O Que Entendemos Por “Ser Neurótico?”

09/06/2008 • Por • 4,603 Acessos

O QUE ENTENDEMOS POR “SER NEURÓTICO?”

Dr.Wagner Paulon

2008

Neurótico, é uma alocução mal empregada, tanto  nos dias de ontem como de hoje, e  quem a usa, salvo raríssimas exceções desconhece seu significado.

 

Há algum tempo, uma pessoa amiga me perguntou:

Quem é neurótico?

 

 Afirmei a ela, que todos nós somos um pouco neuróticos. Alguns são normalmente neuróticos ou para usar uma frase melhor, "não por demais neuróticos". Outros são neuróticos no sentido de serem incapacitados pela sua própria neurose.

 

Neurose significa uma reação excessiva da mente e do sistema nervoso aos distúrbios físicos ou a experiências desagradáveis.

 

Ausência de compreensão a respeito do estado anímico da doença neurótica faz que as pessoas se tornem pouco compreensivas, intolerantes e neuróticas.

 

A neurose, em outras palavras, é uma doença causada por motivos inconscientes, geralmente vantajosos ao neurótico. Os sintomas tentam explicar (o que os psiquiatras chamam de "linguagem física") e encontrar a finalidade que um determinado sintoma visa.

 

Tipos Comuns de Neurose

Existem várias espécies de neuroses (a palavra "psiconeurose", que ouvimos tanto hoje, significa o mesmo que "neurose"). Os tipos mais comuns de neurose são os seguintes:

 

1.  Neurastenia.

A fadiga é o sintoma predominante, embora o neurastênico possa também se queixar de dores e pontadas vagas.

 

2.  Histeria.

A instabilidade emocional é um dos sintomas mais característicos.    Os conflitos mentais se expressam através de sintomas que afetam várias partes do corpo.   Por exemplo, a mulher que é infeliz na vida conjugal pode queixar-se  ao marido de dores nas costas. Os psicanalistas e psiquiatras usam o termo "sintomas de conversão" por que realmente descrevem o que acontece: a infelicidade ou o conflito mental é convertido em um sintoma físico real.

 

3.  Hipocondria.

Vocês por diversas vezes já ouviram alguém se referir a uma pessoa como "hipocondríaca". Isto quer dizer que tal pessoa tem sempre uma doença, geralmente imaginária. Ela se preocupa excessivamente com a sua saúde e gosta de conversar a respeito de seus inúmeros distúrbios físicos.   

 

Uma vez perguntei a um senhor o que sentia.   Quando ele terminou sua descrição, eu tinha uma lista de 57 sintomas diferentes. Essas pessoas se tornam "pacientes profissionais" e vão de médico em médico em busca de alívio.

 

4.  Ansiedade.

A preocupação e o medo podem causar numerosos distúrbios em muitos indivíduos. Uma neurose deste tipo produz um estado de tensão crônico.

 

Deste grupo fazem parte as pessoas que são vítimas de ansiedade e medos de toda sorte. (Medo de elevadores, multidão, micróbios,  sexo, loucura, morte e muitos outros fatores).  Este sentimento de insegurança as toma sempre irrequietas. Nunca descansam. Permanecem num estado constante de exaustão nervosa.

 

Qualquer que seja a espécie de neurose, a psicologia do seu desenvolvimento é praticamente a mesma. Os neuróticos, que pensam em medo, são vítimas de motivações inconscientes. Em qualquer circunstância as neuroses são curáveis.

Perfil do Autor

Wagner Paulon

FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE (ESCOLA PAULISTA), MESTRE EM PSICOPATOLOGIA (ESCOLA PAULISTA), PSICOLOGIA (SAINT MEINRAD COLLEGE) USA, PEDAGOGIA...