História Da Mecânica Quântica 5: Os Princípios De Complementaridade E Correspondência

Publicado em: 01/02/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 841 |

História da Mecânica Quântica 5: Os princípios de complementaridade e correspondência.

 

Artigo IV

Este artigo foi extraído do artigo O Nascimento da Mecânica Quântica. O intuito de publicá-lo separadamente nasce do desejo de tornar a pesquisa do assunto em questão mais acessível e didática.

 

  Os princípios de complementaridade e correspondência.

 

    A complementaridade também é outra importante característica da realidade revelada pela física quântica. Para Niels Bohr, as naturezas ondulatória e corpuscular não são antagônicas, são complementares. O conceito físico de complementaridade possui evidentes raízes filosóficas na Dialética, na qual, os opostos, ao invés de anularem-se, se combinam, gerando o desenvolvimento de um novo resultado e o aparecimento de uma realidade que transcende a dicotomia inicial.

  Os elétrons são “ondiculas”; uma fusão destas duas naturezas, a corpuscular, e a ondulatória.. Quando realizamos experiências que revelam o padrão de difração, captamos o aspecto de onda, quando verificamos sua trajetória definida em uma câmara de condensação (de Wilson) revelamos seu aspecto de partícula. (Goswami, 2007);

 

O princípio de complementaridade de Bohr assegura-nos que, embora os objetos quânticos possuam os atributos de onda e partícula, só podemos medir um único aspecto da ondicula com qualquer arranjo experimental, em qualquer dada ocasião. Pela mesma razão, escolhemos o aspecto particular da ondicula que queremos ver ao escolhermos o apropriado arranjo experimental.”

(Amiti Goswami – O Universo autoconsciente – Rio de Janeiro, 2007 – pg. 64)

 

  O princípio de correspondência é igualmente importante para e física quântica. Para Niels Bohr, há uma correlação harmônica entre duas realidades tão distintas, o micro mundo dos fenômenos quânticos, e o macro mundo dos objetos clássicos. Isto é, os dois níveis se relacionam sem anularem-se. As leis da física clássica permanecem válidas quando aplicadas aos macro-objetos e à grandes dimensões. Da mesma forma, embora todo macro-objeto seja formado por objetos quânticos, as leis da realidade quântica, probabilísticas, não se aplicam ao mundo físico de grandes proporções. Ou seja; embora a ‘‘onda cadeira’’ esteja se espalhando, essa função de onda da cadeira é tão complexa, envolvendo tantos milhares de partículas quânticas, que o movimento ondulatório da cadeira se torna lento demais para ser percebido. Deste modo, se podemos esperar que um único elétron tenha um comportamento fantasmagórico, desaparecendo à nossa frente e reaparecendo em outro ponto do espaço-tempo, espalhando-se como uma onda de probabilidades, o mesmo não podemos esperar de um copo. O copo, por ser um objeto complexo, pesado e denso, de tantas partículas que possui, está sujeito às leis da mecânica clássica, que se aplicam aos corpos materiais de grandes dimensões, por exemplo,de um grão de sal, aos super-aglomerados de galáxias. (Pode parecer, portanto, que o domínio da mecânica clássica é mais amplo do que o da mecânica quântica, por se aplicar a um espaço maior. Mas isso não é verdade. Na realidade, o mundo do “infinitamente pequeno” , é “infinitamente grande”. Em um único átomo, por exemplo, a distância do núcleo até a borda atômica, pode ser proporcionalmente maior do que a distância entre o centro de uma galáxia e os seus confins).

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ciencias-artigos/historia-da-mecanica-quantica-5-os-principios-de-complementaridade-e-correspondencia-1807339.html

    Palavras-chave do artigo:

    mecanica quantica

    ,

    planck

    ,

    einstein

    Comentar sobre o artigo

    Em “A estrutura das revoluções científicas”, o físico teórico de Harvard, e filósofo da ciência, Thomas S.Kuhn, nos adverte que em toda a história da ciência, quando um paradigma deixou de ser suficiente para explicar determinados fenômenos da natureza, fenômenos fundamentais para que pudéssemos compreender a realidade, então, inexoravelmente tal paradigma teve de ser abandonado.

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 04/02/2010 lAcessos: 836 lComentário: 1

    A Ciência está sendo atualizada dia a dia. Muitos conceitos antigos em breve serão mudados graças, principalmente, devido ao desenvolvimento de novos instrumentos de pesquisa, entre os quais se destacam os modernos telescópios. No entanto, outros estudos antigos, como o Cálculo da Probabilidade, reavivado e atualizado, em campos não pensados, permitiram abrir um novo campo de pesquisa. Nosso artigo 'A falha da Mecânica Quântica' está fundamentado em Cálculo de Probabilidade.

    Por: Hélio Barnabé Caramurul Ciênciasl 24/10/2011 lAcessos: 221

    A Teoria de Planck, que previa a existência de quantas como sendo pacotes específicos (não contínuos, “latejantes”) de energia, possibilitou-nos compreender a existência de vários níveis ou tipos de radiações.

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 01/02/2010 lAcessos: 1,169

    A palavra “quanta” significa algo como “pacote”. Dizer, portanto, que a natureza da luz é quântica, é dizer que a luz não é um fenômeno de radiação contínua, como um fluxo incessante de energia, mas sim, que, é formada por muitos “pacotes” de luz. O nascimento, de fato, da física quântica, é o nascimento das primeiras teorias, que ao invés de descreverem determinados fenômenos como sendo contínuos (como um fio de água incessante) passaram a descrevê-los como sendo quânticos (como uma goteira, que libera uma gota de cada vez).

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 31/07/2009 lAcessos: 3,432 lComentário: 2

    A chamada interpretação de Copenhague desenvolvida por Werner Heisenberg, Max Born e Niels Bohr, visou definir qual é a visão geral da mecânica quântica.

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 01/02/2010 lAcessos: 740

    Sinais locais são quaisquer trocas de forças e informações entre dois corpos ou sistemas através da propagação de ondas ou partículas, pelo espaço-tempo, com velocidade limite de 300 mil quilômetros por segundo, a velocidade da luz.

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 01/02/2010 lAcessos: 471

    Em 1924, o francês Luis Victor de Broglie associou a separação entre os picos das ondas sonoras com a separação das órbitas estacionárias concêntricas ao redor do núcleo atômico, descritas por Bohr. As ondas que ocorrem quando uma corda de violão é posta em vibração são ondas estacionárias, confinadas em seus próprios movimentos, ondas que não se propagam pelo espaço, mas que perturbam o meio, gerando ondas que se espalham pelo espaço-tempo.

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 01/02/2010 lAcessos: 1,890 lComentário: 2

    Werner Heisenberg nasceu em Wurzburg, em 1901 e morreu em Munique no ano de 1976. Foi laureado com o Nobel de Física de 1932 e foi um dos fundadores da mecânica quântica. Formulou o princípio de incerteza, que descreve o comportamento das partículas subatômicas e escreveu várias obras nas quais discorreu sobre aspectos filosóficos da ciência.

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 01/02/2010 lAcessos: 615

    Neste artigo apresentamos a criptografia uma tradicional área de estudo relacionada à segurança das informações. Os avanços da computação quântica prenunciam uma reviravolta neste campo, destruindo técnicas atuais e trazendo novas soluções. Este trabalho inicia-se com uma introdução à criptografia de forma geral e à computação quântica, seguindo-se por uma explicação teórica da criptografia quântica e de exemplos práticos de seu uso. Por fim, apresentamos os avanços recentes na área...

    Por: Gracivaldol Tecnologial 13/09/2009 lAcessos: 1,708

    Como ocorre o Entrelaçamento Quântico? Suponho que o mesmo ocorre por causa de algo que chamo de Duplicação da Partícula no espaço, que ocorre quando um partícula alcança uma velocidade tão alta, que passa a ocupar dois espaços em um intervalo de tempo muito pequeno.

    Por: Gustavol Ciênciasl 25/01/2015
    Martinho

    Fazendo uma análise retrospectiva da minha vida, pude verificar que sempre existiu em mim um anelo de ser melhor e de ajudar aos semelhantes. Entretanto, apesar das várias tentativas feitas com os elementos de que dispunha, isto é, propiciados pela religião que pratiquei e pelos elementos da cultura vigente, não obtive resultados satisfatórios nos aspectos interno e espiritual.

    Por: Martinhol Ciênciasl 20/01/2015

    Todas as meditações, religiões e terapias são faces de uma mesma categoria, a Neuroreligação.

    Por: Argos Arruda Pintol Ciênciasl 12/01/2015
    Martinho

    Quando me dei conta dos estragos que a crença dogmática produziu em minha vida, senti a necessidade de eliminar esse mal por meio de uma reformulação das estruturas relacionadas com as partes mental e psicológica.

    Por: Martinhol Ciênciasl 10/01/2015
    Martinho

    Ao tomar contato com a ciência logosófica, um aspecto que muito me chamou a atenção foi o de que, segundo os seus princípios não há necessidade de acreditarmos nos seus ensinamentos, uma vez que podemos experimentar por nós mesmos a verdade contida em cada uma das suas afirmações.

    Por: Martinhol Ciênciasl 04/01/2015
    Martinho

    Após uma avaliação das minhas conquistas, principalmente com relação à superação de conceitos e de conduta, pude perceber a grande diferença existente entre a etapa anterior da minha vida, baseada em conhecimentos comuns e em elementos proporcionados pelas crenças e a posterior com o estudo e prática dos ensinamentos logosóficos.

    Por: Martinhol Ciênciasl 29/12/2014
    Martinho

    Com os novos elementos proporcionados pelo estudo e prática dos ensinamentos da Logosofia, estou conseguindo ampliar os conceitos, selecionar os pensamentos, desenvolver os sistemas mental e sensível e edificar uma nova vida bem melhor do que anterior. Sinval Lacerda

    Por: Martinhol Ciênciasl 23/11/2014

    Trata-se de uma nova teoria capaz de ser usado como ferramenta para estudo e resoluções de problemas pertinentes à área da probabilística e estatística no campo da matemática e suas aplicações.

    Por: Guilherme Gonçalvesl Ciênciasl 06/11/2014 lAcessos: 13

    Devemos coibir, reprimir, ameaçar o direito à livre manifestação, porque em algumas manifestações, ocorrem atos violentos? Minha defesa é: NÃO! Neste momento, apelo aos utilitaristas ingleses, como Benthan, e penso que devemos buscar "o maior bem para a maioria".

    Por: Vinicius C. da Silval Notícias & Sociedade> Polítical 23/07/2014 lAcessos: 12

    O Fluminense não virou a mesa, mas se regala com o banquete derramado. Qual a sua culpa? Ora, aparentemente – e em tese – nenhuma! Todavia, daí se mede a grandeza de uma gente: Não só pelas lágrimas que chora, mas pelo o que te faz festejar! Que sintam alívio é normal. Mas se orgulham, celebram, abrem aquele Möet & Chandon e acusam a todos de incômodo. Realmente, estamos incomodados: Incomoda-nos a mediocridade da CBF, a estultice do STJD, a injustiça contra a Lusa.

    Por: Vinicius C. da Silval Esporte> Futeboll 17/12/2013 lAcessos: 23

    Reza a constituição, que os três poderes são independentes e harmônicos, sendo vedado que um poder se rogue o direito de empreender tarefa, desqualificar mérito, autorizar matéria, ou investigar, aquilo que é de competência específica e inalienável de outro poder.

    Por: Vinicius C. da Silval Direito> Doutrinal 29/12/2010 lAcessos: 135

    Breve análise sobre a queda da taxa de homicídios na cidade do Rio de Janeiro

    Por: Vinicius C. da Silval Notícias & Sociedadel 11/02/2010 lAcessos: 465

    Em muitos paises o Partido Verde é forte o suficiente para realmente disputar o poder, constituindo uma interessante opção, mais a esquerda no espectro político, aos que estão fartos com os quadros convencionais das suas respectivas representações partidárias nacionais.

    Por: Vinicius C. da Silval Notícias & Sociedade> Polítical 09/02/2010 lAcessos: 122 lComentário: 1

    a Filosofia da Ciência é também a própria Ciência refletindo sobre si mesma...

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 08/02/2010 lAcessos: 2,902 lComentário: 1

    Pensamos em Deus como indivíduo que escreveu dogmas em livros sagrados,... Mas talvez sua linguagem seja mais sutil e profunda, e através das leis da natureza, da beleza e da ordem do universo, dos processos quânticos, ele esteja se comunicando conosco, e vivificando a tudo e a todos, a todo o momento

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 08/02/2010 lAcessos: 1,093 lComentário: 1

    em condições especiais e em altas velocidades, o tempo se torna relativo, e podemos acessar o futuro e talvez o passado, sem nos limitarmos ao presente.

    Por: Vinicius C. da Silval Ciênciasl 08/02/2010 lAcessos: 361 lComentário: 3

    Comments on this article

    0
    Assia Melo Neto 25/10/2011
    A complementaridade me lembra muito o yin-yang, pois, em um nível profundo, é as duas coisas ao mesmo tempo e, na experiência sensível, se revela uma OU outra.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast