A Revolta Dos Tenentes

Publicado em: 24/06/2008 |Comentário: 1 | Acessos: 3,380 |

A REVOLTA DOS TENENTES

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-

“A união faz a força, a revolta transtorna e seu potencial é sempre minado por conspirações, onde o algoz é o próprio integrante desta revolta.” (Antonio Paiva Rodrigues).

Era grande o número de pessoas insatisfeitas com o governo exercido pela oligarquia cafeeira no Brasil. Os mais diversos setores sociais, industriais, classe média urbana e as classes trabalhadoras estavam indignados e cada um tinha seus motivos de insatisfação contra os mandatários que na opinião deles, visava exclusivamente o atendimento aos seus próprios interesses. Pelos idos de 1921/ 1930 – O descontentamento aumentou substancialmente. O País foi tomado por revoltas armadas. Os percalços do término da segunda mundial em 1918 surgiram e o orbe passou a viver épocas de transformação e mudanças políticas, sociais e econômicas; surgiram novos países, outros deixaram de existir, algumas ideologias como o comunismo e o capitalismo começaram a dominar e se alastrar no mundo, alterando o modo de viver das pessoas.
A influência foi tamanha que houve interferência nas artes e na literatura, denotando que o mundo queria se libertar das algemas do passado e iniciar uma nova vida, uma nova era. As mudanças eram vistas “a olho nu”, porém, no Brasil predominava a República dos Fazendeiros com a mesma política, modelo ultrapassado conforme afirmações do pessoal esclarecido da época.
A marginalização do povo brasiliano continuava e a utilização de meios corruptos e desonestos era um elo fortíssimo para os poderosos se manterem no poder. As oligarquias cafeeiras, diferente do que acontecia no resto do mundo, eram intransigentes, não aceitavam qualquer tipo de mudança, temendo por em risco os seus interesses. Na década de vinte, um novo grupo se rebelou contra o governo dos fazendeiros. Dessa vez foram os oficiais do Exército, especialmente os de baixa patente, os cadetes, tenentes e capitães que lideraram as chamadas Revoltas Tenentistas. Na concepção “salvacionista”, de que a missão do Exército era salvar o País, esses oficiais não se conformaram como o tipo de governo que havia se instalado no Brasil. Sua revolta aumentava à medida em que a inflação crescia a passos largos. O privilégio que o governo deu às Forças Públicas estaduais, as Polícias Militares, em detrimento ao dele e, acima de tudo, a revolta por serem obrigados a pegar em armas e lutarem em defesa de um governo que condenavam.
Muita revolta, quando em 1922 aconteceram as eleições para escolha do Presidente da República, nos mesmos moldes corruptos da política “Café com leite” que elegia um mineiro, um paulista, um mineiro; assim, de antemão, a população já sabia quem seria o presidente. Dezoito oficiais, que serviam na Escola Militar e no Forte de Copacabana no Estado do Rio de Janeiro, revoltados contra tanta corrupção, resolveram se rebelar, tentando impedir pela força de suas armas que o presidente eleito, o paulista Artur Bernardes, tomasse posse e continuasse o domínio “café com leite”.
Conhecida como A Revolta dos Dezoito do Forte de Copacabana, era mais que um protesto a tudo que havia de corrupto na República dos Fazendeiros. Não tiveram sorte, foram esmagados e apenas dois conseguiram sobreviver. Em 1924 ocorreu uma nova revolta tenentista, só que no Estado de São Paulo. As forças leais ao governo conseguiram dominar a situação e os revoltosos fugiram para o Paraná e Rio Grande do Sul. No Paraná, os oficiais paulistanos se encontraram com um outro grupo rebelde que vinha dos pampas e formaram o movimento chamado Coluna Prestes, liderado pelo capitão Luís Carlos Prestes. Foram dois anos de peregrinação pelo interior do Brasil, tentando convencer a população a ficar contra a República Café com Leite. Neste episódio, os tenentes puderam observar que as injustiças, os sofrimentos e a miséria do povo eram muito maiores do que imaginavam. Assistiram de perto o domínio exercido pelos “Coronéis do Sertão” sobre os sertanejos, opressão que impediam de lutar contra o governo. Sem apoio, sem condições de lutar e vencer, a coluna Prestes foi desfeita.


Antonio Paiva Rodrigues- Militar-Membro da ACI, Alomerce e AOUVIRCE

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 19 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/cotidiano-artigos/a-revolta-dos-tenentes-460444.html

    Palavras-chave do artigo:

    revolta

    ,

    militarismo

    ,

    governo

    Comentar sobre o artigo

    Edjar Dias de Vasconcelos

    A introdução do Regime de governo fundamentado nos preceitos da República, sendo naturalmente que a mudança do Antigo Regime para o novo no Brasil não foi realizado pelo caminho da democracia, mas sim por forças militares sendo os dois primeiros Presidentes frutos desse Regime, o marechal Deodoro da Fonseca e o marechal Floriano Peixoto.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/08/2014 lAcessos: 12

    O MARKETING DE UM TIME DE FUTEBOL TEM SUAS ORIGENS NA ÉPOCA QUE PASSOU DE UMA MANEIRA MAIS MARCANTE

    Por: MARATl Esporte> Futeboll 04/09/2009 lAcessos: 239

    A realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil prometia muito mais do que um espetáculo dentro de campo, com a presença dos maiores jogadores do mundo. A expectativa para a realização do segundo Mundial no país também estava concentrada em um grande impulso para a economia e geração de capital com o aumento do turismo em todas as regiões, o desenvolvimento do próprio esporte, além da realização de diversas obras para melhoria da infraestrutura, pelo menos, nas doze cidades-sedes.

    Por: Adriano Bezerral Notícias & Sociedade> Cotidianol 19/02/2015

    Com certeza, você ouviu falar dele. A participação do motoboy e ator, Douglas, de 29 anos, no Big Brother Brasil (BBB) durou apenas duas semanas, mas deu muito que falar. Ao sai do BBB, o motoboy afirmou que seu maior problema foi ter sido "verdadeiro demais"...

    Por: Adriano Bezerral Notícias & Sociedade> Cotidianol 13/02/2015

    Os tempos modernos andam turbulentos. A epidemia do desemprego ataca todos os países, inclusive os ricos, sobretudo na Europa. Os avanços da ciência nos deram mais vida: o brasileiro atualmente vive em média 71 anos, contra apenas 33 anos em 1900.

    Por: Central Pressl Notícias & Sociedade> Cotidianol 10/02/2015
    Angélica Silva

    Para a maioria das pessoas, "ser produtivo" significa terminar um projeto da faculdade, entregar o relatório para o chefe, ir à academia ou fazer uma faxina geral na casa. Na verdade, uma grande parte de ser "produtivo" é dizer aos outros o quão produtivo você é.

    Por: Angélica Silval Notícias & Sociedade> Cotidianol 15/01/2015

    Entenda todo o processo de autorização do concurso público do INSS. Essa autorização tem sido objeto de muita polêmica, por isso resolvemos esclarecer tudo sobre ela.

    Por: Guilhermel Notícias & Sociedade> Cotidianol 13/01/2015 lAcessos: 19

    Em 1915 uma seca devastadora castigou sem piedade o brasileiro inclusive o povo nordestino, os mais velhos contam que naquele ano foi uma época de muito sofrimento

    Por: Erandirl Notícias & Sociedade> Cotidianol 06/01/2015 lAcessos: 19

    "É necessário que eu diminua e o Cristo cresça." (João Batista - João, 3:30). Eis algumas respostas à indagação proposta: Antídoto de muitos males, formadora de novos hábitos, indicadora eficaz do encontro consigo mesmo. Ressarcimento perante a consciência, fornalha renovadora das densas energias de culpa

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 05/01/2015

    Mais que em outros tempos, o orbe tem desenganado e tornado mais difícil à vida hominal. Numa sociedade egoísta, desumana e competitiva por excelência, massificante e indiferente, tornamo-nos quase sempre embrutecidos, pessimistas e passamos a achar natural o egoísmo, o egocentrismo e o "cada um para si" e Deus para todos, como se a responsabilidade, a altivez e a ética não fossem atribuições de cada um. O homem tem seus atributos, suas ações benéficas ou maléficas, independente ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 05/01/2015

    Numa esplendorosa noite de lua cheia, vislumbrei o céu estrelado que nos convidava para uma bela noitada de amor. Olhei para o belo e delicado semblante de meu amor, pisquei os olhos, mas ela sem entender de que se tratava perguntou-me em tom suave, o que eu estaria almejando. Pensei em dizer-lhe que desejaria unir nossos corações naquela noite de luar convidativa para uma sessão de afagos e carinhos.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 19/02/2015

    Dentre os muitos escândalos surgidos no governo do Partido dos trabalhadores (PT), desde sua inserção na presidência da República, que os escândalos não param, pois assim que se chega ao fim uma investigação, começa outra. Mensalão, Propinoduto, Petrolão, BNDES e vem mais um o Eletrolão. São tantos escândalos que a Polícia Federal não terá condições de averiguar todos, visto que a demora em apontar nomes pode ser considerado o ponto fraco das investigações

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 19/02/2015

    Dizem alguns historiadores que uma grande maioria das festas cristãs tem um cunho pagão. Quem faz as afirmações baseia nas tradições dos povos antigos, pois os rituais eram mágicos religiosos e os religiosos usavam essa artimanha para controlar certos e determinados fatores que poderiam representar reveses em suas vidas. Com o passar do tempo tudo muda, no entanto, os desvios foram se sucedendo e nos dia de hoje esses rituais aparecem muito deturpados, nas mais diversas festividades cristãs.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 17/02/2015

    Segundo o dito popular amor de carnaval desaparece na fumaça. É igual a dor de cabeça, quando tomamos um comprimido, ela normalmente passa. Na vida tudo passa e o tempo se encarrega disso. Ao assistirmos os belos desfiles de carnaval pelo Brasil afora, denotamos que momentos de prazer se misturam a momentos dolorosos. Enquanto nosso País passa por momentos difíceis, o povo se esbalda, enche o papo de cachaça, cerveja e outras bebidas malfazejas.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 17/02/2015

    A palavra cidadania é a qualidade ou estado de cidadão. Já cidadão é o indivíduo no gozo dos direitos civis e políticos de um Estado, ou no desempenho de seus deveres para com este. Habitante de uma cidade, indivíduo, sujeito, homem, mas naturalmente um hominal de conduta ilibada. Cidadão do mundo é o homem que põe os interesses da humanidade acima da pátria; cidadão do Universo.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 14/02/2015

    Meu amigo você continua a não me entender. Você afirma que foram criados todos esses órgãos, mas os mesmos não funcionam. Por que o chefão da quadrilha (O Barba está solto?) não teve coragem de dar um depoimento para amenizar a situação dos seus companheiros de partido. Ficou ausente o tempo todo. O que adianta criar órgãos que os próprios petistas não obedecem? Eu nada tenho contra ou a favor do governo Fernando Henrique.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 10/02/2015

    O poder da palavra está na força do coração. A palavra simboliza a educação, a ética e a sabedoria… O poder da palavra está na vida e na dedicação. A palavra fortalece o poder e a sua força não negaria.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 08/02/2015

    Na minha vida compartilhei alegrias e tristezas, assim como nos céus brilham as estrelas, umas mais cintilantes, outras menos. Nos jardins brilham as flores e as rosas vertem perfumes, umas mais outras menos, mas são nos menores frascos que encontramos os melhores perfumes. Ouvi alguém afirmar: "No céu escolhi uma estrela de uma bela constelação, no jardim escolhi uma flor, para ser o meu grande amor e embelezar o meu coração".

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 04/02/2015

    Comments on this article

    0
    ALCINEIA ROCHA 17/05/2010
    EU gostei muito desse sit
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast