Sobre a Adolescência

08/09/2011 • Por • 4,603 Acessos

A adolescência (termo utilizado apenas desde o século XIX, e derivado do latim, que significa crescer, tornar-se maior) é um momento originado e influenciado por fatores como os biológicos, psicológicos, sociais, culturais e familiares. É uma fase de vida na qual o jovem começa a vivenciar um processo de independência e de cristalização de sua identidade.

Faz parte do desenvolvimento global do ser humano, e ocorre de forma singular em cada sociedade, cultura e geração. Como exemplo, podemos citar que em grande parte das tribos indígenas espalhadas pelo mundo, o que separa infância e vida adulta são simplesmente rituais ou provas de coragem física e moral.

Seu início se deve, segundo alguns autores, devido à puberdade (iniciada entre os 9 e 14 anos), que é um conjunto de atividades hormonais que dão origem a transformações fisiológicas, como o desenvolvimento dos órgãos sexuais e o aparecimento dos caracteres sexuais secundários, como a mudança da voz e aparecimento de pêlos nas áreas genitais e axilas.

Por outro lado, outros autores concordam que adolescência e início da puberdade, embora sejam acontecimentos fortemente vinculados, não são obrigatoriamente causa e efeito um do outro, já que, essa etapa de vida não é originada ou influenciada apenas por um evento biológico. Dessa forma, estabelecer seus limites de forma cronológica teria somente uma função referencial. De todo modo, existem ao menos três fenômenos fundamentais característicos da adolescência: alterações corporais (associadas à puberdade), alterações sociais (desenvolvimento dos relacionamentos e da autonomia) e mudanças psicológicas (estruturação da identidade).

Estes acontecimentos, por sua vez, dão origem a diversas outras transformações: redefinição da imagem corporal, vivência de um processo de separação do vínculo simbiótico com os pais, luto pelas perdas da infância (que devem ser substituídas por novas aquisições), estabelecimento de uma ética própria, relação de luta ou fuga com a geração precedente e aceitação sexual.

Erikson e Aberastury também descrevem, que a adolescência em nossa cultura é por si uma fase de crise, fruto das incertezas quanto às várias mudanças que se vão se tornando presentes. Sendo que a concordância entre a realidade interna (desejos, aspirações, capacidades) e externa, é o fator responsável pela duração e qualidade desta crise.

Vale citar que embora o jovem vivencie crises e diversos eventos bastante significativos e, muitas vezes dolorosos, tais acontecimentos não são por si graves. Tratam-se apenas de ajustamentos de novas experiências características deste período de vida.

O ponto final da adolescência pode surgir com a conquista de certos marcos que simbolizariam prerrogativas da vida adulta, como independência emocional e financeira dos pais – ocorrendo posteriormente um regresso a eles, mas dessa vez numa relação baseada em igualdade psicológica; desenvolvimento profissional, alterações cognitivas e sociais, estabelecimento da identidade sexual, aquisição de responsabilidades profissionais e morais e amadurecimento dos relacionamentos que se tornam mais estáveis.

Como já mencionado, o início da vida adulta, não ocorre necessariamente numa idade determinada. Inclusive, atualmente esta conquista tende a ocorrer mais tardiamente, como afirma Becker. Segundo ele, alguns fatores como o alto custo de vida, e dificuldades na inserção profissional são motivos que fazem o jovem demorar mais para conquistar sua autonomia. Estes acontecimentos criam uma tendência a fazê-los permanecerem dependentes dos pais por mais tempo e a ter suas responsabilidades adiadas, prolongando assim o período da adolescência, as vezes, indefinidamente.

Em contrapartida, alguns autores apontam que há circunstâncias que parecem encurtar a adolescência, como a entrada precoce no mercado de trabalho, a aquisição antecipada de um papel profissional e experiências sexuais prematuras, além do fato da sociedade incentivar crianças a agirem e parecerem mais velhas.

Em conclusão, embora a adolescência seja uma etapa, em geral, curta, ela é em si repleta de acontecimentos e novidades marcantes e que ocorrem de forma concentrada, exigindo do jovem uma rápida adaptação e elaboração das experiências vividas. É sem dúvida um momento de desafios constates que precisam ser superados nesta jornada rumo à vida adulta.           

Bibliografia:

ABERASTURY, A et al. Adolescência. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990;

BECKER, D. O que é Adolescência?. São Paulo: Brasiliense, 1994;

ERIKSON, E. Identidade Juventude e Crise. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1972.

Perfil do Autor

Gustavo Aurélio

Psicólogo, realiza orientação vocacional/profissional e psicoterapia a adolescentes, adultos e idosos na abordagem psicanalítica. Visite o...