A TEORIA DA HIERARQUIA DAS NECESSIDADES DE MASLOW E O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

Publicado em: 03/11/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 5,785 |

INTRODUÇÃO

A teoria de hierarquia das necessidades de Maslow é uma das mais importantes no campo motivacional. Ela busca explicar o que motiva os indivíduos a partir da análise de cada necessidade existente.

A preocupação com as questões motivacionais também foi enfoque do trabalho de Taylor em seus trabalhos sobre a Administração científica, porém ele apenas observou uma das vertentes que motiva os indivíduos, no caso de seus estudos, a questão financeira.

Maslow foi mais adiante, entendendo as necessidades dos indivíduos como a essência de suas vidas. Ele buscou entender a situação da vida das pessoas como um todo e com isso conseguiu confirmar a sua teoria, entendida tempos depois como humanista, por aproximar-se muito mais da teoria cognitiva do que a do condicionamento.

No campo da educação, pode-se observar que há inúmeras aplicabilidades e material de trabalho dessa teoria para melhorar o processo de ensino-aprendizagem.

O objetivo deste artigo é descrever a teoria das necessidades, buscando destacar a contribuição que ela pode fornecer a educação.


ABORDAGENS INICIAIS

Biografia : Abraham Maslow - Pai da Psicologia Humanista

Filho de Judeus semi-analfabetos nasceu em 1908. Seus pais desde cedo exigiram muito dele nos estudos para que ele tivesse um futuro diferente do deles. Essa exigência o tornou muito solitário, o que o fez companheiro dos livros.

Estudou Direito, mas posteriormente interessou-se pela Psicologia, área em que seus trabalhos foram mais notáveis. Trabalhou com Harry Harlow em seus experimentos com macacos de calda pequena, onde estudavam aspectos comportamentais.

Foi bacharel, mestre e doutor em Psicologia pela universidade de Wiscosin. Interessou-se em estudar a sexualidade humana e posteriormente passou a ensina em tempo integral na universidade do Brooklin. Teve contato com vários intelectuais das teorias da Gestalt e Freudiana.

Em 1951, tornou-se catedrático do departamento de psicologia em Bradéis. Lá ele conheceu outros teóricos e onde iniciou sua cruzada por uma psicologia humanística, sendo esta o que ele achava mais importante do que todo o seu trabalho teórico.


Aspectos Fundamentais da Teoria

A teoria de Maslow buscava compreender e explicar as necesidades e o comportamento humano, sendo que esse comportamento é composto por necessidades. Algumas fundamentais para a sobrevivência, as fisiológicas e biológicas, como fome, sede e o sono, respiração.

Porém a satisfação de uma necessidade sempre traz uma outra, ou seja, quando se satisfaz as necessidades fisiológicas, surgem outras, como por exemplo a autoestima. Atendida essa, surge então a necessidade de segurança, e assim por diante.

Para Maslow, as necessidades são motivadas e motivadoras, as quais ele considera coms psicofísica, pois buscam um equilíbrio hemostático do organismo.

Ele afirma ainda que ‘'se todas as necessidades estão insatisfeitas e o organismo é dominado pelas necessidades fisiológicas, quaisquer outras tornam-se inexistentes ou latentes".

Há também a necessidade de auto-realização, pois uma pessoa que não está satisfeita com o impulso da auto-realização, não consegue alcançar seus objetivos.

A teoria de Maslow é conhecida com uma das mais importantes dentro da área motivação. Para ele, as necessidades dos seres humanos obedecem a uma hierarquia, ou seja, uma escala de valores a serem transpostos. Ele explica ainda que a motivação seja explicada pelas necessidades humanas, sendo que os estímulos levam os indivíduos à ação. Nesse caso, pode ser externo ou interno. Isso nos dá idéia de ciclo motivacional.

Quando o ciclo motivacional não se realiza, sobrevém a frustração do indivíduo que poderá assumir várias atitudes. Mas isso não significa que o indivíduo permanecerá eternamente frustrado. Como a motivação é um estado cíclico e constante na vida pessoal de cada ser, de alguma maneira a necessidade será transferida ou compensada.

O trabalho de Maslow foi também abordado por Taylor, quando enunciava os princípios da administração científica. A diferença entre ambos é que Taylor somente enxergou as necessidades básicas, enquanto Maslow percebeu que o indivíduo não sente exclusivamente necessidade financeira, como afirmava Taylor em seus métodos motivacionais.

Diante de seus estudos, Maslow criou uma pirâmide, em cuja base estão às necessidades mais baixas (necessidades fisiológicas) e no topo, as necessidades mais elevadas (necessidades de auto realização). Assim, houve uma hierarquização das necessidades, como se segue:

Na base temos as necessidades fisiológicas, sendo as mais importantes: oxigênio, liquido, alimento e descanso. Um individuo com insatisfação dessas necessidades, comporta-se como um animal em luta pela sobrevivência. A satisfação das necessidades fisiológicas é condição indispensável a satisfação das de ordem superior.

Logo acima temos as necessidades de segurança, manifestada pelo comportamento de evitar o perigo diante de situações estranhas e não familiares. É essa necessidade que leva o organismo a agir rapidamente em situações de emergência.

Mais acima, temos a necessidade de amor e participação, expressa pelo desejo que todos tem de se relacionarem afetivamente com os outros, de pertencerem a um grupo. A vida social explica a maior parte dos nossos comportamentos.

Depois temos a necessidade de estima que nos leva a procurar a valorização e o reconhecimento por parte dos outros. Quando essa necessidade é satisfeita, sentimos confiança em nossas realizações. O sucesso de um aluno na escola depende muitas vezes da confiança que ele tem em si mesmo. Esse é talvez um dos grandes problemas que afetam a educação.

A necessidade de realização expressa os objetivos e projetos que sempre temos. Denota a nossa capacidade de transformá-los em realidade. Trata-se daquilo que nos faz sentir realizado ao tornar realidade.

As necessidades de conhecimento e compreensão abrangem a curiosidade, a exploração e o desejo de conhecer novas coisas. Essa necessidade é importante colaboradora no ambiente escolar.

E por fim, temos a necessidades estéticas que estão presentes em muitos indivíduos que buscam incessantemente a beleza. Um fator que motiva essa necessidade provavelmente origina-se do grupo para o indivíduo.

Na teoria humanista de Maslow, da hierarquia das necessidades, é fundamental que se observe que as necessidades do topo apenas se manifestam quando as da base são satisfeitas.


CONTRIBUIÇÃO DA TEORIA DA HIERARQUIA DAS NECESSIDADES PARA A APRENDIZAGEM

A teoria contribui a medida que explica a importância do ciclo motivacional, pois quando esse não existe no ambiente escolar, causa desde comportamento ilógico até passividade e não colaboração por parte do aluno.

É preciso que o aluno esteja com as necessidades mais baixas, as chamadas fisiológicas, plenamente satisfeitas para que a aprendizagem possa ocorrer, pois caso contrário, o aluno não conseguirá se dedicar ao estudo.

Outro ponto que essa teoria trouxe é a necessidade de uma vida social, em grupo. Observa-se que alunos com essa necessidade insatisfeita têm mais problemas no processo de aprendizagem e frequentemente sentem-se excluídos.

A necessidade de estima é relevante, porque o sucesso ou fracasso do aluno depende muito de sua estima em sala de aula. O problema é que ela está diretamente associada a confiança e estima que os pais, demais alunos e até professores depositam nele.

Quanto a realização e a busca pelo conhecimento, essa tem forte atuação em sala de aula e pode ser utilizada em benefício da aprendizagem, Porem, é preciso que o professor esteja atento as essas necessidades para poder tirar o máximo proveito do que cada aluno tem a oferecer, retroalimentando o ciclo motivacional nesses dois aspectos.

A teoria de Maslow tem muito a oferecer no processo de ensino-aprendizagem, porque enxerga o indivíduo com todas as suas nuances, ou seja, holisticamente, enfatizando as suas necessidades de uma forma geral. É importante lembrar que o professor, como sujeito desse processo, também tem suas necessidades a serem satisfeitas de acordo , tornando o processo bilateral como ele deve ser, para que os resultados sejam mais eficazes.

Ocorre que infelizmente, as políticas educacionais atuais não conseguem atender as necessidades de alunos e professores, acarretando o quadro atual que vemos nas escolas : alunos dispersos e professores desmotivados.


CONCLUSÃO

A teoria da hierarquia das necessidades parece ter uma plausibilidade direta, pessoal e subjetiva na vida das pessoas, pois se trata de uma abordagem humanística, que fala da essência da vida de cada indivíduo.
Maslow defende que ela atua diretamente no comportamento motivacional, entendendo a motivação, como resultado dos estímulos que agem com força sobre os indivíduos.

Como vimos, ele apresentou uma hierarquização das necessidades, em forma de pirâmide, que vai desde as fisiológicas até as estéticas.
Trazendo para o ambiente escolar, percebemos que ela pode explicar vários comportamentos dos alunos, principalmente a falta de desinteresse e dificuldade na aprendizagem.

A partir da teoria, podemos compreender que se o aluno não está conseguindo aprender, é provável que sua dificuldade seja proveniente da não-satisfação de alguma ou de várias das necessidades que antecedem, na hierarquia, a necessidade do conhecimento.

O aluno pode ter dificuldade em aprender por estar com fome, cansado, inseguro, por sentir frustrado, inferiorizado, entre outros. Dessa forma, há um longo caminho a percorrer antes que o professor possa entender porque um, vários ou todos os alunos tem dificuldades em entender o que ele está tentando ensinar.

Do outro lado, temos também professores com suas necessidades que podem não estarem sendo satisfeitas, e ele estar rendendo menos do que poderia. Nesse caso, torna-se um problema mais crítico, porque o professor é um instrumento maior da educação.

Infelizmente, devido a precariedade de políticas públicas de educação, há sempre uma lacuna que não consegue ser preenchida, seja por qual for a teoria. É preciso que antes, haja a prática do Estado enquanto responsável pela educação de seu país.


REFERENCIAS

CHIAVENATO, I. Teoria Geral da Administração, Vol 2. Atlas. São Paulo; 2006

PISANDELI,Glória Maria V. L. A Teoria de Maslow e o Fracasso Escolar. Disponivel em < http://www.portaldapsique.com.br/Artigos/Teoria_de_Maslow_e_o_Fracasso_Escolar.htm>

RODRIGUES, Cláudia, DA SILVA, Walmir R. Motivação nas Organizações. Atlas. São Paulo: 2007.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/a-teoria-da-hierarquia-das-necessidades-de-maslow-e-o-processo-de-ensino-aprendizagem-3603225.html

    Palavras-chave do artigo:

    motivacao educacao necessidades maslow taylor aluno professor hierarquia incentivos satisfacao

    Comentar sobre o artigo

    O presente texto fala sobre as diferentes classes de escolarização, assim como as dificuldades de ensinos, de aprendizados e as mudanças ao longo do tempo que a educação no país está sofrendo; também fala sobre as reformulações necessárias para melhorias no campo da educação, e desvalorização financeira e social do magistério.

    Por: Reginaldo Posol Educação> Ciêncial 16/12/2014

    o presente trabalho relata sobre a falta de etica em laboratorios de hospitais publico

    Por: perolal Educação> Ciêncial 11/12/2014

    O projeto surgiu da necessidade de entendermos melhor sobre a cultura indígena Paresi. Em língua Portuguesa foram trabalhados durante o ano letivo os clássicos da literatura brasileira do autor José de Alencar. Os livros foram Iracema, O Guarani e Ubirajara Em geografia foram trabalhados os impacto que houve na cultura com a globalização . Envolvemos os alunos do 3º G para visitarmos a aldeia Paresi e pudemos constatar as mudanças que houve ao logo dos anos.

    Por: Sortineide Navarro Segural Educação> Ciêncial 05/12/2014

    Espera-se que este projeto possa contribuir para formação de cidadãos mais conscientes, e esperando que todos os segmentos sociais, governo, escola e comunidade possam empenhar na modificação de modelos sociais para que um homem novo possa emergir, mais autentico e integrado com os valores sociais.

    Por: SUELY CARDOSO FURLANl Educação> Ciêncial 03/12/2014 lAcessos: 12
    Andréia Camargo Fleck

    O artigo visa apresentar um breve relato sobre a realização da IV mostra de Ciência e Tecnologia realizada na Escola Estadual João Nepomuceno de Medeiros Mallet no município de nova xavantina – MT, onde foram oferecidos aos alunos palestras e oficinas com o Tema: Ser Humano, Ciência e Tecnologia para o desenvolvimento social, os trabalhos foram confeccionados pelos alunos de acordo com a oficina escolhida e apresentados numa exposição no dia 19 de novembro de 2014. Andreia Camargo Fleck

    Por: Andréia Camargo Fleckl Educação> Ciêncial 29/11/2014
    Teresa Coutinho

    A palavra tempo pode referir-se a um período do definido com maior ou menor precisão, desde pouco tempo, que significa de breve duração, até o tempo dos faraós, que foi há três mil anos; pode igualmente designar uma duração contínua indefinida, tal como está expresso nos dicionários, no âmbito de qual todos os acontecimentos tiveram lugar, estão a ter lugar e irão ter lugar.

    Por: Teresa Coutinhol Educação> Ciêncial 29/11/2014
    Eros Bazan

    Promover a interdisciplinaridade e a busca e troca de conhecimentos entre participantes da Feira no sentido de estimular o interesse pelo estudo das Ciências, da Cultura e das Artes; Incentivar a participação e a construção de em eventos de natureza cientifica; Motivar e envolver todos os alunos na realização de métodos experimentais e busca de respostas de todos os fenômenos naturais; Envolver os estudantes em atividades participativas, de natureza conceitual, reflexiva e prática.

    Por: Eros Bazanl Educação> Ciêncial 25/11/2014

    Por um longo tempo, as ciências formaram uma grande unidade conhecida como filosofia Natural. Praticamente qualquer atividade desenvolvida no mundo atual envolve uma inter-relação entre as várias ciências e foi pensando nisso que o presente trabalho foi proposto para alguns alunos do 1° ano do ensino médio inovador, visando uma relação entre a física e a Biologia "Biofísica" .

    Por: anacleil Educação> Ciêncial 17/11/2014 lAcessos: 19
    Hamilton Felix Nobrega

    Métodos de análise servem para fornecer dados analíticos de alta qualidade que sejam confiáveis e adequados. Podem ser de dois tipos: métodos convencionais e métodos instrumentais.

    Por: Hamilton Felix Nobregal Ciências> Biologial 03/09/2014 lAcessos: 104
    Hamilton Felix Nobrega

    Os pesticidas, também conhecidos por agrotóxicos, são substâncias que devido as suas propriedades químicas, possuem efeitos letais para determinados seres vivos, inclusive o homem. São utilizadas desde o início da civilização humana. Inicialmente lançou-se mão de compostos a base de elementos químicos como enxofre e arsênio. Posteriormente, extratos vegetais, como o sulfato de nicotina. A utilização dos pesticidas cresceu durante a 2º guerra mundial e não parou mais.

    Por: Hamilton Felix Nobregal Ciências> Químical 09/05/2014 lAcessos: 78
    Hamilton Felix Nobrega

    Cansei da desvalorização do professor, que resulta em uma educação pífia e medíocre, que mantem o povo eternamente néscio para a felicidade dos políticos e grandes empresas que lucram sobre a falta de discernimento das pessoas.

    Por: Hamilton Felix Nobregal Notícias & Sociedade> Polítical 22/04/2014 lAcessos: 23
    Hamilton Felix Nobrega

    Houve um tempo em que as pessoas se preocupavam em manter a discrição sobre suas vidas e ao direito de guardar segredos. Ninguém sabia o que você fazia, onde você estava, o que estava comendo. Ninguém sabia sequer, a hora que você dormia. Quando as pessoas estavam doentes procuravam médicos, quando estavam tristes procuravam o acalento dos amigos pessoalmente, e assim por diante. As pessoas viviam somente as suas vidas...

    Por: Hamilton Felix Nobregal Notícias & Sociedade> Cotidianol 21/04/2014 lAcessos: 29
    Hamilton Felix Nobrega

    Em 2013, uma parte significativa da população brasileira foi às ruas manifestar sua insatisfação com a situação do país. Tudo começou com a questão do aumento de passagens e culminou com a explosão de todos os problemas econômicos e sociais do Brasil. Houve até o jargão: " O gigante acordou! " Mas isso não é verdade. Nada mudou. O governo fez que ouviu as vozes das ruas e ludibriou o povo, que calou. E todos os problemas desse país continuam a todo vapor!

    Por: Hamilton Felix Nobregal Notícias & Sociedade> Polítical 02/04/2014
    Hamilton Felix Nobrega

    Utilidade é um território muito perigoso. É certo que realiza, humanamente falando. Mas às vezes, acreditamos que o outro gosta de nós, e isso nem sempre é verdade. Ele pode apenas estar interessado naquilo que fazemos por ele.

    Por: Hamilton Felix Nobregal Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 15/02/2014 lAcessos: 31
    Hamilton Felix Nobrega

    Já se passou o tempo em que apenas pagar um bom salário para manter aquele bom funcionário que faz tudo com acerto, ponderado e contribui para a empresa, era o suficiente. Não por acaso, muitas organizações estão desenvolvendo e aplicando planos de carreiras, que inclui, plano de cargos e salários como parte integrante do programa.

    Por: Hamilton Felix Nobregal Negócios> Administraçãol 14/02/2014 lAcessos: 43
    Hamilton Felix Nobrega

    Com muita freqüência, surge na minha cabeça a seguinte indagação: "O que cada um de nós está fazendo neste planeta?" Não creio que viver seja apenas o que todos falam: "Aproveite cada segundo ao máximo." Se for apenas isso, é algo sem muito sentido. Creio que nossa vinda e estadia na Terra tenham dois principais motivos: Aprender a amar e, consequentemente, evoluir espiritualmente.

    Por: Hamilton Felix Nobregal Religião & Esoterismo> Meditaçãol 02/01/2014 lAcessos: 39

    Comments on this article

    1
    mauricio 13/02/2011
    www.memte-milionaria.com conheça 3 segredos que mudará a sua vida financeira !
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast