Criação De Canários Vermelhos Exige Cuidados Especiais

19/08/2009 • Por • 11,082 Acessos

A criação de canários belga é uma arte e como tal precisa de tempo, talento e dedicação para que o criador alcance o ápice dos seus pássaros. Não é um processo fácil. Ao contrário, são anos e anos de experimentos, alguns deles seguidos de frustrações, principalmente no caso de aves que exigem mais cuidados, como os vermelhos.

Os canários vermelhos chamam a atenção das pessoas devido a sua beleza, seja vermelho intenso, nevado, mosaico, marfim, cobre, cobre intenso, nevado mosaico, marfim, ágata, isabelino vermelho, topázios, enfim, uma vasta infinidade que encanta e embeleza as gaiolas.

Os canários vermelhos são originários de cruzamentos com o Pintassilgo Venezuelano, o Tarin, como é conhecido. Em Campo Grande, Julio Cesar Infante se encantou com a beleza dessa ave durante uma exposição de criadores de canários no Shopping Campo Grande. “Sempre gostei muito dessa cor. Comecei a criar há cinco anos. Comprei um macho e depois visitei um criador. Arrumei uma fêmea da mesma cor e no primeiro ano consegui tirar 25 filhotes com esse casal. Atualmente tenho 200 pássaros”, comenta.

Julio Cesar Infante lembra que os canários vermelhos necessitam de uma dedicação maior do criador em relação às outras aves, pois necessita de cantaxantina, para manter a cor vermelha. “Os cuidados com a alimentação e com a higiene são fundamentais para manter a cor deles. Alimenta os canários com cantaxantina desde o segundo dia de nascimento. Nesta fase coloco o produto na papa”, explica.

O criador disse que administra a cataxantina às aves até o dia do concurso de canários de cor e porte, depois diminuiu a quantidade, pois as aves entram no período de reprodução. “A gente prioriza com rigor até o concurso. A quantidade ministrada às aves é um segredo. Cada criador tem a sua fórmula diferente para alcançar o sucesso”, finaliza.  

Sobre a cantaxantina

A cantaxantina é encontrada é um pigmento encontrado nas frutas, cogumelos comestíveis e alguns crustáceos do gênero “Daphnia”. Está presente na pele e penas de muitos pássaros tais como os canários vermelhos, íbis escarlate, verdejão encachupado e do tão famoso Tarim da Venezuelana, responsável pela transmissão do fator vermelho aos canários.

Os métodos usados para pigmentar canários têm sido os mais variados. Contudo é bom lembrar que a cantaxantina terá bons resultados quando empregada em canários bem sadios, que recebem normalmente alimentação rica e bem variada, que tenham tido bons cuidados na fase de crescimento e que pertençam a linha com fator vermelho. Naqueles que não possuem a linha vermelha, os resultados são negativos, pois os mesmos não têm condições anatômicas e especiais para reter o pigmento em sua pele e penas.

Dosagem

A adição de 500 miligramas por quilo de alimento é suficiente para garantir uma ótima pigmentação. Contudo, guardadas as proporções não exageradas na alimentação e os fins para os quais a cantaxantina é empregada, muitos chegam a dobrar a quantidade.

Alessandro Perin - do portal Aves e Notícias

Mais informações você confere no: www.avesenoticias.com.br ou no avesenoticias.spaces.live.com

Perfil do Autor

Alessandro Perin