Bicheiras Ou Miíases

Publicado em: 06/09/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 5,539 |

BICHEIRAS OU MIÍASES
Recebem o nome acima as doenças causadas pela invasão do tecido cutâneo por larvas de insetos dípteros, e em particular pelos chamados dípteros miodários; Conforme a biologia desses insetos, as respectivas afeções que causam são de duas categorias:

1 - BIONTÓFAGAS - Larvas que invadem os tecidos sãos, não necrosados, inclusive a pele íntegra São essas larvas chamadas de biontófagas, pois se desenvolvem a custa do tecido vivo, e por conseguinte, podendo comprometer o estado geral do homem ou do animal por elas parasitado. São essas larvas parasitas obrigatórias. Neste grupo estão agrupadas as seguintes espécies de insetos: Callitroga americana, Dermatobia hominis e Oestrus ovis.
2 - NECROBIONTÓFAGAS - Larvas que invadem exclusivamente tecidos já afetados por necrose de outras causas .Estas nutrem-se exclusivamente de tecido morto e porisso classificadas como necrobiontófagas; Algumas delas não são prejudiciais, pois limpam as feridas do material necrosado; Neste grupo estão as moscas do gênero Lucilia, que já foram inclusive utilizadas como meio terapêutico nos primórdios da medicina.

Raríssimamente iniciam uma miíase, e com certa freqüência são encontradas como saprófagas de feridas ou cavidades infestadas por outras espécies do grupo anterior. As principais larvas deste grupo,pertencem aos seguintes gêneros de moscas: Sarcophaga, Lucilia, Phaenicia, Calliphora, Musca, Mucina e Fannia.

Sob o ponto de vista médico, no Brasil, as miíases podem ser:

1 - Cutâneas - Miíases Furunculosas, produzidas pela Dermatobia homininis e pela Callitroga americana; Lesões parecidas à de furúnculos, daí o nome acima: Furunculosa.

2 - Cavitárias -
a) Miíases das feridas - Callitroga macellaria;
b) Nasomiíases - Miíases na região do nariz;
c) Otomiíases - Localização na região dos ouvidos:
d) Oculomiíases - Localizadas na região orbital;
e) Cistomiíases - De localização na bexiga;
f) Miíases intestinais - Quando sua localização é nos intestinos.

As miíases causadas por larvas de moscas necrobiontófagas (que se desenvolvem unicamente em carne pútrida ou em tecidos orgânicos fermentáveis) tornam-se pseudoparasitas de lesões ou tecidos doentes; Determinam o que se denomina miíases secundárias, por ser necessária a presença de material necrosado da ferida ou cavidade, para seu desenvolvimento.

Nas ulcerações, os danos em geral carecem de importância, pois as larvas se limitam a devovar os tecidos necrosados (mortos), não invadindo as partes sadias, e por conseguinte não ocasionando hemorragias. Estas foram já em passado recente utilizadas na "limpeza" de feridas, porque alimentando-se do tecido necrosado que existe em toda ferida, aceleravam e facilitavam o processo de cicatrização.

Cabe ser observado que nas regiões onde ocorre a Leishmaniose cutânea, como na região amazônica, principalmente no Território Indígena dos Ianomâmis, são observados com muita freqüência as naso-miíases, que nada mais são que miíases secundárias de larvas de moscas necrobiontófagas, que se instalam na região do nariz, nas lesões causadas primariamente pela Leishmania tegumentar.

As Miíases intestinais são sem sombra de dúvida, causadas pela ingestão de ovos ou larvas, por meio de bebidas ou alimentos por esses ovos ou vermes contaminados, e suas conseqüências carecem em geral de gravidade, produzindo algumas vezes apenas náuseas, vômitos e diarréia. Não obstante, a intensidade desses sintomas dependem da sensibilidade do próprio enfermo, e do número de larvas ingeridas. Segundo alguns autores, as larvas de moscas são resistentes à ação de certas substâncias, inclusive à ação dos sucos digestivos, podendo viver durante algum tempo no tubo digestivo.

Para o tratamento das bicheiras, quando as mesmas são superficiais (cutâneas), basta aplicação local de qualquer substância que seja ativa contra os insetos em geral, e concomitantemente não seja tóxica ao hospedei-ro, para que as larvas ou morram ou simplesmente sejam expulsas do local onde se encontram, e a cicatrização subsequente do ferimento leve a bom termo a cura da enfermidade.

Quando se dá o caso de serem as bicheiras cavitárias, como é o caso das gasterofiloses eqüinas, seu diagnóstico pelas técnicas coprológicas usuais não é possível, a não ser quando encontradas larvas íntegras no bolo fecal desses hospedeiros, o que pode ocorrer porém de forma fortuita, e portan-to o simples exame de fezes com resultado negativo não descarta sua ocorrência. A presença de ovos íntegros ou as larvas desses ovos já eclodidas, aderentes aos pêlos dos membros anteriores e nos espaços intermandibulares, é indicativo do parasitismo pelos gasterophilus.

Durante muito tempo, os únicos tratamentos conhecidos para o combate à gasterofilose eqüina, foi com a utilização de bissulfeto de carbono administrado oralmente e contido em cápsulas de gelatina.Devido sua toxidez, caso administrado sem a devida técnica, muitas vezes causava a morte do animal hospedeiro quando do seu tratamento com essa substância farmacêutica.

Com a descoberta das substâncias organo-fosforadas, os produtos sintéticos triclorfon e diclorvos, mostraram-se eficazes contra todos os estágios da fase larval desses insetos. O primeiro deles tem sido o produto mais utilizado em nosso meio, isola-damente ou em associação, sob a forma de pasta, com benzimidazoles. Sen-do pequena a margem de segurança, no que diz respeito a dose desses produ-tos, que tem sua dose terapêutica fixada em 35/40 mg por quilo de peso vivo do animal, deve tal dose ser fixada e criteriosamente observada quando do tratamento, sob pena de resultados desastrosos, inclusive com possível morte do animal.

Em fins dos anos 70, foram desenvolvidos novos fármacos, obtidos da fermentação de um fungo: (Streptomyces avermitilis), isolado do solo, no Japão. Uma dessas avermectinas, denominada de B1, apresentou ação anti-parasitária contra todas as fases larvárias desses Gasterophilus, tanto nos ecto quanto endoparasitas.

Recentemente, o anti-helmíntico salicilanilídico closantel, utilizado geralmente associado aos benimidazoles, sob a forma de pasta, mos-trou-se também eficaz como gasterofilicida, inclusive impedindo reinfestações dos eqüinos até cerca de dois meses após o tratamento.

As miíases ocorrendo em praticamente todo território brasileiro devido nossas condições climáticas predominantemente tropicais e equatoriais que muito favorecem o desenvolvimento dos insetos em geral, possibilitam sua multiplicação em ritmo acelerado, e com isso concomitante aparecimentos de bicheiras em nossos rebanhos, quer bovinos, suínos, eqüinos, ovinos ou caprinos.

As perdas decorrentes dessas miasses se traduzem principalmente por menor rendimento dos rebanhos explorados, quer na produção de leite, quer na produção de carne e seus subprodutos como o couro, este último muito depreciado pela bicheira.
http://www.euqueroumfilhote.com.br/Classificados.asp?Action=ExibeAnuncio&Categoria=16&Anuncio=381

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ciencias-artigos/bicheiras-ou-miiases-1201712.html

    Palavras-chave do artigo:

    miiases em caes

    ,

    tratamento de miiases

    ,

    cachorro com miiase

    Comentar sobre o artigo

    Norival Ricardo Cazarin

    Teoria leiga que aborda a questão do Big Bang, massa e energia escura, força gravitacional e a forma e modo de operação do universo.

    Por: Norival Ricardo Cazarinl Ciênciasl 24/09/2014

    Ray Bradbury, escritor norte-americano, 1953 depois de Cristo, nos repassou essa lindeza, essa preciosidade que colocamos a disposição de quem gosta de auferir o que os grandes escritores colocam a nossa disposição. "O mundo está escuro e parece morto, feras e serpentes se escondem nas trevas… Então, tu apareces no horizonte… E a terra fica em festa. Os humanos se levantam do sono e partem para o trabalho. Ó sol, imagem do Criador, fogo inicial da Vida… Vamos colher, até o fim dos tempos,

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Ciênciasl 23/09/2014
    Martinho

    Quando fazemos da reflexão um hábito, vamos comprovando que ela tranquiliza a mente e contribui para a ampliação das ideias e do saber, ao permitir-nos analisar as questões de ângulos diferentes, o que nos proporciona uma visão mais ampla das imagens. Analisando as minhas atuações e atitudes, verifiquei que quando atuo de forma irreflexiva ou inconsciente, geralmente tomo decisões precipitadas, além de cometer falhas e imprudências.

    Por: Martinhol Ciênciasl 28/08/2014
    Martinho

    Aos poucos, vou enriquecendo a minha consciência com a aplicação dos elementos superiores proporcionados pela Ciência Logosófica, o que tem contribuído para uma orientação melhor da minha vida e para encaminhá-la em conformidade com os seus grandes objetivos.

    Por: Martinhol Ciênciasl 16/08/2014
    Martinho

    Com o estudo da ciência logosófica, comecei a sentir o despertar das inquietudes internas e um interesse maior pelas coisas que estão além da vida corrente, principalmente com relação a Deus, à vida, à Criação, ao mundo metafísico, ao espírito, o que tem promovido no meu interno uma necessidade de conhecer cada vez mais os pensamentos do Criador plasmados na Criação.

    Por: Martinhol Ciênciasl 01/08/2014
    Martinho

    A recordação constante dos momentos felizes da minha vida e das conquistas relacionadas ao plano transcendente tem sido para mim uma fonte perene de estímulos, o que tem contribuído para um maior entusiasmo frente à vida e para uma dedicação mais intensa ao processo de superação integral que é uma das finalidades da vida.

    Por: Martinhol Ciênciasl 17/07/2014 lAcessos: 13
    Martinho

    Com os elementos proporcionados pela Ciência Logosófica pude concluir que os conceitos devem ser dinâmicos, susceptíveis de evolução, como ocorre com tudo que existe na Criação, inclusive com o gênero humano que deve realizar o processo de evolução consciente, que lhe permite encaminhar a sua vida em conformidade com a sua finalidade máxima..

    Por: Martinhol Ciênciasl 02/07/2014

    Confira como plantar arvores ajudam a neutralizar suas emissões de carbono e ajude a melhorar sua pegada de cabono através do plantio ostensivo de arvores.

    Por: Tiago Flores Diasl Ciênciasl 18/06/2014

    A Fédération Cynologique Internationale (FCI-Bélgica) com sede em Thuin, cidade da Bélgica, cria um MONOPÓLIO, que na União Européia é proibida por ‘LEI'. Por outro lado, temos a Federación Canina Internacional (FCI-Espanha) com sede na Espanha que possui autorização do GOVERNO ESPANHOL e cumpre todas as leis da União Européia!

    Por: EDUARDO FREIRE - CINÓFILOl Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/06/2010 lAcessos: 141

    Os filhotes de Yorkshire adoram seus donos, colo e mimos. Alertamos que, na raça Yorkshire, existem Yorkshire de tamanho padrão, que podem variar de 2 a 3 kilos quando adultos, Yorkshire micro, que são exemplares com menos de 2 kilos e os que fogem do padrão que são os Yorkshire acima de 3 kilos.

    Por: EDUARDO FREIRE - CINÓFILOl Psicologia&Auto-Ajudal 30/09/2009 lAcessos: 4,373

    Em todos os países civilizados, o cão continua sendo o melhor companheiro do homem, hóspede em sua casa, habitante de suas cidades. A afeição que se estabelece entre eles tem sido até objeto de estudos por parte de cientistas que pesquisam os sentimentos mais íntimos do ser humano.

    Por: EDUARDO FREIRE - CINÓFILOl Educaçãol 24/09/2009 lAcessos: 905

    Eles podem ser tão amigáveis como um golden retriever, engraçados como um bulldog, mal-humorados como um terrier, mas se têm uma pelagem predominantemente preta, há uma boa chance que sejam os últimos a serem adotados.

    Por: EDUARDO FREIRE - CINÓFILOl Saúde e Bem Estarl 24/09/2009 lAcessos: 686 lComentário: 1

    Dar alimentos orgânicos, roupas caras e da moda e pagar um "personal trainer" para um animal de estimação pode ser normal para quem tem um. O jornalista americano Michael Schaffer achava tudo isso exagerado, até que adotou um cachorro da raça São Bernardo chamado Murphy. O cão ficava muito nervoso e latia muito toda vez que ele e sua mulher saíam de casa. Preocupado, Schaffer levou o animal ao veterinário, que diagnosticou "ansiedade de separação" e prescreveu um remédio.

    Por: EDUARDO FREIRE - CINÓFILOl Saúde e Bem Estarl 24/09/2009 lAcessos: 687

    Giardia são flagelados protozoários que parasitam no homem e em diversas espécies de animais. Esses protozoários infectam o intestino delgado de cães, gatos, gado e outros mamíferos, incluindo o homem.

    Por: EDUARDO FREIRE - CINÓFILOl Saúde e Bem Estarl 24/09/2009 lAcessos: 870

    Trata-se de uma doença que aparece sem avisar e não dá nenhum indício antes do problema se instalar. Atinge animais de diferentes faixas etárias, tendo como característica episódios de tosse associados a dificuldade respiratória em menor ou maior intensidade.

    Por: EDUARDO FREIRE - CINÓFILOl Ciênciasl 06/09/2009 lAcessos: 2,170 lComentário: 1

    As quedas de pêlos podem e ocorrem por várias razões. Uma delas é a chamada queda fisiológica, que ocorre normalmente por envelhecimento do próprio pêlo ou de seu folículo (raiz) e assim esse pêlo cai para ser em seguida substituído por outros.

    Por: EDUARDO FREIRE - CINÓFILOl Ciênciasl 06/09/2009 lAcessos: 4,427

    Comments on this article

    0
    Lk 02/05/2011
    To com isso na pele, qo devo passar?'
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast