Por cima do medo,a coragem!

10/05/2012 • Por • 59 Acessos

images?q=tbn:ANd9GcTscwpfatYcy_G7BEVQDnw

Esse ditado popular da Bahia  serve ,especialmente,aos escritores.

Todos aqueles que sonham escrever um livro  ,vivem mergulhados num emaranhado de dúvidas,algumas saudáveis,outras paralisantes,mas,ambas muito preocupantes no sentido de tolher a realização.

Existe uma diferença muito grande entre o desejo e o sonho.

Quem sonha em fazer seu  livro ,fica eternamente dominado pelo "vamos ver",quem sabe?" ,eu queria","talvez", "dará certo?" e todas essas correntes que castram a ação  paralisando  o futuro provável escritor que  acaba não fazendo nada porque,Deus não ajuda o homem que não age.

Já quem deseja fazer seu livro  e torná-lo público – ou seja publicá-lo –une o pensamento á ação.

Primeiro, busca recursos,aperta o orçamento,diminui as cervejas das sextas feiras,corta viagens,começa a se vestir nas lojas populares de custo mais baixo que as "griffes", enfim,se programa, faz um orçamento.

Após  medir o tamanho do seu bolso sai em busca de editoras, cujas propostas coincidam com o que pode gastar.Os  orçamentos das editoras que trabalham recebendo um pagamento dos autores têm orçamentos , serviços  e condições de pagamento diferentes  e, dentre esses ,algum há de lhes servir.

Igual a tudo na vida  é importante dar o primeiro passo.

Livro é um negócio, uma mercadoria e,como tal,tem riscos. A gente nunca vai saber se daria certo se não tentar.

Para os diversos gêneros literários  existem leitores;ficção, poesia,contos,crônicas,artigos,livros científicos ou didáticos,literatura infanto – juvenil, terror,eróticos,há público para todos.

Escolha seu segmento e vá em frente.

Muitas vezes a falta  (ou excesso) de  confiança  do futuro escritor ,atrapalha um pouco.

Há quem queira começar  imprimindo 1000 exemplares.

Quando me bato com um assim sempre lhe pergunto:

- Você tem família grande?

Parece jocoso ou cruel ,mas,é necessário para evitar riscos desnecessários.

Conheço  centenas de pessoas que fizeram muitos exemplares  os quais,hoje,encontram-se encaixotados debaixo da cama.E o cara desistiu de vez da literatura.Traumatizado!

Como  a primeira fornada de um livro é a mais cara – pois entra diagramação,capa,copydesk,ISBN –aconselho os autores que me procuram a fazer,de início,20 a 50 livros.

A segunda remessa se torna mais em conta,pode-se praticar um  preço mais acessível e,esgotado o estoque,fazer outros,que,na  Pimenta Malagueta será entregue em 15 dias.

E,você,amigo, já pensou no impacto psicológico entre seus amigos e parentes?

- Puxa, o livro de Fulaninho  esgotou no primeiro dia!

 Não é uma frase gostosa de se ouvir?

Agora,deixa eu te falar de um mico pelo qual todo internauta passa; confiar nos amigos,leitores e seguidores na Net.

Ao contrário do  que a gente pensa internautas não compram livros; pelo menos,os nossos livros.

Eu até vendi alguns para leitores cativos,mas, não pensem que é fácil.

Se fosse ,eu que tenho milhares de leitores na rede –entre sites,jornais e blogs – seria hoje um best-seller.

Aqui ,na Pimenta, procuro ajudar nossos autores a vender suas obras,mesmo porque,apesar de sermos pagos para isso,só publico os livros que eu mesma compraria.

Então,coloco os livros nas livrarias,apresento-os nos eventos literários, nas escolas e universidades,feiras e bienais (apesar de considerá-las apenas uma vitrine),estou criando uma loja virtual e ,sempre que possível ,quero aparecer nos lançamentos na cidade dos autores.

Mas, o livro é um produto que precisa ser trabalhado.

Pode ser bem aceito pelo público ou não; mas,só saberemos se nos arriscarmos a publicar.

Miriam Sales é escritora e editora

Perfil do Autor

Miriam de Sales

Baiana,mulher,68 anos,professora,escritora profissional,trilingue;gosto de arte,literatura,cinema,viagens. Livros Publicados: Livro de Família Textos Seletos Maktub Contos e Causos,A Bahia de Outrora ,Contos Apimentados. Membro da Academia Poçoense de Letras.da Academia de Cultura da Bahia e da Academia de Letras y Artes de Buenos Ayres.