A conscientização no método de ensino de Paulo Freire

Publicado em: 14/05/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 270 |

1 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO NO PENSAMENTO DE PAULO FREIRE

O nível educacional de uma população sempre se relacionou com o seu desenvolvimento social.A concentração de renda e da educação nas mãos de uma mesma classe social é responsável pelos mecanismos de  dominação e por tornar a maioria da população excluída das decisões governamentais que acabam beneficiando apenas alguns poucos componentes da sociedade e concentrado os benefícios da produção social nas mãos de poucas pessoas(1,2,3).Desta forma as classes dominantes sempre tentam impedir a difusão da Educação pelas classes menos favorecidas ou quando são impossibilitadas de fazê-lo , por exemplo pelas necessidades de mão de obra especializada, optam por uma Pseudo-Educação em que se procura doutrinar os receptores da mensagem educacional de sua incapacidade inata para comandar a sociedade e da necessidade de sua submissão incondicional a seus dirigentes caso desejem sobreviver neste mundo,  em que à semelhança do mundo natural   apenas os mais capazes sobrevivem .Seria assim tarefa das classes auto-consideradas superiores, mesmo contra sua vontade, pilotar a nave social para que esta não naufrague.Aos demais  componentes da embarcação, caberia apenas a função de obedecer passiva e cegamente as ordens dadas, sem questioná-las, como se espera de pessoas incapazes de compreender  a complexidade da situação em que vivem(2).

Paulo Freire com base nessas noções marxistas, criou a divisão da sociedade entre opressores, a classe dominante ou a alta burguesia dona dos meios de produção, responsável pelo domínio dos mecanismos de funcionamento do Estado que visam à perpetuação de seu poder, sob um disfarce de pretensa neutralidade e de igualdade para todos mas que na realidade apenas cuida  dos interesses dessa minoria que o controla e da grande maioria da população - a classe oprimida, ou o proletariado, ao qual apenas resta vender sua força de trabalho e que dessa forma se afasta da realidade onde vive, tornando-se uma mera mercadoria nas mãos da classe opressora.Ocorre que a classe opressora às vezes tem de lançar mão da Educação da classe oprimida, no mínimo  nível possível para permitir a continuidade de sua exploração.Assim embora a tecnologia tenha muitas vezes reduzido o papel do trabalhador a um simples aperto de um botão, há necessidade de um pessoal intermediário que se encarregue de fazer continuar as máquinas funcionarem, necessitando assim de um treinamento apenas técnico, sem nenhuma formação humanista que permita ter conhecimento crítico da situação na qual vivem(1,2,3,4,5,6,7,8,9) .Assim a Educação em nosso meio, como na maioria das sociedades capitalistas, principalmente do Terceiro Mundo tem se afastado cada vez mais de seu papel primordial de formar cidadãos criativos e promotores de mudanças sociais e científicas, dando origem a pseudo-pesquisadores científicos que repetem como papagaios aquilo que foi descoberto no Primeiro Mundo, achando que isto é fazer pesquisa científica de ponta .       

1.1 A EDUCAÇÃO CONSERVADORA COMO TRANSMISSORA DE CONHECIMENTOS INQUESTIONÁVEIS

Pela própria natureza da finalidade a que se destina a Educação em sociedades capitalistas é conservadora.Os conteúdos  transmitidos são vistos como inquestionáveis, o professor é visto como o detentor do  máximo do conhecimento possível e o aluno tal como esponja que deve absorver os conhecimentos sem questioná-los ou pretender mudá-los.(1,2,3,4,5,6,7,8,9).

O aproveitamento dos alunos é dado por uma nota que mede a capacidade em reproduzir os conteúdos informados a eles integral  e automaticamente, sendo assim favorecido o uso da memorização por repetição, nem que isto signifique, como em geral ocorre seu total esquecimento como algo inútil e já totalmente elaborado, imediatamente após a prova.O conhecimento assim é visto como algo sem valor que é imediatamente seguido por novos conteúdo que são os únicos a partir daí importantes, até a nova avaliação.Vem daí o conceito de Educação Bancária criado por Paulo Freire em que ao aluno resta apenas o papel de depositar informações e notas sem que  disso resulte qualquer mudança em seu comportamento ou em sua maneira de abordar o ambiente em que vive.

As classes dominantes, que coincidem com as detentoras do poder político na sociedade capitalista, usam a quase totalidade da produção social principalmente em seu benefício e não têm nenhum interesse em mudanças, pois estas poderiam resultar na troca dos detentores do poder.Vivem assim em constante contradição pois embora preguem a livre concorrência e a igualdade social entre todos os cidadãos, procuram através do domínio político limitar ao máximo a concorrência, só recorrendo a ela em situações em que percebem poder auferir algum proveito para si.Tal igualdade política é vista como perigosa ou como subversora da ordem quando partidos populares tomam o poder ou quando o governo toma decisões contrárias aos interesses dessa minoria parasitária, que  reage de forma violenta quando ameaçada em seus interesses, na maioria das vezes na América Latina apelando à intimidação pelo seu braço forte - as Forças Armadas, que ao invés de promoverem a defesa contra inimigos externos, voltam-se contra a população, assumindo o papel de meros seguranças da classe opressora.   De igual modo a pretensa igualdade de direitos entre os cidadãos, expressa em todos os códigos legais das sociedades capitalistas  modernas, é na verdade uma farsa, pois o acesso aos complexos mecanismos legais que garantem esse direito é muito custoso e assim só acessível a uns poucos privilegiados.(4,5,6,9)     

1.1.1 O Brasil como uma sociedade desigual

A tomada de decisões políticas,  para ser benéfica aos membros da sociedade que a compõe envolve  a participação de todos os cidadãos.A democracia representativa ideal envolveria a representação de todos os estratos da cidadania por pessoas capazes de identificar-se com  toda a gama de interesses existentes, o que suporia total conhecimento por parte dos eleitores da vida pessoal e dos interesses econômicos e sociais dos candidatos a  seus representantes, antes de escolhê-los.

A democracia representativa, embora muito criticada por Rousseau, parece ser a única possível no mundo moderno, pelo menos no momento atual, e deve ser guiada por princípios utilitaristas e pragmáticos, procurando garantir o máximo benefício a todos os cidadãos ou pelo menos quando isto não for possível, à sua maioria.(10 e 12). 

Do ponto de vista econômico e social nossa concentração de renda é uma das piores do planeta, o que explica o fato do Brasil ser a nona economia do mundo e a 57a.   no  Ìndice de Qualidade de Vida, pois o acesso aos recursos sociais só é viável para uma pequena parcela da população(13). 

Apenas recentemente o Brasil começou a tomar decisões políticas baseadas nas necessidades da sociedade brasileira, do que resultou um enorme desenvolvimento econômico e social.Até 1985 o Brasil no plano político mundial se aliava automaticamente aos Estados Unidos e não se preocupava sequer em discutir a conveniência ou não para nós de tais decisões.(13)Não faltam ocasiões históricas em que o governo do Brasil agiu contra seus interesses.A elite brasileira até recentemente era apenas a representante dos interesses econômicos estrangeiros no Brasil e forçava decisões que continuariam a manter seus interesses, coincidentes com outros que não eram os da maioria da sociedade brasileira e que em geral resultavam em prejuízos para a grande maioria da população(14).

Embora os interesses dessa elite brasileira sejam atualmente não-coincidentes e até às vezes contrários  aos  norte-americanos, estes raramente coincidem com o da maioria da população brasileira.O governo brasileiro toma pouquíssimas decisões sérias para beneficiar o agricultor familiar que é responsável pelo suprimento agrícola de alimentos consumidos pelos brasileiros, preferindo sempre estimular a agro-indústria que está apenas voltada para produtos exportáveis, algumas "commodities", sem se preocupar com o mercado brasileiro ( soja e grãos, laranja, carne e cana de açúcar).Tal focalização no suprimento de matérias-primas consumidas pelo mercado norte-americano e europeu, cria-nos uma série de problemas ecológicos como o desmatamento desenfreado para áreas destinadas à pecuária, com destruição de florestas, tão necessárias à manutenção de nosso eco-sistema, a criação de enormes injustiças sociais no campo, onde a classe oprimida vive em situação semelhante à encontrada na escravidão, sem nenhum direito trabalhista e em situação sub-humana(os "bóias-frias"), situação esta pouco fiscalizada pelo governo, que não tem nenhum interesse em descobrir a verdade do que ocorre no campo,  um enorme déficit na Previdência Social, pois raramente os trabalhadores de zona rural realizam quaisquer tipos de contribuições sociais para mantê-la pois não são trabalhadores legalizados, garantindo assim ganhos extraordinários e ilegais aos exploradores da agro-indústria.Afora todos esses problemas a manutenção do país em situação de mero exportador de matérias-primas sem nenhum valor agregado, torna a situação econômica do país extremamente vulnerável, pois este passa a competir com países extremamente pobres que têm condições de produzir essa mesmas "commodities" a preços muito mais baixos, pois têm menor regulação do mercado de trabalho e podem manipular seu câmbio de modo a favorecer as exportações, o que o Brasil não pode fazer pois tem de garantir a importação de bens de capital de maneira a não onerar de forma muito pesada a indústria.(17)  

  

O pequeno comércio encontra-se em vias de desaparecimento, bem como o profissional liberal.São cada vez menos freqüentes mercearias, lojas, padarias, consultórios médicos e dentários que sobrevivem  em regime liberal, sendo cada vez menor o número de empresas detentoras de super-mercados  que agem em conluio num regime monopolístico, ignorado de forma suspeita pelo governo.O médico e o dentista autônomos foram substituídos    pelos famigerados planos de saúde e convênios que fingem prestar uma atenção à Saúde, mas que em casos que não-lucrativos subtraem-se a seus deveres contratados com a ajuda de um Judiciário ineficiente.A população brasileira submetida a uma Educação e a uma Saúde de péssima qualidade não consegue ver e julgar a realidade em que vive e de que modo esta poderia ser mudada em seu benefício, pois graças às manobras educacionais da Elite com o fornecimento de  uma Pseudo-Educação nas Escolas Públicas (e mesmo nas privadas que atendem o estrato economicamente inferior da população), não consegue perceber os mecanismos capitalistas, que simplesmente levam à eliminação dos cidadãos que não se encontram em condições satisfatórias para fins de produção, preferindo sumariamente eliminá-los, ao invés de tentar recuperar suas condições trabalhistas e de bem estar bio-psíco-social .Vem daí o abandono de uma população adulta com idade superior a 35 anos, considerada já inapta para produzir de modo satisfatório e dos doentes e acidentados no trabalho que são sumariamente eliminados do sistema produtivo, quando não fisicamente graças a uma Saúde de péssima qualidade, tanto em órgãos públicos como nos  "convênios", não submetidos de fato a nenhuma fiscalização realmente eficiente.   

A Educação brasileira vive de farsas e no ensino da História isto pode ser nitidamente demonstrado.O ensino de História em nosso meio é apenas factual e os fatos ensinados são falseados e a verdade histórica é mitificada tendo os componentes das elites brasileiras sido transformados em heróis:   os exemplos saltam aos olhos de quem quiser ver - a Educação das Ciências Humanas é vista como perigosa para as classes dominantes e por isso a verdade histórica precisa ser transformada na verdade conveniente.Não se precisa ir longe - os documentos sobre a Guerra do Paraguai ocorrida em 1860 ainda não estão liberados para consulta e em seu lugar uma história forjada foi criada, totalmente fictícia pois não apresenta  consistência interna  .Tudo o que se sabe de real provém de fontes inglesas e estas não mostram nem o Brasil nem os militares brasileiros com muito bons olhos.O Brasil por essas informações que parecem retratar a verdade histórica, agiu apenas para defender interesses ingleses, que desejavam forçar o Paraguai a comprar seus produtos.O Duque de Caxias e o Conde D'Eu (o marido da Princesa Isabel) são mostrados como genocidas sanguinários, que não faziam prisioneiros e que tratavam seus soldado, em geral escravos, como animais.Esta situação é perfeitamente possível pois nunca se conta a nossas crianças e adolescentes que os ingleses no Primeiro e Segundo Império tinham foro privilegiado e não podiam ser julgados nem pelas leis, nem pelos tribunais brasileiros, por piores que fossem os crimes que cometessem. Os soldados brasileiros eram praticamente todos negros escravos que nada lucraram com a guerra, não tendo nem mesmo ganho sua liberdade após ela e tendo um número imenso deles lá morrido ( o número até hoje é  desconhecido, provavelmente de forma proposital, uma vez que os documentos que esclareceriam essas dúvidas são mantidos como secretos ).  (11).

Outro exemplo:

até   o começo da década de 50 do século passado   era proibido se falar que o Brasil tivesse petróleo.Monteiro Lobato foi várias vezes preso por citar essa situação que contrariava os interesses da elite brasileira mancomunada com os interesses das "7 Irmãs", ou seja as detentoras da distribuição do petróleo importado a altíssimo custo para o Brasil e que assim impediam a existência de uma indústria petroquímica brasileira.Getúlio Vargas a quem se deve a fundação da Petrobrás, menciona em sua carta-testamento que os interesses estrangeiros desejavam sua morte pois ele os contrariava.Falta sempre  mencionar aos estudantes  que nossos militares foram os responsáveis por sua morte e que estes militares defendiam na ocasião os interesses de uma  elite corrupta, composta principalmente por latifundiários que mantinham grandes propriedades agrárias improdutivas e que pouco produziam do ponto de vista agrícola, pois praticavam uma agricultura muito primitiva e ineficaz.Foi esta elite latifundiária atrasada e promíscua  que através deles tomou o poder em 1964.Os militares de 1964 não defendiam interesses brasileiros, mas os interesses norte-americanos que temiam que um Brasil socialista deixasse de comprar seus produtos.A Elite brasileira que temia a distribuição de suas terras mantidas de modo improdutivo como reserva de valor, através de  uma Reforma Agrária eficiente, tinha assim os mesmos interesses que os norte-americanos, que estavam prontos a intervir militarmente no Brasil através da 7a. Frota  estacionada em frente à costa brasileira .Comentava-se à época que os militares brasileiros eram meros intermediários e cumpridores das ordens do governo americano através de seu embaixador Lincoln Gordon, o que depois foi confirmado por documentos americanos liberados, mas nunca por documentos brasileiros, ainda mantidos secretos (como sempre!!!)   .(15, 13).  

1.1.1.1 A Educação como  Mecanismo de Conscientização

Paulo Freire percebeu logo quando de sua primeira experiência em alfabetização de adultos, que a mera alfabetização sem sua instrumentalização, nada construiria a não ser a um  número maior de semi-analfabetos que apenas saberiam escrever seu nome, o que era desejado pelos senhores de engenho pernambucanos da época.Por outro lado,  estaria apenas fazendo o jogo dos coronéis nordestinos se procedesse do modo tradicional, pois as elites desejavam um número maior de pessoas alfabetizadas - analfabetos eram então impedidos de votar e as elites precisavam de clientes submissos que os ajudassem a eleger-se e desta forma manter seu enorme poder político, praticamente exclusivo dessa camada social na ocasião. O resultado da alfabetização tradicionalmente empregada no Brasil era bastante duvidoso pois era muito demorado, muito caro e em pouco tempo a população que havia aprendido a  escrever de modo precário esquecia tudo pela pequena utilização da leitura e da escrita.(1,2,4,6,9).

Freire logo percebeu que os objetivos propalados como justificativa da alfabetização eram falsos e que os reais eram de natureza anti-ética e  prejudiciais à população que a recebia, em  nada ajudando  as camadas desfavorecidas da população que se tornavam mais uma vez vítimizadas pelos seus opressores.(9)

A situação em Angicos, o primeiro local escolhido para alfabetização logo mostrou sua real dimensão.A população tinha um interesse enorme em aprender, mas desejava aprender aquilo que a ajudasse a compreender  e a melhorar a situação em que vivia .O desejo de aprender a ler e a escrever vinha junto com a necessidade de usar a leitura e a escrita como instrumentos para  uma vida melhor e não como um aprendizado estéril feito de palavras bonitas que as pessoas não usavam e que serviria apenas como um verniz de cultura sem nenhuma utilidade.A necessidade de entender a situação e o meio em que viviam era desejada por todos e assim com base em alguns temas sugeridos pelos próprios habitantes da região foi montada uma estratégia para a alfabetização.Todos ficaram surpreendidos quando ao fim de apenas quarenta e cinco dias encontrou-se uma população alfabetizada e apta a usar a leitura e a escrita como forma de defender seus interesses.A Educação foi por essas pessoas entendida como uma conquista que as possibilitaria ter uma vida melhor e que era um processo cuja continuação deveriam efetivar sozinhos após o período em que haviam recebido uma orientação - a Educação foi vista como uma maneira de se analisar a sociedade em que viviam e  de se verificar de modo crítico aquilo que lhes era colocado como natural e inevitável.(1,2).

A Educação como conquista pessoal contínua e inalienável e como instrumento para se analisar o mundo  tanto físico como social  onde se vive, independentemente da figura de um professor ou de quem quer que seja,  é para Paulo Freire a conscientização, que deve ser colocada em primeiro lugar como objetivo da Educação(9).

A Educação Bancária, que segundo Freire é a constituída pela acumulação de conhecimentos já construídos, sem nenhuma análise crítica por parte de quem a recebe é alienante e não serve aos interesses de quem a recebe, mas tem apenas uma finalidade doutrinadora, visando a formação de pessoas submissas, com baixa auto-estima(pois faz o aprendente sentir-se incapaz de criar qualquer conhecimento) e assim propensas a uma atuação passiva na sociedade onde devem apenas cumprir ordens emanadas de seus "superiores" sem discuti-las"."Superiores" deve sempre ser colocado entre aspas, pois não existe nenhuma superioridade intelectual ou na capacidade de construção uma sociedade melhor sendo  apenas pessoas que detêm os meios de produção(1,2,3,4,5,6,7,8,9).

1.1.1.1.1 A SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO ATUAL NO BRASIL

A visão de Paulo Freire é muito útil para se entender a situação da Educação no Brasil.Nossa Educação é uma  instituição que tende a perpetuar  a situação econômica e social vigente atualmente e que por isso é extremamente conservadora, evitando que seus sujeitos se sintam capazes de efetuar quaisquer mudanças naquilo que é considerado como ideal pelas classes dominantes que não desejam compartilhar seu Poder.(1,2,3,4,5,6,7,8,9).

A distinção entre a Educação para pobres e a Educação para ricos é marcante.Os jovens ricos devem aprender que são as pessoas escolhidas por um deus qualquer para dominar e orientar a sociedade em que vivem e a do futuro que devem dominar e assim os ensinamentos que recebem devem ser os tradicionalmente fornecidos para justificar seu Poder.A Religião faz parte dessa Educação e deve ser mantida para justificar a divisão divina da sociedade  entre pobres e ricos e sendo de natureza divina essa divisão, não deve ser contestada.O Ensino Fundamental e  Médio em escolas particulares, de custo caríssimo, bem como o Ensino Superior em  Universidades Públicas de boa qualidade, mantidas com o dinheiro de todos em benefício de apenas alguns faz parte dessa estratégia.Para disfarçar essa situação brutal algumas universidades destinadas a ricos como a USP, procederam de modo a deixar pouco evidente o   seu real objetivo.Assim é  que nossa mais tradicional universidade inovou : criou um campus em um local remoto da Zona Leste da cidade(uma região extremamente pobre) destinado à assim considerada "tigrada"(ou seja jovens pobres esforçados ) com cursos que ninguém consegue suspeitar para que servem, como um curso de Obstetrícia, em que os alunos foram proibidos de freqüentar a Maternidade da USP - os alunos formados por esse curso nada são e em nada podem trabalhar - não são médicos e não são enfermeiros, qual seria  a finalidade real de um curso em que seus alunos aprendem que não servem para nada?.Ao mesmo tempo a famigerada USP, em seu intento de continuar educando apenas os nascidos em "berço esplêndido" decidiu não ter uma política de quotas realmente eficiente para evitar os "indesejáveis" em seus cursos tradicionais - Medicina, Engenharia e Direito -, ou como os alunos provenientes quase sempre das classes ricas  em suas  escolas tradicionais justificam "tem-se que fechar a porteira para a "tigrada"".(16, 17)   

Os jovens pobres devem receber uma Educação que não lhes permita nenhum discernimento da situação em que vivem, deve ser estimulada uma Educação Técnica baseada no ensino da matemática e das ciências que lhes permitam de modo eficiente apertar os botões certos e manter as máquinas funcionando sem se preocuparem com fatos sociais que devem considerar secundários como a escolha política de seus representantes  e fatos econômicos "naturais" como seus salários.As escolas públicas que freqüentam são em geral de péssima qualidade e cerca de 30% dos alunos a terminam sem conseguirem usar a leitura e a escrita de modo eficiente, sendo assim considerados analfabetos funcionais.As Universidades quando as conseguem realizar, são privadas, de qualidade duvidosa e de custo altíssimo.Existe uma inversão de valores pois o dinheiro público é principalmente investido em Universidades Públicas ao invés de sê-lo em escolas dos nível Fundamental e Médio, sendo usado para benefício  dos estratos mais ricos da sociedade que teriam condições de arcar com o pagamento de universidades privadas de bom nível..(17)

Algumas profissões como a Medicina se tornaram exclusivamente destinadas a pessoas muito ricas, pois para se adentrar em uma escola pública precisa-se ter uma educação em nível básico e médio   de ótima qualidade, por outro lado uma faculdade de Medicina particular custa pelo menos o equivalente a seis salários mínimos sendo por isso vedada a pessoas de poucos recursos.A qualidade dos graduados nas escolas médicas privadas é na maioria das vezes de péssima qualidade, não é auferida por nenhum tipo de exame para verificar seu real conhecimento, embora curiosamente os médicos veterinários que tratarão cachorrinhos de madames o sejam ( e o exame é bastante difícil, segundo avaliação feita por eles). Estudantes pobres que vencerem estas barreiras não conseguirão vencer a barreira da especialização, estando  por isso destinados a serem médicos de qualidade inferior, pois a especialização em Medicina demora de três a cinco anos, sendo praticamente realizada sem nenhum salário e em tempo integral e dedicação exclusiva.Médicos pobres e de origem humilde, às vezes provenientes de favelas, que conseguiram realizar cursos médicos em faculdades de ótimo nível como as cubanas, graças a bolsas de estudo, são curiosamente impedidos de trabalhar em seu país de origem, pois exames para revalidação de diplomas médicos não são realizados há mais de cinco anos pelas nossas universidades e são disputados a preço de ouro pelos serviços de saúde europeus para onde são obrigados a migrar, embora preferissem aqui trabalhar. As conseqüências para a Saúde Pública brasileira decorrentes desta situação serão provavelmente muito graves.

CONCLUSÃO

Algumas idéias de Paulo Freire relacionadas à Educação como a da Conscientização são examinadas do ponto de vista crítico e vistas com relação à situação em que se encontra a Educação no Brasil.

A Conscientização, um dos principais conceitos criados por Paulo Freire, visa a tornar o aluno capaz de criticamente avaliar sua situação no mundo e desta forma estando ciente procurar melhorá-la e não torná-lo vítima de situações vistas em geral como inevitáveis e pouco importantes.

 

Referências

1.BRANDÃO, Carlos Rodrigues.O que é o método Paulo Freire.São Paulo.Brasiliense,2005.

2.FREIRE, Paulo.Pedagogia do oprimido.São Paulo.Paz e Terra,2010.

3.FREIRE, Paulo.Pedagogia da autonomia.São Paulo.Paz e Terra.

4.FREIRE, Paulo.Professora sim, tia não.São Paulo: cartas a quem ousa.São Paulo,Olho d‘água, 2009.

5.FREIRE, Paulo.Educação e mudança.São Paulo.Paz e Terra,2010.

6.FREIRE, Paulo.Educação como prática da liberdade.São Paulo.Paz e Terra,2010.

7.FREIRE, Paulo.Pedagogia da esperança.São Paulo.Paz e Terra, 2007.

8.FREIRE, Paulo.Conscientização.São Paulo.Centauro, 2009.

9.FREIRE, Paulo.Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido.São Paulo.Paz e Terra, 2007.

10.JAMES, William .Os pensadores : William James.São Paulo.Abril Cultural, 1979.

11.CHIAVENATO, Julio José.Guerra do Paraguai : o genocídio americano.São Paulo. Brasiliense, 1982. 

12.BENTHAM, Jeremy.  An  Introduction to the Principles of Moral..London, Dover Publications, 2007.

13.GREMAUD, Amaury Patrick;SANDOVAL DE VASCONCELLOS, Marco Antonio & TONETO JÚNIOR, Rudinei.Economia brasileira contemporânea.São Paulo.Atlas, 7a.Ed.,2010.

14.GORENDER, Jacob.Combate nas Trevas.São Paulo, Ática, 6a.Ed.,1995.

14.MARX, Karl.Para a Crítica da Economia Política.Os Pensadores : Marx.São Paulo.Nova Cultural, 2005.

15.VARGAS, Getúlio.Carta Testamento. In : http://www.culturabrasil.pro.br/cartatestamento.htm.     Site acessado em 17/04/2001, 21:00hs.

16.http://www4.usp.br/  Site acessado dia 17/04/20011 às 22:00hs.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/a-conscientizacao-no-metodo-de-ensino-de-paulo-freire-5901973.html

    Palavras-chave do artigo:

    conscientizacao metodo paulo freire educacao filosofia da educacao

    Comentar sobre o artigo

    Este trabalho foi elaborado com a intenção de um melhor aprendizado, de melhores experiências e capacitação de produção de aprendizagem do curso de Pedagogia a distância. Com essas experiências, que serão levantadas nas respectivas disciplinas no que se refere aos fundamentos da educação.

    Por: Geórgea Daniela Araujo Bergl Educação> Ensino Superiorl 30/01/2012 lAcessos: 5,921
    Marcelo Gomes González

    Como está expresso na fala de muitos autores, o Ensino Fundamental II é uma fase de transição, onde muitas culturas devem ser maturadas, e outras apresentadas. Nesse período o educando se encontra no momento da criação da sua identidade. Os PCNs defendem que a Educação Física deve utilizar, principalmente, da cultura corporal - a trazida pela criança e a apresentada para ela dentro do ambiente escolar - e da instigação à busca do conhecimento para que ela seja autônomo.

    Por: Marcelo Gomes Gonzálezl Educaçãol 17/10/2012 lAcessos: 373

    RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar a vida e obra do educador Paulo Freire abordando sua concepção embasada na pedagogia Libertadora, através da qual ele defendeu a liberdade do ser humano a partir do processo de alfabetização que favorecia a aprendizagem e a conscientização do mesmo. Enfatiza-se a importância dada ao conhecimento que o indivíduo traz consigo na leitura das obras de Paulo Freire analisando-as como possível ideia de inovação pedagógica que quebre este paradigma fabril d

    Por: Maria Lúcial Educação> Ensino Superiorl 13/07/2012 lAcessos: 202
    Jerry Adriano de Souza

    Este trabalho teve como objetivo apresentar um estudo sobre influência do pensamento de Paulo Freire para a educação popular na prática do professor de EJA. Trata-se de uma pesquisa de campo, de cunho qualitativo, na qual destacamos a visão dos professores, suas ideias pedagógicas e didáticas, e a comparação destas com o pensamento de Paulo Freire. O Estudo foi realizado na Escola Estadual Professora Alvani de Freitas Dias em Apodi/ RN.

    Por: Jerry Adriano de Souzal Educação> Ensino Superiorl 03/07/2012 lAcessos: 951
    Elizeu Vieira Moreira

    O artigo reflete sobre um dos maiores intelectuais orgânicos do Brasil: Paulo Reglus Neves Freire.

    Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 08/03/2011 lAcessos: 229
    Hilsa Flávia A Coutinho

    Este trabalho tem o perfil de identificar fatores que traga uma qualidade de vida para a população, como objetivo principal à sistematização no cuidado da Assistência da Enfermagem para este grupo, descrever a qualidade de vida promovendo ações educativas com uma linguagem simples e de fácil compreensão.

    Por: Hilsa Flávia A Coutinhol Saúde e Bem Estarl 28/10/2011 lAcessos: 283
    Janaina Silveira

    O presente artigo constitui-se um estudo acerca das relações paradoxais que existem entre escola e educação popular no Brasil na década de 1970. Ocorreu por meio de pesquisa bibliográfica onde foi investigada a literatura pedagógica no campo educacional para que essa fosse capaz de subsidiar a elaboração de um panorama histórico da educação popular nos anos 1970. Assim apresentam-se as concepções de escola de Louis Althusser e Antonio Gramsci e analisa-se a concepção e as características da educ

    Por: Janaina Silveiral Educaçãol 09/03/2011 lAcessos: 1,162
    Rogério Ferreira Leite

    Este trabalho contém as premissas básicas para que o educador atinja plenamente o objetivo de proporcionar aos seus alunos uma formação adequada às exigências do século XXI.(PARTE 1)

    Por: Rogério Ferreira Leitel Educação> Ciêncial 15/07/2010 lAcessos: 12,941

    Resumo Este artigo apresenta a trajetória da educação de jovens e adultos e da educação profissional no Brasil estabelecendo relações com os diversos contextos históricos a partir das políticas públicas implementadas desde a Colônia até os dias atuais e identificando os mecanismos de acesso, permanência ou exclusão nessas modalidades de ensino no que diz respeito à educação formal. A análise efetuada mostra que tanto a educação de jovens e adultos quanto à educação profissional no Brasil têm em comum o caráter discriminatório e assistencialista, e aponta o que está sendo feito para integrar essas modalidades de ensino, de modo a promover a inclusão dos indivíduos que nelas estão inseridos.

    Por: Ivonete Sacramentol Educaçãol 09/02/2009 lAcessos: 12,713 lComentário: 12
    Nathália Alves de Oliveira

    A pesquisa monográfica tem como objetivo definir qual a importância da contação de histórias para a educação infantil através do estudo bibliográfico de teóricos sobre a literatura infantil. O estudo revela ainda a importância do professor ao inserir a literatura no seu planejamento para o processo de construção de competências, criatividade e criticidade, revelando histórias que despertam a imaginação, trabalham a concentração, ensinam princípios, o conceito entre o bem e o mal ...

    Por: Nathália Alves de Oliveiral Educação> Educação Infantill 08/02/2012 lAcessos: 4,744
    Luana Souza

    O presente artigo vislumbra apresentar discussões e esclarecimentos sobre a teoria das representações sociais, sua relevância enquanto instrumento de pesquisa, principalmente, no campo educacional. Para tanto, fundamenta-se teoricamente sob a égide de MOSCOVICI (2013), SOUSA et all (2012), GUARESCHI (1996), apresentando breve conceituação e argumentos que tornam relevantes sua compreensão em contexto educacional.

    Por: Luana Souzal Educação> Ciêncial 18/10/2014

    A presente investigação teve como finalidade, realizar uma análise acerca da Teoria das Representações Sociais (TRS) e sua possível aplicação no âmbito de pesquisas em educação. Tratou-se, assim, de um texto especificamente teórico e de pesquisa qualitativa, o qual teve como embasamento teórico os textos em teoria das representações sociais de Prado e Azevedo (2011), Rateau et al (2012), Mazzotti (1994) e, a técnica de investigação empregada foi bibliográfica e documental.

    Por: Carla Anne Marques Fariasl Educação> Ciêncial 28/09/2014 lAcessos: 15

    Este trabalho teve como proposta de estudo os Hidrocarbonetos, através deles a matéria-prima do plástico a nafta que é um subproduto do petróleo. Para compreender de que são feitas as sacolas plásticas e se elas podem ser substituídas por outro material biodegradável, que não polua tanto o meio ambiente e conhecer alternativas contra o uso excessivo de sacolas de plástico no Brasil e demais países, realizou-se várias pesquisas bibliográficas com a contribuição de autores.

    Por: Carmeli Caetanol Educação> Ciêncial 20/09/2014
    Paulo Azze

    Explicações sobre a corrente elétrica alternada (CA), seus os componentes (ativos e reativos) e o seu cálculo de forma simplificada.

    Por: Paulo Azzel Educação> Ciêncial 15/09/2014 lAcessos: 11
    Paulo Azze

    Aborda aspectos relacionados ao comprimento das resistências de chuveiros, atendendo uma dúvida de amigo sobre questões do ENAD.

    Por: Paulo Azzel Educação> Ciêncial 15/09/2014
    Zilda Ap. S. Guerrero

    Atualmente a cidade de São Paulo passa por uma das piores crises de falta de água, todos os dias em diversos jornais do país, o mesmo jargão em torno da questão do consumo consciente da água é abordado de diversas chamadas à população. Sendo assim, urge a necessidade de orientar e conscientizar as crianças e a população em geral para o problema social que estamos enfrentando na cidade de São Paulo, e no mundo.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Ciêncial 10/09/2014
    Luddy Travassos

    Os indivíduos que sofreram lesão no Sistema Nervoso Central, que comprometeram os neurônios motores, na coordenação dos impulsos, demasias dos reflexos, espasmos, alterações da fala e conduções, também podem ser apercebidas pelos familiares do paciente através de alterações comportamentais cotidianas desde a sudorese, anestesia labial, tremor de mãos e pés, e qualquer anomalia derivada de distúrbios de estresses ou demais descargas de tensão.

    Por: Luddy Travassosl Educação> Ciêncial 31/08/2014 lAcessos: 11

    Sugestões com técnicas de estudo e leitura. Texto destinado a estudantes do ensino médio. pode ser aproveitado por todo leitor

    Por: NERI P. CARNEIROl Educação> Ciêncial 10/08/2014 lAcessos: 15

    As relações entre o capital e o trabalho sempre fizeram parte de opiniões conflitivas entre os economistas. O presente trabalho pretende mostrar de modo simplificado como essas relações foram analisadas por economistas clássicos e marxistas partindo de seus autores originais.

    Por: Poti Chimetta Havrennel Educação> Ensino Superiorl 30/05/2012 lAcessos: 636
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast