PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Orçamento Empresarial

Publicado em: 25/10/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 4,059 |

 

           

           

INTRODUÇÃO

           

            Cada dia surge uma empresa e para se diferenciar, sobreviver ou crescer nessa grande concorrência, é preciso utilizar todos os recursos disponíveis seja novas tecnologias novos métodos de administração como a governança corporativa que nada mais é do que planejamentos e atitudes empresariais que garantem a boa imagem da empresa e sua rentabilidade.

             A governança corporativa utiliza de várias ferramentas para gestão de negócios, entre essas pode se dar uma ênfase maior ao planejamento estratégico, pois este possui uma ampla abrangência desde os níveis operacionais até a alta administração atingindo todos os setores.

            Outra ferramenta que possui grande importância na gestão de negócios é o orçamento empresarial, que pode afetar diretamente no resultado da entidade já que este é composto de planejamentos financeiros.

            Essas duas ferramentas quando usadas em conjunto, de maneira que respeitem seus princípios características e métodos, trarão benefícios presentes e futuros para a entidade, quando bem elaborados proporcionam maiores chances de se alcançar metas objetivos e principalmente os resultados desejados.  

 

 

 

1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

 

            O planejamento estratégico pode ser definido como um conjunto de ações e decisões tomadas após serem analisadas os seus resultados futuros. Porem o planejamento estratégico utiliza varias ferramentas e métodos para se alcançar uma situação futuras que a empresa almeja de maneira eficiente eficaz.

            Segundo Oliveira (2008) pode se estabelecer de maneira simplificada uma real amplitude e abrangência do planejamento, onde este se divide em cinco dimensões.

            Na primeira dimensão é o assunto a ser tratado, que podem ou são as funções desempenhadas pela empresa como, produção, pesquisa, finanças, marketing etc.

            Na segunda dimensão são os elementos dos planejamentos, os mais comuns e usados são políticas, orçamentos, normas e procedimentos entre outros.

            Na terceira dimensão é determinado o tempo do planejamento que poder ser de longo médio ou curto prazo.

            Na quarta dimensão é onde o planejamento é elaborado que são as unidades organizacionais, pode ser a nível corporativo abrangendo a empresa, ou pode ser no nível de unidades, atuando em determinado setores como departamentos, produtos etc.

            E na ultima dimensão corresponde às características do planejamento que podem ser mais complexas ou mais simples, por qualidade ou quantidade, econômico ou caro etc.

            Seguindo estas dimensões pode ser ter uma visão ampla de como se iniciar um planejamento estratégico.

O planejamento estratégico corresponde ao estabelecimento de um conjunto de providencias a serem tomadas pelo executivo pra a situação em que o futuro tende a ser diferente do passado; entretanto, a empresa tem condições e meios de agir sobre as variáveis e fatores, de modo possa exercer alguma influência; o planejamento é, ainda, um processo continua, um exercício mental que é executado pela empresa, independentemente de vontade específica de seus executivos (OLIVEIRA, 2008 p.4)

 

            Para Oliveira (2008) O processo decisório no planejamento estratégico se faz necessário antes durante e depois de sua elaboração e implementação na empresa, esse processo deve conter os componentes individuais e organizacionais que devem ser orientados para que se garantam os interesses dos diversos fatores encontrados no ambiente da empresa.

            Para que o planejamento estratégico funcione bem e alcance seus objetivos é necessário que ele seja algo continuo, pois pode haver variabilidade nas empresas em decorrência de pressões externas como o governo sindicatos concorrência entre tantas outras.

            O planejamento não pode ser um ato isolado ele tem que ser visualizado como um processo composto de ações inter-relacionadas e interdependentes que visam alcançar os objetivos já estabelecidos é muito importante no processo de planejamento que a empresa desenvolva seu próprio plano, pois só assim se alcançar planos adequados à realidade e o propósito da empresa.

 

 

2. PRINCIPIOS DO PLANEJAMENTO

 

            Para se obtiver bons resultados no planejamento dentro de uma empresa é preciso respeitar alguns princípios e esses se dividem em gerais e específicos. Para os executivos é muito importante estar atento as esse princípios porque eles os proporcionarão uma base mais solida no processo decisório referente ao planejamento.

 

 

2.1Princípios gerais do planejamento

 

            Os princípios gerais se dividem em quatro:

 

a)      O principio da precedência do planejamento, nada mais é do que a função administrativa correspondendo a organização direção e controle, nesse aspecto o planejamento assume uma situação de maior importância no processo administrativo das empresas.

 

b)      O princípio da contribuição aos objetivos, o planejamento deve visar os objetivos máximos da empresa. "No processo de planejamento devem-se hierarquizar os objetivos estabelecidos e procurar alcançá-los em sua totalidade, tendo em vista a interligação entre eles" (OLIVEIRA, 2008, p.6). Na figura abaixo é apresentado um exemplo a ser seguido.

                   

c)      O principio das maiores influência e abrangência, o planejamento pode provocar varias modificações nas características da empresa, como as que envolvem as pessoas, tecnologias e sistemas. As modificações provocadas nas pessoas podem corresponder às necessidades de treinamento substituições transferências etc.; na tecnologia as modificações dopem ser apresentadas pela evolução do conhecimento, por novas maneiras de realizar trabalhos etc.; e nos sistemas podem ocorrer alterações nas responsabilidades estabelecidas, nos níveis de autoridade, descentralização, comunicações, procedimentos, instruções etc.

 

d)     O principio das maiores eficiência eficácia e efetividade. O planejamento deve procurar os melhores resultados e reduzir ou anular as deficiências apresentadas pela empresa, ele deve sempre proporciona a empresa uma situação de eficiência eficácia e efetividade.

      Eficiência é fazer as coisas de maneira adequada e resolver os problemas ela pode ser considerada uma obrigação, sendo alcançados os objetivos empresariais, e sendo utilizados de forma adequada os recursos disponíveis. 

      Eficácia é fazer as coisas certas, produzir alternativas criativas maximizar a utilização de recursos obterem resultados e aumentar o lucro, ela depende principalmente de dois aspectos a sua capacidade de identificar as oportunidades e necessidade do ambiente onde se encontram fatores não controlados pela empresa e de sua flexibilidade adaptabilidade, para usufruir essas oportunidades e atender as necessidades identificadas no ambiente.

      Efetividade é manter se no mercado e apresentar resultados globais positivos ao longo do tempo ela representa a capacidade da empresa em coordenar continuamente o tempo os esforços e as energias visando alcançar resultados globais mantendo a empresa no ambiente.

 

 

2.2 Princípios Específicos do Planejamento

 

            No planejamento podem-se destacar quatro maiores tipo de princípios específicos que são:

a)      Planejamento Participativo: esta ligada ao meio do processo, e não no resultado final, outra característica desse princípio, é que o responsável pelo planejamento não é aquele que simplesmente elabora, mas ajuda a facilitar o processo de elaboração juntamente com os setores de uma empresa.

 

b)      Planejamento Coordenado: Para que seja planejada eficientemente devem-se projetar todos os aspectos para atuarem juntos, quanto mais interligado mais eficiente será o planejamento.

 

c)      Planejamento integrado: As empresas que utilizam vários tipos de planejamento, principalmente as de médio e grande porte devem utilizar planejamento integrado, que é a união de todos os tipos de planejamento utilizados na empresa.

 

d)     Planejamento Permanente: deve ser algo continuo, pois com o tempo ele perde seu valor e utilidade, isso serve para contornar as mudanças e dificuldades q surge no ambiente.

 

 

3. ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS

 

            As estratégias são elaboradas pela alta administração para se alcançar os objetivos da empresa, ela esta relacionada à maneira de se utilizar todos os recursos físicos, financeiros e humanos de forma adequada para se minimizar problemas a maximizar oportunidades. Ao se elaborar a estratégia devem ser levadas em conta as oportunidades e ameaças encontradas no ambiente onde a empresa esta inserida. Podem-se destacar alguns tipos de estratégias voltadas para determinadas situações empresarias que serão apresentadas a seguir.

 

 

3.1 Estratégia de Sobrevivência.  

 

            Esta é somente utilizada quando a empresa se encontra em uma situação critica, quando não existe alternativa. De acordo Oliveira (2008) quando a empresa chega nesse nível à decisão do executivo é parar os investimentos e reduzir ao máximo os custos, porém essas ações não devem ser mantidas por muito tempo, pois a empresa pode ser engolida pelo mercado e pela concorrência, a empresa também não pode só sobreviver tem que traçar um objetivo maior para maiores resultados no futuro. Dentro da estratégia de sobrevivência um dos meios, é a redução de custos que consiste na redução de pessoal, níveis de estoque, diminuir compras entre outros; outro meio é o desinvestimento que é a extinção de linhas de produtos e serviços que não são mais rentáveis, portanto deixa de lado esses investimentos; liquidação de negocio é uma estratégica usada em ultimo caso, que seria fechar o negócio.

 

 

3.2 Estratégia de manutenção

 

            É uma estratégia utilizada quando a empresa esta enfrentando ou espera encontrar dificuldades, a empresa não precisa parar de investir, porem os investimentos devem ser de maneira moderada.

            Para Certo et al (2005) dentro desse tipo de estratégia existem três formas: estratégia de estabilidade onde se busca um estado de equilíbrio podendo manter o que já foi conquistado ou no caso de perda, recuperar o equilíbrio; estratégia de nicho é uma situação onde a empresa procura dominar um seguimento do mercado onde atua concentrando seus esforços e recursos para manter algumas vantagens competitivas, são utilizados pelas as empresas que se dedicam ao único produto, ou único mercado ou único negocio sendo que ela não tem interesse de desviar recursos para outras atuações; estratégia de especialização é quando a empresa procura conquistar ou manter a liderança no mercado através da concentração dos esforços de expansão em, uma única ou em poucas atividades a vantagem oferecida pela a especialização é a  redução dos custos unitários pela alta produtividade e a desvantagem é a lata dependência de poucas modalidades na produção e vendas.

 

 

3.3 Estratégia de Crescimento

 

            Esse tipo de estratégia é quando a empresa ainda que tenha pontos fracos tem a possibilidade de crescer, que o ambiente esta oferecendo situações favoráveis que não deve ser desperdiçadas. "As organizações procuram por crescimento nas vendas, nos lucros, na participação no mercado ou mesmo em outras medidas como objetivo principal" (CERTO et al 2005, p.73). Elas usam recursos como as integrações vertical e horizontal, diversificações e fusões, além de joint ventures.

            A integração vertical consiste no crescimento com base nas aquisições de outras organizações no canal de distribuição, ela é usada para se obter um maior controle sobre determinada linhas de negócios e aumentar o lucro.

            Integração horizontal é o crescimento obtido por aquisições de empresas concorrentes na mesma linha de negócios, normalmente é usada para se obter maior porte, vendas, lucros e maior participação no mercado.

            A estratégia de diversificação funciona por aquisições de outras empresas em outras linhas de negócios para poder crescer.

            Estratégia de joint venture e fusões, são usadas para se obter o crescimento, na fusão duas empresas se unem e formam uma nova organização e na joint venture duas empresas trabalham junta num projeto maior que será apenas controlado apenas por uma das organizações.

 

4 ORÇAMENTO EMPRESARIAL

 

            O orçamento é um planejamento financeiro feito para se integrar a estratégia de uma empresa para de terminado exercício, ele deve estar baseado no compromisso dos gestores em termos de metas a se alcançar.

            No orçamento "contém as prioridades e a direção da entidade para um período e proporciona condições de avaliação do desempenho da entidade, suas áreas internas e seus gestores" (FREZATTI, 2009 p.46). Ele é considera um dos pilares da gestão e uma das principais ferramentas para que os gestores possam prestar contas de suas atividades.

            A revisão dos instrumentos táticos utilizados é algo a se considerado levando em conta as variáveis no ambiente. A revisão faz parte do processo de planejar e proporciona condições de tornar suportável uma estratégia adotada que se perceba inadequada, seja por ela não produzir o resultado esperado ou por ultrapassar esse resultado.

            Ao se elaborar um orçamento de uma empresa industrial deve se levar em conta as seguintes sequencias de etapas:

 

  • Lição de casa preparatória para orçamento: princípios gerais de planejamento, diretrizes dos cenários, premissas e pré-planejamento;
  • Plano de marketing
  • Plano de suprimentos, produção e estocagem (PSPE);
  • Plano de investimento no ativo permanente;
  • Plano de recursos humanos;
  • Plano financeiro.

 

            De acordo com Frezatti (2009) o orçamento surge como sequencia à montagem do plano estratégico,  permitindo focar e identificar, num horizonte menor, de um exercício fiscal,as suas ações mais importantes. O orçamento existe para implementar as decisões do plano estratégico. Para que um orçamento seja elaborado com coerência e consistência é preciso que o plano estratégico tenha sido bem desenvolvido.

 

4.1 Lição de casa

 

A figura 2 acima demonstra uma sequencia a ser seguida para a elaboração de um orçamento empresarial, ela destaca os principais pontos e este serão comentado a seguir.

Para Welsch (1994) o orçamento apresenta alguns princípios que servem como base para um adequado desenvolvimento do orçamento. Entres esses princípios se destacam alguns que precisam de certa explicação para ser compreendidos.

Envolvimento administrativo: a administração deve compreender o papel do planejamento nos negócios estando ciente do beneficio que ele trás a organização, e disponibilizar recursos para seu desenvolvimento acompanhando o instrumento em suas varias etapas e cobrar resultados.

Adaptação organizacional: as responsabilidades organizacionais devem ser claras o organograma formal da empresa coresponde a estrutura que realmente existe.

Contabilidade por área de responsabilidades: de acordo com Welsch, é um sistema adaptado e focado para as responsabilidades organizacionais para se utilizar o planejamento e controle de resultado. Os aspectos mais importantes do planejamento se baseiam em dados históricos gerados principalmente pelo sistema contábil, se o sistema contábil é organizado por áreas de responsabilidade os dados históricos obtidos serão mais apropriados pra fins de planejamento e controle.

Orientação por objetivo: os indivíduos devem ser responsáveis por seus objetivos da sua área de atuação na organização.

Comunicação integral: quando mais clara e apoiada for à comunicação no processo de planejamento mais facilmente os problemas serão tratados por todos.

Expectativas realísticas: o planejamento deve conter uma perspectiva que seja executada para que haja credibilidade no processo e do instrumento.

Oportunidade: esta ligada ao momento mais adequado de dispor das informações para a sua utilização.

Aplicação flexível: o planejamento é um instrumento a serviço dos executivos, ele não impede que sejam tomadas outras ações, porem deve se levar em conta o melhor momento para se colocar em prática.

Acompanhamento: é identificar as variações e aplicar correções no que foi planejado.

Reconhecimento do esforço individual e do grupo: não deve ser evidenciado apenas o desempenho negativo.

Para Frezatti (2009) as diretrizes são as reuniões informativas da alta administração direcionando as ações para vários segmentos, é a tradução do que já foi decidido no planejamento estratégico e deve ocorrer no período de tempo determinado pelo orçamento.

O cenário é considerado os aspectos que possam afetar os negócios da organização, podendo o ele ser político, econômico ou mercadológico. O cenário pode ser elaborado por especialistas externos ou podem ser desenvolvidos por sua equipe interna, os cenários devem ser definidos antes da elaboração do orçamento, pois contem informações indispensáveis para sua montagem.

As premissas são decisões já tomadas pelos gestores em consenso, de acordo com Welsch as premissas são preparadas sob forma de instruções e diretrizes da alta administração e são divulgadas para dar-se um impulso potente e adequado que permita passar do planejamento geral da empresa como um todo para a elaboração de planos de resultados por cada um dos principais centros de responsabilidade.

O pré-planejamento consiste em exercício que permite antever as principais tendências esperadas pela alta administração. É a montagem da demonstração de resultado a partir da sensibilidade do executivo, não é só a montagem de um orçamento mas serve como uma forma de direcionar as ações para racionalizar, e facilitar o processo de montagem do instrumento.

 

 

4.2 Etapa operacional

 

            Conforme Frezatti (2009) são os planos que proporcionam condições para a estruturação das atividades da organização, de maneira a integrar as atividades , as operações.      A etapa operacional deve ser caracterizada pela atividade da empresa, seja, ela industrial, comercial ou de serviços. Os planos devem estar de acordo com a atividade da empresa, como um exemplo uma empresa comercial demandará de um grande esforço no plano de estocagem de produtos acabados, enquanto uma empresa de serviços não terá esse plano.

            Dentro da etapa operacional são encontrados planos de marketing, planos de suprimentos produção e estocagem, plano de investimentos no ativo permanente e plano de recursos humanos.

            O plano de marketing indica a atividade comercial da empresa sobre quantidades vendidas, por período, por área, por preço, entre outros. Nele deve conter as decisões já tomadas no plano estratégico compreendidas no orçamento, mais detalhadamente é ele que vai definir política de descontos, prazos, gasto com comunicação e despesas comercias previstas. [...] a área comercial da entidade se mobiliza para desenvolver este plano, levando em conta as necessidades internas, coordenando atividades quanto a demandas para lançamentos de novos produtos por exemplo. (FREZATTI, 2009 p. 54)

            Os planos de suprimentos, produção e estocagem (PSPE) é a área que trata os estoques de produtos acabados, produtos em processo e matérias primas, produção própria e/ou terceirizada, suprimentos de materiais e necessidade de mão de obra da organização. Para a execução deste plano a área de operação deve estar bem estruturada para coordenar as atividades de planejamento dos processos.

            Plano de investimento no ativo permanente esses evidenciam os gastos que serão feitos em movimentações referentes aos ativos do permanente da organização. Nele são envolvidos todos os tipos de investimentos.

            O plano de recursos humanos deve tratar os elementos referentes aos recursos humanos na organização desde a estrutura organizacional, preenchimento dessa estrutura, movimentação de funcionários, remuneração, treinamento, admissões e desligamento, consultorias na área.

 

 

 

4,3 Etapa financeira

 

            Corresponde aos planos de demonstrações financeiras e a existência de demonstrativos contábeis como, fluxo de caixa, demonstração de resultado e o balanço patrimonial para o intervalo de tempo considerado. É o momento de se consolidar o orçamento propriamente dito. Ela só ocorre após todos os outros planos, pois depende deles para ser elaborados. Tem a função de trans formar em uma linguagem monetária as decisões de implementação de todo o processo do orçamento.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS        

 

            A governança corporativa e algo que se faz necessário pois ela oferece ferramentas indispensáveis para uma boa administração. Duas dessas foram apresentadas, sendo que a partir do planejamento estratégico que é uma das formas mais completas de se organizar uma entidade, pode se obter resultados desejados não só financeiros mais organizacionais que proporcionem maior eficiência e eficácia e efetividade.

            Dentro do planejamento existe varias estratégias de administração que devem ser usadas de acordo com os objetivos traçados pela entidade, podem ser estratégias de crescimento ou apenas de sobrevivência, essas quando utilizadas podem garantir a continuidade da organização. Já o orçamento empresarial já se constitui de forma mais centrada e objetiva em melhores resultados financeiros através da melhor distribuição dos recursos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REFERENCIAS

 

CERTO, Samuel C. et al. Administração estratégica: planejamento e implementação da estratégia. 2 ed.  São Paulo: Pearson, 2005.

 

 

FREZATTI, Fábio. Orçamento empresarial: planejamento e controle gerencial. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

 

 

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Planejamento estratégico: conceitos metodologias e práticas. 25 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

 

 

WELSCH, Glenn Albert. Orçamento empresarial: tradução e adaptação a terminologia contábil brasileira de Antônio Zoratto Sanvicente. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/administracao-artigos/planejamento-estrategico-orcamento-empresarial-5338576.html

    Palavras-chave do artigo:

    palavras chaves planejamento estrategico orcamento empresarial governanca corporativa

    Comentar sobre o artigo

    michelly bonifacio

    10 Dicas que Você Precisa Saber para Acertar na hora de Administrar sua Empresa.

    Por: michelly bonifaciol Negócios> Administraçãol 20/10/2014

    Algo que podemos verificar com uma determinada facilidade, é o fato de que muitas pessoas podem acabar por morar em um condomínio, afinal acaba-se por julgar como algo mais seguro, no entanto, também acaba por ser possível que muitos não tenham conhecimento sobre acaba por funcionar o sistema de administração de um condomínio.

    Por: anamarial Negócios> Administraçãol 17/10/2014

    Saiba o que é um Sistema de Informação Gerencial, suas vantagens e desvantagens, assim como os tipos nos quais os sistemas se classificam.

    Por: Sistemas de Informaçãol Negócios> Administraçãol 16/10/2014
    Elisângela da Silva Pereira

    É praticamente impossível fazer alguma ação em nossas vidas sem que antes tenhamos feito um plano. Por exemplo, um professor tem que preparar suas aulas antes de ministrá-las e no caso de um gestor, este precisa preparar sua equipe para que atinja as metas estabelecidas e dentro dos prazos. Quando olhamos a estrutura de uma empresa percebemos o quanto é importante trabalhar o planejamento, principalmente para que as coisas saiam conforme o esperado e para que a empresa corra o menor risco possí

    Por: Elisângela da Silva Pereiral Negócios> Administraçãol 15/10/2014 lAcessos: 11
    Elisângela da Silva Pereira

    Encontramos no mercado hoje uma grande parcela de empresas que apresentam dificuldades de crescimento e abertura de novos negócios e, muitas vezes, não sabem o real motivo desta dificuldade. O que poucas delas sabem é que existe um serviço oferecido por empresas de consultoria chamado "Pesquisa de Clima Organizacional". Este serviço nada mais é que um instrumento que gera uma base sólida de dados sobre o comportamento da organização, e através dele é possível apontar áreas com demandas de melho

    Por: Elisângela da Silva Pereiral Negócios> Administraçãol 13/10/2014

    Excel é a ferramenta mais usada no mundo corporativo! Todas as pessoas, independente do ramo de atuação, com toda certeza, um dia terá que usar o Excel para completar uma tarefa! Pensando em ajudar e conscientizar as pessoas, criei um infográfico que cita as principais razões para que todos os profissionais busquem a aprender Excel. Entre muitas razões, a principal é que o Excel pode aumentar significativamente o salário! Confira! http://www.ninjadoexcel.com.br

    Por: Ninja do Excell Negócios> Administraçãol 06/10/2014

    RESUMO Este estudo tem como objetivo de analisar a Ética Geral e Profissional na Área da Contabilidade, buscando identificar e compreender a sua aplicação. A análise fundamenta este estudo baseia-se em levantamento bibliográfico e estudo de caso. Sendo os princípios e valores éticos nos Escritórios de Contabilidade, o ponto principal da pesquisa, pela análise dos dados, denota-se que e os profissionais em geral conhecem o código de ética na sua formação acadêmica, sabem de sua importância para

    Por: Marcela J. Bojanowskil Negócios> Administraçãol 04/10/2014 lAcessos: 19

    O fusionamento de grandes empresas no Brasil tem se tornado algo recorrente. É preciso pensar na implicação das responsabilidades e éticas após tal junção. Será que é possível unir duas empresas, antes concorrentes, e se tornarem aliadas sem comprometer suas missões e valores?

    Por: Flavia Sál Negócios> Administraçãol 03/10/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast