A Instituição De Ensino E O Preconceito

Publicado em: 23/10/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 1,229 |

A INSTITUIÇÃO DE ENSINO E O PRECONCEITO



Segundo Aurélio 1997, preconceito é um conceito ou opinião formados antecipadamente, sem maior ponderação ou conhecimento dos fatos; idéia preconcebida; julgamento ou opinião formada sem se levar em conta o fato que os conteste; intolerância; ódio irracional ou aversão a outras raças, credos religiões, etc. Discriminação significa separação, segregação, etc.


As diferenças encontram-se nas crenças, maneira de vestir, preferências musicais, idade, cor dos olhos, condições socioeconômicas, enfim, as diferenças estão em vários aspectos: idéias, pele, traços físicos, impressões digitais, dentre outras tantas. Tais diferenças se constituem na graça do ser humano e não defeito.


“Não há diferença entre um homem e outro, pois todos vêm nus ao mundo. Um homem não pode ser válido pela sua cor, nem pela sua língua que fala, nem pelas roupas que veste ou jóias que usa. E sim apenas por seu coração. (Mika Waltare 1969,  em sua obra O Egípcio)”



A área educacional não se isola neste contexto e as diferenças transformadas em preconceito acarretam serios problemos ao educando. Há que se levar em consideração que o educando ao se sentir discriminado -  seja por ser gordinho, negro, magro, pobre, enfim qualquer que seja a forma de discriminação – não obterá grandes resultados em sua formação educacional. O pre conceito é uma violencia praticada por ação ou omissão!



A instituição de ensino, como parte da sociedade, serve como reprodutora da ordem estabelecida, assim sendo, reproduz a violência das mais variadas formas: a exclusão, a elitização do saber ou do preconceito. A escola reproduz as diferenças sociais, perpetua o status quo e, portanto, é uma instituição altamente discriminadora e repressiva” (Aranha, 1989,p. 128)



O preconceito surge da tola pretensão de valorizar a si mesmo ao depreciar diferentes escolhas, tais como religião, opção sexual, forma de se vestir, entre outras. Às vezes ele se manifesta disfarçado de humor, como na humilhação de um estudante por seu sotaque regional ou pela forma como se veste. Uma escola que admite posturas como essas – não reconhecendo seu potencial destrutivo- abre caminho para discriminações de etnia, idade, origem, gênero e classe.



Muitas vezes as formas de intolerância tem origem nas  relações familiares e afetivas e ainda de valores disseminados na sociedade. Em contrapartida,  a escola deve estimular o aluno a  identificá-las em piadas, notícias, torcidas esportivas, filmes de ação e novelas, bem como  discutir suas origens sociais e históricas. Tal atividade não se restringe a uma disciplina ou outra, é adequada ao ato de educar.



Os atos de segregação por condições de vida, preferências ou deficiências podem e devem ser debatidas na escola. Ao mostrar aos alunos como os preconceitos são usualmente reforçados por constrangimentos ou revelados pela intolerância, em situações que deveriam ser repletas de compreensão e solidariedade a instituição trabalha o crescimento e formação de um aluno-cidadão, tornando o aluno mais questionador, podendo inclusive se posicionar diante da atitude de um de professor que em sala de aula, por exemplo, segrega e discrimina os alunos que têm diferentes ritmos de aprendizagem.

É complicado não discriminar, uma vez que, ao generalizar experiências pessoais, já nos colocamos na posição de juízes e prejulgamos. Parece uma característica inata a capacidade que temos de desfiguramos traços de caráter e sentimentos pessoais ao descrever quem nos é estranho. Quando nos referimos à jovens do ensino privado como patricinhas e aos da escola pública como pivetes, por exemplo, revelamos neste ato nossa própria grosseria e insensibilidade pelo simples uso desses termos – infelizmente não temos consciência de tal fato.



A pluralidade cultural sempre foi cercada de grandes discussões ao longo da história. De acordo com Assis & Canen (2004), é impossível não perceber as relações distintas de poder entre as fontes culturais e raciais que deram origem e dividem o Brasil. Conforme Gonçalves & Silva (2004), as políticas sociais, em especial as que se referem à educação, têm como alvo um público definido a partir de critérios de eqüidade.



Portanto é dever de quem dirige e direciona o ensino, valorizar a variedade de culturas, o questionamento dos saberes e a necessidade do contraditório. As instituições de ensino devem ser um espaço de diversidade privilegiado para aprender a dirimir conflitos e exaltar a graça do convívio com a diferença. Desta maneira  os preconceitos podem ser combatidos.



Referências bibliográficas:



ARANHA, M. L. de A. Filosofia da educação. São Paulo: Moderna, 1989



ASSIS, M.D.P.; CANEN, A. Identidade Negra e espaço Educacional: vozes, histórias e  contribuições do multiculturalismo. Cadernos de Pesquisa, v.34, n.123, p. 709-724, set./dez.2004.



GONÇALVES E SILVA, P. B., Pesquisa e Luta por Reconhecimento e Cidadania. In: Abramowicz, A. & Silvério, V. R., Afirmando Diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade na escola. São Paulo: Papirus Editora, 2005, pp. 27 – 54.



 Waltari, Mika - "O Egípcio", Belo Horizonte, Ed. Itatiaia, 1969


Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 18 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/a-instituicao-de-ensino-e-o-preconceito-614379.html

    Palavras-chave do artigo:

    instituicao de ensono

    ,

    preconceito

    ,

    professor

    Comentar sobre o artigo

    Paulo Azze

    Explicações sobre a corrente elétrica alternada (CA), seus os componentes (ativos e reativos) e o seu cálculo de forma simplificada.

    Por: Paulo Azzel Educação> Ciêncial 15/09/2014
    Paulo Azze

    Aborda aspectos relacionados ao comprimento das resistências de chuveiros, atendendo uma dúvida de amigo sobre questões do ENAD.

    Por: Paulo Azzel Educação> Ciêncial 15/09/2014
    Ademar dos Santos Lima

    Este trabalho teve como objetivo o estudo e esclarecimento sobre o dilema da teoria social, por meio de pesquisas bibliográficas e documental, com base nos artigos científicos de Dalbosco (2010), Carvalho (2013), Lília (2009), Morigi (2004), Netto (2012 e Maia in Connell (2009).

    Por: Ademar dos Santos Limal Educação> Ciêncial 04/09/2014 lAcessos: 21
    Ademar dos Santos Lima

    Resumo O presente artigo teve como finalidade, efetuar uma análise acerca da Teoria das Representações Sociais (TRS) e possível aplicação desta no âmbito de pesquisas em educação. Tratou-se, portanto, de um texto especificamente teórico e de pesquisa qualitativa, o qual teve como embasamento teórico os textos em teoria das representações sociais de Prado e Azevedo (2011), Rateau et al (2012), Mazzotti (1994) e, a técnica de investigação empregada foi bibliográfica e documental. Palav

    Por: Ademar dos Santos Limal Educação> Ciêncial 04/09/2014
    Luddy Travassos

    Os indivíduos que sofreram lesão no Sistema Nervoso Central, que comprometeram os neurônios motores, na coordenação dos impulsos, demasias dos reflexos, espasmos, alterações da fala e conduções, também podem ser apercebidas pelos familiares do paciente através de alterações comportamentais cotidianas desde a sudorese, anestesia labial, tremor de mãos e pés, e qualquer anomalia derivada de distúrbios de estresses ou demais descargas de tensão.

    Por: Luddy Travassosl Educação> Ciêncial 31/08/2014

    Sugestões com técnicas de estudo e leitura. Texto destinado a estudantes do ensino médio. pode ser aproveitado por todo leitor

    Por: NERI P. CARNEIROl Educação> Ciêncial 10/08/2014

    Ensinar as crianças a ler, a escrever e a se expressar de maneira competente na língua portuguesa é o grande desafio dos professores das quatro primeiras séries do Ensino Fundamental. Existem mudanças importantes sendo realizadas: vários Estados estão remodelando seus currículos e investe-se mais na atualização dos professores.

    Por: Lecy Aparecida Martinsl Educação> Ciêncial 28/07/2014 lAcessos: 29
    Milene Macedo

    O mundo e os seres vivos não são constituídos por substâncias puras, no dia a dia a maioria dos sólidos, líquidos e gases aos quais se conhece são formados por misturas. Essas são constituídas por duas ou mais substâncias, e estão presentes no cotidiano de um laboratório e de indústrias. As misturas podem ser classificadas de diversas maneiras, por exemplo, como heterogêneas ou homogêneas. Muitas vezes os componentes de uma mistura são aplicáveis apenas quando separados.

    Por: Milene Macedol Educação> Ciêncial 15/07/2014 lAcessos: 38

    Estamos chegando aos nossos limites! Estamos a cada dia, mais e mais, cansados de tanta corrupção, de tanta falta de respeito e, portanto, de tanto descaso para com os valores éticos. O consumidor tem os olhos atentos e a tendência é que fiquem mais atentos ainda às empresas destituídas de ética.

    Por: Degmar Augusta da Silval Negócios> Gestãol 25/01/2009 lAcessos: 4,330 lComentário: 1

    Mas a questão aqui tratada não é sobre o que comprar ou não comprar para o natal...aqui queremos relembrar que o significado do natal é muito maior que presentes e se tivermos que presentear alguém, esse alguém é Jesus, entretanto podemos presentear Jesus e nossos irmãos ao mesmo tempo...podemos através de gestos ou atitudes alegrar corações, abrir sorrisos em rostos tristes, amparar os desamparados e devolver esperança aos que já não as tem.

    Por: Degmar Augusta da Silval Notícias & Sociedade> Cotidianol 17/12/2008 lAcessos: 405

    Embora nas últimas décadas os problemas ambientais tenham ganhando importância e grande espaço nas discussões políticas, necessário esclarecer que as primeiras preocupações com a qualidade do ar datam de longe, já na era pré-cristã, sendo tal fato devido ao uso do carvão como combustível, uma vez que as cidades dessa época apresentavam problemas relacionados à baixa qualidade do ar. Face do agravamento da situação nas cidades da era pré-cristã, no final do séc. XIII foram baixados os primeiros atos de controle de emissão de fumaça.

    Por: Degmar Augusta da Silval Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 05/12/2008 lAcessos: 13,750

    É bom ressaltar, que tais atitudes não devem se ater à épocas natalinas...onde todo cidadão enche o peito para dizer: eu ajudei a creche tal...eu comprei fraudas pro asilo fulano de tal...nós da empresa X promovemos uma arrecadação de alimentos. Que fique bem claro: Ser socialmente responsável não é nenhum favor prestado pela empresa e sim o complemento de um ciclo, uma vez que a empresa extrai da sociedade e do meio ambiente, recursos para sua produção.

    Por: Degmar Augusta da Silval Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 21/11/2008 lAcessos: 242

    A escola sendo um ambiente social interativo, necessita de atitudes que visem à formação de cidadãos com valores, de forma a respeitarem as pessoas e suas diferenças.

    Por: Degmar Augusta da Silval Educação> Ciêncial 29/10/2008 lAcessos: 39,844 lComentário: 10

    Poucas são as pessoas que passam por nossas vidas e nos amam pelo que somos e não pelo que temos, e raras são as que nos acompanham nos piores momentos... por serem tão raras deveríamos dar mais valor as que estão ou estiveram ao nosso lado, pois um dia elas nos farão falta...

    Por: Degmar Augusta da Silval Relacionamentos> Relações Amorosasl 24/10/2008 lAcessos: 265

    Uma educação sem fronteiras e que trabalhe no sentido de mitigar as diferenças existentes, não é tarefa fácil, requer preparo por parte do professor, uma vez que para lidar com as adversidades é necessário compreender como elas se manifestam e em que contexto. Entretanto o professor que acolhe seus alunos, sendo um professor reflexivo que percebe e respeita as diferenças de cada um, constrói um ambiente de igualdade, sem fronteiras e propicia uma segurança que refletirá em um melhor e maior aprendizado.

    Por: Degmar Augusta da Silval Educação> Ciêncial 23/10/2008 lAcessos: 10,731

    A proposta de uma educação voltada para a diversidade coloca aos educadores o grande desafio de estarem atentos às diferenças econômicas, sociais e raciais e ainda e buscarem o domínio de um saber crítico que permita interpretá-las.

    Por: Degmar Augusta da Silval Educação> Ciêncial 23/10/2008 lAcessos: 3,633
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast