no local de trabalho, solicitando a colaboração dos próprios trabalhadores para enumerar os problemas verificados e em conjunto encontrar soluções para esses mesmos problemas.

Sempre que necessário deve-se solicitar o apoio técnico de peritos especializados na área, para averiguar as situações não conformes no local de trabalho e no modo como o mesmo é realizado e encontrar as soluções mais adequadas para a sua resolução, evitando assim, o agravamento das situações de lesões já existentes e intervir de modo a evitar que novos problemas surjam.

 

 

 

8      Conclusão

As perturbações músculo esqueléticas abrangem uma vasta gama de problemas de saúde. As perturbações mais frequentes são dores e lesões lombares e lesões por esforços repetitivos, incluindo distúrbios dos membros superiores relacionados com o exercício de uma actividade profissional.

Neste sentido e, porque esta doença atinge milhares de trabalhadores na Europa, e em todo o mundo os nossos políticos e profissionais da área têm dado especial importância às lesões músculo-esqueléticas, por estas serem uma das principais causas de problemas de saúde relacionados com o trabalho.

É de facto urgente que sejam implementadas estratégias de prevenção centradas numa política de organização do trabalho, intervenção ergonómica no local de trabalho e formação dos trabalhadores, baseadas na avaliação dos riscos, contribuindo assim, para a minimização ou diminuição da incidência desta problemática. A prevenção é o melhor caminho para evitar problemas futuros.

 

 

 

 

 

 

 

 

9          Bibliografia

Carnide MF, Lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho, Segurança, 2006.

Correia S, Guerra C, Teixeira T, Santos E, Espírito Santo K, Carolino E, Coutinho I, Programa de Ginástica Laboral: Influência na prevenção das Lesões Músculo-esqueléticas Ligadas ao Trabalho, Segurança, 2007.

FERNANDES, D. Novos Riscos Profissionais: Perturbações músculo-esqueléticas relacionadas com a actividade profissional, Segurança, 2008.

FREITAS, Luís Conceição. Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho. Edições Universitárias Lusófonas, 4ª edição volume 2.

KRUMM, Diane. Psicologia do Trabalho. LTC Editora, 2005.

Manual da disciplina SHT, 2009/2010.

Manual da Direcção Geral da Saúde, 2008.

 

¨Licenciada em Gestão de Recursos Humanos pelo Instituto Superior de Línguas e Administração, Vila Nova de Gaia.

E-mail: paula.cristinacosta@hotmail.com

 

[1]Fonte: Manual da Direcção Geral da Saúde (2008)

 

Perfil do Autor

Paula Costa

* Licenciada em Gestão de Recursos Humanos pelo Instituto Superior de Línguas e Administração, Vila Nova de Gaia. E-mail: paula...