A Revolta Dos Tenentes

Publicado em: 24/06/2008 |Comentário: 1 | Acessos: 3,365 |

A REVOLTA DOS TENENTES

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-

“A união faz a força, a revolta transtorna e seu potencial é sempre minado por conspirações, onde o algoz é o próprio integrante desta revolta.” (Antonio Paiva Rodrigues).

Era grande o número de pessoas insatisfeitas com o governo exercido pela oligarquia cafeeira no Brasil. Os mais diversos setores sociais, industriais, classe média urbana e as classes trabalhadoras estavam indignados e cada um tinha seus motivos de insatisfação contra os mandatários que na opinião deles, visava exclusivamente o atendimento aos seus próprios interesses. Pelos idos de 1921/ 1930 – O descontentamento aumentou substancialmente. O País foi tomado por revoltas armadas. Os percalços do término da segunda mundial em 1918 surgiram e o orbe passou a viver épocas de transformação e mudanças políticas, sociais e econômicas; surgiram novos países, outros deixaram de existir, algumas ideologias como o comunismo e o capitalismo começaram a dominar e se alastrar no mundo, alterando o modo de viver das pessoas.
A influência foi tamanha que houve interferência nas artes e na literatura, denotando que o mundo queria se libertar das algemas do passado e iniciar uma nova vida, uma nova era. As mudanças eram vistas “a olho nu”, porém, no Brasil predominava a República dos Fazendeiros com a mesma política, modelo ultrapassado conforme afirmações do pessoal esclarecido da época.
A marginalização do povo brasiliano continuava e a utilização de meios corruptos e desonestos era um elo fortíssimo para os poderosos se manterem no poder. As oligarquias cafeeiras, diferente do que acontecia no resto do mundo, eram intransigentes, não aceitavam qualquer tipo de mudança, temendo por em risco os seus interesses. Na década de vinte, um novo grupo se rebelou contra o governo dos fazendeiros. Dessa vez foram os oficiais do Exército, especialmente os de baixa patente, os cadetes, tenentes e capitães que lideraram as chamadas Revoltas Tenentistas. Na concepção “salvacionista”, de que a missão do Exército era salvar o País, esses oficiais não se conformaram como o tipo de governo que havia se instalado no Brasil. Sua revolta aumentava à medida em que a inflação crescia a passos largos. O privilégio que o governo deu às Forças Públicas estaduais, as Polícias Militares, em detrimento ao dele e, acima de tudo, a revolta por serem obrigados a pegar em armas e lutarem em defesa de um governo que condenavam.
Muita revolta, quando em 1922 aconteceram as eleições para escolha do Presidente da República, nos mesmos moldes corruptos da política “Café com leite” que elegia um mineiro, um paulista, um mineiro; assim, de antemão, a população já sabia quem seria o presidente. Dezoito oficiais, que serviam na Escola Militar e no Forte de Copacabana no Estado do Rio de Janeiro, revoltados contra tanta corrupção, resolveram se rebelar, tentando impedir pela força de suas armas que o presidente eleito, o paulista Artur Bernardes, tomasse posse e continuasse o domínio “café com leite”.
Conhecida como A Revolta dos Dezoito do Forte de Copacabana, era mais que um protesto a tudo que havia de corrupto na República dos Fazendeiros. Não tiveram sorte, foram esmagados e apenas dois conseguiram sobreviver. Em 1924 ocorreu uma nova revolta tenentista, só que no Estado de São Paulo. As forças leais ao governo conseguiram dominar a situação e os revoltosos fugiram para o Paraná e Rio Grande do Sul. No Paraná, os oficiais paulistanos se encontraram com um outro grupo rebelde que vinha dos pampas e formaram o movimento chamado Coluna Prestes, liderado pelo capitão Luís Carlos Prestes. Foram dois anos de peregrinação pelo interior do Brasil, tentando convencer a população a ficar contra a República Café com Leite. Neste episódio, os tenentes puderam observar que as injustiças, os sofrimentos e a miséria do povo eram muito maiores do que imaginavam. Assistiram de perto o domínio exercido pelos “Coronéis do Sertão” sobre os sertanejos, opressão que impediam de lutar contra o governo. Sem apoio, sem condições de lutar e vencer, a coluna Prestes foi desfeita.


Antonio Paiva Rodrigues- Militar-Membro da ACI, Alomerce e AOUVIRCE

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 19 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/cotidiano-artigos/a-revolta-dos-tenentes-460444.html

    Palavras-chave do artigo:

    revolta

    ,

    militarismo

    ,

    governo

    Comentar sobre o artigo

    Edjar Dias de Vasconcelos

    A introdução do Regime de governo fundamentado nos preceitos da República, sendo naturalmente que a mudança do Antigo Regime para o novo no Brasil não foi realizado pelo caminho da democracia, mas sim por forças militares sendo os dois primeiros Presidentes frutos desse Regime, o marechal Deodoro da Fonseca e o marechal Floriano Peixoto.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/08/2014

    O MARKETING DE UM TIME DE FUTEBOL TEM SUAS ORIGENS NA ÉPOCA QUE PASSOU DE UMA MANEIRA MAIS MARCANTE

    Por: MARATl Esporte> Futeboll 04/09/2009 lAcessos: 230
    José Souza Silva

    São Paulo ira receber os primeiros ônibus que possuem conexão 4G. Este tipo de tecnologia possibilitará os seus usuários a verem e-mail, acessarem sites, redes sociais e ouvirem músicas.

    Por: José Souza Silval Notícias & Sociedade> Cotidianol 26/09/2014
    Daniel Paulo

    Quem busca maior qualidade de vida e mais saúde, normalmente busca a academia como principal auxílio, podendo este método ser sugerido por algum profissional da saúde, ou ainda passar a frequentar por vontade própria, no entanto, deve-se ter um objetivo.

    Por: Daniel Paulol Notícias & Sociedade> Cotidianol 20/09/2014

    Na sociedade hodierna, este tema milenar é mais que atual, pois, em todos os seguimentos encontramos esta inversão. O bem se transformou em mal, o bom, em ruim e a verdade em mentira. Enfim, este é um tema mundial, mas que em especial no nosso pais deveria ser passado a limpo.

    Por: Reinaldo Rodrigues Loureirol Notícias & Sociedade> Cotidianol 18/09/2014 lAcessos: 12
    Cibele Suzigan Randi

    Será que temos pensado em nossos dias? E se pensamos de que maneira isso acontece? Estamos sempre correndo, a mil por hora e pouco pensamos se isso está nos fazendo algum bem ou nos proporcionando algo. É isso que proponho ao escrever esse artigo.

    Por: Cibele Suzigan Randil Notícias & Sociedade> Cotidianol 16/09/2014

    O jovem milionário que não quis da entrevista fez uma doação de R$ 300.000,00 reais a uma instituição de caridade na baixada fluminense nesta sexta-feira do dia 12/09/14.Que este ato seja de inspiração para futuros ganhadores e empresários cariocas para parte da população esquecida pelos nossos governantes.

    Por: Monica Sulivanl Notícias & Sociedade> Cotidianol 16/09/2014
    Odalberto Domingos Casonatto

    O autor comenta a notícia que uma jovem Muçulmana, Mona Ramouni, deficiente visual, por motivos religiosos nunca pode ter um cão de guia (este animal é impuro), assim adotou um Poney para servir de guia. Agora na Universidade de Michigan, USA, Mona tem o Poney "Cali" como guia que a acompanha até dentro do ônibus. São ressaltados aspectos de adaptação cultural.

    Por: Odalberto Domingos Casonattol Notícias & Sociedade> Cotidianol 15/09/2014

    Todo Bem que almejamos conquistar honrosamente é a conquista da Paz chamada Amor de DEUS.

    Por: ADRASTIA ABNARAl Notícias & Sociedade> Cotidianol 11/09/2014
    Elizandra Souza

    A ciclovia é o maior engodo de todos os tempos em relação ao transporte público, pois desresponsabiliza o governo de sua obrigação em oferecer transporte decente. É sabido que pouquíssimos bairros na capital de SP teriam condições de terem ciclovias, não só pela falta de planejamento urbano - aparentemente nunca pensado, mas principalmente pela irregularidade do terreno paulista.

    Por: Elizandra Souzal Notícias & Sociedade> Cotidianol 10/09/2014

    Segundo Hammed (por Francisco do Espírito Santo Neto) a rigor, família é uma instituição social que compreende indivíduos ligados entre si por laços consanguíneos. A formação do grupo familiar tem como finalidade a educação, implicando, porém, outros fatores como amor, atenção, compreensão, coerência e, sobretudo, respeito à individualidade de cada componente do instinto doméstico. Uma expressão belíssima, esclarecedora, no entanto, vem se deformando nos dias atuais.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 25/09/2014

    Lágrimas são emoções materializadas que romperam bandeiras do corpo físico. Em realidade, representam os excessos de energia que necessitamos extravasar. Nem sempre são as mesmas fontes que determinam as lágrimas, pois variadas são as nascentes geradoras que as expelem através dos olhos. Em épocas de política o Brasil se transforma, e denotamos como são grandes os aparatos, que os candidatos fazem para chamar a atenção do eleitor. Festival de publicidades, bandeirolas são tremuladas pelo vento d

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatural 24/09/2014

    Ray Bradbury, escritor norte-americano, 1953 depois de Cristo, nos repassou essa lindeza, essa preciosidade que colocamos a disposição de quem gosta de auferir o que os grandes escritores colocam a nossa disposição. "O mundo está escuro e parece morto, feras e serpentes se escondem nas trevas… Então, tu apareces no horizonte… E a terra fica em festa. Os humanos se levantam do sono e partem para o trabalho. Ó sol, imagem do Criador, fogo inicial da Vida… Vamos colher, até o fim dos tempos,

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Ciênciasl 23/09/2014

    No suave mistério dos espaços, a Terra escura e triste se povoa e nos conduz. A esperança do homem que sofre todas as suas misérias, desesperanças e destemperanças, nos desertos de lágrimas da vida, desabafa, implora ao regaço divino de Jesus, que lhe dê mansuetude, alegria, prazer, trabalho e nada de ociosidade, e tão somente esperanças. Vislumbrando o exposto nas entrelinhas aprendemos que o ser humano por ser imperfeito, a cada dia que passa aumenta seu sofrimento no orbe terrestre.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 18/09/2014

    Por ser uma senhora de pura beleza só posso te enviar parabéns. A beleza está presente em muitas mulheres, no entanto, a beleza espiritual tem muito mais valia e engrandecem as aquinhoadas com esse dom. A beleza interior, aquela que vem do coração, vale mais do que a beleza conseguida através de produtos de beleza ou outros apetrechos para esse fim. Todas as flores do mundo valem menos do que a alegria de ter você a meu lado. Estou junto a ti, mas não por sua beleza externa, corporal ou facial

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 17/09/2014

    Alvitrei com meu amor para nós proclamarmos a felicidade, Explorei grandes atitudes de um ser Cireneico com paz e alegria, A bondade em meu coração seria como um bordão de raridade, Consciencialmente substanciado no amor ao próximo e não na revelia. Contributivo com amor a transmitir reguei tudo sem belicosidade… Deotropismo uma bela palavra que me imantou com imensa simpatia. Dileto amigo ajude-me a ultrapassar o caminho espinhoso com agilidade,

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 12/09/2014

    Encontrei meu amor mesmo com uma ânsia sem medidas. Na luta diária e nos entraves que nos envolvem esqueci que estava só… Nos olhares das pessoas indiscretas o mal se afigura como raios flamejantes. Não permita que o orgulho tome conta do seu ser, pois este mal afeta o amor e, consequentemente o coração. Eu posso afirmar de viva voz que ao te encontrar conheci por acaso, aliás, foi o acaso mais lindo da minha vida. Para se amar verdadeiramente hoje em dia, é preciso que o amor seja provado e sen

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 08/09/2014

    Antes mesmo do descobrimento do nosso país, ele já era habitado pelos silvícolas. Os estudiosos das civilizações antigas, pesquisadores, arqueólogos chegaram às descobertas pré-históricas, que foram executadas por meio de escavações e análises minuciosas, e, através, desses estudos calcularam que entre os anos 40 mil e 12 mil a.C., já existiam os povos nômades, caçadores e pescadores que usavam utensílios artesanais rudimentares, para as suas sobrevivências.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 25/08/2014

    Comments on this article

    0
    ALCINEIA ROCHA 17/05/2010
    EU gostei muito desse sit
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast