A manutenção do carro: Os aspectos que deve ter em conta

18/06/2012 • Por • 75 Acessos

A frequência da realização da manutenção do carro não influencia apenas em sua vida útil, mas também é determinante para a nossa segurança. Qualquer dispositivo mecânico que se submeta a um uso continuado acaba por consumir-se e um automóvel não é exceção. Como resultado, as peças começam a sofrer de desgaste e, ao deixar de existir uma engrenagem perfeita, podemos perder o controlo do volante com mais facilidade e provocar acidentes. Mesmo em carros novos, é preciso fazer a manutenção.

Este é o motivo que leva os fabricantes a assinalar no livrete que acompanha o veículo quando deve ser feita a revisão ou a substituição das suas diferentes peças. Em termos gerais, após os primeiros quatro anos de vida do automóvel, devemos extremar as precauções e submetê-lo a uma revisão básica anual. Se o levarmos a uma oficina especializada, o mecânico poderá dizer exatamente quais são as peças que sofreram maior desgaste e que necessitam de ser substituídas para manter um carro seguro.

Revisões continuadas: A chave da segurança  

Independentemente das revisões feitas por profissionais, cada condutor deve conhecer os rudimentos mecânicos do seu veículo. Mais que isso, é preciso estar atento a essas alterações, quase imperceptíveis, que se convertem nos primeiros sinais de alarme e que são indicativos de algo que não funciona adequadamente. Nestes casos, devemos prestar especial atenção à presença de ruídos anormais, dificuldades em segurar a direção e à resposta lenta dos travões.

Além disso, existem alguns aspectos que você mesmo pode examinar com regularidade:

  1. O nível do óleo e o estado dos filtros, uma vez que são os principais responsáveis por evitar o desgaste das peças do carro.
  2. O estado dos pneus, já que estes facilitam a aderência do carro à estrada. Quando os relevos dos pneus deixam de ser nítidos e perdem profundidade, então é porque está na hora de trocá-los.
  3. O nível do líquido dos travões e o estado das pastilhas. Normalmente os fabricantes recomendam que sejam mudados a cada dois anos, mas o melhor é estar sempre atento para descobrir qualquer ruído anormal no momento de travar ou variações na rapidez de resposta dos travões.  
  4. O funcionamento dos amortecedores, já que quando em mau estado podem aumentar consideravelmente a distância de travagem. Quando o carro "balouça" demasiado se passa sobre um buraco ou lomba, este é um sinal inequívoco de que os amortecedores apresentam desgaste.
  5. O estado do limpa-pára-brisas, muitas vezes esquecido quando se faz referência à manutenção de carros, é fundamental para garantir uma boa visibilidade na estrada. Um pára-brisas defeituoso pode causar um acidente em dias com chuva ou neve, por isso, recomenda-se tê-lo sempre em bom estado.  

Perfil do Autor

José Couto

.