O ferro velho é seguro para comprar peças de reposição?

18/10/2012 • Por • 110 Acessos

Quando devemos comprar uma peça para o nosso carro, muitas vezes optamos pelo que é mais barato, mas a qualidade das peças é primordial. Alguns condutores não têm os conhecimentos necessários para eleger corretamente. O ferro velho tradicional é uma boa opção? Descubra os prós e os contras.

 

Geralmente, os novos condutores e os que não sabem grande coisa sobre o mundo automotor não se sentem confortáveis na hora de comprar peças auto. O ferro velho tem sido a solução ao problema desde que o mundo é mundo, porém, as coisas mudaram. Quem sabe você é um dos que se pergunta se são uma boa opção para todos os automóveis. Estudemos as vantagens e os inconvenientes.

A opinião dos partidários do ferro velho

Existem dois tipos de peças de reposição: as peças novas e as peças de ocasião. Tradicionalmente, o ferro velho vende peças de ocasião. Por definição, são menos caras que as novas. É o argumento número 1 dos partidários do ferro velho. No entanto, é em princípio uma solução para os carros antigos.

Economicamente falando, o ferro velho é a solução alternativa más factível e interessante face ao concessionário. Ademais, geralmente oferece uma boa seleção de peças que muitas vezes são mais difíceis de encontrar que outras. A compra num ferro velho também é mais segura que a compra a particulares, para quem teme equivocar-se ou ser enganado, já que quem vai a um ferro velho é na sua maioria gente entendida.  

No ferro velho também é frequente oferecer-se um serviço de reparação com tarifas vantajosas ou utilizar um local alugado pelo estabelecimento para poder realizar você mesmo a reparação.  

Conclusão: os partidários do ferro velho são principalmente pessoas que sabem exatamente o que necessitam e como trocar a peça, e cujos carros já estão fora da garantia do fabricante.

 Que dizem aqueles que nunca vão a um ferro velho?

Embora sejam muitos os que reconhecem que os preços são interessantes, os que não vão ao ferro velho optaram maioritariamente por recorrer à Internet, onde os preços se baseiam regularmente em promoções e o desconto é importante.

Segundo eles, é mais seguro que o ferro velho principalmente por uma razão, pelo menos no que se refere às páginas com melhor reputação: a peça tem sistematicamente uma garantia de origem. Além disso, existe uma boa seleção de peças novas, daí geralmente haver vários artigos disponíveis para uma peça.

Para os carros antigos ou para as pessoas que os reparam por si mesmas, o ferro velho é seguro no caso de tratar-se de peças pequenas que não têm a ver diretamente com a segurança. Quando há que substituir uma peça do motor ou do circuito eléctrico, recomenda-se um vendedor especializado que ofereça garantias seguras e de qualidade.   

Conclusão: há quem nunca vá ao ferro velho. Sobretudo as pessoas que procuram por peças auto com garantia de origem e peças que sejam importantes em matéria de segurança.

Perfil do Autor

José Couto

.