O Que Fazer Depois Da Graduação?

Publicado em: 11/05/2008 |Comentário: 2 | Acessos: 31,012 |

Todos sabem da importância em obter um diploma de curso superior, pois além de representar um reconhecimento social, é também condição mínima para a inserção e competição no mercado de trabalho primário. Se nos anos 60 o sonho da família brasileira era a conquista da casa própria e do carro de família, nos anos 70 a conquista do diploma em nível superior virou o alvo de milhões de jovens brasileiros. A partir deste período, como o Estado não conseguia oferecer vagas nas universidades públicas para acompanhar a demanda existente, houve uma verdadeira explosão dos cursos nas instituições particulares, sobretudo no período noturno.

A expansão quantitativa das faculdades e dos cursos noturnos não foi acompanhada da qualidade necessária. Esta situação permeou boa parte das instituições de ensino do país e teve seu reflexo na formação dos nossos estudantes, nos aspectos profissional, social, cultural e ético. É importante destacar todas essas dimensões, pois a grande maioria dos estudantes busca no curso superior, exclusivamente a formação profissional, ou seja, desenvolver habilidades, conhecer técnicas e ferramentas para o exercício de sua profissão. Visão míope, pois o papel do curso superior é desenvolver o ser pensante, crítico, reflexivo e transformador da sociedade em que vive.

Quando o jovem termina o curso de graduação, surge a dúvida. E agora? O que fazer? É importante fazer uma pós-graduação? Um MBA? Ou seria mais adequado um mestrado? Seria oportuno esperar alguns anos para "amadurecer" antes de fazer uma especialização? Infelizmente, as faculdades pouco orientam acerca dos possíveis caminhos a seguir. A propósito, poucos estudantes dos últimos anos de graduação sabem distinguir um curso de extensão de um curso de pós-graduação. Evidentemente que o caminho a ser trilhado pelo jovem depende de seu plano de carreira; entretanto, alguns conceitos são importantes para realização de uma análise e tomada de decisão quanto à escolha do caminho.

Um curso de extensão é destinado para graduados e não-graduados, por isso, não é considerado como uma pós-graduação. Este tipo de curso pode ter qualquer duração (em número de horas), sendo que ao final, o aluno recebe um certificado de conclusão.

Já a pós-graduação é constituída por um ciclo de atividades regulares que visa aprofundar os conhecimentos adquiridos pelos estudantes na graduação, sendo dividida em lato sensu e stricto sensu. Os cursos de pós-graduação lato sensu são regulados pelo Ministério da Educação (MEC) e têm no mínimo 360 horas de duração, enquadrando-se nesta modalidade os cursos de especialização, aperfeiçoamento e os MBAs (Master Business Administration). Ao término do curso o aluno recebe um certificado de conclusão, após apresentação de monografia. Os processos seletivos para os cursos lato sensu são em geral, efetuados através de análise curricular e entrevistas.


Os cursos de pós-graduação stricto sensu, denominados mestrados e doutorados, são avaliados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Tais cursos objetivam a competência científica, contribuindo para a formação de docentes e pesquisadores. Há também o mestrado profissionalizante que visa a formação de profissionais para o mercado de trabalho, articulando atividades de ensino com aplicações de pesquisas de forma diferenciada. A duração máxima destes cursos varia de programa para programa, porém atualmente, em média um curso de mestrado tem duração de dois anos, e o de doutorado de quatro anos. A pós-graduação stricto sensu forma mestres e doutores, que recebem diploma com a referida titulação acadêmica, após a defesa de dissertação (para o mestrado) ou de tese (para o doutorado), diante de bancas examinadoras formadas por três a sete membros com titulação mínima de doutor.
Os processos seletivos para os cursos de mestrados e doutorados são rigorosos e, em geral, a relação candidato/vaga é muito superior à mesma relação encontrada nos cursos de graduação, havendo exigências quanto à apresentação prévia de projetos de pesquisa, fluência em línguas estrangeiras, realização de provas específicas, avaliação de currículo pessoal, entrevistas, disponibilização mínima de tempo para a realização de estudos e pesquisas. Embora algumas instituições permitam que um estudante se candidate a um curso de doutorado mesmo sem ter o título de mestre, isto não é comum, pois o nível de exigência para esta situação é, em geral, muito elevado.

A primeira coisa que o jovem deve pensar no processo decisório é descobrir se quer ter uma especialização na sua área de conhecimento ou se quer buscar conhecimento complementar à sua área. Por exemplo, um curso de administração de empresas é rico e amplo, pois aborda disciplinas na área de ciências humanas, finanças, tecnologia, direito, marketing entre outras. Neste caso, é oportuno que o jovem busque uma especialização naquilo que tenha maior interesse. Por outro lado, um estudante de odontologia pode fazer uma especialização, mas também pode buscar uma complementação de conhecimentos na área de gestão de negócios, afinal, seu consultório tem manutenção da infra-estrutura, funcionários, clientes, fornecedores, estoque de materiais, contas a pagar, contas a receber, etc., que devem ser geridos adequadamente.

Para sua tomada de decisão, algumas recomendações: (1) esqueça que para fazer um curso após a graduação você deve esperar para ganhar experiência profissional – isto é um paradigma que precisa ser mudado. Você vai estudar a vida toda, buscando complementação de conhecimento, atualizações e networking. Quanto antes começar, melhor preparado estará. (2) não há limite de idade para se reencontrar com os livros – outro paradigma a ser quebrado; esqueça o termo "reciclagem", pense em "atualização ou educação continuada"; (3) o curso escolhido deve estar alinhado com seus objetivos, interesses e plano de carreira; (4) antes de se inscrever em um processo seletivo, busque opiniões de pessoas que fizeram o curso, pesquise o conteúdo programático e sempre que possível, faça uma entrevista com o coordenador do curso para entender a proposta pedagógica e validar se vai ao encontro de seus anseios; (5) verifique se o curso é totalmente presencial ou se há uma porção na modalidade "a distância"; e neste caso, se vai ao encontro de suas expectativas; (6) não se esqueça da importância da língua inglesa – que em muitas profissões é pré-requisito para seu crescimento e desenvolvimento; (7) em algumas áreas, como Tecnologia da Informação, as certificações são distintivos altamente valorizados e reconhecidos no mercado.

Qualquer que seja o curso escolhido, lembre-se que seu sucesso depende de você! De sua determinação, de sua capacidade de realizar pesquisas, de relacionar-se com os outros, de realização (efetuar entregas) no prazo e com alto padrão de qualidade. Estude sempre, invista em você, no seu crescimento pessoal e profissional.

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 15 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/carreira-artigos/o-que-fazer-depois-da-graduacao-410435.html

    Palavras-chave do artigo:

    pos graduacao

    ,

    cursos

    ,

    desenvolvimento pessoal

    Comentar sobre o artigo

    Lisandro Zanotto

    Esta é uma pergunta que recém formados e executivos já inseridos no mercado de trabalho fazem constantemente. "Terminei a minha graduação, será que devo investir de imediato em uma pós-graduação?"; "Estou formado há cinco anos, atuando no mercado corporativo, chegou a hora de buscar uma especialização?".

    Por: Lisandro Zanottol Carreira> Recursos Humanosl 27/05/2011 lAcessos: 95

    Conheça os cursos de pós-graduação a distância em licitações e contratos e Pós-Graduação em contratação de seviços e produtos de informática! Saiba mais sobre sua importância e área de atuação!

    Por: Gabi Batistal Educação> Ensino Superiorl 08/12/2010 lAcessos: 474

    O estágio foi concebido no intuito de pesquisarmos conceitos, experiências, justificativas acerca do Desenvolvimento Regional Sustentável, visando o embasamento teórico e empírico para a concepção de curso de especialização em DRS. O Curso de Especialização em DRS visa à formação de profissionais: da administração pública e privada; do terceiro setor, e graduados interessados em atuar com agentes em DRS. Além de contribuir para aprofundar os aspectos teóricos e práticos do desenvolvimento.

    Por: FERNANDO ANTONIO DA SILVAl Educação> Ensino Superiorl 08/12/2011 lAcessos: 151

    Saber escolher e decidir pelo melhor e mais oportuno programa de formação é muito importante para a gestão de carreira.

    Por: Emerson Luiz de Castrol Carreira> Gestão de Carreiral 11/07/2011 lAcessos: 211
    João Florêncio Bastos Filho

    O objetivo deste artigo é o de conscientizar os profissionais graduados sobre as vantagens do curso de pós-graduação "lato sensu" e como tirar o máximo de proveito das aulas e das atividades extraclasse.

    Por: João Florêncio Bastos Filhol Carreira> Gestão de Carreiral 25/02/2008 lAcessos: 2,046 lComentário: 2
    Paulo Eduardo Ribeiro

    O PDI é um processo individual, feito pelo empregado, com suporte direto e orientação da supervisão direta, além de ser um processo voluntário. O PDI não é uma avaliação de desempenho ou um plano de carreira, e também não é uma garantia de promoção. Cada um é responsável por seu próprio desenvolvimento pessoal e profissional, e o papel do gestor é dar o suporte necessário para que seus objetivos de desenvolvimento profissionais atuais e futuros sejam alcançados.

    Por: Paulo Eduardo Ribeirol Negócios> Gestãol 01/01/2010 lAcessos: 13,985
    Professor Marcos Paulo

    Esta modalidade de ensino não pode ser encarada como uma panacéia para todos os males da educação brasileira. Há um esforço muito grande dos educadores e pesquisadores da educação em mostrar que os problemas da educação brasileira não se concentram somente no interior do sistema educacional, mas, antes de tudo, refletem uma situação de desigualdade e polaridade social, produto de um sistema econômico e político perverso e desequilibrado...

    Por: Professor Marcos Paulol Educação> Educação Onlinel 15/09/2011 lAcessos: 238
    João Beauclair

    Este artigo pretende abordar algumas questões essenciais no que concerne à formação pessoal em Psicopedagogia no nosso tempo presente. Compreende ser necessário ter coragem para re-significar os caminhos da Educação contemporânea e procura traçar os principais dilemas, desafios e tensões presentes na formação pessoal do/a psicopedagogo/a. A partir de uma sucinta discussão sobre os processos de autoria de pensamento como alternativa a tal questão, reforça que a pesquisa e práxis permanente, no agir e no pensar cotidiano, podem colaborar para que novas e significativas aprendências e ensinagens surjam no cenário da formação em Psicopedagogia no Brasil.

    Por: João Beauclairl Educaçãol 16/03/2009 lAcessos: 1,522

    Marketing pessoal é o conjunto de práticas, atitudes e conceitos cujo objetivo é estabelecer uma relação eficaz entre o profissional e o mercado de trabalho.

    Por: Ernesto Bergl Carreira> Gestão de Carreiral 09/09/2014 lAcessos: 34

    Nenhuma técnica consegue abrir mais portas, ou lhe trazer mais oportunidades profissionais, do que saber falar em público.

    Por: Ernesto Bergl Carreiral 09/12/2014

    Conseguir um emprego requer mais do que ser um profissional dedicado e cheio de garra para vencer. O mercado é competitivo e profissionais qualificados serão sempre um diferencial aos olhos de empregadores.

    Por: Josyl Carreiral 25/09/2014 lAcessos: 15
    Zilda Ap. S. Guerrero

    Saber se escolhemos ou não a opção adequada ao nosso perfil, nossos desejos de consumo, nossos ideais, princípios morais, religiosos, nossas qualidades, aptidões, entre outros fatores que nos inspiram a indicar com "xis" na área, carreira e vaga na inscrição para o vestibular, é realmente muitas vezes, uma decisão muito difícil, principalmente quando pinta um ponto de interrogação em nossa mente: Ser ou Não Ser???

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Carreiral 03/09/2014 lAcessos: 12
    Gustavo Rocha

    Sabe, eu já fui um carro novo, hoje sou um carro considerado velho. Há 40 anos atrás, eu era um sucesso. Arredondado, com prateado no meio e nos acessórios, todos queriam andar comigo. Era potente, podia ter 1500 cilindradas e fazia um barulho que todos sabiam quem eu era e onde estava passando. Era o desejo dos homens e mulheres e bastava me ter, que o sucesso era garantido. Eu era um Fusca, 1500, do ano de 1974. Os anos passaram e com eles vieram todas as emoções, corridas, fizeram até u

    Por: Gustavo Rochal Carreiral 18/08/2014
    Gustavo Rocha

    Uma etapa difícil da carreira: Formado em direito, passado na OAB, e agora? Passa zilhões de coisas pela cabeça, dificuldades financeiras e de todas as ordens, e ainda a dúvida: Como agir, como proceder. Em Agosto, na semana do Advogado, traremos um manual enxuto sobre vários temas voltados para advogados em início de carreira. Hoje, faremos a reflexão do livro do fundador do Twitter, e mais algumas reflexões minhas: O americano Christopher Stone, o Biz, de 40 anos, tem uma daquelas trajetór

    Por: Gustavo Rochal Carreiral 23/07/2014

    Dados das Nações Unidas indicam que 80% dos participantes de militância ecológica são mulheres, o que talvez se deva ao movimento feminista, que desde a década de 70 defende a ideia de que o meio ambiente natural é feminino e, por este motivo, a proteção da natureza estaria ligada à emancipação da mulher e sua maior influência no desenvolvimento local e global.

    Por: Central Pressl Carreiral 14/07/2014 lAcessos: 22
    Gustavo Rocha

    14 de Julho de 1789, data da queda da Bastilha. Naquele ano uma prisão foi derrubada por ideais de liberdade, igualdade e fraternidade. Hoje, séculos depois, convido você a fazer uma mudança e lutar por estes 3 ideais. Qual a mudança? A queda da sua bastilha. Todos temos situações, convenções, pré-conceitos que nos tornam menos preparados para o mercado. Esta é a nossa bastilha, a nossa prisão. Vivemos como se tudo sempre for ser o mesmo, como se nada fosse mudar, como se sucesso fosse eter

    Por: Gustavo Rochal Carreiral 14/07/2014

    Saber lidar com conflitos é fundamental para o sucesso, tanto empresarial, quanto pessoal e profissional. O teste é útil para sua autoavaliação.

    Por: Ernesto Bergl Carreiral 07/07/2014 lAcessos: 39
    Armando Terribili Filho

    Artigo que aborda alguns métodos de Planejamento e Gestão de Carreira com base em reconhecidos autores espanhóis e brasileiros, com destaque para: Método 4D, Autocoacghing e 5 ferramentas essenciais, respectivamente de autoria de Fabio Gonzalezz H., Perdro Amador e Heitor Bergamini. Planejar a sua carreira é hoje uma necessidade: saber "onde" se quer chegar, conhecer os requisitos necessários de conhecimento, habilidades e networking, estabelecer e monitorar um realista Plano de Ação.

    Por: Armando Terribili Filhol Carreira> Gestão de Carreiral 05/12/2014
    Armando Terribili Filho

    A sigla "CHA" representa Conhecimento, Habilidades e Atitudes. Na atualidade, as contratações de gerentes de projetos têm caminhado pela busca de profissionais certificados e/ou profissionais pós-graduados na área. Esses requisitos (conhecimento/habilidades) têm se mostrado necessários, mas não suficientes. Há necessidade de "atitude": criatividade, equilíbrio emocional, imparcialidade, trabalho em equipe, disponibilidade, empenho, agilidade, entusiasmo, colaboração e ética.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 12/12/2013 lAcessos: 55
    Armando Terribili Filho

    Os oito passos para criação de um novo negócio, englobando a realização de pesquisa de mercado com o potencial cliente, investigação da legislação vigente, a análise do mercado, a elaboração do plano de marketing, do estudo de viabilidade econômico-financeira, o plano operacional, a análise de riscos e o cronograma para implantação.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Pequenas Empresasl 16/02/2013 lAcessos: 175
    Armando Terribili Filho

    Quando se fala em melhoria, pode-se pensar em várias abordagens distintas: melhoria pontual, melhoria contínua e reengenharia. Confira!

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 44
    Armando Terribili Filho

    O uso adequado das técnicas/ferramentas pode ser fundamental para o sucesso de um projeto, seja no seu planejamento ou na execução.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 103
    Armando Terribili Filho

    O grande desafio na gestão de equipes virtuais em projetos era o da aspecto da "dispersão geográfica", com profissionais trabalhando em outras cidades, outros países e até, outros continentes. Com as novas tecnologias, isto foi sendo superado. Os dois novos desafios para o gerente de projetos na atualidade são: a dispersão temporal e a inclusão de clientes/fornecedores na participação de equipes virtuais. Confira!

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 87
    Armando Terribili Filho

    Com base neste artigo, pode-se perceber a importância de se realizar um planejamento de custos detalhado e realista, para todos os projetos. Os casos reais apresentados no artigo, evidenciam essa importância.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 50
    Armando Terribili Filho

    As organizações têm, em geral, sistemas de premiação, que nem sempre são utilizados como poderiam e deveriam. Neste artigo além de conceitos sobre o tema, são apresentados casos reais.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 38

    Comments on this article

    0
    Cristiano 10/03/2009
    Até que fim encontrei algo que fale das diferenças na Pós-graduação. Não sabia do que se tratava MBA, lato sensu e stricto sensu. Muito obrigado pela orientação.
    0
    elaine 03/01/2009
    nao ha ainda comentarios ainda nao conheço o site
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast