Circuito comutador com duas lâmpadas

Publicado em: 25/08/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 298 |

Dando seguimento ao estudo do circuito de lanterna, vamos nesta mini-aula complicar um pouco as coisas, estudando um circuito em que em vez de uma lâmpada, terá duas lâmpadas que poderá ligar alternadamente com um comutador. Qual a diferença entre um comutador e um interruptor?

Um circuito deste tipo, chama-se circuito comutador. Dá-se esta designação já que é possível comutar entre uma coisa e outra. Neste caso, podemos comutar entre ligar a lâmpada vermelha ou a lâmpada verde.

Num circuito em que existe um interruptor (e não um comutador), como é o exemplo do circuito de lanterna estudado na última aula, interrompe-se, ou não se interrompe, a corrente que vai para determinado dispositivo, naquele caso, uma lâmpada (a lâmpada apaga quando se interrompe a corrente e a lâmpada acende quando não se interrompe e se deixa circular a corrente).

As aplicações para um circuito comutador são várias, como por exemplo, assinalar se um aparelho se encontra desligado (luz vermelha) ou ligado (luz verde).

Esquema do circuito de uma lanterna com interruptor abertoEsquema 1- Circuito de LanternaEsquema de um circuito comutador com duas lâmpadas

Esquema 2 – Circuito comutador

(Poderá consultar a aula sobre Simbologia electrónica, afim de ser auxiliado no significado de cada símbolo dos esquemas)

Comparando os dois circuitos, o circuito de lanterna do esquema 1 e o circuito que estamos a estudar, o circuito comutador do esquema 2, constatamos duas diferenças:

  • No circuito de lanterna temos uma lâmpada e no circuito comutador, temos duas.
  • No circuito de lanterna temos um interruptor, enquanto no circuito comutador existe um comutador. São semelhantes, mas diferem, na medida em que um comutador permite comutar (ou trocar) a passagem de corrente de um circuito para outro, ou neste caso, da lâmpada vermelha para a lâmpada verde, e vice-versa, mas nunca para as duas ao mesmo tempo.

Há que relembrar que, tal como no circuito de lanterna, que a tensão da lâmpada vermelha e da verde, terá que ser sempre igual ou superior à tensão da pilha, para as proteger de sobrecarga e de ficarem inutilizadas (fundidas).

Tal como se estudou o interruptor, nas aulas de simbologia electrónica e do circuito de lanterna e foi possível saber mais sobre a sua função e simbologia, verifiquemos agora a símbologia do comutador, que se assemelha bastante à do interruptor:

Esquema 3:
Símbolo do comutador, nas duas posições que pode tomar – passando a corrente de A para B (na primeira imagem) e passando a corrente de A para C (na segunda imagem)
Circuito comutador na Posição B

Como se pode verificar no esquema 3, nas duas imagens, este comutador pode assumir duas posições. No terminal A é feita a entrada de corrente, sendo os terminais B e C os terminais de saída da corrente.

No primeiro esquema a corrente passa de A para B (ficando C sem corrente), enquanto que no segundo esquema a corrente passa de A para C (ficando B sem corrente).Circuito-Comutador-com-duas-lampadas-comutador-posicao-C

O circuito comutador, apresentado nesta aula, tem o inconveniente de estar sempre ligado, estando sempre alguma das lâmpadas acesas. Por essa razão, não será complicado, conciliar o circuito de lanterna e este circuito comutador, para podermos desligar o circuito, algo que será estudado numa próxima aula.

 

Esta e outras aulas disponíveis no nosso site Tecnologia do Globo

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/circuito-comutador-com-duas-lampadas-5161427.html

    Palavras-chave do artigo:

    circuito

    ,

    circuito comutador

    ,

    comutador

    Comentar sobre o artigo

    Ricardo Miguel

    Nesta aula, vamos estudar o que é um circuito aberto e o que é um circuito fechado, eléctrica ou electronicamente falando.

    Por: Ricardo Miguell Educação> Ciêncial 26/08/2011 lAcessos: 2,405

    Principais topologias com a sua descrição, anel, estrela e barramento

    Por: Bruno Celio Simomural Tecnologia> TIl 24/06/2009 lAcessos: 7,944 lComentário: 4
    Artur Livônio

    Detalhamento dos vários períodos históricos educacionais, evidenciando suas características e influências. Como a época em que os Jesuítas chegaram no Brasil e o que vieram fazer aqui, até os dias atuais. Com ênfase nas tantas críticas que o escritor, Dermeval Saviani, fez sobre cada período pedagógico da história educacional brasileira.

    Por: Artur Livôniol Educação> Ciêncial 24/03/2015 lAcessos: 20
    Fernando Corrêa manarim

    Analisando a Lenda de Sessa fica claro que o xadrez foi criado principalmente como instrumento para auxiliar os praticantes a encontrar respostas para seus dilemas existenciais, dúvidas, angústias, confirmações, etc. Enfim que a competição é apenas um reflexo do que ocorre em nossas vidas, sempre muito competitiva e de difícil conquistas.

    Por: Fernando Corrêa manariml Educação> Ciêncial 19/03/2015
    Benedicto Ismael Camargo Dutra

    Ultimamente, o uso cada vez mais intenso do cérebro frontal, e o seu correspondente fortalecimento, tem levado à desativação progressiva da parte emocional do cérebro que é receptora dos lampejos intuitivos captados pelo cerebelo.

    Por: Benedicto Ismael Camargo Dutral Educação> Ciêncial 13/03/2015

    Este artigo aborda uma pesquisa internacional, realizada por especialistas, sobre os aspectos cognitivos de pessoas que integram a terceira ou melhor idade, com seu comportamento típico e todas as dificuldades de aprendizado da Matemática. O estudo retrata também problemas enfrentados, por todos eles no cotidiano, junto das empresas e demais entidades, que não vêm se preparando adequadamente para receber nos próximos anos, cerca de 64 milhões de idosos que entrarão nesta faixa de idade

    Por: Luiz Carlos Vivanl Educação> Ciêncial 05/03/2015 lAcessos: 14
    Carlos Meine Morais

    existem pequena praticas que podem fazer diferença para toda a vida, quando adquiridas quando criança simplificam muitos processos e nunca são abandonadas. o que não impede de adquirirmos novos habitos, mesmo não sendo mais criança..

    Por: Carlos Meine Moraisl Educação> Ciêncial 05/03/2015 lAcessos: 11
    Marcos Eli da Silva

    Nos dias atuas as redes de saneamento em perímetros urbanos por serem subterrâneas, e pouco visíveis aos olhos da população, são colocadas em segundo plano. Existem inúmeros cronogramas para pavimentação de ruas e avenidas, sem nenhuma rede de saneamento, muito menos de águas pluviais. Entretanto obras de saneamento com o tempo tornam-se indispensáveis para a população e vão gerar custos adicionais, ao serem realizadas melhoram o espaço urbano e a qualidade de vida das populações.

    Por: Marcos Eli da Silval Educação> Ciêncial 13/01/2015 lAcessos: 18
    Marcos Eli da Silva

    RESUMO A degradação do meio ambiente é um fator que contribui para as alterações nos ecossistemas e ameaça a vida de espécies da fauna a e flora no planeta. Normalmente associa-se esse problema à ação do homem sobre a natureza. Para corrigir os estragos causados pela ação humana, os órgãos públicos costumam gastar centenas de bilhões de reais todo ano para recuperar áreas degradas por empreendimentos relacionados á mineração.

    Por: Marcos Eli da Silval Educação> Ciêncial 12/01/2015 lAcessos: 18

    O presente texto fala sobre as diferentes classes de escolarização, assim como as dificuldades de ensinos, de aprendizados e as mudanças ao longo do tempo que a educação no país está sofrendo; também fala sobre as reformulações necessárias para melhorias no campo da educação, e desvalorização financeira e social do magistério.

    Por: Reginaldo Posol Educação> Ciêncial 16/12/2014 lAcessos: 20
    Ricardo Miguel

    Apesar da Internet e de muita informação, existem vários mitos e dúvidas sobre as mulheres, sobre a sexualidade e sobre o seu corpo. Descubra 10 verdades e mentiras sobre as mulheres.

    Por: Ricardo Miguell Lar e Família> Mulherl 21/04/2014 lAcessos: 69
    Ricardo Miguel

    Ninguém gosta de limpezas, muito menos quando chega a hora de limpar os seus sanitários. Neste artigo ensinamos as 5 dicas principais para limpar corretamente os seus sanitários.

    Por: Ricardo Miguell Casa & Jardiml 09/04/2014 lAcessos: 20
    Ricardo Miguel

    Já conhece a stevia? Porque este novo açúcar não é prejudicial para a saúde? Conheça todos os benefícios e as diferenças que existem em relação ao açúcar convencional.

    Por: Ricardo Miguell Saúde e Bem Estar> Nutriçãol 02/04/2014 lAcessos: 71
    Ricardo Miguel

    Como surgiu a anestesia? Que tipos de anestesia existem? Para que serve e como é aplicada? Conheça a história e várias curiosidades sobre a anestesia.

    Por: Ricardo Miguell Ciências> Químical 31/03/2014 lAcessos: 53
    Ricardo Miguel

    Guia super completo com muitas dicas de como cuidar do seu bebé recem-nascido. Saiba com o alimentar, como cuidar dele, como reagir perante várias situações e muito mais.

    Por: Ricardo Miguell Lar e Família> Bebêsl 31/03/2014 lAcessos: 80
    Ricardo Miguel

    Conheça estas 8 dicas muito simples mas excelentes e bastante eficazes para perder peso e não engordar. Emagreça sem esforço e sem sofrimento, mudando pequenos hábitos do dia-a-dia.

    Por: Ricardo Miguell Saúde e Bem Estar> Nutriçãol 27/03/2014 lAcessos: 44
    Ricardo Miguel

    Sabia que com algumas dicas simples pode manter a sua casa sempre arrumada e organizada? Conheça várias dicas que vão ajudar a poupar tempo e trabalho.

    Por: Ricardo Miguell Casa & Jardim> Decoraçãol 24/03/2014 lAcessos: 57
    Ricardo Miguel

    Saiba o que é a massagem shiatsu, em que consiste, como é realizada e conheça os vários benefícios que pode trazer para a saúde.

    Por: Ricardo Miguell Saúde e Bem Estar> Medicina Alternatival 14/03/2014 lAcessos: 37
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast