Formação continuada: uma ferramenta importante para o exercício docente

Publicado em: 15/05/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 720 |

Introdução

Os professores enfrentam um grande problema na hora de exercer suas atividades em sala de aula, alguns não estão devidamente capacitados para ministrar uma aula, pois os mesmos confiam que um mero curso de graduação é suficiente. Do mesmo modo pensam os responsáveis pela educação brasileira, não julgando necessária a formação continua para professores, principalmente da escola pública.

O presente estudo pretende investigar com que freqüência os cursos de formação continua são ofertados em duas escolas, da rede estadual de ensino, do estado de Alagoas, e qual o grau de interesse dos professores para com os cursos.

 

Identificação das Escolas e Instituições

 

1º- Escola Estadual Dr. Alcides Andrade

Rodovia Engenheiro Joaquim Gonçalves, S/N.

Bairro Dom Constantino – Penedo/AL

Níveis de modalidade: Ens. Fundamental e médio, EJA.

Horários: das 7:00h às 22:30h de segunda a sexta.

 

2º- Escola  Estadual de Educação Básica Prof. Pedro de França Reis

Rua Antonio Marroquim, S/N.

Bairro Paixão – Arapiraca/AL

Níveis de modalidade: Ed. Infantil, Ensino Profissionalizante e Curso Normal.

Horários: das 7:00h às 22:30h de segunda a sexta.

 

3º- Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (SINTEAL)

Pç. Gabino Besouro, S/N

Centro – Arapiraca/AL

Horários: das 8:00h às 14:00h de segunda a sexta.

 

4º- 5ª Coordenadoria de Ensino.

Rua Nossa Senhora da Dores, S/N

Bairro Caititus – Arapiraca/AL

Horários: das 8:00h às 14:00h de segunda a sexta.

 

Apresentação das ações desenvolvidas

 

Roteiro: Às 10:00h, entrevista com a vice diretora Maria Quinô Rocha de Medeiros com o preenchimento do questionário sobre a instituição, logo após entrega dos questionários aos professores.

 

Dificuldade: A devolução dos questionários parte de alguns professores.

 

Observação: Fomos bem recebidos pelos responsáveis e acreditamos que foi válido todo o esforço e gastos referentes a esta viagem.

 

Valor gasto: R$ 93,00( passagem e alimentação).

 

Roteiro: Ás 19:30h entrevista com a diretora adjunta, Frank Mary R. A. Ramos, com o preenchimento do questionário referente à instituição entrega de questionário aos professores.

 

Dificuldades: Observamos a indisponibilidade dos professores ao receberem os questionários ocasionando um número muito pequeno de devolução dos mesmos.

 

Observação: Foram várias tentativas até conseguir encontrar os professores e a direção na instituição com os formulários devidamente preenchidos, para ser mais preciso, fomos à escola cinco vezes. Na condição que, nas últimas visitas somente a relatora teve condições de ir por conta de transporte.

 

 

 

Roteiro: Às 10:00h entrevista com a presidente em exercício, Juracy Pinheiro, sobre as ações realizada pelo sindicato em relação a formação continuada na região, a conversa seguiu até às 11:00h.

 

Dificuldades: não houve nenhuma.

 

Observação: A entrevista foi de grande relevância para o desenvolvimento e compreensão do tema e da realidade a qual os profissionais docentes estão enfrentando.

 

 

Roteiro: Às 11:00h entrevista com Anapoã Monteiro, responsável pelo setor de capacitação, com o objetivo de averiguar a existência e a regularidade com que acontecem os processos de formação continuada na região.

 

Dificuldade: Transporte, por conta da distância.

 

Observação: Não houve nenhuma resistência em relação aos questionamentos.

Apresentação dos resultados

A partir dos dados obtidos, observamos que a maioria dos entrevistados já havia participado ou estão participando de processos de Formação Continuada nos últimos cinco anos. No entanto, a avaliação feita pelos mesmos, mostra em alguns casos que há insatisfação quanto à metodologia utilizada durante o processo de Formação.

A maioria dos professores deposita grande expectativa no Projeto de Formação de Professores oferecida pelo MEC, denominado "Plataforma Freire" que visa possibilitar o direito dos professores da rede pública em realizar sua formação inicial ou continuada gratuitamente. Quanto aos processos de capacitação que são realizados em algumas instituições, com pouca regularidade, podemos observar que os conteúdos administrados não condizem com a realidade vivenciada pelos professores em sala de aula.

Discussão Teórica

A formação continuada, segundo pires, é "a formação recebida por formandos já profissionalizados e com uma vida ativa, tendo por base a adaptação continua a mudanças dos conhecimentos, das técnicas e das convicções de trabalho, o melhoramento das suas qualificações profissionais e, por conseguinte, a sua promoção profissional e social", com isso é possível analisar que a formação continuada serve de base para a formação inicial, como alega Zélia D. Mediano dizendo que todos sabem "o quão frágil estão nossos cursos de formação inicial", e como afirma a autora Maria das graças nascimento," a formação continuada é temporalmente posterior à formação inicial", neste sentido a formação continuada busca aperfeiçoar conhecimentos adquiridos na formação inicial, contribuindo assim para uma educação de qualidade.

Apesar de a formação continuada ser altamente essencial para o exercício docente, já que "tem por objeto o desenvolvimento do professor" (Maria das Graças), ainda há uma profunda desvalorização acerca do tema, isso foi constatado através de entrevistas com professores de Penedo e Arapiraca; com a presidente do SINTEAL (Sindicato dos trabalhadores da educação de Alagoas); juntamente com a visita a 5º CRE (coordenadoria de educação), situada na cidade de Arapiraca.

Em visita ao SINTEAL, entrevistamos a senhora Juraci Pinheiro ( presidente do órgão), onde a mesma relatou fatos importantíssimos relacionados a formação continuada na área docente. Ela ressaltou a importância da formação continuada para professores e levantou uma triste realidade: "existe pouco interesse dos docentes em se capacitar, pois os mesmos chegam a considerar uma perda de tempo essa capacitação". Segundo ela, boa parte dos profissionais estão restritos ao exercício docente de maneira integral, não havendo espaço para os cursos de formação continuada. Alguns professores não esboçam interesse por comodismo. A presidente do SINTEAL lamentou o fato de haver pouca demanda das capacitações por parte dos docentes, ao mesmo tempo se mostrou confiante no sentido de mudança do quadro, por conta das novas perspectivas no campo da educação e também frente às novas tecnologias.

A formação continuada, quando sob responsabilidade do estado, através dos "pacotes das secretarias que tem sido utilizado para introduzir, rapidamente, certas inovações educacionais" (Maria das Graças), de certa forma neste contexto a formação continuada perde sua essência de preparação e passa a ser um meio do estado obter controle do que está sendo trabalhado em sala e das metodologias dos docentes, já que os mesmos não levam em conta os problemas do professorado para com o alunado esse problema é ressaltado por Maria das Graças quando alega que o "fracasso das estratégias de formação continuada que têm sido utilizadas, é o evidente desinteresse dos sistemas de ensino pelos conhecimentos produzidos pelos professores" o que faz com que haja certa "resistência dos professores a "pacotes" idealizados por pessoas que se           encontram, geralmente, distantes da realidade escolar", com isso é possível perceber que os professores são pouco valorizados e que seus conhecimentos são descartados pelos cursos de especialização, e Cruz (1991) complementa ainda apontando" a utilização de modelos impostos do exterior... que podem ou não coincidir com problemas reais dos docentes"  , é possível analisar que a constante utilização de modelos prontos, são uma das maiores causas do fracasso dos cursos de formação continuada,  pois os professores não se identificam com   o que é mostrado, sendo assim os atuais cursos de formação de professores podem ser considerados como "insuficientes para uma mudança nos professores e nas instituições"(Maria das graças).

Nestas circunstâncias a formação em serviço torna-se, como diz Hypólito a respeito da profissionalização docente, "um sonho prometido e ao mesmo tempo um sonho negado", ou seja, uma coisa quase utópica, já que algumas escolas recebem fichas de inscrição para os cursos de formação continuada, no entanto os cursos nunca acontecem e caem no esquecimento é o que relata a professora e coordenadora de uma das escolas visitadas "todos os anos recebemos fichas de inscrições para especializações gratuitas, os professores se animam e se inscrevemos, nós mandamos as fichas para a secretaria de educação do estado, e ficamos a espera de respostas, respostas que nunca vem, e o ciclo se repete no ano seguinte", em suma atitudes como essa levantam barreiras tornando cada vez mais difícil a formação continuada como uma realidade.

A escola é considerada por Maria das graças "como espaço privilegiado de formação de professores" e ela ainda complementa dizendo que "a escola é como o lócus natural da formação em serviço", isso nos leva a crer que a escola torna-se um espaço único na formação continuada de professores, pois a mesma representa "o lugar de convivência e comunicação entre estes profissionais" (Maria das Graças), dessa opinião também compartilha Zélia D. mediano quando alega que" a escola é o local por excelência para trabalhar a formação dos professores em serviço, pois todos passam pelo mesmo processo, discutem as mesmas questões e se capacitam coletivamente para as transformações necessárias"

No contexto acima destacamos a denominada formação de professores em serviço, que compreende "qualquer atividade de formação do professor que já está atuando nos estabelecimentos de ensino... incluindo-se ai os diversos cursos de especialização e extensão oferecidos pelas instituições de ensino superior" (Maria das Graças), ou seja, a formação em serviço é extremamente similar a formação continuada, afinal ambas são englobadas em uma única realidade, a do atual quadro da qualidade do ensino.

A "formação em serviço", neste caso para docentes que já exercem a docência, exige algumas condições, como alega Zélia D. mediano, quando diz que é necessário "adotar procedimentos participativos" e "criar um clima de confiança entre todos os participantes", lembrando sempre da "insegurança que ainda domina alguns desses profissionais"(Zélia d. Mediano) em relação a formação continuada em serviço, mostrando que os professores não totalmente seguros desses cursos formação ofertados, quer seja pelas secretárias ou por iniciativa própria, entretanto um dos principais problemas dessa formação é justamente a qualidade dos cursos de especialização ofertados pelas secretárias e coordenadorias de educação, como a da 5º coordenadoria regional de Arapiraca alega em sua declaração "recebemos vários cursos para formação de professores, entretanto a maioria deles é de baixa qualidade, e o despreparo dos orientadores desses cursos é imenso" ,  e compartilha dessa opinião uma professora da Escola Estadual Dr. Alcides Andrade que conta uma experiência muito importante para essa reflexão em um curso de formação ofertado a pouco tempo na cidade de Penedo  "quando soubemos que na grade curricular da especialização teria dinâmica de grupo, todos os professores ficaram animados, mas quando aconteceu a primeira aula de dinâmica de grupo, nós tivemos que elaborar uma dinâmica de grupo e apresentá-la aos nossos professores, ou seja, o que era pra ser uma preparação para nós foi na verdade uma troca de conhecimentos" observa-se então que o próprio governo, mesmo tendo por obrigação a formação continuada dos docentes, ainda desconsidera a sua importância ofertando cursos não como objetivo de preparar os professorado, mas somente para dizer que fez, ressaltando ainda o despreparo de alguns dos orientadores que ministram esses cursos de formação continuada.

 

Conclusão

Pode-se concluir, portanto, que a formação continuada tem diferentes aspectos de acordo com as necessidades de cada local, e que a principal conseqüência da desconsideração pelas produções dos docentes em sala de aula, assim como a não investigação dos problemas do professores em cada região, é a enorme falta de interesse dos professores em si capacitar, considerando, essas especializações, extremamente desnecessárias para a sua prática docente. Portanto, para aumentar a eficácia e o interesse pelos cursos ofertados pelo estado, tudo o que for trabalhado com os docentes tem que ter uma aplicabilidade prática que proporcione uma melhoria na formação sócio-profissional dos docentes, pois cada realidade é e sempre será uma realidade diferente.

Referências

NASCIMENTO, Maria das Graças. Formação Continuada de Professores: Modelos, Dimensões e Problemáticas.

MEDIANO, Zélia D. A formação em serviço de Professores através de oficinas pedagógicas.

CUNHA, José Edmilson. Formação Continuada de Professores: Tendências e Perspectivas da Formação Docente no Brasil.

IMBERNÓN, Francisco. Formação Docente e Profissional. 6ª ed. - São Paulo, Cortez 2006.

Educação, Ministério. <http://portal.mec.gov.br/index.php> acesso em 21 de novembro de 2009

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/formacao-continuada-uma-ferramenta-importante-para-o-exercicio-docente-4771476.html

    Palavras-chave do artigo:

    educacoa

    ,

    formacao continuada

    ,

    docente

    Comentar sobre o artigo

    Artur Livônio

    Detalhamento dos vários períodos históricos educacionais, evidenciando suas características e influências. Como a época em que os Jesuítas chegaram no Brasil e o que vieram fazer aqui, até os dias atuais. Com ênfase nas tantas críticas que o escritor, Dermeval Saviani, fez sobre cada período pedagógico da história educacional brasileira.

    Por: Artur Livôniol Educação> Ciêncial 24/03/2015 lAcessos: 20
    Fernando Corrêa manarim

    Analisando a Lenda de Sessa fica claro que o xadrez foi criado principalmente como instrumento para auxiliar os praticantes a encontrar respostas para seus dilemas existenciais, dúvidas, angústias, confirmações, etc. Enfim que a competição é apenas um reflexo do que ocorre em nossas vidas, sempre muito competitiva e de difícil conquistas.

    Por: Fernando Corrêa manariml Educação> Ciêncial 19/03/2015
    Benedicto Ismael Camargo Dutra

    Ultimamente, o uso cada vez mais intenso do cérebro frontal, e o seu correspondente fortalecimento, tem levado à desativação progressiva da parte emocional do cérebro que é receptora dos lampejos intuitivos captados pelo cerebelo.

    Por: Benedicto Ismael Camargo Dutral Educação> Ciêncial 13/03/2015

    Este artigo aborda uma pesquisa internacional, realizada por especialistas, sobre os aspectos cognitivos de pessoas que integram a terceira ou melhor idade, com seu comportamento típico e todas as dificuldades de aprendizado da Matemática. O estudo retrata também problemas enfrentados, por todos eles no cotidiano, junto das empresas e demais entidades, que não vêm se preparando adequadamente para receber nos próximos anos, cerca de 64 milhões de idosos que entrarão nesta faixa de idade

    Por: Luiz Carlos Vivanl Educação> Ciêncial 05/03/2015 lAcessos: 14
    Carlos Meine Morais

    existem pequena praticas que podem fazer diferença para toda a vida, quando adquiridas quando criança simplificam muitos processos e nunca são abandonadas. o que não impede de adquirirmos novos habitos, mesmo não sendo mais criança..

    Por: Carlos Meine Moraisl Educação> Ciêncial 05/03/2015 lAcessos: 11
    Marcos Eli da Silva

    Nos dias atuas as redes de saneamento em perímetros urbanos por serem subterrâneas, e pouco visíveis aos olhos da população, são colocadas em segundo plano. Existem inúmeros cronogramas para pavimentação de ruas e avenidas, sem nenhuma rede de saneamento, muito menos de águas pluviais. Entretanto obras de saneamento com o tempo tornam-se indispensáveis para a população e vão gerar custos adicionais, ao serem realizadas melhoram o espaço urbano e a qualidade de vida das populações.

    Por: Marcos Eli da Silval Educação> Ciêncial 13/01/2015 lAcessos: 18
    Marcos Eli da Silva

    RESUMO A degradação do meio ambiente é um fator que contribui para as alterações nos ecossistemas e ameaça a vida de espécies da fauna a e flora no planeta. Normalmente associa-se esse problema à ação do homem sobre a natureza. Para corrigir os estragos causados pela ação humana, os órgãos públicos costumam gastar centenas de bilhões de reais todo ano para recuperar áreas degradas por empreendimentos relacionados á mineração.

    Por: Marcos Eli da Silval Educação> Ciêncial 12/01/2015 lAcessos: 18

    O presente texto fala sobre as diferentes classes de escolarização, assim como as dificuldades de ensinos, de aprendizados e as mudanças ao longo do tempo que a educação no país está sofrendo; também fala sobre as reformulações necessárias para melhorias no campo da educação, e desvalorização financeira e social do magistério.

    Por: Reginaldo Posol Educação> Ciêncial 16/12/2014 lAcessos: 20
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast