Ai Que Vida! O Filme

Publicado em: 26/03/2010 |Comentário: 2 | Acessos: 4,088 |

AI QUE VIDA!, O FILME

(Por Cícero Rodrigues)*

Ficha Técnica:

TÍTULO ORIGINAL: Ai que vida!

ANO: 2207/Brasil

PRODUTORA: TVM filmes

DURAÇÃO: 100 minutos

DIREÇÃO: Cícero Filho

ELENCO: Irisceli Queiroz, Rômulo Augusto, Toinha Catingueiro, Feliciano Popô, Wellington Alencar, dentre outros.

O filme Ai que vida! é uma comédia da vida real do nordestino piauiense. O filme inicia-se mostrando  o que realmente acontece com as pessoas das pequenas cidades do Piauí, que distantes de grandes centros e desprovidas de boas condições de transportes como estradas e veículos adequados, locomovem-se de um povoado a outro, principalmente por ocasião das feiras e romarias a santuários, em carrocerias de caminhonetes, dividindo espaço com animais e artigos alimentícios. O filme também discute a prática da política nestes mini municípios, historicamente marcada pela corrupção, má formação dos políticos e enganação do povo. Zé Leitão é um político analfabeto e corrupto que juntamente com a vereadora Chica do Pote tenta se reeleger, usando de promessas ludibriantes e prática de superfaturamento das contas da prefeitura através das notas fiscais da funerária da cidade, de propriedade de um dos vereadores ligados ao grupo político de Zé Leitão.

O filme também abre espaço para as típicas estórias e histórias de traição, tradicionalmente contadas e vivenciadas nestes pequenos povoados, ao relatar o caso amoroso da mulher de Zé Leitão com Waldir, jovem rapaz, filho de D. Cleonice, esposa do vereador dono da funerária. Waldir é flagrado na cama com a mulher do prefeito e perseguido por este até chegar em casa. Além de relatar tais acontecimentos, como todo e bom filme, Ai que vida! conta uma bela estória de amor mostrando o triângulo amoroso entre Charlene, Valdir e Gerald. Valdir conhece Charlene num parque de diversões ao ter sua camisa manchada pelo vômito da jovem. No mesmo evento, Waldir envolve-se com o roubo de um perfume. Por causa disso é julgado a prestar serviços voluntários na Casa de Taipa, uma instituição que cuida de crianças carentes. Lá, reencontra Charlene trabalhando como instrutora de dança. Por ela se apaixona. O problema é que a garota está noiva com Gerald, um boy metido a granfino (o único que tem um carro), que trai Charlene com uma mulher de mais idade.

Toda a trama do filme se desenrola no município fictício de Passo Fundo e chega ao seu clímax quando D. Cleonice revolta-se com a situação de abandono em que está a cidade, sem atendimento médico, mergulhada em um mar de corrupção. A gota d'água para o descontentamento de Cleonice é a morte de uma criança pobre, cuja avó pediu auxílio ao prefeito, recebendo dele uma caixa de remédios vencidos, que piorou o estado de saúde do garoto, levando-o a óbito. Indignada, Cleonice rompe com o marido e resolve candidatar-se a prefeita pelo Partido das Viúvas Passofundenses. Apoiada pelos filhos e pela comunidade, vence as eleições com 99,99% dos votos. Zé Leitão acaba derrotado, na praça da cidade com sua mulher adúltera e a vereadora Chica do Pote, planejando mudar-se para outra cidade no intento de enganar as pessoas de lá  e reclamando: "oh vida desgraçada, meu Deus! Ai que vida!" Além deste desenrolar, o triangulo amoroso mencionado tem fim quando o casamento de Charlene com Gerald é interrompido pelos gritos de uma mulher acusando o noivo de tê-la abandonado, grávida. Charlene, desesperada, deixa a Igreja, arruma suas malas e intenta ir embora. Ao saber disso, Valdir imprime, com angústia, uma busca desvairada a sua amada pelas ruas da cidade. Os dois encontram-se na estrada, resolvem ficar juntos e presume-se que serão felizes para sempre

Este filme, nascido da coragem de seus idealizadores e produtores, mostra que é possível produzir o retrato da realidade de um povo através do cinema, mesmo que a qualidade tão exigida pela telona, devido aos poucos recursos e pouca formação cênica dos atores, não esteja presente. Ai que vida! é um presente para o Piauí e o cinema brasileiro. Vários aspectos culturais do povo nordestino, em especial do piauiense, podem ser observados através desta obra. Um deles é a maneira espontâneo de se expressar que tem o piauiense. Ditados populares, expressões e palavras típicas do piauiês estão presentes no filme, tais como mermã, nã, muier,mais notáveis na fala da personagem Mona. Nota-se, portanto, grande variação lingüística de características que priorizam o regionalismo, a linguagem coloquial e informal. Vários gêneros linguísticos também aparecem, como, por exemplo, discurso político, sermão, cantiga de roda, repente, conversação espontânea, ladainha, festival de dança, dentre outras. Enfim, o filme é uma verdadeira fonte de pesquisa e entretenimento para aqueles que quiserem conhecer, de forma divertida crítica, um pouco mais da história e da identidade do povo do Piauí.

*Cícero Rodrigues é professor de filosofia e Inglês da rede pública do Piauí e de Filosofia  e Metodologia da Unversidade Estadual do Maranhão, no Programa Darcy Ribeiro e especializando em PROEJA.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/arte-artigos/ai-que-vida-o-filme-2054052.html

    Palavras-chave do artigo:

    ai que vida

    ,

    nordestino

    ,

    piaui

    Comentar sobre o artigo

    Odalberto Domingos Casonatto

    A descrição fala da aventura de dois universitários, moradores no sul do Brasil em Vacaria, Odalberto Domingos Casonatto e Ary Cesar Minella ávidos em conhecer o nordeste Brasileiro. Eles se dispuseram na volta da visita ao nordeste brasileiro enfrentar o caminho e o transporte dos "paus de araras", na BR 020 pelo sertão nordestino percorrendo o trajeto de São Raimundo Nonato no Piauí até Brasília.

    Por: Odalberto Domingos Casonattol Turismo e Viagem> Dicas de Viageml 14/09/2014 lAcessos: 18
    FABRÍCIO DE CARVALHO PIMENTA

    Este artigo enfoca a questão da sexualidade tendo como ponto de partida o discurso religioso que visa a estabelecer a repressão corporal a fim de dominar a sociedade, objetivando provocar uma reflexão sobre questões ligadas à sexualidade que sempre foram tratadas pelas religiões com muito preconceito e provocar um diálogo das escolas com o tema visto sob um prisma contemporâneo.

    Por: FABRÍCIO DE CARVALHO PIMENTAl Educaçãol 21/05/2009 lAcessos: 3,359 lComentário: 1
    Milka Wolff

    Curadora de museu desmistifica a ideia de que homem não gosta de museu e mostra uma pesquisa que aponta que o público masculino aprecia visitar museus

    Por: Milka Wolffl Arte& Entretenimento> Artel 15/10/2014

    O ensaio avalia e estabelece um posicionamento crítico acerca do Circuito das Artes Visuais. O autor diante de vários segmentos, inclusive das ciências exatas mostra como o mercado procede. O título possui uma estratégia de motivação para o leitor assimilar as obras e instalações( utiliza-se de animais) presentes no mercado de arte, nos Salões e Bienais. Os erros, acertos os métodos para a escolha dos artistas e consequentemente das suas obras podem ser analisados com embasamento pelo leitor

    Por: vicente de percial Arte& Entretenimento> Artel 09/10/2014

    Ensaio crítico acerca do embate entre a Arte e o Poder. Exemplos e direcionamentos através do panorama do Circuito das Artes Visuais.

    Por: vicente de percial Arte& Entretenimento> Artel 03/10/2014

    Os antigos imperadores e generais romanos celebravam suas grandes vitórias no campo de batalha de forma espantosa: Construindo monumentos que os lembrassem para a eternidade. Este artigo mostra uma das mais marcantes de toda a cidade, muito embora marcada pela simplicidade, se levarmos em conta que é apenas uma "grande coluna", porém que teve e tem consequências fenomenais ainda hoje em nosso mundo moderno, a maravilhosa coluna de Trajano.

    Por: Giovani Pinto da Costal Arte& Entretenimento> Artel 29/09/2014
    Cristina Ribeiro

    A pintura em tecido vem sendo aprimorada a niveis fantásticos. Temos hoje em dia, artistas buscando um aprimoramento jamais visto. Isso é muito bom, valoriza a arte de pintar tecido e em breve, eu creio, que este trabalho já não estará mais relegado aos panos de copa.

    Por: Cristina Ribeirol Arte& Entretenimento> Artel 25/09/2014 lAcessos: 13

    Ensaio que relata a presença do conceituado artista Rubem Valentim. O autor Vicente de Percia é autor do texto do catálogo da Casa da Moeda quando as foram cunhadas em homenagem à obra de Valentim. Tal evento teve repercussão internacional e gerou esse texto.

    Por: vicente de percial Arte& Entretenimento> Artel 25/09/2014

    Análise crítica da obra de Celeida Tostes pelo crítico Vicente de Percia e sinalização da sua trajetória como artista plástica. Percia como um dos idealizadores e júri da I Bienal Mundial do Barro que teve origem em Carracas, Venezuela. A ceramista brasileira Celeida Tostes foi a convidada viva dessa grande Mostra e a artista homenageada falecida Ana Medieta de Cuba. Esse ensaio crítico e segundo a crítica Maria João Machado fundamental para o conhecimento e compreensão da obra da artista.

    Por: vicente de percial Arte& Entretenimento> Artel 06/09/2014
    Milka Wolff

    Estilista, criadora do Museu da Moda, único no mundo, chama a atenção para o crescimento do turismo cultural no país

    Por: Milka Wolffl Arte& Entretenimento> Artel 06/09/2014

    Parte da experiência de vida e profissional do escritor para analisar aspectos negativos de uma educação não voltada para a promoção do homem, estática e arcaica. Sugere novas posturas dos profissionais da educação principalmente no que diz respeito ao relacionamento com os alunos e a visão que todos os envolvidos no processo educacional devem ter sobre as várias realides que os cercam. Convida professores e alunos a sonharem com uma nova realidade transformada pela educação.

    Por: Cícero Rodriguesl Educação> Ensino Superiorl 03/05/2010 lAcessos: 186 lComentário: 1

    O filme "Sorriso de Monalisa" é comentado e relacionado com a evoulução do pensamento humano sobre as conquistas dos direitos das mulheres ao longo da história. Destaca a dicotomia entre métodos tradicionalistas de aprender e ensinar e inovações na prática educativa. Analisa a postura do professor e poder que este tem de transformar as diversas realidades e destaca o caráter mutável do ser humano, dos costumes, das instituições sociais, enfim da sociedade e do mundo.

    Por: Cícero Rodriguesl Arte& Entretenimento> Artel 21/04/2010 lAcessos: 336

    O texto mostra, de forma rápida, um importante embate entre ideologias que buscam manter o status quo e a formação da liberdade por espíritos e indivíduos que foram além dos padrões pré-estabelecidos e contribuiram significante e positivamente para a construção de um mundo melhor e o aperfeiçoamento da vida humana. Cita figuras importantes como Sócrates, Jesus Cristo e Eisntein, dentre outros, que ajudaram a construir visões diferentes e interessantes sobre a sociedade e o homem.

    Por: Cícero Rodriguesl Educação> Ensino Superiorl 30/03/2010 lAcessos: 278

    Comments on this article

    2
    debora 29/07/2011
    meu Deus esse filme é muito bom e ingraçado....demais.........♥
    1
    VictoriaLabelle 23/12/2010
    Já cansei de assistir ar maria muler fica com Gerodi ele tem um carro , ai qee viidaaa ,
    s2
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast