Facebook e outras Redes Sociais

Publicado em: 11/02/2011 | Acessos: 1,151 |

Capa — By linhaaberta on February 2, 2011 at 11:26 am

» LAINE FURTADO

Como o casamento está sendo afetado na era dos sites de relacionamento?

A web apresenta um paradoxo com o qual temos que aprender a lidar: ao mesmo tempo em que nos aproxima de pessoas que estão distantes geograficamente, acaba nos distanciando de quem está por perto. Você já parou para pensar em quanto tempo por dia navega na web? Costuma responder por monossílabos quando está conectado e sem desgrudar os olhos da tela do computador? Cuidado, o tempo que você gasta na net, seja surfando ou participando dos sites de relacionamento, pode estar colocando sua vida conjugal e familiar em risco. O número de pessoas e casamentos afetados com a traição cibernética está crescendo a cada dia e prejudicando o relacionamento de muitas famílias.

Uma pesquisa realizada pela Academia Americana de Advogados Matrimoniais revela que um em cada 5 divórcios envolve a rede social Facebook e que 80% dos advogados americanos especializados em divórcio usam o Facebook como evidência de que o parceiro cometeu adultério.  Isso mostra uma nova era nas evidências de traição: Mensagens e fotos postadas no Facebook estão sendo citadas mais e mais como prova de "diferenças irreconciliáveis". Muitos casos giram em torno de usuários que aproveitam a rede social para entrar em contato com antigos namorados ou namoradas dos quais não tinham ouvido falar há anos. Na pesquisa, pelo menos 66% dos advogados citaram o Facebook como fonte primária de evidência em um caso de divórcio. Em segundo lugar aparece o MySpace com 15% e em terceiro o Twitter com 5%.

Podemos dizer que hoje, a Internet é quase um confessionário para alguns internautas. Os sites de relacionamento e as salas de bate-papo estão recheadas de segredos inconfessáveis. As traições virtuais ameaçam o matrimônio. Embora corram em segredo de Justiça, os processos de separação de casais em conseqüência da ciberinfidelidade" (infidelidade praticada por meio de comunicação eletrônica) estão crescendo muito no país e no mundo. É o que garantem alguns advogados que militam na área de família. Um exemplo disso é a atriz Eva Longoria, da série de TV "Desperate Housewives", que separou-se do jogador de basquete Tony Parker, após alegar que ele a havia traído com uma mulher com quem mantinha contato via Facebook.

"Quanto mais as pessoas continuam dividindo aspectos de sua vida nas redes sociais, elas ficam mais abertas a um escrutínio de sua vida pública e privada e podem cair em situações como essa", afirmou Marlene Eskind Moses, da Academia Americana de Advogados Matrimoniais, ao jornal britânico "Daily Mail". "Se você está atravessando um processo de divórcio e postou informações que vão contradizer algo que foi dito em documentos legais, é claro que poderá ser usado como evidência contra você".

O terapeuta de casais Terry Real disse que, na maioria dos casos, as pessoas usam o Facebook para criar uma "vida de fantasia" e escapar da aridez do dia a dia. "O que é mais atraente, uma pessoa que está longe e com quem se pode sonhar ou aquela com a qual você tem que discutir as contas da casa?", disse ao programa de TV "ABC News". Terry Real enfatizou, porém, que é errado colocar a culpa no Facebook. "Antes era o e-mail e antes disso, o telefone. A culpa não é do Facebook, é da falta de amor".

Na Flórida, 83% das separações já ocorrem em razão do romance virtual de um dos cônjuges, mesmo que não haja conjunção carnal", relata a advogada Marcy Cuzziol. De acordo com a especialista, com base em sua experiência profissional, a cada cinco processos de separação que vão parar em seu escritório, pelo menos um casamento é desfeito em razão da infidelidade on line do parceiro ou da parceira. Quando a vítima da traição virtual é o homem, ele tem mais dificuldade para relatar. É uma questão cultural. Já a mulher, normalmente conta tudo para desabafar", observa.

A traição virtual tem acontecido com maior freqüência nas salas de bate-papo, nos sites de relacionamento, porque a Internet permite tudo, inclusive assumir outra personalidade. No mundo virtual você pode ser o que quiser. A questão é que você acaba criando problemas para o mundo real.

Para a psicóloga e conselheira cristã Heloisa Guimarães, de Boca Raton, do ponto de vista emocional, a traição virtual é mais intensa do que a traição física.  Ela explica que, na traição física, o desapontamento com a outra pessoa ocorre mais rápido. "O mesmo não acontece no relacionamento virtual, pois a distância ajuda a pessoa a ser mais tolerante. Como a ausencia de julgamento do outro está presente, o relacionamento tende a ser mais romântico e menos real. Quando uma pessoa começa a se relacionar com outra, via Internet, a fantasia floresce, fazendo com que a pessoa esqueça a realidade", afirmou. Ela disse que num relacionamento virtual a pessoa se abre, conta sobre sua vida, seus sonhos, seus infortúnios. Por sua vez, a pessoa que está do outro lado da tela, faz a mesma coisa, e com isso cria-se um elo emocional entre eles. O que ocorre frequentemente no  relacionamento virtual, é que ambos se sentem aceitos. E essa é uma das necessidades do ser humano, ser ouvido e ser amado.

Heloisa Guimarães afirma que os sites, de relacionamentos vieram para ficare por isso precisamos aprender a usá-los com sabedoria. "Esses sites revelam o comportamento humano, ou seja, dificuldades para estabelecer relacionamentos sadios, carência afetiva e solidão. No caso da criança e do adolescente, a educação é o fator fundamental. Deve-se educar a criança e o adolescente para desenvolverem relacionamentos reais, onde haja contato pessoal com outras pessoas, incluindo passeios, viagens e muita conversa", explica. É um trabalho agradável no começo, mas depois, esbarrados com as dificuldades da vida, com contas a pagar, com desemprego, tudo volta a ser igual. Têm que haver uma conscientização, ao saber que está trocando a realidade de uma vida a dois, por uma fantasia. E quando o relacionamento virtual terminar, a pessoa está só, pois perdeu ambos, a fantasia e a realidade.

Heloisa Guimarães afirma que a pessoa adulta é responsável pelos seus atos, e deve pensar muito bem antes de se aventurar, e de colocar a familia nesse tipo de pressão. O tempo que um adulto perde num relacionamento virtual, pode muito bem ser utilizado com a esposa e filhos. No livro "O Pequeno Príncipe", de Saint Exupery, ele fala: "foi o tempo que passei com você, que fez você se tornar tão importante para mim." É este tipo de relacionamento que deverá ser iniciado agora, para que as futuras gerações tenham relacionamentos estáveis. No caso da pessoa adulta, que está vivendo um relacionamento extra-conjugal virtual, é necessário que ela tome consciência das suas carências emocionais, que saiba conscientemente que está trocando um relacionamento real por uma fantasia, e que tenha maturidade suficiente para saber as diferenças entre um relacionamento real e um virtual.

O pastor e piscólogo Josias DaSilva, de Coconut Creek, explica que a tendência de trocar de parceiro se esconde na alma do ser humano, na parte animal da cada um de nós. Essa tendência é inibida pela civilização, que elabora proibições e punições afim de domar o desejo e, assim, preservar a própria civilização da desintegração. Os sites de relacionamento funcionam com uma vitrine, por onde os personagens passam apresentando suas conquistas, quase nunca suas derrotas, chamando a atenção de mulheres e homens cujas relações em casa estão fragilizadas. "Assim, vai surgindo na internet o tipo ideal de marido ou o tipo ideal de esposa e amante; ou antigas relações são reencontradas, levando a pessoa a pensar que se tivesse se casado com fulano/fulana, teria sido bem melhor… A comunicação instantânea, com a facilidade das imagens em tempo real, dificultam o trabalho de censura interna e, assim, o desejo se realiza mais rapidamente", afirmou.

Questionado sobre os sinais que podemos ver no nosso parceiro que sejam estranhos, Josias DaSilva disse que alguns sinais podem ser o termômetro de que a relação a dois não está bem. Entre os principais sinais estão afastamento de pele, isto é, recusa de intimidade sexual, ficar horas a fio no computador com a porta do quarto ou escritório trancada, atitudes como culpa reparativa: quando o parceiro começa a fazer coisas e mimos que antes não fazia. Ele ou ela pode estar querendo reparar o sentimento de culpa. E reações súbitas de ocultação, quando o parceiro entra de súbito no quarto ou escritório e o outro fica como pêgo de surpresa.

Lúcia Brandão, médica com especialização em psiquiatria, de Deerfield Beach, afirma que o contato virtual permite que a realidade seja mascarada e a pessoa deixa solta a sua fantasia. "Geralmente a pessoa se descreve como gostaria de ser,  vê a outra pessoa dentro de uma nuvem de ilusões, a pessoa perfeita que foi idealizada e que apesar de não existir, se faz "materializar" na tela do computador. Não exige dela nenhum compromiso ou ajuste em sua vida para acomodar este relacionamento. É cômodo", revela a psiquiatra.

Lúcia Brandão explica que hoje, com os sites de relacionamento, a traição acontece na privacidade de seu quarto, distante dos olhos, recriminação, e crítica de todos. Ela cita como exemplo o modelo identificado como ACF (Anonimato, Conveniência e Fuga) do Dr. Mark Laaser, que analisa o comportamento dos parceiros que traem seus parceiros. No "tempo antigo" as pessoas tinham que ir até as zonas de luz vermelha. Tinham que expor-se a humilhação pública. "Hoje, com os sites de relacionamento, a pessoa mais tímida, nesta situação se sente atrevida, pois não pode ser vista nem julgada. A pessoa muito "puritana" não sente estar quebrando nenhum padrão de moralidade, pois é um contato "virtual" e conforme advogam, virtual não é real", explicou.

Entre os sinais que podemos ver no nosso parceiro que sejam estranhos, Lúcia Brandão destaca alguns. Entre eles,  quando o parceiro fica muito tempo conversando no computador e  se mostra irritado quando o cônjuge pede um tempo ou atenção, espera o parceiro dormir para ir checar seu emails ou levanta-se continuamente durante a noite para usar o computador. Entre os sinais de alerta estão se inscrever como solteiro em seu perfil do Facebook, sair de perto do parceiro para atender o telefone, apresentar um comportamento de pessoa culpada e ter dificuldade no relacionamento físico com o cônjuge, aumento de gastos inesperados na conta de banco, flores ou outros presentinhos extranhos aparecendo com explicações de não ser nada importante.

Lúcia Brandão explica  que todos nós temos deficiências em alguma área, e muitas vezes o isolamento, a solidão, a falta de comunicação, intimidade e transparência no casamento traz perigos para todos. Por isso devemos ser muito cuidadosos com o espaço permitido aos sites de relacionamento na nossa vida. Algo que pode começar "inocentemente" pode se transformar num pesadelo.

A psicóloga e professora Lucileide Matos, com doutorado e mestrado em Clinical Counseling nos EUA, de Orlando, lembra que a traição é um tema presente em toda a história da sociedade.  Hoje, a maioria das traições acontece com a ajuda do telefone celular e, principalmente, do computador. Trocou-se o bilhete pelo text message, a carta pelo e-mail, o recado verbal pelo telefonema. Lucileide explica que conhecer pessoas e se envolver sentimentalmente com elas, através do fácil acesso ao espaço cibernético, tornou-se cada vez mais frequente nos dias atuais. Evidentemente, não é a internet que estraga os relacionamentos. Mas a grande verdade é que ela potencializa o estrago. O uso da internet já se tornou um dos assuntos inescapáveis na vida dos casais, além de dinheiro, valores morais, quem fica com o controle remoto.

Lucileide Matos disse que com o sexo cibernético já não é mais necessário aquelas famosas viagens secretas ou lugares escondidos para as aventuras extraconjugais. Para os "tímidos ou acomodados", era tudo o que faltava: Infidelidade sem sair de casa! "A característica comum a todos os que traem é não estar satisfeito com o que tem. Pessoas que traem buscam algo que não tem e que passam a desejar, muitas vezes sem sequer saber o que procuram lá fora, ou do outro lado da tela do seu computador. Muitas pessoas afirmam que estão perdendo seu conjuge para "o computador". A fantasiosa relação virtual deixa as pessoas totalmente à vontade para compartilhar sua vida e seus mais profundos segredos. No espaço cibernético, a comunicação entre as pessoas alcança seu mais alto nível de intimidade, o que não acontece no relacionamento conjugal na vida real", analisou. E quando acontece a descoberta da traição virtual, muitos casamentos já estão totalmente prejudicados  e num caminho sem volta.

A psicóloga dá algumas dicas que podem ajudar o parceiro, afirmando que não existem casamentos perfeitos, à prova de problemas, como também não existem pessoas perfeitas. Se houver uma fresta, por menor que seja, por aí entra o que não deve. Não deixe a internet lhe usar. Outro princípio que devemos observar é que o relacionamento conjugal não comporta mais que duas pessoas. Quando o casamento está precisando de manutenção, de aquecimento, de renovação, de comunicação principalmente, é dentro dele que se busca resolução porque é com o cônjuge que se precisa falar, comunicar, acertar. A corrida para o mundo virtual é o caminho mais fácil, mais "largo", muitos são os que caminham por ele. Mas, é o pior caminho! Um caminho que parece dócil, encantador,  mas que depois trás o sabor amargo do fel. Cuidado com o mundo virtual!
Outro conselho de Lucileide Matos é usar o princípio da sabedoria: "Em momentos de crise páre! Não decida nada!". Todos os casos de infidelidade que conheço e os que passaram por meus cuidados profissionais, aconteceram por causa da busca desenfreada pela ajuda de alguém, via internet, que compreendesse e ajudasse de alguma forma naquele momento crucial. É aí que entra em cena o "Super Homem" ou a "Mulher Maravilha", personagens que só existem no mundo virtual. Neste contexto, a pessoa que trai já se autojustifica. Esquece que "enganoso é o coração do homem… Não se engane e nem se deixe enganar".

Lucileide explica que existem vários motivos de traição, até mesmo traição por pessoas que declaram que tudo estava indo bem no casamento, todavia, na realidade, quando uma pessoa busca relacionamento fora do seu matrimônio é porque alguma coisa está errada ou está faltando no seu relacionamento. Algo precisa ser consertado e você mesmo está capacitado para isto. Não pense que o "maravilhoso mundo novo" está de frente à você, na internet, porque de fato e de verdade este mundo está bem dentro de você.

E vai aí o conselho da psicóloga. Para evitar qualquer tipo de traição faça valer  os votos do seu amor no casamento. Torne o seu casamento o mais feliz que ele possa ser. Foi para isso que Deus criou o matrimônio. Existem casamentos felizes e existem estratégias eficazes para tornar feliz aquele casamento que precisa chegar a esse nível. Para evitar que o seu parceiro lhe traia, use de sua inteligência emocional, seja guiado pela bússola do amor em todo o tempo, e saia do mundo da idealização, do mundo virtual, e viva no mundo real onde aceitar o outro tal como ele é, não significa desistir, mas reconhecer que mudanças podem acontecer.

Como evitar a traição? Como fechar as arestas no casamento? Como saber se o casamento está protegido contra o vírus da traição virtual? Lucileide explica que os casamentos felizes podem resumir-se a relações marcadas por níveis elevados de intimidade emocional e esta depende, dentre outros fatores, da intimidade sexual. Muita coisa muda com o passar do tempo, inclusive o desejo sexual que sentimos pela pessoa que amamos.  Mas isso não quer dizer que deixe de haver desejo ou atração física. As pessoas que têm um casamento feliz continuam a sentir-se atraídas pelo cônjuge.

Segundo ela, para atingir um grau elevado de intimidade e satisfação conjugal, o nível de comunicação também tem que ser elevado. Quando a comunicação não é clara e honesta e o casal não é capaz de falar abertamente sobre o que lhes (des)agrada,  a intimidade pode ficar comprometida. Abrindo este canal de comunicação honesta os cônjuges vão se sentir seguros e felizes.

Outra "marca" dos casais felizes diz respeito ao lazer e ao divertimento. Seja qual for a condição social ou cultural do casal, a capacidade de se divertirem a dois, de realizarem atividades que lhes permitam descontrair de forma sadia e agradável é fundamental. Se os casais insatisfeitos se queixam regularmente da rotina e da monotonia, os casais satisfeitos procuram quase sempre fazer descobertas a dois.

Dicas de Cuidado para quem está no Facebook

Se você faz parte dessa rede social, é melhor tomar certos cuidados, porque esta poderosa ferramenta de comunicação é uma faca de dois gumes. Assim como coloca você em contato com pessoas queridas ela também atrai outras que talvez você preferisse não reencontrar (ex-namorados, casos, etc.). Se você não quer que o Facebook seja um problema ou uma ameaça para o seu relacionamento atual, siga os conselhos abaixo.

1 – Estabeleça a privacidade da sua conta para ter controle de quem terá acesso aos seus dados. Na barra superior do Facebook, coloque o cursor em "Configurações" e clique em "Configurações de privacidade". A partir daí explore cada seção:

A- Perfil: Defina quem poderá ver as suas informações (básicas, pessoais, acadêmicas e profissionais), seu estado e seus links, seus amigos, as fotos e os vídeos em que você aparece, e quem pode publicar mensagens no seu Mural. Você pode escolher "Todos", "Amigos de amigos", "Apenas amigos" ou "Personalizar…". Se você optar por "Apenas amigos", enquanto uma pessoa não tiver sido aceita como amigo por você, ela não poderá ver os seus dados nem escrever no seu mural.

B- Procurar: Estabeleça quem pode encontrar você se procurar o seu nome ou e-mail no Facebook ou em buscadores da internet (como o Google). As opções são as mesmas do "Perfil". Você pode determinar que dados serão vistos quando você for encontrado: a foto do seu perfil, a sua lista de amigos, um link para ser adicionado como amigo, um link para receber mensagens ou as páginas das quais você é fã.

C- Feed de notícias e mural: Determine quais das suas atividades no Facebook aparecerão nas "notícias" dos seus amigos: escrever em um mural, comentar ou curtir um texto, foto, álbum, link ou vídeo, assim como alterações de dados do seu perfil.

D- Opção de bloquear pessoas:  Se você quiser evitar determinadas pessoas, basta bloqueá-las. Isso impossibilitará qualquer tipo de contato e de problema. Basta escrever o nome ou o e-mail dela no quadro "Pessoa" e clicar em "Bloquear" na página principal de "Configurações de Privacidade".
2 – Tome uma decisão sobre a sua situação sentimental: Se o seu namorado, ou a sua namorada, também é usuário do Facebook, vocês podem conversar sobre isso para adotar o mesmo critério. Se você casou, não deixe de escolher a opção "Casado". Se você não é casado, a melhor opção é deixar esse campo em branco: as pessoas próximas saberão se você tem algum relacionamento sério ou não. E os desconhecidos não precisam ser informados, não é mesmo? Se você escolher definir o seu relacionamento, evite mudá-lo a cada briga que tiver. A única coisa que você conseguirá com isso é que os outros se metam na sua vida, o que poderia dificultar uma reconciliação.

3 – Não use o Mural para se comunicar com outros usuários se o seu namorado, ou a sua namorada, puder interpretar mal esse contato. Procure ser discreto e enviar mensagens privadas ou usar outros canais de comunicação (e-mail, chat, etc.).

4 – Tome cuidado com as fotos e os vídeos que você vai compartilhar. E fique atento ao que os outros publicam sobre você. Vá a "Configurações da conta" (em "Configurações", na barra superior) e entre na aba "Notificações": Se você quiser, o Facebook enviará um e-mail de aviso todas as vezes que alguém fizer uma ação relacionada com você. Assim, se for necessário, você poderá tomar uma atitude rapidamente. Você pode escolher receber um aviso quando alguém publicar alguma coisa no seu mural, identificar você em uma foto, comentar uma foto, um vídeo ou um texto ligado a você, etc.

5 – Para evitar contratempos, encerre sempre a sua sessão antes de se afastar do computador. Basta clicar no botão "Sair" na barra superior do Facebook, à direita (ao lado do campo de buscas).

6 – Evite que os "acontecimentos" do espaço virtual afetem a sua relação. Privilegie a confiança e o diálogo com quem você ama e não deixe que um mal-entendido provocado pela rede abale o seu relacionamento

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/auto-ajuda-artigos/facebook-e-outras-redes-sociais-4213791.html

    Palavras-chave do artigo:

    facebook

    ,

    lucileide matos

    ,

    profa lucileide matos

    Comentar sobre o artigo

    Benedicto Ismael Camargo Dutra

    Em meio aos cenários de pânico e acontecimentos dramáticos de sofrimentos, a compaixão e a solidariedade vão aos poucos ficando frágeis, pois se avolumam as condições de emergência como pobreza, doenças, catástrofes. Semeia-se o medo da insegurança e da incerteza cuja origem se desconhece, e com o medo sobrevém o ódio.

    Por: Benedicto Ismael Camargo Dutral Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 16/09/2014

    Este artigo fala sobre os fatores que influenciam as dificuldades de aprendizagem, buscando compreender a interferência do sistema escolar, familiar e socioeconômico nos problemas de aprendizagem. A importância de pesquisar tal assunto estar em aprofundar o conhecimento sobre as dificuldades de aprendizagem, assim como ampliar a visão a partir da literatura sobre o tema, proporcionando entendimento das representações e compreensão sobre os problemas de aprendizagem.

    Por: Daniel Soaresl Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 26/08/2014 lAcessos: 13

    Quando a Luz da Verdade resplandece na Alma do Ser Humano a sua meta é a ascensão no Bem, causando a morte de tudo o que é ruim.

    Por: ADRASTIA ABNARAl Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 26/08/2014
    Escritorcampos

    Como adicionar o sonho à vida real "Sonhar é viver" A ciência afirma ser o sonho produto da imaginação inconsciente, o esoterismo se apega aos ícones e suas coincidências. A religião o tem como profecia das divindades.

    Por: Escritorcamposl Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 15/08/2014

    É incrível a capacidade que o ser humano tem de humilhar o outro. Prepotência ? Orgulho? Arrogância? As palavras daquele que humilha se revestem do mesmo peso dos adjetivos acima. São ásperas, cheias de ódio e mesquinharia. Não acrescentam, não elevam, não dignificam. Desqualifica, destrói, ameaça a integridade moral, dilacera a alma daquele que se sente humilhado.

    Por: Renata Barcelosl Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 13/08/2014

    De acordo com a visão de mundo as pessoas podem ser pessimistas,realistas e otimistas.

    Por: Eder Lima Affonsol Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 06/08/2014 lAcessos: 16
    Lilian Bendilatti

    Esses exercícios podem ser usados para aquecer um grupo para realização de uma atividade, curso ou treinamento ou para nós mesmos exercitarmos nossa concentração.

    Por: Lilian Bendilattil Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 05/08/2014 lAcessos: 11
    Pedro Rêgo

    Um dos grandes erros que muitas vezes cometemos é quando acreditamos na falsa verdade de que qualquer projeto pessoal ou profissional que idealizemos com objetivo de se tornar um sucesso, é necessário iniciar grande ou ter um grande suporte por trás, seja moral ou financeiro.

    Por: Pedro Rêgol Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 25/07/2014 lAcessos: 14
    Lucileide Matos

    Embora todos saibam que há tempo determinado para tudo no mundo, pouquíssimos sabem administrar este tempo quando refere-se ao tempo investido no relacionamento conjugal. A causa dos desastres no relacionamento conjugal é um dos mais polêmicos assuntos que não somente intriga cada vez mais aos estudiosos desta área, como também subestima a capacidade de entendimento do homem a esse respeito. Dentre inúmeros vilões do casamento, vamos focar apenas três que têm deixado verdadeiros escombros no c

    Por: Lucileide Matosl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 26/12/2010 lAcessos: 364
    Lucileide Matos

    Nos últimos 25 anos, todo estado americano tem decretado leis de divórcio "sem culpa", tornando o processo de divórcio mais fácil, mais rápido e sem carregar consigo qualquer implicação moral. As taxas de divórcio nos EUA quebraram recordes sob o sistema "sem culpa". Pesquisas norte-americanas na área de Sociologia tem elencado 8 fatores responsáveis pelo divórcio. Conheçamos um pouco sobre isto:

    Por: Lucileide Matosl Psicologia&Auto-Ajudal 05/02/2010 lAcessos: 966 lComentário: 1
    Lucileide Matos

    Em busca de dias melhores, muitos brasileiros tem sido abatidos pelas crises. Como devemos reagir diante das crises? Como elas nos afetam? Qual o caminho para vencermos as crises? Estas e outras perguntam inundam o cenário existencial de milhares de imigrantes brasileiros que vivem longe da terra natal.

    Por: Lucileide Matosl Psicologia&Auto-Ajudal 05/02/2010 lAcessos: 274
    Lucileide Matos

    Gostaria que você examinasse estes sintomas de estresse, descritos abaixo, para averiguar quais deles estão presentes em sua vida. Se o seu estado emocional se encaixa neste quadro apresentando a maioria destes sintomas, analise o que você quer fazer com o desabamento de sua vida.

    Por: Lucileide Matosl Psicologia&Auto-Ajudal 05/02/2010 lAcessos: 335
    Lucileide Matos

    Há pessoas que se acostumam com situações de escravidão. Escravas de uma depressão, do desemprego, de uma desavença familiar, de uma inadequação conjugal, de uma situação opressora, de uma dívida, etc. Seja qual for a escravidão que lhe subjuga neste momento, afirmo-lhe que há uma solução. Entretanto, para sair desta situação, tudo depende de você. Enquanto, você não fizer como D. Pedro I no cenário de domínio estrangeiro sobre o Brasil, tomando uma posição e bradando a plenos pulmões "Independê

    Por: Lucileide Matosl Psicologia&Auto-Ajudal 05/02/2010 lAcessos: 1,149
    Lucileide Matos

    Dra. Lucileide Matos explica como acontece uma terapia.

    Por: Lucileide Matosl Psicologia&Auto-Ajuda> Psicoterapial 29/01/2010 lAcessos: 427
    Lucileide Matos

    O pai é responsável pelo filho que gera, todavia ser pai não é apenas gerar um filho. Na realidade, é ser referencial de vida, ser presente e preparar o filho para enfrentar o mundo. Como disse alguém, se o pai não preparar o filho para enfrentar o mundo, o mundo vai praparar o filho para enfrentar o pai!

    Por: Lucileide Matosl Psicologia&Auto-Ajudal 29/01/2010 lAcessos: 197
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast