Então é natal

Publicado em: 25/12/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 26 |

Então é Natal. E eu pergunto às pessoas que estão embevecidas com a data se elas sabem exatamente qual é o significado do evento e todas parecem ficar incomodadas com o questionamento. Afinal, para a maioria da população ela representa tão somente uma época em que injetaremos altas doses de consumismo na veia para gáudio do sistema capitalista. É como se uma pessoa utilizasse a droga e outra sentisse a fissura.

Daqui a alguns dias, os efeitos deste orgasmo de consumo desmedido estará espalhado em nossos quintais, irá para os lixões e depois será desovado em algum lugar do planeta juntamente com todos os consectários nefastos para o meio ambiente que já estamos cansados de saber. De qualquer maneira, não há como fugir; somos levados de roldão e mesmo aqueles que não professam religião alguma, são arrastados pela grande onda.

Alguns poucos dizem tratar-se de um tempo de reflexão, porém, quando trago à tona os problemas que estão afligindo a civilização e o planeta, eles me mandam parar. Afirmam que a reflexão deve se restringir às questões individuais, sobre planejamentos a respeito daquilo que devemos mudar em nós mesmos para nos tornarmos pessoas mais disciplinadas e produtivas. Em suma, peças mais convenientes para o grande deus-capital.

Retruco que o indivíduo deve tentar se lapidar realmente, buscando o máximo de brilho possível, mas que esta luz deve ser utilizada para iluminar os seres que nos cercam e que não a possuem suficientemente. Que devemos usá-la para fazer uma profunda reflexão sobre as desigualdades sociais que se tornam bem mais evidenciadas em épocas como essa. Enfim, que devemos melhorar para podermos exercer com maior plenitude a tão necessária solidariedade para com todos demais os seres do universo e não apenas para tirarmos maiores proveitos para a nossa esfera individual.

Palavras ao vento. Ninguém está disposto a parar e escutar. As lojas em poucas horas irão fechar e eles precisam correr para comprar os presentes até mesmo para pessoas que detestam, mas que a deplorável imposição do politicamente correto lhes obriga a presentear. E daí? Afinal, montanhas de lixo irão abafar qualquer resquício de culpa que possa lhes assombrar futuramente por não terem percebido e incorporado o verdadeiro significado que eles mesmos afirmam possuir o Natal.

Então é Natal. E o que você fez? 

Jorge André Irion Jobim. 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/cotidiano-artigos/entao-e-natal-5515486.html

    Palavras-chave do artigo:

    natal

    ,

    jorge andre irion jobim

    ,

    filosofia rustica

    Comentar sobre o artigo

    Angélica Silva

    Para a maioria das pessoas, "ser produtivo" significa terminar um projeto da faculdade, entregar o relatório para o chefe, ir à academia ou fazer uma faxina geral na casa. Na verdade, uma grande parte de ser "produtivo" é dizer aos outros o quão produtivo você é.

    Por: Angélica Silval Notícias & Sociedade> Cotidianol 15/01/2015

    Entenda todo o processo de autorização do concurso público do INSS. Essa autorização tem sido objeto de muita polêmica, por isso resolvemos esclarecer tudo sobre ela.

    Por: Guilhermel Notícias & Sociedade> Cotidianol 13/01/2015 lAcessos: 13

    Em 1915 uma seca devastadora castigou sem piedade o brasileiro inclusive o povo nordestino, os mais velhos contam que naquele ano foi uma época de muito sofrimento

    Por: Erandirl Notícias & Sociedade> Cotidianol 06/01/2015

    "É necessário que eu diminua e o Cristo cresça." (João Batista - João, 3:30). Eis algumas respostas à indagação proposta: Antídoto de muitos males, formadora de novos hábitos, indicadora eficaz do encontro consigo mesmo. Ressarcimento perante a consciência, fornalha renovadora das densas energias de culpa

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 05/01/2015

    Mais que em outros tempos, o orbe tem desenganado e tornado mais difícil à vida hominal. Numa sociedade egoísta, desumana e competitiva por excelência, massificante e indiferente, tornamo-nos quase sempre embrutecidos, pessimistas e passamos a achar natural o egoísmo, o egocentrismo e o "cada um para si" e Deus para todos, como se a responsabilidade, a altivez e a ética não fossem atribuições de cada um. O homem tem seus atributos, suas ações benéficas ou maléficas, independente ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 05/01/2015

    Por um caminho estreito sem proteção e com muitos pedregulhos, ansiávamos por uma diretriz, por uma matriz, por um azimute que nos posicionássemos mais tranquilos, e fora de perigo. Estávamos sem lenço e sem documento num lugar esquisito, tenebroso, assombroso que nos fazia arrepiar quando algo começava a piar. Folhas secas ao sabor do vento se misturavam a folhagem do local, os pirilampos com sua luz genial davam um tom especial ao local.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 04/01/2015

    Somos botões viçosos de espinheiros fortuitos não nascemos com destino gratuito, precisamos regar adubar e melhorar, nosso jardim, nosso coração, enfim de rosas, papoulas e jasmins. Precisamos nos livrar do egoísmo e conter a intolerância, pois somos normais, além de hominais somos normais, mas a nossa imperfeição pode nos levar a caminhos tortuosos em verdadeiros desalinhos.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/01/2015

    Podemos dizer que o amor é o combustível das almas. Estamos sempre em busca do alimento espiritual condizivel com a nossa formação, origem, geração e constituição. Na medida em que o tempo passa, apesar dos apetrechos legais colocados a disposição do hominal, ele não tem crescido o esperado em termos de comportamento. Se ainda não sabemos ou não aprendemos a amar é porque não nos desenvolvemos o bastante para alcançarmos o objetivo

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/01/2015

    Apesar do fato de que já existem riquezas demais acumuladas, principalmente em um país rico como o Brasil, eles que não se atrevam a desejar mais do que aquelas insignificâncias que lhes permitem usufruir. Eles que se mantenham covardes diante do aparato repressivo do estado e se acostumem com a mediocridade de suas vidas. Se querem ser um gigante, que o sejam, mas sejam um gigante domesticado, sempre fazendo exercícios de genuflexão perante seus senhores.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 02/01/2014 lAcessos: 33

    E é aí então que cometemos mais um de nossos enganos: não existe o jogar fora. É claro que jogamos fora de nossa casa strictu sensu, aquele pequeno território delimitado por muros ou cercas dentro do qual está a construção em que residimos, mas não de nossa casa latu sensu que é o planeta.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 26/02/2013 lAcessos: 59

    As nuvens cerradas da inquisição e do obscurantismo estão pairando sobre o STF durante o julgamento da Ação Penal 470. Mas não nos preocupemos, afinal quando chegar a hora do julgamento (se chegar) do mensalão do PSDB ou Privataria Tucana, os ventos do iluminismo irão voltar a arejar as mentes dos seus ministros. Eles então deixarão de ser verdugos cortando cabeças a mando dos membros da aristocracia e convenientemente voltarão a ser magistrados na verdadeira acepção da palavra.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 21/10/2012 lAcessos: 34

    Os magistrados são pressionados a atenderem aos desejos rasteiros do populacho insuflado pelas palavras inflamadas verberadas pelos falsos defensores da moral e dos bons costumes e ai deles se não se dobrarem à demanda da mídia. Serão esculachados e terão suas honestidades colocadas em dúvida, sempre sob a alegação de que foram certamente "comprados" por alguém.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 26/09/2012 lAcessos: 95

    Então eu me dei conta de como seria tão mais bonito e fascinante o mundo do direito se, quando deixássemos o plano das abstrações e ingressássemos no âmbito dos casos concretos, os seus atores como juízes, promotores e advogados descessem de seus pedestais, se despissem de seus trajes com as cores da empáfia com que costumam se vestir e, ao invés de quererem sobrepor seus notórios saberes jurídicos uns sobre os outros, resolvessem se aventurar juntos em busca de uma maior proximidade daquilo que

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 03/08/2012 lAcessos: 44

    Como se pode ver, a CPI não tem poder acusatório, não exerce as funções do ministério público e não tem atribuição de julgar, condenando ou absolvendo. No final do prazo estabelecido, caso os investigados não tenham sido considerados inocentes de plano com o conseqüente arquivamento do inquérito parlamentar, o relatório será enviado ao Ministério Público e ele sim, será o encarregado de analisar tais conclusões e decidir se é o caso de promover a responsabilidade civil ou criminal.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 30/07/2012 lAcessos: 40

    Acontece que existe na área do direito, uma modalidade de culpa, a denominada "culpa in eligendo", que é justamente aquela que se configura quando o agente não toma as cautelas necessárias para a escolha de uma coisa e de pessoa para exercer uma atividade. É a negligência, a falta de critérios e cuidados na hora da escolha dos nossos representantes ou prepostos.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Notícias & Sociedade> Polítical 23/07/2012 lAcessos: 950

    Tudo está regulamentado, direcionado conforme o script determinado pelo sistema e nós apenas desempenhamos os papéis que ele nos determina ou permite que desempenhemos. Colocaram rédeas em nossos corpos e pensamentos e ai daquele que se insurgir e tentar caminhar fora dos trilhos.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Notícias & Sociedade> Polítical 05/07/2012 lAcessos: 91
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast