A PRODUÇÃO DE MODELOS DE ESTUDO PARA AULAS DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA NO ENSINO DE PALEONTOLOGIA COMO FACILITADORES DE APRENDIZAGEM

Publicado em: 13/11/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 494 |

     INTRODUÇÃO: Os temas Geologia ou Paleontologia(estudo de fósseis vegetais e animais), fazem parte da grade curricular de Ciências e Biologia. Transmitir informação aos alunos apenas com contéúdo teórico, torna-se muitas vezes uma missão com baixo rendimento, uma vez que nem sempre ocorre a perfeita compreensão sobre o assunto por parte dos alunos. A geologia é a área da ciência que estuda a Terra, os materiais nela presentes, suas características e sua evolução ao longo dos 4,6bilhões de anos de existência, enquanto que a paleontologia estuda os restos de organismos que viveram no passado distante, conservados em argilitos (rochas formadas por argila dura, consolidada) ou outro tipo de rocha.

     Aprender Geociências, está atualmente além do simples conhecimento das estruturas do Sistema Terra, das formas do relevo e dos rios. É bem mais do que estudar Geologia e pesquisar jazidas minerais. É mais do que aprender a classificar rochas, minerais e fósseis, além de saber seus nomes e variedades. Envolve a capacidade de raciocinar sobre tudo que já aconteceu na Terra e o que virá como também suas implicações para as sociedades de hoje e as que ainda virão ( ROSA et al, 2009).

     O uso de modelos facilita a compreensão dos processos naturais que ocorreram na Terra no passado distante, leva o conhecimento do campo abstrato para o prático e permite melhor visualização e consequêntemente um melhor aprendizado. Os modelos são utilizados em vários campos da ciência, seja na medicina, enfermagem, educação física, odontologia. Seja qual for a ciência estudada, os modelos estão sempre presentes ilustrando as aulas e no caso da biologia não poderia ser diferente.

     O ensino de ciência e biologia enfrenta dificuldades e desafios que inclui o desenvolvimento de uma metodologia diferente para lidar com um conhecimento especializado e com a produção de conhecimentos que são necessários a sociedade (VIEIRA et al, 2009).

      Neste sentido, as aulas práticas aliadas a pesquisas podem favorecer o ensino e a formação de conhecimento.

OBJETIVOS:

     Obtenção de modelos físicos, imitando fósseis vegetais ou animais, facilitadores no processo de aprendizado dos assuntos relacionados a geologia, paleontologia e demais assuntos relacionados a história do planeta Terra e dos processos pelos quais o planeta passou no decorrer dos últimos 200 Ma ( milhões de anos passados).

MATERIAIS E MÉTODOS:

      A proposta deste trabalho foi a de produzir de forma artesanal, modelos fósseis que permitissem que conhecimentos relacionados a paleontologia chegassem aos alunos de forma facilitada e que a construção destes elementos de ensino, possibilitassem imitar a formação de um fóssil, seja ele vegetal ou animal, como aconteceu no passado a centenas de milhões de anos.

itens utilizados na produção dos modelos:

10 folhas Hibisco de tamanho aproximado de 6cm x 4 cm, Peixe com 350gr. aproximadamente, 10kg de areia média ou fina(comum), 3,5 kg de cimento portland (comum), água suficiente para obtenção de massa com consistência pastosa. Forma de madeira com medidas 15cmx25cmx12cm.

MÉTODO:

A construção dos modelos obedeceram a seguinte sequência:

a)Mistura da areia com cimento na proporção de 4 x 1(4 porções de areia para 1 de cimento)

b)Colocação de água até obtenção de massa com consistência pastosa

c)Colocação da massa na forma de madeira, até altura de 5cm.

d)Acomodação do material a ser fossilizado (peixe ou folhas) no centro da forma

e)Cobertura do material a ser fossilizado com mais 5cm de massa

f) Após 5 dias, retirado da forma e deixado a secar em sol pleno

g)Após 9 meses ou 270 dias corridos, com o auxilio de uma talhadeira, foi quebrado ao meio no sentido longitudinal. (O período necessário para abertura do modelo poderá ser maior dependendo do material a ser fossilizado ou da disponibilidade de sol pleno (secagem).

h)Retirado pequenos fragmentos com o uso de um pincel e passado duas demãos de verniz incolor.

i) Levado a sol pleno para secagem

j) Acondicionamento em caixa plastica ou de madeira para conservação dos modelos.

RESULTADOS E DISCUSSÃO:

     Um fóssil verdadeiro, leva muitas vezes milhões de anos para se formar e é claro que não é possível em período inferior a 1 ano confeccionar algo igual em todos os sentidos. No entanto a produção de modelos permite resultados razoáveis e facilita a compreensão, permitindo ainda que o material produzido seja conservado para aulas posteriores evitando assim o uso de fósseis verdadeiros que geralmente apresentam um custo elevado e por isso normalmente ficam  sempre guardados impedindo o contato direto por parte dos alunos. O processo de mineralização que ocorre nos fósseis verdadeiros, não acontece na produção do modelo, no entanto as peças do organismo fossilizado, ficam presas após a aplicação de verniz ou então com a ajuda de cola branca, caso se torne necessário. Durante a produção dos modelos, foi possível observar grande interesse e curiosidade por parte dos alunos em todos os momentos da produção dos modelos. O período de cura(endurecimento) e formação das peças foi acompanhado com ansiedade, permitindo em diversos momentos a introdução de novas informações relacionadas ao tempo em que naturalmente os fósseis se formam. Assim, mostrou-se viável a produção constante destes artefatos a serem utilizados em aula no ensino da paleontologia e diversos outros segmentos da ciência da natureza por um custo relativamente baixo.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ROSA, T.P.; et al. Aprendendo Geologia na Escola: Propostas de Materiais Didáticos. 2009. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul-UNIJUI.

VIEIRA, J.A.; et al. Ensino com pesquisas nas aulas de ciências e biologia: Algumas exigências. 2009. Universidade de Chapecó-UNOCHAPECÓ

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/a-producao-de-modelos-de-estudo-para-aulas-de-ciencias-e-biologia-no-ensino-de-paleontologia-como-facilitadores-de-aprendizagem-3663236.html

    Palavras-chave do artigo:

    paleontologia

    ,

    fosseis

    ,

    modelos

    Comentar sobre o artigo

    Este trabalho tentará mostrar como o evolucionismo e o criacionismo é exposto nas escolas de cunho religioso, para isto uma pesquisa foi realizada em algumas escolas de cunho religioso, para isto uma pesquisa foi realizada em vários colégios religiosos no município de Manaus – AM. Aqui serão apresentados além da historia das duas teorias, as entrevistas com discentes e docentes e o resultado destes que mostrarão dados que implicarão na dificuldade ou não o processo ensino aprendizagem na educaçã

    Por: Francisco Augusto Tavaresl Educação> Ciêncial 17/06/2012 lAcessos: 519

    O presente texto fala sobre as diferentes classes de escolarização, assim como as dificuldades de ensinos, de aprendizados e as mudanças ao longo do tempo que a educação no país está sofrendo; também fala sobre as reformulações necessárias para melhorias no campo da educação, e desvalorização financeira e social do magistério.

    Por: Reginaldo Posol Educação> Ciêncial 16/12/2014

    o presente trabalho relata sobre a falta de etica em laboratorios de hospitais publico

    Por: perolal Educação> Ciêncial 11/12/2014

    O projeto surgiu da necessidade de entendermos melhor sobre a cultura indígena Paresi. Em língua Portuguesa foram trabalhados durante o ano letivo os clássicos da literatura brasileira do autor José de Alencar. Os livros foram Iracema, O Guarani e Ubirajara Em geografia foram trabalhados os impacto que houve na cultura com a globalização . Envolvemos os alunos do 3º G para visitarmos a aldeia Paresi e pudemos constatar as mudanças que houve ao logo dos anos.

    Por: Sortineide Navarro Segural Educação> Ciêncial 05/12/2014

    Espera-se que este projeto possa contribuir para formação de cidadãos mais conscientes, e esperando que todos os segmentos sociais, governo, escola e comunidade possam empenhar na modificação de modelos sociais para que um homem novo possa emergir, mais autentico e integrado com os valores sociais.

    Por: SUELY CARDOSO FURLANl Educação> Ciêncial 03/12/2014 lAcessos: 12
    Andréia Camargo Fleck

    O artigo visa apresentar um breve relato sobre a realização da IV mostra de Ciência e Tecnologia realizada na Escola Estadual João Nepomuceno de Medeiros Mallet no município de nova xavantina – MT, onde foram oferecidos aos alunos palestras e oficinas com o Tema: Ser Humano, Ciência e Tecnologia para o desenvolvimento social, os trabalhos foram confeccionados pelos alunos de acordo com a oficina escolhida e apresentados numa exposição no dia 19 de novembro de 2014. Andreia Camargo Fleck

    Por: Andréia Camargo Fleckl Educação> Ciêncial 29/11/2014
    Teresa Coutinho

    A palavra tempo pode referir-se a um período do definido com maior ou menor precisão, desde pouco tempo, que significa de breve duração, até o tempo dos faraós, que foi há três mil anos; pode igualmente designar uma duração contínua indefinida, tal como está expresso nos dicionários, no âmbito de qual todos os acontecimentos tiveram lugar, estão a ter lugar e irão ter lugar.

    Por: Teresa Coutinhol Educação> Ciêncial 29/11/2014
    Eros Bazan

    Promover a interdisciplinaridade e a busca e troca de conhecimentos entre participantes da Feira no sentido de estimular o interesse pelo estudo das Ciências, da Cultura e das Artes; Incentivar a participação e a construção de em eventos de natureza cientifica; Motivar e envolver todos os alunos na realização de métodos experimentais e busca de respostas de todos os fenômenos naturais; Envolver os estudantes em atividades participativas, de natureza conceitual, reflexiva e prática.

    Por: Eros Bazanl Educação> Ciêncial 25/11/2014

    Por um longo tempo, as ciências formaram uma grande unidade conhecida como filosofia Natural. Praticamente qualquer atividade desenvolvida no mundo atual envolve uma inter-relação entre as várias ciências e foi pensando nisso que o presente trabalho foi proposto para alguns alunos do 1° ano do ensino médio inovador, visando uma relação entre a física e a Biologia "Biofísica" .

    Por: anacleil Educação> Ciêncial 17/11/2014 lAcessos: 19

    O Rio Aricanduva é um importante afluente do Rio Tietê e serve para transportar a água da chuva e esgoto produzidos por milhares de casas da região. No passado, este rio como tantos outros, foi limpo com peixes e responsável pela fauna e flora existente naquela localidade. Hoje poluído e fonte de problemas como enchentes e alagamentos, se transformou em um problema grave para quem mora ou transita em suas marginais.

    Por: Carlos Humberto Biagolinil Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 05/11/2012 lAcessos: 378

    A Formação Rio Claro, aflorante no município de mesmo nome, tem importante papel na indústria cerâmica da região, localizada no interior do Estado de São Paulo. Além de fonte de argila para a indústria, esta formação geológica é também fonte de registros fossilíferos, principalmente no campo da paleobotânica e por isso conhecer em detalhes as características destes minerais ajuda na compreensão do processo de formação destes depósitos de sedimentos.

    Por: Carlos Humberto Biagolinil Ciências> Químical 30/01/2012 lAcessos: 98

    Diversas Águas-Vivas, estão sendo encontradas em praias do litoral sul de São Paulo e associados a elas, caranguejos-aranha conhecidos pelo nome científico de Libínia ferreirae. A causa da morte dos dois organismos associados ainda é desconhecida e requer maiores estudos, no entanto há a possibilidade da mortandade estar associada com a baixa temperatura da água que nos meses de junho e julho de 2011, atingiram nível muito baixos, incompatíveis com o ambiente de vida das Águas-Vivas.

    Por: Carlos Humberto Biagolinil Educação> Ciêncial 06/08/2011 lAcessos: 241

    A Formação Rio Claro em Rio Claro, município de S.Paulo, é uma importante Formação do período Neógeno, com várias fácies que contam a história geológica de uma boa parte do interior de S.Paulo. Nas camadas argilosas encontramos fitofósseis que ajudam a entender as ocorrencias geológicas do Neógeno. Muitos autores produziram diversos trabalhos sobre a região. Cada um acrescentando novas informações a respeito. Este trabalho propõe um levantamento das principais produções sobre esta Formação.

    Por: Carlos Humberto Biagolinil Ciências> Biologial 22/01/2011 lAcessos: 206

    A construção de terrários, proporciona ao professor de ciências, biologia ou geografia, a possibilidade de ensinar de forma prática e funcional diversos conceitos destas matérias. Permite inclusive o acompanhamento gradual das modificações pelas qual o terrário irá passar.

    Por: Carlos Humberto Biagolinil Educação> Ciêncial 05/11/2010 lAcessos: 4,745 lComentário: 1

    O Brasil é rico na diversidade biológica, porém com a exploração dos recursos naturais e principalmente da vegetação ocorrida desde o descobrimento, muitas plantas, principalmente as epífitas, tiveram drástica redução do número de exemplares nas matas brasileiras, além da inserção de plantas exóticas em nossos ecossistemas. Este trabalho propõe o replantio de uma das plantas afetadas pela retirada ilegal. A orquídea Chuva de Ouro que pode ser plantada em caules de árvores nativas ou exóticas.

    Por: Carlos Humberto Biagolinil Ciências> Biologial 02/10/2010 lAcessos: 923

    A musicalização contribui com a construção de conhecimentos e das múltiplas inteligências do indivíduo. A música não pode ser privilégio de poucos, mas de forma democrática deve chegar a todos, independente de classe social. A música proporciona ao aluno análise crítica e senso reflexivo de diversas opiniões, situações, formas e costumes de diversos povos, regiões e religiões e pode ser usada na construção de conhecimentos. Este trabalho propõe o uso e pesquisa com professores o uso do recurso.

    Por: Carlos Humberto Biagolinil Educação> Educação Infantill 14/08/2010 lAcessos: 3,962
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast