A Revolta Dos Tenentes

Publicado em: 24/06/2008 |Comentário: 1 | Acessos: 3,377 |

A REVOLTA DOS TENENTES

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-

“A união faz a força, a revolta transtorna e seu potencial é sempre minado por conspirações, onde o algoz é o próprio integrante desta revolta.” (Antonio Paiva Rodrigues).

Era grande o número de pessoas insatisfeitas com o governo exercido pela oligarquia cafeeira no Brasil. Os mais diversos setores sociais, industriais, classe média urbana e as classes trabalhadoras estavam indignados e cada um tinha seus motivos de insatisfação contra os mandatários que na opinião deles, visava exclusivamente o atendimento aos seus próprios interesses. Pelos idos de 1921/ 1930 – O descontentamento aumentou substancialmente. O País foi tomado por revoltas armadas. Os percalços do término da segunda mundial em 1918 surgiram e o orbe passou a viver épocas de transformação e mudanças políticas, sociais e econômicas; surgiram novos países, outros deixaram de existir, algumas ideologias como o comunismo e o capitalismo começaram a dominar e se alastrar no mundo, alterando o modo de viver das pessoas.
A influência foi tamanha que houve interferência nas artes e na literatura, denotando que o mundo queria se libertar das algemas do passado e iniciar uma nova vida, uma nova era. As mudanças eram vistas “a olho nu”, porém, no Brasil predominava a República dos Fazendeiros com a mesma política, modelo ultrapassado conforme afirmações do pessoal esclarecido da época.
A marginalização do povo brasiliano continuava e a utilização de meios corruptos e desonestos era um elo fortíssimo para os poderosos se manterem no poder. As oligarquias cafeeiras, diferente do que acontecia no resto do mundo, eram intransigentes, não aceitavam qualquer tipo de mudança, temendo por em risco os seus interesses. Na década de vinte, um novo grupo se rebelou contra o governo dos fazendeiros. Dessa vez foram os oficiais do Exército, especialmente os de baixa patente, os cadetes, tenentes e capitães que lideraram as chamadas Revoltas Tenentistas. Na concepção “salvacionista”, de que a missão do Exército era salvar o País, esses oficiais não se conformaram como o tipo de governo que havia se instalado no Brasil. Sua revolta aumentava à medida em que a inflação crescia a passos largos. O privilégio que o governo deu às Forças Públicas estaduais, as Polícias Militares, em detrimento ao dele e, acima de tudo, a revolta por serem obrigados a pegar em armas e lutarem em defesa de um governo que condenavam.
Muita revolta, quando em 1922 aconteceram as eleições para escolha do Presidente da República, nos mesmos moldes corruptos da política “Café com leite” que elegia um mineiro, um paulista, um mineiro; assim, de antemão, a população já sabia quem seria o presidente. Dezoito oficiais, que serviam na Escola Militar e no Forte de Copacabana no Estado do Rio de Janeiro, revoltados contra tanta corrupção, resolveram se rebelar, tentando impedir pela força de suas armas que o presidente eleito, o paulista Artur Bernardes, tomasse posse e continuasse o domínio “café com leite”.
Conhecida como A Revolta dos Dezoito do Forte de Copacabana, era mais que um protesto a tudo que havia de corrupto na República dos Fazendeiros. Não tiveram sorte, foram esmagados e apenas dois conseguiram sobreviver. Em 1924 ocorreu uma nova revolta tenentista, só que no Estado de São Paulo. As forças leais ao governo conseguiram dominar a situação e os revoltosos fugiram para o Paraná e Rio Grande do Sul. No Paraná, os oficiais paulistanos se encontraram com um outro grupo rebelde que vinha dos pampas e formaram o movimento chamado Coluna Prestes, liderado pelo capitão Luís Carlos Prestes. Foram dois anos de peregrinação pelo interior do Brasil, tentando convencer a população a ficar contra a República Café com Leite. Neste episódio, os tenentes puderam observar que as injustiças, os sofrimentos e a miséria do povo eram muito maiores do que imaginavam. Assistiram de perto o domínio exercido pelos “Coronéis do Sertão” sobre os sertanejos, opressão que impediam de lutar contra o governo. Sem apoio, sem condições de lutar e vencer, a coluna Prestes foi desfeita.


Antonio Paiva Rodrigues- Militar-Membro da ACI, Alomerce e AOUVIRCE

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 19 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/cotidiano-artigos/a-revolta-dos-tenentes-460444.html

    Palavras-chave do artigo:

    revolta

    ,

    militarismo

    ,

    governo

    Comentar sobre o artigo

    Edjar Dias de Vasconcelos

    A introdução do Regime de governo fundamentado nos preceitos da República, sendo naturalmente que a mudança do Antigo Regime para o novo no Brasil não foi realizado pelo caminho da democracia, mas sim por forças militares sendo os dois primeiros Presidentes frutos desse Regime, o marechal Deodoro da Fonseca e o marechal Floriano Peixoto.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/08/2014 lAcessos: 12

    O MARKETING DE UM TIME DE FUTEBOL TEM SUAS ORIGENS NA ÉPOCA QUE PASSOU DE UMA MANEIRA MAIS MARCANTE

    Por: MARATl Esporte> Futeboll 04/09/2009 lAcessos: 239
    Angélica Silva

    Para a maioria das pessoas, "ser produtivo" significa terminar um projeto da faculdade, entregar o relatório para o chefe, ir à academia ou fazer uma faxina geral na casa. Na verdade, uma grande parte de ser "produtivo" é dizer aos outros o quão produtivo você é.

    Por: Angélica Silval Notícias & Sociedade> Cotidianol 15/01/2015

    Entenda todo o processo de autorização do concurso público do INSS. Essa autorização tem sido objeto de muita polêmica, por isso resolvemos esclarecer tudo sobre ela.

    Por: Guilhermel Notícias & Sociedade> Cotidianol 13/01/2015 lAcessos: 13

    Em 1915 uma seca devastadora castigou sem piedade o brasileiro inclusive o povo nordestino, os mais velhos contam que naquele ano foi uma época de muito sofrimento

    Por: Erandirl Notícias & Sociedade> Cotidianol 06/01/2015

    "É necessário que eu diminua e o Cristo cresça." (João Batista - João, 3:30). Eis algumas respostas à indagação proposta: Antídoto de muitos males, formadora de novos hábitos, indicadora eficaz do encontro consigo mesmo. Ressarcimento perante a consciência, fornalha renovadora das densas energias de culpa

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 05/01/2015

    Mais que em outros tempos, o orbe tem desenganado e tornado mais difícil à vida hominal. Numa sociedade egoísta, desumana e competitiva por excelência, massificante e indiferente, tornamo-nos quase sempre embrutecidos, pessimistas e passamos a achar natural o egoísmo, o egocentrismo e o "cada um para si" e Deus para todos, como se a responsabilidade, a altivez e a ética não fossem atribuições de cada um. O homem tem seus atributos, suas ações benéficas ou maléficas, independente ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 05/01/2015

    Por um caminho estreito sem proteção e com muitos pedregulhos, ansiávamos por uma diretriz, por uma matriz, por um azimute que nos posicionássemos mais tranquilos, e fora de perigo. Estávamos sem lenço e sem documento num lugar esquisito, tenebroso, assombroso que nos fazia arrepiar quando algo começava a piar. Folhas secas ao sabor do vento se misturavam a folhagem do local, os pirilampos com sua luz genial davam um tom especial ao local.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 04/01/2015

    Somos botões viçosos de espinheiros fortuitos não nascemos com destino gratuito, precisamos regar adubar e melhorar, nosso jardim, nosso coração, enfim de rosas, papoulas e jasmins. Precisamos nos livrar do egoísmo e conter a intolerância, pois somos normais, além de hominais somos normais, mas a nossa imperfeição pode nos levar a caminhos tortuosos em verdadeiros desalinhos.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/01/2015

    Podemos dizer que o amor é o combustível das almas. Estamos sempre em busca do alimento espiritual condizivel com a nossa formação, origem, geração e constituição. Na medida em que o tempo passa, apesar dos apetrechos legais colocados a disposição do hominal, ele não tem crescido o esperado em termos de comportamento. Se ainda não sabemos ou não aprendemos a amar é porque não nos desenvolvemos o bastante para alcançarmos o objetivo

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/01/2015

    Queremos mostrar a realidade dos nossos governos, visto que em pleno século XXI, ainda temos profissionais da mídia que fogem a sua destinação legal, que é o compromisso com a verdade, e passam a integrar a "imprensa marrom", com um único intento de ganhar dinheiro, que no linguajar da radiofusão nomina-se de "jabá".

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 29/01/2015

    A história do Brasil sempre foi construída de atos e fatos que enobrecem qualquer cidadão. Como acontece na vida humana fatos negativos aconteceram, no entanto não tiraram o brilho de nossa história, mas quando foi criado o Partido dos Trabalhadores (PT) a história do Brasil passou de gloriosa a uma derrocada sem proporções e tamanhos.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 28/01/2015

    De repente uma nuvem abençoada cobria todo cenário. Não era calvário, mas belo recanto que nos acolhia para o amor… Um torpor esquentava meu corpo e gozosas sensações ela sentia, era um amor extraordinário.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 27/01/2015

    Os acontecimentos do dia a dia, os atos e fatos, a inoperância dos governos (municipal, estadual e federal), a desumanidade, a falta de amor ao próximo, o egoísmo exacerbado, o apegamento exagerado às coisas materiais, em especial o vil metal ganho de forma irregular, a violência, a disputa homérica pelo poder, pelas melhores pastas governamentais e o desprezo incomum aos pobres, carentes e ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 25/01/2015

    Teus olhos são lindos, brilhantes e chamativos de amor fecundo… Suas pálpebras tem algo incomum, pois são como duas conchas iluminadas, Encantam como ninguém, todavia, porém, contudo deixam um encanto profundo. A tua face emoldura uma bela senhora de beleza descomunal e de sutilezas diferenciadas. Olhos acesos, coloridos, embevecidos de amor que chamam a atenção do mundo…

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 22/01/2015

    Falar e explicar regimes políticos, e estilos políticos não é tarefa fácil. Socialismo palavra derivado do francês (socialisme) é a doutrina que prega a primazia dos interesses da sociedade sobre os dos indivíduos, e defende a substituição da livre-iniciativa pela ação coordenada da coletividade, na produção de bens e na repartição da renda. Sistema político que adota essa doutrina. O socialismo poder ser científico, marxista, revolucionário e utópico.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 21/01/2015

    O que entendemos e o que se entende por Espírito? Segundo os teólogos e as grandes religiões, espírito é pela sua essência espiritual, um ser indefinido, abstrato, que não pode ter ação direta sobre a matéria, sendo-lhe indispensável um intermediário que é o envoltório fluídico, o qual, de certo modo; faz parte integrante dele. O que caracteriza essencialmente o espírito é a consciência, isto é, o eu, mediante o qual ele se distingue do que não está nele,...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 16/01/2015

    Os cientistas estudam há anos a formação do mundo, a origem do universo e como surgiu a vida na Terra. Temos a informar que segundo nossos estudos e conhecimentos viviam na Terra, seres estranhos, que mais se pareciam com macacos do que Homens, de modo que os estudiosos os chamam homens-macacos.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 16/01/2015 lAcessos: 13

    Comments on this article

    0
    ALCINEIA ROCHA 17/05/2010
    EU gostei muito desse sit
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast