O Que É Um Problema? Como Solucioná-Lo? (2/5)

18/01/2009 • Por • 4,603 Acessos

Quer uma idéia do que é um problema? Aproxime um papel escrito dos seus olhos até que ele toque em seus cílios. Tente ler alguma coisa nesta posição. Consegue identificar alguma coisa? Não? Ninguém de fato consegue, por melhor de visão que possua.



Nesta página estão impressas palavras que um indivíduo alfabetizado e com vocabulário razoável pode ler facilmente. Mas, a despeito disso, mesmo um professor de língua portuguesa não conseguirá entender uma só palavra escrita, aproximando demasiadamente a página dos olhos. Como você vê, temos um problema representado pela dificuldade de leitura, e uma solução muito simples, que é a de afastar a página dos olhos até uma distância ideal.



Este problema tão simples de ser resolvido pode ser resolvido pode ser comparado a tantos outros de extrema dificuldade e que na verdade necessitam apenas de uma focalização adequada.



Você tem um problema quando necessita encontrar solução para alguma dificuldade, que pode ser pequena ou grande, dependendo da situação e dos recursos disponíveis. No caso da leitura, foi simples encontrar solução para o problema, mas um cego teria dificuldade em ler a página deste mesmo livro, qualquer que fosse a distância em que a colocasse dos olhos. Afinal, em cego não pode ver as letras, constituindo-se deste modo um problema a ser resolvido. Foi assim que um homem conhecido pelo nome de Louis Braille inventou um sistema de leitura e escrita para cegos, resolvendo assim o problema. O sistema Braille consiste em sinais impressos em alto-relevo, que permitem a identificação através do tato, utilizando-se a ponta dos dedos. Como os cegos usam o tato para perceber o mundo que os cerca, Louis Braille descobriu que seria fácil criar um alfabeto paralelo, constituído de marcas perceptíveis. Da mesma forma, num papel especial e com uma caneta própria para produzir sinais em alto-relevo, seria possível a qualquer pessoa cega escrever tudo que desejasse.



Um problema se constitui no momento em que temos algo para ser resolvido e solucionado.



Agora mesmo você está tentando resolver o seus problemas, percebe? Mesmo que você diga que abriu este livro apenas para distrair as suas idéias ou para “matar o tempo”, posso assegurar-lhe que, ainda assim, você está resolvendo algum tipo de problema.



Tudo quanto executamos nesta vida desde que nascemos visa resolver problemas, superar dificuldades. Quando não existe dificuldade, necessidade ou desejo, então não existe problema.



Olhe a sua volta. O que vê são objetos, coisas, construções, tudo criado pelo homem para facilitar a sua vida. Este livro, que você tem nas mãos agora, é um produto idealizado para resolver um problema, que é o de arquivar informações. No passado distante, os homens precisavam guardar informações importantes, documentos das suas realizações. Necessitavam transmitir conhecimentos às outras gerações, mas não tinham um meio para fazer isso. Isso era um problema que acabou sendo resolvido primariamente pelo papiro egípcio, que consistia numa folha retangular extraída de uma planta, onde se escreviam os fatos a serem arquivados. De lá para cá o papiro tomou formas diferentes até chegar a esta concepção que você agora tem nas mãos: um livro, um texto, uma tela de um computador ou uma imagem holográfica.



Mas os meios utilizados para arquivar informações foram aperfeiçoados. Os livros são muito pesados e requerem um sofisticado processo de fabricação e reprodução. Foi então que, já no início do século XX, um gênio chamado Thomas Edison inventou o fonógrafo, um aparelho destinado a gravar os sons. Assim tornou-se possível registrar-se sons ocorridos e ampliou-se a capacidade do homem em guardar o fatos e o conhecimento. De Edison até os nossos dias, os inventos se aperfeiçoaram de modo incrivelmente rápido, e temos hoje o computador, com sua fantástica memória capaz de armazenar bilhões de informações num pequenino disco de 5 centímetros de diâmetro.


Mas qual a razão de estarmos fazendo esta viagem no tempo, relembrando descobertas e invenções, quando nosso assunto é resolver problemas?



Na verdade, o que estou tentando lhe provar é que os problemas humanos são tão parecidos, que bastará aplicar as fórmulas usada pelos cientistas mais famosos do mundo, e teremos de igual modo a resolução dos nossos piores problemas.

Perfil do Autor

Mathias Gonzalez

Mathias Gonzalez, brasileiro e naturalizado australiano, autor de 132 livros dedicados à filosofia, psicologia e educação. -> Psicólogo...