Felicidade – O Prazer De Se Sentir Bem E Pleno

Publicado em: 18/02/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 821 |

Felicidade... todos nós já sentimos ela algumas vezes. Essa palavra nomeia um objetivo em comum a todos os seres humanos: sentir-se feliz.

 

A verdade é que durante toda nossa vida perseguimos esse sentimento, que descobrimos logo no início de nossa jornada. Após a nossa fecundação e descoberta de consciência, nossos sentidos (a primeira sensação tátil, o primeiro gosto na boca, o primeiro barulho, o primeiro cheirinho e, finalmente, a primeira imagem – ainda turva – e como elas podem ser infinitamente diferentes), descobrimos sorrisos, choros, carinhos e tapas, tombos e passos... os abraços e a coragem de seguir em frente, e, assim até hoje.

 

Inicialmente, descobrimos a felicidade através do prazer puro. Depois esse prazer vai se misturando e somando a uma série de outras sensações como realização, bem-estar, amor, prazer, poder, reconhecimento, aceitação, satisfação, saciedade, conquista, dentre outros.

 

No entanto, talvez tivéssemos que repensar sobre a conquista da felicidade como algo definitivo. Por natureza somos seres em constante evolução e progresso, e, tentar conquistar a felicidade através de algo que pareça imutável, possa nos colocar numa situação de comodidade, que vai de encontro à nossa natureza.

 

A acomodação gera apego, e, apego gera infelicidade, pois nos tornamos escravos do medo da perda do objeto amado. Dessa forma, ao invés de avançarmos para novas jornadas, nos tornamos fugitivos, nos escondendo de tudo que é novo, com medo de sermos roubados ou incomodados. A fuga é um movimento anti-evolucionário, porem nunca poderemos nos esconder de nós mesmos, da nossa essência.

 

Felicidade é um sentimento ligado a novidade – o novo nos excita tanto quanto pode nos frustrar quando não conseguimos entendê-lo, ou, quando não sabemos como lidar com ele – isso nos causa “tristeza”.

 

Devido a essa natureza evolutiva e progressista em busca da novidade, nosso cérebro é um constante solucionador de problemas e está sempre em busca de um desafio novo. A cada vitória, ele produz hormônios que nos geram indescritíveis sensações de bem-estar = felicidade.

 

Mas, invariavelmente, a conquista está relacionada ao “ter” e ao “poder”, que remetem a algo que deve ser mantido. E é na tentativa de manter a conquista que geramos o apego e o medo de perder, parando de evoluir. Cabe esclarecer que felicidade não é a soma de conquistas acumuladas, e, sim a liberdade de seguir em frente tendo a certeza de que tudo é momentâneo.

 

Alguns podem avaliar que essa maneira de pensar poderá nos tornar pessoas avassaladoras. Mas a verdade é que se nos acomodarmos a uma felicidade já conquistada, acabaremos por nos tornarmos apegados e egocêntricos, enquanto que para sermos felizes precisamos desenvolver o desapego e o egoísmo.

 

Falar sobre egoísmo é entrar num assunto polêmico, já que a nossa cultura castiga o egoísmo como pecado, justificando a modéstia excessiva, a humildade quase humilhante e a caridade por falta de amor próprio como condutas mais aceitáveis.

 

Vamos recorrer ao segundo mandamento instituído por Jesus Cristo e aceito culturalmente pela maioria das pessoas: “Deves amar ao próximo como a ti mesmo.”. O que realmente quer dizer essa frase? Ela compara o amor ao próximo com o amor próprio, ou seja, devemos amar ao próximo com a mesma intensidade que nos amamos. Então, só é capaz de compreender o amor ao próximo quem tiver o verdadeiro amor próprio.

 

Será que amor próprio e egoísmo caminham juntos? Egoísmo é amar a si mesmo e aos seus interesses, antes de tudo...

 

Quem se ama está pleno de si mesmo, logo está feliz, e, não se acomoda, pois sabe que pode ir mais longe.

 

Quem se ama sabe como pode ajudar e amar ao próximo sem se tornar escravo dele, deixar de viver sua vida, ou impedir que o outro evolua sufocando-o com o seu próprio estilo de vida.

 

Ainda podemos nos perguntar: Mas e quanto à caridade e o sacrifício?

 

Caridade e sacrifício não são sinônimos de suicídio. Para fazer caridade você tem que ter para poder doar sem sentir culpa ou sentir o direito de poder cobrar num momento oportuno, ou ainda, sentir-se favorecido, nem mesmo tomar para si a caridade como pagamento de erros e dívidas, como algo a ser dado em troca de um autobenefício futuro.

 

Sacrificar-se a algo ou por alguém envolve uma missão extraordinária, na qual, nunca poderemos exigir que aquilo pelo que nos sacrificamos tenha qualquer atitude por causa de nosso sacrifício. O sacrifício reforça o direito de livre-arbítrio do outro.

 

Tanto a caridade como o sacrifício quando genuínos nos geram felicidade quando estão fortalecidos pelo amor próprio e egoísmo.

 

Algumas pessoas acabam conhecendo o amor próprio quando se tornam conscientes e capazes de se sacrificar e fazer caridades a si mesmo. Elas concedem permissão a si mesmos para serem felizes, e, essa permissão funciona como um despertar para a vida.

 

Felicidade é também um sentimento constrangedor, pois rir de felicidade sozinho no meio da rua o torna aparentemente um louco. Torna-se tão constrangedor que a pessoa feliz é vista por alguns como solitária. Enquanto que a tristeza é um sentimento mais coletivo, pois ela exige que as pessoas acolham quem estiver passando por um momento triste. A pessoa feliz, plena de si, pode dar a idéia de que não precisa de mais nada, pelo contrário, ela acaba sendo cobrada por se sentir bem.

 

Talvez felicidade seja o sentimento mais individual que exista. E quando uma pessoa que não está feliz observa alguém se sentindo muito bem, outro sentimento pode aparecer: a inveja, que nada mais é do que o anseio em querer algo e não conseguir, sentindo-se incapaz de conquistar, atribuindo o sucesso do outro à sorte. Logo após a inveja vem a raiva do outro e de si mesmo.

 

Sendo a felicidade esse sentimento tão particular e introspectivo, ao mesmo tempo é impossível escondê-lo ao entrar em contato com ele. No entanto, nem todos pagam o preço de serem felizes, já que como comentamos, ser feliz envolve prazer pela liberdade e desapego, infinito amor próprio, além de estar preparado para lidar com o constrangimento, a inveja e a raiva alheia. Talvez por isso, há quem diga que quem é feliz é egoísta.

 

A verdade é que a felicidade é contagiante quando abrimos nosso coração para recebê-la, como ela vier. É hora de se desprender do passado, esvaziar nossas mãos, coração, mente e espírito daquilo que já passou. Receba cada evento que lhe acontecer como novidade, deixe seu cérebro se deliciar com a possibilidade de tudo lhe parecer novo. Permita-se redescobrir o mundo através da janela de sua casa. Olhe para as pessoas enxergando nelas o mesmo potencial que existe em você. Orgulhe-se de seu reflexo no espelho, pois ele reflete a verdade que existe em você. Não protele decisões para que não desperdice tempo organizando-as. Viva cada dia da sua vida percebendo como você é importante para o universo e como ambos são integrados.

 

Bem vindo ao mundo, seja feliz tanto quanto puder imaginar ser!

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/auto-ajuda-artigos/felicidade-o-prazer-de-se-sentir-bem-e-pleno-1876127.html

    Palavras-chave do artigo:

    felicidade

    ,

    autoconhecimento

    ,

    conquistas

    Comentar sobre o artigo

    Antonio de Jesus Trovão

    UM BREVE ENSAIO SOBRE A FELICIDADE, SUAS CARACTERÍSTICAS E O MODO COMO PODEMOS BUSCÁ-LA SEM EXAGEROS OU DESVIOS.

    Por: Antonio de Jesus Trovãol Educaçãol 01/09/2010 lAcessos: 772 lComentário: 1
    Ana Nery de Medeiros

    Segundo a Organização Mundial da Saúde: (1947) "Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças". Desde então, a saúde passou a ser vista como um estado de funcionalidade pessoal, de bem estar interior, de visão positiva da vida e postura produtiva do Ser Humano.

    Por: Ana Nery de Medeirosl Psicologia&Auto-Ajuda> Redução de Stressl 30/10/2011 lAcessos: 148

    A inveja é algo nato, todos nós estamos sujeitos a esse sentimento, principalmente quando surge a competividade, o desejo. Alguns dizem que tem algo a ver com os olhos. Daí surgiu a expressão mau olhado, que está na própria constituição etimológica da palavra inveja (invidere = latim).

    Por: Shirley Miguell Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 13/09/2011 lAcessos: 226

    Buscamos a felicidade, muitas vezes aliatóriamente e outras desesperados por acreditar que ela virá em um grande momento. Alguns de nós ficam sentados a espera desse momento, outros...

    Por: Vitor Marquesl Negócios> Administraçãol 17/10/2010 lAcessos: 334

    A leitura independente da situação nos faz sentir atração pela aventura e pela fantasia quando compreendida. Se a mesma relaciona-se com a realidade ou ficção não importa, a imaginação que se transforma ao longo do exercício, nos faz acreditar que tudo é verdade. Conquistam-se idéias, soluções, amplitudes de conhecimentos e permissões para caminhar de uma forma reflexiva, desenvolvendo-se grande parte do sucesso prévio.

    Por: Herica Diasl Educação> Ensino Superiorl 06/09/2010 lAcessos: 300 lComentário: 2

    A ausência de motivação do indivíduo nas organizações de trabalho já foi identificada como a principal causa do absenteísmo, especialmente por motivo de doenças físicas e por transtornos mentais e comportamentais. As profundas mudanças sociais, econômicas e climáticas vivenciadas pela humanidade na última década favorecem a discussão sobre os novos rumos da administração, com a adoção de conceitos sintonizados com a abordagem transpessoal e a gestão holística de pessoas.

    Por: Rodrigo Pival Psicologia&Auto-Ajudal 20/09/2010 lAcessos: 1,566
    Rosângela da Glória Santos

    Às vezes perdemos a chance de conhecer a fundo, pessoas legais que poderiam nos ensinar um pouco de nós mesmos; passar sentimentos que poderia mudar a nossa maneira de viver a vida. Por causa de achismos, de ver a pessoa somente por fora, às vezes pensamos que conhecemos alguém, e por dentro ela pode ser uma pessoa completamente diferente do que nós imaginamo. Por isso cuidado! Não faça julgamentos precipitados quando conhecer alguém; ela pode ser o amigo que você tanto precisa.

    Por: Rosângela da Glória Santosl Religião & Esoterismo> Religiãol 18/04/2009 lAcessos: 490
    Tiago

    Cada passo dado uma conquista inesperada,a alma de um guerreiro é cercada de mistério com desafios e ações de seu aprimoramento natural...O guerreio já está desperto!

    Por: Tiagol Psicologia&Auto-Ajudal 06/10/2014
    Tom Coelho

    Ensaio preliminar do que viria a ser o livro "Sete vidas" elaborado para publicação em uma revista de grande circulação.

    Por: Tom Coelhol Notícias & Sociedade> Cotidianol 10/02/2013 lAcessos: 25

    Quantas vezes nos dá vontade de desistir, jogar tudo pro alto e sumir do mapa? Saiba que isso é normal, e você pode usar essa vontade de desistir para impulsionar a realizar seus sonhos e melhorar sua vida!

    Por: Biancal Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 11/11/2014 lAcessos: 15
    Luana De Paula Pimentel

    O presente trabalho visa estudar acerca da resiliência em pacientes hospitalizados do Hospital Municipal Modesto de Carvalho da cidade de Itumbiara-Goiás. A resiliência é a capacidade de se recuperar de situações de crise e aprender com ela. Para alcançar o objetivo do estudo, aplicou-se uma escala de avaliação da resiliência e um questionário sócio demográfico. A partir da análise dos dados, pode-se avaliar a presença da resiliência nos pacientes hospitalizados.

    Por: Luana De Paula Pimentell Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 28/10/2014

    O lado sombrio que todos insistem em ocultar. Liberte-se... Descubra o que um dos pioneiros da psicanálise disse sobre sombras

    Por: Leticia Moreiral Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 22/10/2014
    Tatiane de Oliveira

    Popularmente existe uma crença que saber ouvir é uma habilidade a ser desenvolvida e utilizada exclusivamente por psicólogos, líderes religiosos, conselheiros... De fato, a escuta é fundamental para o fazer profissional do psicólogo e para os outros exemplos acima citados também; mas recentemente em uma análise que fiz em um determinado círculo social que frequentava, notei como às pessoas estão ansiosas e carentes por falar, mas indiferentes ou insensíveis ao ouvir o outro.

    Por: Tatiane de Oliveiral Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 20/10/2014 lAcessos: 11

    Muitas pessoas se acham pouco atraentes em termos de simpatia, ou dizem ter poucos amigos. Mas tudo é uma questão de mudar a própria concepção e visão das atitudes que se tem. Nesse artigo, mostro que é possível ser agradável a atrair a atenção dos outros, de maneira simples, sincera e com resultados imediatos. Experimente colocar em prática.

    Por: Josemar Barbosa Ferraril Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 17/10/2014 lAcessos: 20
    Egon Griesang

    A chuva traz uma simbologia de lavar o que está sujo para recomeçar com nova vida, novas forças. Quantas vezes precisamos que isso aconteça conosco? Praticamente todos os dias! Encontre forças para recomeçar e ser feliz!

    Por: Egon Griesangl Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 16/10/2014
    Edison Candido Gonçalves

    "Chegamos a incrivel marca de 07 bilhões de habitantes no planeta. Neste cenário, a luta para conquistar um lugar ao sol torna-se cada vez mais acirrada. Não basta ser apenas humano. É preciso muito mais. Ser uma super máquina com mil habilidades para vencer toda sorte de competição. E tudo isso com um preço altíssimo. Desgate físico e emocional, doenças psicossomáticas, estress,frustação, pressão acima do que se pode suportar .

    Por: Edison Candido Gonçalvesl Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 13/10/2014 lAcessos: 15

    A pesquisa teve como objetivo propor para adolescentes de 14 a 17 anos, uma breve orientação para a profissionalização, em busca de auxilia-los no desenvolvimento do processo de escolhas, na descoberta de suas habilidades e possíveis vocações e também levar informações sobre o possível acesso dos adolescentes da associação Proreavi em uma universidade, cursos profissionalizantes, técnicos entre outros, através de dinâmicas, questionários e estudos dirigidos com os mesmos.

    Por: Guilherme Beraldo Cesáriol Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 09/10/2014
    Vanessa Ferreira Cury

    Desde a nossa geração passamos a fazer parte da corrente do tempo, uma linha composta por passado, presente e futuro, natural e inerente à nossa vontade. A nossa percepção é quem determina o aproveitamento do tempo que vivemos, desde a menor fração até o acúmulo de anos dos quais nem guardamos lembranças... E a nossa percepção age de acordo com nossa motivação... mas o que é motivação?

    Por: Vanessa Ferreira Curyl Psicologia&Auto-Ajudal 18/02/2010 lAcessos: 510
    Vanessa Ferreira Cury

    Quantas vezes já acordamos angustiados com algo que nem sabemos de onde vem ou o que é... Passamos o dia inquietos, com o olhar distante, pensamentos desconexos, e, a insatisfação toma conta. Então, começa a busca por algo para preencher esse vazio do espírito: alguns abrem o armário e a geladeira, outros ascendem um cigarro após outro, ainda outros saem para fazer compras, mas todos experimentam um breve momento de bem-estar que logo acaba, e, novamente a insatisfação e o vazio voltam a tomar c

    Por: Vanessa Ferreira Curyl Psicologia&Auto-Ajudal 18/02/2010 lAcessos: 9,183 lComentário: 1
    Vanessa Ferreira Cury

    É interessante a energia que a aproximação de um novo ano é capaz de produzir nas pessoas... Depois que acabam as comemorações natalinas, um sentimento diferente nasce em de cada um de nós: a esperança. Mas, como efetivamente fazer com que as coisas aconteçam? Como deixar que a esperança guie nossos passos para a concretização dos nossos sonhos? O que devemos fazer para que nada, absolutamente nada, nos impeça de cumprir nossas promessas?

    Por: Vanessa Ferreira Curyl Psicologia&Auto-Ajudal 18/02/2010 lAcessos: 65
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast