As principais zoonoses que atingem cães e gatos: um trabalho de educação ambiental em uma escola no município de goiânia, go

Publicado em: 05/07/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 851 |

INTRODUÇÃO

 

Educação ambiental (EA) é um conjunto intrínseco à educação e distinto da mesma, partindo do princípio que educação ambiental é uma modalidade educacional que se inscreve e se dinamiza na própria educação, formada nas relações estabelecidas entre as múltiplas tendências pedagógicas e do ambientalismo, que têm no "ambiente" e na "natureza" categorias centrais e identitárias (LOUREIRO, 2004).

Devem-se englobar na Educação Ambiental todos os envolvidos no processo educativo através da capacitação de profissionais da educação juntamente com a comunidade universitária através da interdisciplinaridade. A produção de conhecimento deve necessariamente contemplar as inter-relações do meio natural com o social, incluindo a análise dos determinantes do processo.

A EA visa a induzir dinâmicas sociais, de início na comunidade local e, posteriormente, em redes mais amplas de solidariedade, promovendo a abordagem colaborativa e crítica das realidades socioambientais e uma compreensão autônoma e criativa dos problemas que se apresentam e das soluções possíveis para eles (SAUVÉ, 2005).

A reflexão sobre as práticas sociais em um contexto marcado pela degradação permanente do meio ambiente e do seu ecossistema envolve uma necessária articulação com a produção de sentidos sobre a educação ambiental (JACOBI, 2004).

É importante que se aprenda a viver e a trabalhar em conjunto, em "comunidades de aprendizagem e de prática". O meio ambiente é um objeto compartilhado, essencialmente complexo e somente uma abordagem colaborativa favorece uma melhor compreensão e uma intervenção mais eficaz. A educação ambiental introduz aqui a ideia de práxis, a ação está associada a um processo constante de reflexão crítica.

Este trabalho visa unir duas áreas do conhecimento muito importantes para a sociedade, a Educação Ambiental e a Saúde Pública, principalmente no que diz respeito à profilaxia podendo elaborar um termo que envolva as duas temáticas "Educação em Saúde" que conforme escreveu Candeias, 1997 são quaisquer combinações de experiências de aprendizagem delineadas com vistas a facilitar ações voluntárias conducentes à saúde.

Na prática, a educação em saúde constitui apenas uma fração das atividades técnicas voltadas para a saúde, prendendo-se especificamente à habilidade de organizar logicamente o componente educativo de programas que se desenvolvem em quatro diferentes ambientes: a escola, o local de trabalho, o ambiente clínico, em seus diferentes níveis de atuação, e a comunidade, compreendida aqui como contendo populações-alvo que não se encontram normalmente nas três outras dimensões (CANDEIAS, 1997).

Uma das contribuições da promoção de saúde é a ampliação do seu entendimento, contribuindo para o processo em que a comunidade aumente a sua habilidade de resolver seus problemas de saúde com competência e intensifique sua própria participação. Essa atividade pode ser desenvolvida em espaços diversos, como escolas, por exemplo, permitindo a expansão e o fortalecimento da saúde da população através de um trabalho coletivo e participativo com toda a comunidade escolar (FLORES, 2003 apud LIMA et al., 2010).

O aumento da incidência de doenças ocorre, geralmente, sob condições diversas de vida, que se atrelam a processos de degradação ambiental. A disseminação de muitas doenças ocorre com maior frequência em áreas populacionais de baixa renda, com má estrutura sanitária. Dessa forma, os elos entre o homem e o meio em que vive tornam-se um fator de risco à saúde, pois os elementos ambientais e antrópicos são constantemente a base para a proliferação e desenvolvimento de agentes patogênicos (COMIS, 2005 apud LIMA et al., 2010).

O Ministério da Saúde considera a escola um ambiente educacional e social propício para o trabalho de conhecimentos e mudanças de comportamento, onde adolescentes assumem o papel de agentes multiplicadores. Contudo, estudos epidemiológicos locais, em dada área geográfica, são a base para a aplicação de ações de caráter preventivo (CORREA, MOREIRA; 1995).

De acordo com a SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE FORTALEZA (2006), Zoonoses são infecções comuns ao homem e a outros animais, ou seja, podem ser transmitidas pelos animais ao ser humano e vice-versa.

O conhecimento sobre zoonoses, nem sempre alcança a população exposta a riscos constantes sendo necessário programar ações de EA nestas áreas, pois a conscientização de que animais domésticos transmitem doenças aos seres humanos, independente do termo usualmente aplicado a essa condição, deve ficar bem estabelecida por parte dos estudantes e comunidade. O que se constitui um fator importante, pois o fato de saber da possibilidade de adquirir doenças leva à preocupação em evitá-las.

As zoonoses transmitidas por cães e gatos, em sua maioria não levam a óbito, porém é preciso ter alguns cuidados para evita-las. As principais doenças são a raiva, micoses, pulgas, carrapatos e sarna, transmitidas por ambos, e toxoplasmose que é transmitida somente por gatos.

A Raiva é uma enfermidade infectocontagiosa aguda, quase sempre fatal, caracterizada principalmente por sinais nervosos ora representados por agressividade, ora por paresia e paralisia. O agente etiológico da raiva é um RNAvírus da família Rhabdoviridae, gênero Lyssavírus (CORREA, CORREA, 1979).

Ainda de acordo com o autor, a principal via de ingresso do vírus da raiva é transcutânea, através de mordida de animais raivosos ou portadores que estejam eliminando vírus na saliva.

A profilaxia da raiva humana pode ser feita pré ou pós-exposição ao vírus. A profilaxia pré-exposição, realizada com vacinas e a profilaxia pós-exposição é indicada para as pessoas que acidentalmente se expuseram ao vírus, combinando limpeza criteriosa da lesão com a administração da vacina antirrábica (INSTITUTO PASTEUR, 2000).

Cães e gatos podem transmitir fungos aos seres humanos causando as conhecidas micoses, dentre elas estão a Tinha, Esporotricose e a Histoplasmose que serão descritas a seguir.

A Tinha é causada por fungos do gênero Trichophyton que crescem nos pelos, pele ou ambos, sua transmissão se dá pelo contato direto com outros animais ou pelo contato com objetos infectados (BLOOD, HENDERSON, 1978).

Como profilaxia é indicado o cortes dos pelos, isolamento apropriado, medidas sanitárias, terapia tópica e administração sistêmica de medicamentos fungicidas ou fungistáticos e evitar áreas geográficas suspeitas de abrigar os esporos dos fungos, além de desinfetar periodicamente o local onde o animal vive com água sanitária(QUIN, 2005).

A Esporotricose é outra micose contagiosa caracterizada pelo desenvolvimento de nódulos e úlceras cutâneas nos membros e que pode ou não ser acompanhada por lifagite, é causada pelo Sporotrichum schenckii que persiste em matéria orgânica e a contaminação de ferimentos cutâneos podem ocorrer por contato direto com secreções dos animais infectados ou diretamente por contato com locais contaminados (BLOOD, HENDERSON, 1978).

A transmissão da doença a partir dos gatos para o homem geralmente precisa de um contato direto com as lesões ulceradas dos animais afetados, até mesmo sem uma lesão penetrante (SOUZA, 2003).

Ainda com o autor supracitado, as pulgas são seres que compreendem um grupo de insetos com hábitos hematófagos que parasitam externamente aves e mamíferos conferindo a estes animais importância em saúde pública por se tratar de transmissores de vários agentes etiológicos patogênicos como protozoários, bactérias e vermes.

As infestações por carrapatos são de grande importância na produção de doenças de animais. Além de seu papel como vetores e reservatórios potenciais de doenças infecciosas, grandes infestações podem causar perdas diretas, podendo causar a morte por anemia e também causar paralisia devido à produção de toxinas (BLOOD, HENDERSON, 1978).

Os autores ainda relatam que os carrapatos são os vetores mais importantes de doenças como babesiose, borreliose, ehrlichiose e febre maculosa.

A sarna é outra doença transmitida por cães e gatos que causa uma dermatite severa com prurido. O ácaro causador da doença é o Sarcoptes scabiei. Animais em más condições são mais suscetíveis, mas as condições em que a sarna ocorre são principalmente o excesso de população e má nutrição (BLOOD, HENDERSON, 1978).

A profilaxia adotada para a cura da sarna é que sejam usadas loções tópicas durante três dias consecutivos, e que esta loção fique pelo corpo durante toda a noite repetindo o processo depois de uma semana por mais três dias (BLOOD, HENDERSON, 1978).

Os mesmos autores revelam que a toxoplasmose é uma infecção causada por um protozoário chamado de Toxoplasma gondii que se multiplica no intestino do gato e é eliminado nas fezes.

A Enciclopédia da Saúde atenta que os adultos saudáveis geralmente não sofrem maus efeitos da infecção, mas se a mulher é infectada durante a gestação seu filho poderá nascer infectado com a possibilidade de nascer com problemas no cérebro e olhos.

A mesma enciclopédia informa também que a infecção humana resulta da ingestão de cistos em carne crua ou malpassada, ingestão de oocistos de vegetais contaminados ou outros alimentos, após o manuseio descuidado da caixa de areia do gato ou por crianças depois de comer terra contaminada.

As relações entre ambiente e saúde são amplamente reconhecidas no ar respirado. A água bebida e o alimento ingerido determinam a qualidade de vida do ser humano.A sobrevivência e a qualidade da vida na Terra dependem do funcionamento de uma série de ciclos e sistemas da natureza e a saúde do homem depende da capacidade da sociedade de gerir a interação entre as atividades humanas e o ambiente físico e biológico (RIGOTO, 2003).

Rigoto escreveu que todo o perfil de adoecimento e morte de uma população pode ser interpretado no contexto da relação sociedade-natureza. A doença pode ser entendida como sinal da alteração do equilíbrio homem-ambiente, produzida por transformações produtivas, territoriais, demográficas e culturais.

 

 

METODOLOGIA

 

Para realização do trabalho aconteceram atividades em quatro momentos diferenciados.

No primeiro momento ocorreu a fase empírica realizada nos meses de janeiro a março, onde foram compilados dados de diversos autores que constituíram a base e estruturação do trabalho. O segundo momento foi caracterizado pela coleta de dados que ocorreram no mês de março e maio de 2011.

Os dados foram obtidos pela aplicação de dois questionários a estudantes do segundo ano do Ensino Médio de uma Escola Estadual no Município de Goiânia, Goiás.

Esta escola foi escolhida para a coleta de dados pelo fato de o pesquisador já ter trabalhado na mesma e também por ter um bom relacionamento com a direção e com os estudantes.

A primeira coleta de dados (APÊNDICE 1) foi realizada no dia 23 de março de 2011 no turno noturno com a devida autorização dos alunos, onde todos receberam o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (ANEXO1) e o documento de Consentimento da Participação da Pessoa como Sujeito da Pesquisa (ANEXO2) para que fossem contemplados os estudantes do segundo ano do Ensino Médio, pois é nesse período que eles estudam sobre as doenças e parasitoses em geral o que possibilitou resultados mais abrangentes e espontâneos.

Para encontrar respostas às questões norteadoras da pesquisa e assim atender a seus objetivos foi realizado o método de observação direta extensiva segundo Lakatos & Marconi (2005). Foi utilizado um questionário (APÊNDICE 1) com dois tipos de questões, sendo OITO perguntas fechadas ou dicotômicas onde o entrevistado escolhe uma resposta entre duas opções SIM ou NÃO; e QUATRO questões abertas em que os alunos tiveram a oportunidade de relatar experiências relacionadas às zoonoses e as principais doenças causadas por cães e gatos.

Depois da coleta do Questionário I (APÊNDICE 1), partiu-se para uma análise das respostas, onde estas serviram de base para a montagem de uma palestra, apresentada em 09 de maio de 2011 na mesma escola e turmas, focadas nas principais deficiências dos alunos ao que se refere o assunto.

Posteriormente foi aplicado outro questionário (APÊNDICE 2) com NOVE questões analisando o aproveitamento destes estudantes mediante a apresentação da palestra, onde SETE delas são perguntas fechadas ou dicotômicas, UMA para relacionar duas colunas e outra para escolher uma resposta entre outras quatro. Por fim realizou-se a tabulação dos dados para averiguar se o trabalho contribuiu para o conhecimento dos conceitos de Educação Ambiental e o uso de medidas profiláticas pelos alunos e comprovar a eficiência das metodologias, questionário anterior e posterior à palestra e a palestra propriamente dita.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

 

Responderam aos questionários alunos do segundo ano do Ensino Médio de uma Escola Estadual do Município de Goiânia, GO em duas oportunidades, pois é nesta fase escolar que os mesmos têm em sua grade curricular o conteúdo referente às parasitoses.

Na primeira oportunidade verificou-se o quanto tinham conhecimento sobre o assunto. Em seguida os dados foram tabulados para a montagem de uma palestra direcionada à maior dificuldade encontrada no Questionário I (APÊNDICE 1).

Posteriormente foi aplicada uma palestra abordando as zoonoses mais comuns entre cães e gatos, seus sinais e sintomas, meios de contágio e medidas de prevenção. Após este momento aplicou-se o Questionário II (APÊNDICE 2) para que a palestra fosse avaliada pelos estudantes e para que o pesquisador averiguasse quanto ao conhecimento adquirido e verificar se seriam capazes de promover a divulgação das informações junto aos seus pais, colegas e comunidade.

No primeiro questionário (APÊNDICE 1),fizeram parte da pesquisa 84 alunos com idade de 15 a 40 anos, onde 61,16% disseram saber o significado de zoonoses e 68,59% possuem algum tipo de animal de estimação e 31,4% não tem qualquer tipo de animal em sua residência.

Dos alunos que possuem animais em casa 52,32% possuem apenas cão, 2,32% apenas gatos, 12,79% cães e gatos e 1,16% outro tipo de animais.

Abordou-se junto aos estudantes o conhecimento sobre as principais doenças que acometem cães e gatos e podem ser transmitidas ao homem. A raiva e o carrapato são as mais conhecidas com 94,2% enquanto que a toxoplasmose tem um conhecimento relativamente pequeno com apenas 18,6%. Segue abaixo a tabela com a estatística sobre o conhecimento das zoonoses.

 

Tabela 01. Porcentagem de alunos que conhecem as zoonoses trabalhadas.

 

 

Conhecem a doença

Doença

Sim

Não

Raiva

94,20%

5,80%

Micose

91,86%

8,14%

Pulga

90,69%

9,13%

Carrapato

94,20%

5,80%

Sarna

84,88%

15,12%

Toxoplasmose

18,60%

81,40%

 

Apesar de doenças como a raiva e o carrapato serem bem conhecidas, 59,53% não têm conhecimento sobre medidas profiláticas, ou seja, sabem que as zoonoses existem, porém desconhecem a maneira de preveni-las.

A maioria das pessoas na idade adulta já teve toxoplasmose. Doença que não se manifesta em 80% dos casos.

A toxoplasmose é transmitida conhecidamente por gatos, porém pode-se adquirir através de água contaminada, ovos crus ou carne malpassada, sendo este o principal meio de contágio.

O gato pode se contaminar através de ingestão de outros animais contaminados. Esta é uma doença cosmopolita.

Um fator muito preocupante é o fato de 80,96% dos alunos informaram que a escola nunca abordou sobre nenhuma dessas doenças em sala de aula ou em outra atividade nos levando a crer que se não for por conta própria ou por meio de campanhas do governo os alunos nunca saberão o que são essas doenças, como são transmitidas e o mais importante como preveni-las.

Notou-se que apenas 40,48% dos estudantes conhecem alguma medida profilática sobre essas doenças, o que é muito pouco, tendo em vista a potencialidade destes jovens na divulgação dessas medidas.

A conscientização coletiva de medidas preventivas pode ser iniciada na escola gerando um efeito de cascata, onde os alunos transmitem aos seus pais, vizinhos e comunidade local.

Vários alunos citaram como maneira de divulgar as medidas preventivas a execução de palestras com ilustrações para uma melhor compreensão sobre o tema.

Nos meios de comunicação como televisão, rádio e internet é bastante comum ouvirmos sobre a interferência nos ambientes causados pelo homem e que isto pode contribuir para a proliferação de algumas doenças, entretanto 40,22% dos discentes acham que a antropização não influencia numa possível contaminação dos animais e por consequência do próprio ser humano, contudo 76,54% acham que é possível minimizar a incidência de certas doenças melhorando o nível de ensino na escola.

Para ter conhecimento sobre danos ambientais não é necessário ter uma educação formal, basta observar se ao seu redor encontram-se lixo nas ruas, esgoto a céu aberto, queda de barrancos devido às chuvas etc., mas apenas 29,76% já perceberam algum dano ambiental próximo à sua residência capaz de aumentar a possibilidade de fazer com que um cão ou gato fosse contaminado por alguma das zoonoses supracitadas.

Cães e gatos presentes nas ruas são extremamente comuns sendo um problema de saúde pública graças à sua reprodução constante, falta de controle populacional e contaminação frequente por diversas doenças e 67,9% já se depararam com um cão ou gato doente.

O controle populacional de cães e gatos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) é o método mais simples e eficiente, pois controla a natalidade pela esterilização e pela conscientização da comunidade por meio de campanhas educativas que estimulem a posse responsável (OMS, 1990 apud VIEIRA, 2008).

A análise dos dados nos permite constatar uma presença constante de lixo em local inapropriado como em lotes baldios ou espalhados nas ruas sem o devido acondicionamento.

A eficácia de programas de governo que visam educar a população e campanhas educativas nas escolas pode ser percebida nas respostas dos alunos que constantemente citam a dengue, o que leva a crer que ao menos eles sabem como combater, ao contrário das zoonoses aqui estudadas que pouco são exploradas na mídia ou na grade curricular.

O Questionário II, aplicado assim que se encerrou a palestra e respondido por 76 estudantes da mesma faixa etária, revela dados interessantes a começar pela avaliação da mesma, onde 57,89% avaliaram como ótima, 31,57% como boa, apenas 10,52% como regular e 0% como ruim. Vale lembrar também que o conteúdo foi ministrado a todos os alunos da escola por se tratar de um assunto que envolve Educação Ambiental e Saúde Pública e para que todos possam divulgar o que aprenderam para seus pais e comunidade.

O assunto exposto contemplou de forma abrangente a questão da EA e 90,8% disseram entender o que é e como funciona a Educação Ambiental contra apenas 9,2% que disseram não entender.

Em todas as questões respondidas o resultado foi positivo, com ampla vantagem em respostas positivas que leva a crer sobre o entendimento do assunto explanado.

A proporção entre o entendimento sobre o conceito de zoonose teve uma aumento considerável conforme gráfico abaixo, pois pode-se perceber que mais alunos responderam ter pleno conhecimento sobre a questão.

Gráfico 01. Relação sobre conhecimento de conceito de zoonose antes e depois da palestra.

 

 

Outro ponto importante foi a capacidade de identificar as zoonoses visíveis a olho nu apresentadas em um cão ou gato, pois 85,6% responderam positivamente à questão depois da palestra, enquanto que antes somente 66,66% responderam já ter ouvido falar dessas doenças.

Desde que foram estabelecidos os padrões de convivência coletiva, o homem tem lutado contra as enfermidades que põem em risco a saúde dos seus animais. No entanto, muitas das doenças que dizimaram seus rebanhos e animais domésticos também foram responsáveis pela morte de milhares de pessoas. As medidas preventivas surgem como promotora da saúde dos seres humanos e animais, tentando diminuir prejuízos causados pelas moléstias que os atingiam (FRIAS et al, 2009).

Ambos os questionários abordaram questões sobre a profilaxia das zoonoses em questão, onde também houve uma diferença significativa nas respostas coletadas sobre o assunto de acordo com o gráfico que se segue.

 

Gráfico 02. Capacidade de tomar medidas profiláticas.

 

 

Para testar se a metodologia realmente produziu efeito, no Questionário II (APÊNDICE 2) havia uma questão solicitando para relacionar duas colunas. De um lado as seis zoonoses trabalhadas na palestra e do outro seus respectivos sintomas colocados de forma desordenada e verificou-se que 22,6% dos alunos acertaram a questão por inteiro, 27,6% acertaram três itens, 23,6% duas, 14,4% apenas uma e somente 11,8% erraram todas.

Como dito anteriormente divulgar informações sobre prevenção e causa dessas doenças àqueles que convivem conosco é muito importante e 85,6% disseram ser capazes de fazer essa divulgação para evitar sua proliferação.

O Questionário I (APÊNDICE 1) foi conclusivo ao que se refere à toxoplasmose, pois menos de 20% se quer conheciam a doença e no Questionário II (APÊNDICE 2) 86,8% responderam que a mesma foi eficaz ao informar sobre a toxoplasmose, seus sintomas, medidas profiláticas e seu ciclo.

A última questão do Questionário II (APÊNDICE 2) também abordou sobre a toxoplasmose solicitando que os estudantes marcassem apenas um item que continha o principal meio de evitar o contágio desta doença e 54% respondeu corretamente ao que foi solicitado, pois de acordo com o que diz o médico Doutor Dráuzio Varella em seu site oficial, o principal meio de contágio desta doença é através da ingestão de carne crua ou mal passada, ovos crus e vegetais contaminados com seu cisto.

 

CONCLUSÃO FINAL

 

O ser humano deve prover aos animais, principalmente àqueles que fazem parte do seu convívio diário, condições adequadas para a manutenção das necessidades físicas, psicológicas e comportamentais, condições estas traduzidas em abrigo, alimentação, carinho e liberdade.

Conhecer os males que podem acometer os animais de estimação devido à interferência do homem no meio ambiente pode leva-los a uma melhor qualidade de vida, pois assim poderemos evita-los e consequentemente não permitir que também não sejamos alvos das zoonoses.

Nos meios de comunicação é comum ouvir sobre a interferência nos ambientes causados pelo homem e que isto pode contribuir para a proliferação de algumas doenças, contudo 40,22% dos alunos acham que a antropização não influencia numa possível contaminação dos animais e por consequência do próprio ser humano, contudo 76,54% acham que é possível minimizar a incidência de certas doenças melhorando o nível do ensino escolar.

O fato de 67,9% dos alunos pesquisados já terem se deparado com um cão ou gato doente reforça ainda mais a necessidade de um trabalho mais aprofundado nas escolas acerca da Educação Ambiental e de profilaxia dessas zoonoses.

O estudo revelou que a metodologia de questionários e palestras foi eficiente, pois a comparação dos dados revelou um aumento significativo da capacidade no entendimento sobre as questões inerentes à Educação Ambiental e medidas profiláticas ao que se refere às zoonoses, porém pode ser considerado como conhecimento momentâneo, o que reforça ainda mais a necessidade de um trabalho contínuo a esse respeito.

Divulgar informações sobre prevenção e causa dessas doenças àqueles que convivem conosco é de fundamental importância e 85,6% disseram ser capazes de fazer essa divulgação para evitar sua proliferação.

A capacidade de tomar medidas profiláticas teve uma diferença considerável, onde na primeira coleta de dados apenas 40,48% dos alunos disseram ter essa capacidade e na segunda coleta 88,2% responderam positivamente, ou seja, a quantidade de alunos que disseram ter o conhecimento para tomar atitudes preventivas mais que dobrou, corroborando assim positivamente aos anseios dos objetivos do trabalho.

É muito importante que todos saibam trabalhar com essas questões, pois a maioria dos estudantes possui algum tipo de animal de estimação e 67,43% possui cão e/ou gatos em suas respectivas residências.

A aparente eficácia do método utilizado se baseia na possibilidade de identificar possíveis zoonoses em cães e gatos devido à porcentagem de alunos que informaram conseguir tal identificação com 66,66% antes da palestra e 85,6% depois da mesma.

Saber os sintomas das doenças em questão pode promover a medida correta de tratar este animal e evitar o contágio de qualquer uma das zoonoses. A questão 06 do Questionário II solicitou que os alunos relacionassem as doenças com seus respectivos sintomas e eles tiveram um desempenho médio de 51,48%. Visto que a palestra teve uma duração de aproximadamente trinta minutos este índice é favorável, porém o ideal é que este tema fosse trabalhado em sala de aula continuamente.

No caso da toxoplasmose 85,6% dos alunos mostraram após a palestra ter conhecimentos sobre a doença, além de conhecer seus sintomas, prevenção e ciclo de vida, enquanto que antes 81,4% ao menos conheciam a existência desta.

Conhecer seu meio de contágio é o primeiro passo para evitar o contágio de qualquer doença e ao serem questionados sobre a principal maneira de se contrair toxoplasmose 54% dos alunos responderam corretamente à questão.

 

 

APÊNDICE1

 

 

 

 

 


QUESTIONÁRIO I

ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIAS APLICADAS AO ENSINO DE BIOLOGIA

MÓDULO II

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

PLANO DE TRABALHO

Este questionário destina-se à coleta de dados relativa ao Trabalho de Conclusão de Curso do aluno Alexandre Augusto Oliveira Mendes, na pesquisa sobre As Principais Zoonoses que atingem Cães e Gatos: Um Trabalho de Educação Ambiental nas Escolas com Medidas Profiláticas – um estudo de caso.

Portanto, solicita-se que este documento seja preenchido com atenção e que somente UMA resposta seja marcada em cada questão.

É importante lembrar que todas as informações serão guardadas em absoluto sigilo e que os dados coletados subsidiarão o TCC do referido aluno.

Somente responda ao questionário se estiver ciente das informações acima descritas.

Atenciosamente,

Prof.ª Gislene Lisboa de Oliveira e Alexandre Augusto Oliveira Mendes

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­Idade: _____ anos                                     Sexo: (  ) Feminino                         (  ) Masculino

                                INSTRUMENTO PARA COLETA DE DADOS                         

  1. Data do preenchimento do questionário: ___/___/___
  2. Você sabe o que é uma Zoonose?

Sim (  )   Não (  )

  1. Possui animal de estimação em casa?

Sim (  )  Não (  ), se sim qual? __________________________

  1. Das doenças abaixo, quais você já ouviu falar?

Raiva (  )

Micoses (  )

Pulgas (  )

Carrapatos (  )

Sarna (  )

Toxoplasmose (  )

  1. Caso você já tenha ouvido falar de alguma dessas doenças, conhece seus sinais e sintomas?

Sim (  )  Não (  )

  1. Conhece alguma medida para evitá-la (profilática)?

Sim (  )  Não (  )

  1. Sua escola já abordou de alguma maneira sobre alguma dessas doenças em sala de aula ou em outra atividade?

Sim (  ) Não (  )

  1. Como você percebe o ensino sobre doenças causadas por cães e gatos na sua escola?

Ótimo (  ) Bom (  ) Regular (  ) Nunca falaram nada sobre esse assunto (  )

  1. Em sua opinião, a interferência nos ambientes causados pelo homem pode contribuir para a proliferação de certas doenças?

Sim (  ) Não (  ), se sim como?

_______________________________________________________________________________

10. É possível minimizar a incidência de certas doenças melhorando o nível de ensino na sua escola?

Sim (  ) Não (  ), se sim como?

_______________________________________________________________________________

11. Você já percebeu algum dano ambiental próximo à sua residência causado pelo homem que seria capaz de aumentar a possibilidade de fazer com que um cão ou gato fosse contaminado por alguma das doenças da questão 04?

Sim (  ) Não (  ), se sim qual dano ambiental?

_______________________________________________________________________________

12. Já se deparou com algum cão e/ou gato doente na rua onde você mora?

Sim (  ) Não (  ), se sim, para você, a degradação ambiental contribuiu para a contaminação do animal?

_______________________________________________________________________________

 

 

 

APÊNDICE2

 

 

 

 

 


QUESTIONÁRIO II

ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIAS APLICADAS AO ENSINO DE BIOLOGIA

MÓDULO II

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

PLANO DE TRABALHO

Este questionário destina-se à coleta de dados relativa ao Trabalho de Conclusão de Curso do aluno Alexandre Augusto Oliveira Mendes, na pesquisa sobre As Principais Zoonoses que atingem Cães e Gatos: Um Trabalho de Educação Ambiental nas Escolas com Medidas Profiláticas – um estudo de caso.

Portanto, solicita-se que este documento seja preenchido com atenção e que somente UMA resposta seja marcada em cada questão.

É importante lembrar que todas as informações serão guardadas em absoluto sigilo e que os dados coletados subsidiarão o TCC do referido aluno.

Somente responda ao questionário se estiver ciente das informações acima descritas.

Atenciosamente,

Prof.ª Gislene Lisboa de Oliveira e Alexandre Augusto Oliveira Mendes

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­Idade: _____ anos                                     Sexo: (  ) Feminino                         (  ) Masculino

Data do preenchimento do questionário: ___/___/___

                                INSTRUMENTO PARA COLETA DE DADOS                         

  1. Como você avalia a palestra ministrada?

Ótima (  ),  Boa (  ),  Regular (  ), Ruim (  )

  1. Você conseguiu entender o que é e como funciona a Educação Ambiental?

Sim (  ), Não (  )

  1. Após assistir a palestra você saberia dizer o que é uma Zoonose?

Sim (  )   Não (  )

  1. Com a palestra você seria capaz de identificar as zoonoses apresentadas em um cão ou gato?

Sim (  ), Não (  )

  1. Você acha que com o conteúdo apresentado será capaz de tomar medidas profiláticas?

Sim (  ),  Não (  )

  1. Relacione as doenças com seus respectivos sintomas:

Raiva (1)                                         (  ) Náuseas

Micoses (2)                                     (  ) Escamas

Pulgas e Carrapatos (3)                 (  ) Delírio 

Sarna (4)                                        (  ) Alergias e dermatites

Toxoplasmose (5)                          (  ) Perda de pelo

  1. Ao assistir à palestra, você será capaz de divulgar essas informações aos seus pais e comunidade local?

Sim (  ), Não (  )

  1. A palestra foi eficaz ao informar sobre a toxoplasmose, seus sintomas, medidas profiláticas e seu ciclo?

Sim (  ), Não (  )

  1. A principal forma de se evitar a toxoplasmose é:

(  ) Lavar sempre a roupa quando tiver contato com alguém ou algum cão infestado;  

(   ) Pulverização do local onde o animal vive;

(   ) Evitar comer carne mal passada, ovos crus e leite não pasteurizado;

       (   )Limpeza criteriosa da lesão e vacina antirrábica.

 

 

 

 

 

ANEXO 1

 

 

 

 

 

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

 

Você está sendo convidado (a) para participar, como voluntário (a), de uma pesquisa.

Meu nome é Alexandre Augusto Oliveira Mendes, sou o pesquisador responsável e minha área de atuação é Educação Ambiental.

Após receber os esclarecimentos e as informações a seguir, no caso de aceitar fazer parte do estudo, assine ao final deste documento, que está em duas vias. Uma delas é sua e a outra é do pesquisador responsável. Em caso de recusa, você não será penalizado (a) de forma alguma.

Em caso de dúvida sobre a pesquisa, você poderá diretamente com o pesquisador responsável, Alexandre Augusto.

Em casos de dúvidas sobre os seus direitos como participante nesta pesquisa, você poderá entrar em contato com a Coordenação Geral do Programa de Pós-Graduação à Distância ETAEB, nos telefones: (62) 3902-1458.

O título da pesquisa da qual você é convidado a participar é: As Principais Zoonoses que atingem Cães e Gatos: Um Trabalho de Educação Ambiental nas Escolas com Medidas Profiláticas – um estudo de caso.

Este convite se dá para uma coleta de dados e verificar o nível de conhecimento ao que tange a temática abordada e tem como objetivos verificar se os alunos da escola pesquisada possuem conhecimento sobre meios profiláticos de combate às zoonoses causadas por cães e gatos, além de promover informações referentes aos conhecimentos acerca do assunto para que os estudantes possam repassá-lo à sua comunidade e avaliar se os estudantes, após a execução da metodologia, têm condições de aplicar o conteúdo ministrado no seu dia-a-dia.

Caso haja algum dano recorrente da sua participação, você terá o direito de pleitear indenização, porém vale ressaltar que não haverá nenhum tipo de pagamento ou gratificação financeira pela sua participação na pesquisa e asseguramos o sigilo e a privacidade dos seus dados pessoais.

 

Alexandre Augusto Oliveira Mendes

 

  

 

ANEXO 2

 

  

Programa de Pós-Graduação à Distância

Especialização em Tecnologias Aplicadas ao Ensino de Biologia

 

CONSENTIMENTO DA PARTICIPAÇÃO DA PESSOA COMO SUJEITO DA PESQUISA

 

Eu,_____________________________________________________________, RG:_____________ CPF:_______________________________ n.º de matrícula ______________________________, abaixo assinado, concordo em participar do questionário como sujeito. Fui devidamente informado (a) e esclarecido (a) pelo pesquisador Alexandre Augusto Oliveira Mendes sobre a pesquisa, os procedimentos nela envolvidos, assim como os possíveis riscos e benefícios decorrentes de minha participação. Foi-me garantido que posso retirar meu consentimento a qualquer momento, sem que isto leve a qualquer penalidade.

Local e data:________________________________________________

Nome legível: _________________________________________

Assinatura do sujeito: ____________________________________

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/biologia-artigos/as-principais-zoonoses-que-atingem-caes-e-gatos-um-trabalho-de-educacao-ambiental-em-uma-escola-no-municipio-de-goiania-go-4989089.html

    Palavras-chave do artigo:

    prevencao

    ,

    animais domesticos

    ,

    meio ambiente

    Comentar sobre o artigo

    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    RESUMO: A pesquisa apresenta algumas orientações teóricas referentes à educação infantil e a educação ambiental, visando proporcionar metodologias de exploração aos problemas ambientais orientados por princípios, valores e habilidades necessárias aos educandos para resolverem problemas. Além dessa discussão, pretendem-se aqui abordar as questões ambientais da atualidade e as chamadas oito metas do milênio para a qualidade de vida.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Educação Infantill 05/07/2011 lAcessos: 2,679

    A Lei Federal n° 8080/90, em seu artigo 6º, § 3º, regulamenta os dispositivos constitucionais sobre Saúde do Trabalhador, da seguinte forma: que a saúde do trabalhador deve ser entendida como um conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos provenientes das condições de trabalho.

    Por: tamires almeidal Saúde e Bem Estarl 17/08/2014
    Natalicio Rodrigues

    Como os resíduos se tornaram um problema ao longo da história nas sociedades, o tema considera escala temporal que abrange desde a pré-história ao período contemporâneo. Mostra elos estabelecidos entre a saúde pública a religião e a mitologia, perpassa pelo surgimento da doutrina miasmática proposta por Hipócrates (460-435.a.C.) paradigma explicativo para os problemas ambientais.

    Por: Natalicio Rodriguesl Educação> Ensino Superiorl 30/09/2013 lAcessos: 43

    O presente trabalho teve como objetivo analisar a natureza educativa do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) do município de Massapê no tocante as suas contribuições para o acesso à cidadania de seus participantes. O percurso metodológico deste trabalho utilizou a abordagem qualitativa do tipo estudo de caso. Os resultados obtidos apontaram a existência de proposta educativa planejada e executada de forma bem diversificada.

    Por: Carlos Justinol Educação> Ensino Superiorl 02/05/2011 lAcessos: 5,412 lComentário: 2

    trata-se de um estudo descritivo exploratório realizado na disciplina de enfermagem familiar e social no bairro do Kapango com objecto de fazer uma avaliação global da situação de saúde naquele bairro. o trabalho objectivou fundamentalmente:  Analisar a situação de saúde na comunidade de Joaquim Kapango, concretamente no bairro Albano Machado. Os resultados mestrão que precisa ser feito muito trabalho de saúde publica neste bairro.

    Por: Micado Miguell Saúde e Bem Estar> Medicinal 12/08/2014
    Claudia Forlin

    O trabalho teve por objetivo geral demonstrar a necessidade de conhecimento sobre primeiro socorros entre os cuidadores de creches tanto públicas quanto particulares, levantando as principais dúvidas e realizando palestras sobre esses assuntos, aplicando duas avaliações, sendo antes e após palestra, para análise de aproveitamento e esclarecimentos de cada cuidador. Foram eleitas duas creches para a realização deste trabalho, disponibilizando 37 cuidadores ao total, e como assuntos, tivemos: febre, engasgamento, quedas e traumas, queimaduras, mordeduras, afogamentos, intoxicações e envenenamentos, e ferimentos. Constatou-se que o conhecimento desses cuidadores tem base em cuidados familiares, experiências cotidianas e informações de veículos de comunicação, apresentando falhas significativas nos cuidados em alguns assuntos, sendo que, as palestras colaboraram não só com a atuação e conhecimento sobre primeiros socorros, mas também na prevenção de acidentes.

    Por: Claudia Forlinl Educação> Ciêncial 22/08/2008 lAcessos: 9,614 lComentário: 2

    Pretende-se, com este artigo, dar um panorama geral acerca das cianobactérias: o que são, quais são seus benefícios e malefícios para o meio ambiente e para o homem, quais são os mecanismos para seu monitoramento, etc. As cianobactérias são microorganismos aeróbicos fotoautotróficos, geralmente encontradas em ambientes aquáticos, que podem apresentar, em algumas circunstâncias, um crescimento exagerado denominado floração ou bloom.

    Por: Fernanda de Matos Camposl Saúde e Bem Estar> Medicina Alternatival 29/09/2010 lAcessos: 2,883

    O presente artigo objetiva: Reconhecer a história da Vigilância Sanitária(VS) no Brasil; e, reunir informações que descrevam a história da criação, do desenvolvimento e a função da Vigilância Sanitária no Brasil. Este é um estudo relevante pois visa contribuir como fonte de aprofundamento acerca da história da V. S., além de ser uma oportunidade de fazer um convite a reflexão de como tal Vigilância evoluiu. Trata-se de uma revisão de literatura. Pode se entender que V.S. é um ganho para a saúde.

    Por: Tatiane Oliveira de Souzal Saúde e Bem Estarl 06/09/2010 lAcessos: 11,753 lComentário: 1
    Robson Zanetti

    Esse importante instrumento, o Código Florestal Brasileiro, foi introduzido e tem sido modificado ao longo do tempo para regulamentar as formas como a sociedade e as florestas devem conviver em paz e harmonia, respeitando o aspecto espacial e temporal dessas relações. As discussões referentes ao tema da revisão do Código Florestal têm levado cada vez mais à evidência de que, da forma como está redigido, ele se tornou um instrumento de discórdia na sociedade.

    Por: Robson Zanettil Direitol 28/04/2011 lAcessos: 551

    O presente artigo tem por objetivo determinar a prevalência de dislipidemia em adultos de faixa etária de 20 a 49 anos, de ambos os sexos, da demanda laboratorial de Teixeira de Freitas, Bahia, Brasil. Casuísticas procedentes de amostras de 30% dos laboratórios não hospitalares da cidade, num total de 286 amostras por ano, em 2009 e 2010. Para a determinação das dislipidemias, consideraram-se os valores da IV Diretriz Brasileira sobre Dislipidemias (DBD).

    Por: Gilvan Ferreira Moreiral Ciências> Biologial 15/10/2014 lAcessos: 14

    O presente trabalho procura tratar sobre as restingas brasileiras, destacando o seu conceito e suas características gerais, assim como identificar os estudos realizados sobre levantamentos de fauna e flora endêmicas e em extinção na Faixa litorânea no Estado da Bahia. Este estudo foi realizado através do levantamento de dados encontrados na literatura já existente.

    Por: Gilvan Ferreira Moreiral Ciências> Biologial 15/10/2014 lAcessos: 17

    Este artigo teve como objetivo avaliar a importância da atividade pesqueira e da conservação ambiental para a comunidade de pescadores do Prado (BA). Para o levantamento de dados foram realizadas entrevistas com os pescadores da mesma. Foram entrevistados 11 pescadores, todos do sexo masculino.

    Por: Gilvan Ferreira Moreiral Ciências> Biologial 15/10/2014 lAcessos: 14
    José Bittencourt da Silva

    O presente artigo objetiva expor e descrever um fenômeno natural chamado de pirakaú, o qual pode ser observado entre os meses de janeiro, fevereiro e março de cada ano no rio que banha a comunidade Joana Peres localizada no território da Reserva Extrativista Ipaú- Anilzinho, município de Baião, estado do Pará. O texto resulta de pesquisa de campo do tipo qualitativa, com pressupostos epistemológicos e metodológicos próprios das correntes etnográfica e fenomenológica.

    Por: José Bittencourt da Silval Ciências> Biologial 01/10/2014 lAcessos: 18

    As moscas das frutas são moscas de espécie Ceratitis capitata (Wied, 1824) ou Anastrepha spp. As fêmeas colocam seus ovos nos frutos, os quais têm formato parecido com uma banana e coloração amarelada. Dos ovos eclodem larvas que se alimentam da polpa do café, prejudicando o sabor e a qualidade da bebida.

    Por: niviol Ciências> Biologial 23/09/2014 lAcessos: 12

    A substância H2O conhecida como água, líquida, incolor, insípida e inodora, é simples só que essencial para todos os seres vivos sobreviverem, é o elemento mais importante para a vida

    Por: adminl Ciências> Biologial 12/09/2014
    Benedicto Ismael Camargo Dutra

    O espírito ganha um corpo equipado com os cérebros. Estudos demonstram que é durante a primeira infância que o cérebro frontal desenvolve a maioria das ligações entre os neurônios. Até os três anos de idade, as cerca de 100 bilhões de células cerebrais com as quais uma criança nasce desenvolvem um quatrilhão de ligações.

    Por: Benedicto Ismael Camargo Dutral Ciências> Biologial 08/09/2014 lAcessos: 37
    Hamilton Felix Nobrega

    Métodos de análise servem para fornecer dados analíticos de alta qualidade que sejam confiáveis e adequados. Podem ser de dois tipos: métodos convencionais e métodos instrumentais.

    Por: Hamilton Felix Nobregal Ciências> Biologial 03/09/2014 lAcessos: 33
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast