O povo gosta de sangue

Publicado em: 14/02/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 65 |

Quando vemos o quanto o IBOPE sobe com as matérias relacionadas às carnificinas, nos perguntamos por que ainda há tanta contradição entre aquilo que diz a população e aquilo que ela permite ter como parte de sua vida.

Nestes casos violentos, o movimento da população é sempre de expansão da comunicação e da mídia, numa exaustiva exploração. Freud, estaria certo, somos selvagens primitivos, que só podemos ter convivência social pelo aprendizado e internalização de estruturas simbólicas, conquistadas pela "castração" (num querer dizer, você não pode tudo).

Na exploração midiática dos massacres, vemos emanar este primitivismo, que é nosso, está aqui, em nós, em algum lugar. Esta energia que impulsiona um interesse não é visto somente quando falamos de casos violento ou de massacres, num entendimento de que quanto mais sangue melhor.

Seja pelo interesse nos fatos exclusivos de crimes chocantes, onde os pedaços da carne alheia fazem o desejo pulsional se movimentar, seja na necessidade canibalesca de se aproximar, tocar, abraçar ídolos, artistas ou famosos em geral, seja no prazer visceral (e inconsciente - só para não se culpabilizar) com a visualização de casos sangrentos. E quem muda o canal da tv? Ou desconsidera um e-mail exclusivo de vítimas esquartejadas  por acidentes ou assassinatos?

Muitos famosos andam com seguranças, simplesmente por que o "amor" mata. Se não fosse esse esquema seria como carne jogada aos leões. Por "amor", por fanatismo, seja lá pelo nome que for, um famoso pode ser morto sufocado ou dilacerado pelos seus fãs, ou mesmo por repórteres e paparazis. E ainda, haveria discussão sobre quem ficou com a parte mais especial. É o sangue que nos corre nas veias que nos mantém vivos e, como canibais, visuais ou táteis, é pelo sangue do outro que eu mostro que há sangue correndo em mim. 

Este é o primitivismo que apresentamos, mesmo sem saber ou sem querer, a todo momento na vida, naquilo que escolhemos para assistir na tv ou na internet, ou lermos nos jornais e revistas. 

Como animais famintos assistimos e nos interessamos pelos detalhes mais sórdidos e mórbidos. E, ainda, que se negue, há sempre um querer saber. Daí a exploração de programas e videos que revelam a degradação de corpos: acidentes nas ruas, tiros à queima roupa, o corpo encontrado sem algumas partes...  E se a tv não mostra tudo, com certeza, alguém vai encontrar na íntegra as cenas na internet, e irá distribuir e terá milhões de acesso.

 

Isto é próprio do ser - apesar de existirem teorias que dizem o contrário. Mas é no ser que está esta faísca de carnificina, de violência. Cada um de nós traz consigo este impulso que nunca será completamente extinto e sempre tentará encontrar meios de se manifestar. 

Pela educação, pelo aprendizado, pela internalização de símbolos conduzimos esta faísca quando se torna chama. Contudo, quanto menor for a oferta de elementos desviantes, maior será a emanação do impulso de forma primitiva (não social). 

Para a Psicanálise, isto significa a queda do simbólico. Ou seja, não estamos mais sabendo usar elementos simbólicos para nos expressarmos. E quando digo expressão, não é somente no sentido de agir, mas é no sentido de indicativo de direção. Tudo o que escolhemos: roupas, comportamentos, palavras, diz algo sobre nós. 

Portanto, utilizar-se de mecanismos simbólicos é permitir que não haja represamento de maneira tal que quando for descarregado não seja de forma drástica, impulsiva, agressiva, violenta, destrutiva.  

Não precisamos assassinar ninguém para expressar nosso prazer no sangue alheio. O fato de ver, ou mesmo de participar através de manifestações afetivas, já nos conduzem a pensar no quão ainda é primitivo nosso modo de expressão pulsional.

Por isso, há necessidade do simbólico, da linguagem. Para viver em sociedade é preciso ter formas de manifestação afetiva, seja de amor, ódio ou indignação que não exale somente a degradação do ser ou a negatividade que se dirige para a destruição da sociedade.

Mas longe de me afastar do início do texto, retomo o ser primitivo, que insiste em aparecer, principalmente numa estrutura sem Lei. Ou numa sociedade sem normas, valores, regras, delimitadores e condutores.

Ainda que os idealistas acreditem que há possibilidade de ser autônomo, dono de sua própria regra, não será possível cegar-se à necessidade atual de leis e normas para regerem a vida social. Assim como, não há como negar que nosso prazer incide naquilo que há de mais primitivo no ser, como se nos restaurasse às formas originárias.

Elizandra Souza Psicanalista
Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/cotidiano-artigos/o-povo-gosta-de-sangue-5660286.html

    Palavras-chave do artigo:

    violencia

    ,

    prazer

    ,

    limite

    Comentar sobre o artigo

    leone pereira de souza

    O objetivo deste trabalho foi investigar os saberes docentes e discentes sobre drogas, violência no âmbito escolar e sua influência no processo educacional, em uma Escola Estadual no Município de Boa Vista/RR/Brasil, conscientizando assim os alunos e demais segmentos da comunidade escolar. Tenta-se responder a seguinte problemática: De que forma o professor aborda esta temática em sala de aula? e com qual frequência o faz? A pesquisa tem cunho quali-quantitativa, utilizando o método Hermenêutico

    Por: leone pereira de souzal Educaçãol 17/02/2010 lAcessos: 2,177 lComentário: 1

    O desafio colocado aos seres vivos em tempos de padrões sustentáveis de produção e consumo empurra o sistema educacional e os meios de controle social para um possível abismo: os limites do planeta sem uma gestão consciente e um compartilhamento racional de seus riscos poderá ampliar os padrões de todas as espécies de violência.

    Por: Gianno Nepomucenol Direito> Doutrinal 07/06/2013 lAcessos: 76
    NÚCCIA GAIGHER MAGALHÃES

    O presente trabalho pretende então expor pontos observados em estudo sobre uso de drogas e a violência na adolescência, apresentando definições e características marcantes desta complexa fase do desenvolvimento humano, relacionando com a temática em foco. Este trabalho foi desenvolvido pela equipe de graduandos no 5º período do curso de Psicologia pela Faculdade Pitágoras, sob a orientação da Professora Mestre Ana Carolina Zeferino.

    Por: NÚCCIA GAIGHER MAGALHÃESl Psicologia&Auto-Ajudal 27/06/2009 lAcessos: 5,474 lComentário: 2

    O objetivo deste estudo foi verificar como a mídia influencia o desenvolvimento moral da criança, quando da sua exposição nos meios de comunicação a partir de uma denúncia não verídica de violência sexual em uma escola infantil do município de Vila Velha, Espírito Santo. Trata de um estudo descritivo, desenvolvido na Unidade Municipal de Educação Infantil "José Silvério Machado", Jardim Marilândia, Vila Velha, ES. Participaram do estudo 10 professores.

    Por: ADRIANA CHAGAS MEIRELES ZURLOl Educaçãol 28/08/2014 lAcessos: 37

    Embora a violência seja enquadrada como física (e nesse caso incluímos também a violência sexual) e/ou verbal, podemos dizer que ela opera também no espaço do implícito, do não-dito, da negligência e da omissão e que, ficam melhor evidenciados quando tratamos, por exemplo, de pessoas deficientes. Para este segmento da população mecanismos violentos tais como: a segregação e o preconceito, a exclusão social, a estigmatização, a omissão e a negligência podem ser ainda mais prejudiciais.

    Por: Thiago de Almeidal Psicologia&Auto-Ajudal 23/01/2009 lAcessos: 1,483 lComentário: 1

    O objetivo deste artigo é abordar introdutoriamente uma lacuna apresentada em artigos anteriores, abordando "algumas variáveis" empregadas pela Inquisição para definir o que era "bruxaria" no âmbito da sexualidade.

    Por: Géssica Hellmannl Educação> Ciêncial 23/03/2008 lAcessos: 1,840 lComentário: 1
    Elmis santos

    Numa sociedade cada vez mais capitalista, onde se ganha muito e gasto em dobro para tratar das doenças adquiridas durante o trabalho, o unico remédio para os males do homem moderno, pode ser o conhecimento, como coadjuvante no processo de desenvolvimento humano e promoção da vida de todos. Faça sua parte!

    Por: Elmis santosl Psicologia&Auto-Ajuda> Redução de Stressl 19/09/2012 lAcessos: 63
    Marco Bueno

    Apenas um pensamento que nos faz refletir quais são os limites da pedagogia.

    Por: Marco Buenol Educação> Ensino Superiorl 13/07/2012 lAcessos: 227

    A violência absurda, os estupros e assassinatos de mulheres mostram que há algo muito errado na sexualidade humana. No presente artigo, especialmente dirigido ao público feminino, você vai conhecer um pouco sobre a "Guerra dos Sexos" – um assunto antigo e atual, que interessa a todas as mulheres que desejam uma vida mais consciente, saudável e independente.

    Por: Servo da Deusal Relacionamentos> Sexualidadel 21/05/2014 lAcessos: 97

    Afigurando os alicerces psicológicos com ambiência, sem amesquinhar os desejos e as interações sedimentadas no bem, no bem-estar e no desenvolvimento mitológico, nós seres humanos devemos albergar o amor ao próximo como ensinou o grande Mestre Jesus, o Cristo. Não devemos nos levar pelos excessos para não sofrermos atos anatomopatológicos e com saúde e sem anomalias, possamos alcançar o sucesso. Diante da bondade de Deus, o nosso Espírito engrandece com Jesus, discriminado pelos fariseus.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 29/10/2014

    O Ministério do Trabalho deve criar, nos próximos dias, um grupo de trabalho para estudar as melhores diretrizes para regularizar definitivamente as relações entre os profissionais autônomos da área da beleza e os locais onde os mesmos arrendam espaço para prestação de serviços – os salões

    Por: Central Pressl Notícias & Sociedade> Cotidianol 06/10/2014 lAcessos: 16

    O texto reflete sobre a obra Cibercultura do filósofo francês Pierre Lévy. Ele fala sobre como o ciberespaço está articulado com o território onde vivemos.

    Por: Fabio Rossol Notícias & Sociedade> Cotidianol 04/10/2014

    A equipe do Hospital Regional Público do Sudeste Dr. Geraldo Veloso, administrado pela Pró-Saúde e que fica em Marabá, no Pará, surpreendeu paciente e fez uma festa de debutante, com direito a coroa de princesa, bolo de aniversário e a companhia dos familiares.

    Por: Aline Limal Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/10/2014
    Noivos de Fresco

    Precisa de dicas e ideias para o seu casamento? Casar no Ano Novo será sempre uma data memorável! Venha descobrir mais!

    Por: Noivos de Frescol Notícias & Sociedade> Cotidianol 01/10/2014
    José Souza Silva

    São Paulo ira receber os primeiros ônibus que possuem conexão 4G. Este tipo de tecnologia possibilitará os seus usuários a verem e-mail, acessarem sites, redes sociais e ouvirem músicas.

    Por: José Souza Silval Notícias & Sociedade> Cotidianol 26/09/2014 lAcessos: 13
    Daniel Paulo

    Quem busca maior qualidade de vida e mais saúde, normalmente busca a academia como principal auxílio, podendo este método ser sugerido por algum profissional da saúde, ou ainda passar a frequentar por vontade própria, no entanto, deve-se ter um objetivo.

    Por: Daniel Paulol Notícias & Sociedade> Cotidianol 20/09/2014

    Na sociedade hodierna, este tema milenar é mais que atual, pois, em todos os seguimentos encontramos esta inversão. O bem se transformou em mal, o bom, em ruim e a verdade em mentira. Enfim, este é um tema mundial, mas que em especial no nosso pais deveria ser passado a limpo.

    Por: Reinaldo Rodrigues Loureirol Notícias & Sociedade> Cotidianol 18/09/2014 lAcessos: 19
    Elizandra Souza

    A ciclovia é o maior engodo de todos os tempos em relação ao transporte público, pois desresponsabiliza o governo de sua obrigação em oferecer transporte decente. É sabido que pouquíssimos bairros na capital de SP teriam condições de terem ciclovias, não só pela falta de planejamento urbano - aparentemente nunca pensado, mas principalmente pela irregularidade do terreno paulista.

    Por: Elizandra Souzal Notícias & Sociedade> Cotidianol 10/09/2014 lAcessos: 12
    Elizandra Souza

    O mundo contemporâneo foi construído pelas discussões sobre as minorias e suas necessidades de inserção na sociedade. Todo o discurso de abertura social e cultural para melhor conhecer e compreender o outro, diferente, gerou grandes desenvolvimentos na comunicação e na interação entre as sociedades.

    Por: Elizandra Souzal Notícias & Sociedade> Cotidianol 24/10/2013 lAcessos: 38
    Elizandra Souza

    Guerras, lutas, mortes, bombas, ataques eram e continuam sendo os termos e ações que consolidam a irracionalidade de determinados grupos políticos e religiosos que se enfrentam por não aceitarem suas diferenças.

    Por: Elizandra Souzal Notícias & Sociedade> Cotidianol 01/04/2013 lAcessos: 37
    Elizandra Souza

    O tempo passa e a adolescência continua concentrando suas forças nas dúvidas sobre quem ser, o que fazer, como viver.

    Por: Elizandra Souzal Notícias & Sociedade> Cotidianol 08/02/2013 lAcessos: 44
    Elizandra Souza

    Jerusalém é realmente uma cidade que nos põe a refletir, mas o sentido desta reflexão é sempre algo extremamente subjetivo. Na minha visão, a importância de Jerusalém, para além do sagrado, está na questão do poder. A Terra Santa é a representação do que o poder, ou a crença nele, faz com uma pessoa, um povo, uma cidade ou uma cultura. O poder que influencia tanto aquele que acredita que o tem como aquele que sofre sua força.

    Por: Elizandra Souzal Notícias & Sociedade> Cotidianol 08/02/2013 lAcessos: 40
    Elizandra Souza

    Antigamente, as escolhas, os comportamentos, os conceitos eram bem mais definidos e menos flexíveis. Hoje, com o advento da tecnologia e da comunicação, que avassalam na pós-modernidade, todos os conceitos, comportamentos etc são mais instáveis, volúveis, ou seja, a transformação é constante. Algo que é hoje, amanhã pode já não ser.

    Por: Elizandra Souzal Negócios> Gestãol 21/09/2012 lAcessos: 94
    Elizandra Souza

    Ainda que não consigamos entender a complexidade dos atos criminosos e violentos, aceitar a simples justificativa patológica do distúrbio mental ou psicológico já não é possível, pois cada vez mais, nos são revelados casos escabrosos realizados por sujeitos comuns. Sim, eles têm vida ‘normal'! Trabalham, estudam, casam-se, têm filhos, e mesmo assim, podem cometer crimes altamente perversos e bárbaros.

    Por: Elizandra Souzal Notícias & Sociedade> Cotidianol 09/06/2012 lAcessos: 127
    Elizandra Souza

    O movimento de apoio ao uso das bicicletas na cidade de São Paulo é mais uma forma de desvio da responsabilidade pública em oferecer um transporte público decente. Como uma cidade com tantos veículos se torna refém das bicicletas?

    Por: Elizandra Souzal Notícias & Sociedade> Cotidianol 16/05/2012 lAcessos: 65
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast