Ritualização Na Sala De Aula

Publicado em: 25/10/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 1,452 |

RITUALIZAÇÃO NA SALA DE AULA

"O saber é uma das virtudes mais belas do ser humano".
por Antonio Paiva Rodrigues

 A Prefeitura da cidade de (o) Natal, no vizinho estado do Rio Grande do Norte, em consonância com a (SME) Secretaria Municipal de Educação promoveu a V jornada de Educação das escolas da Rede Municipal (V jemart). No écran, nos pródromos da educação nove entre dez profissionais de ensino dizem que, um dos maiores entraves do ofício de ensinar e educar reside no descaso com a autoridade do professor por parte das novas gerações.

Afirmação implícita no texto publicado na revista “Nova escola” mês maio, 2002. Júlio Groppa Aquino autor desta façanha e da matéria “Pela ritualização na sala de aula”, afirma que as exposições que estão nas entrelinhas deste artigo, embora legítimas, merecem alguns reparos. Diríamos ser caridosa e um contra-senso, as alusões de Groppa, o país que nos abraçou como filhos execra a briosa categoria dos mestres do ensino, como se fosse material de consumo e descartável. Na humilde opinião de um estudante de jornalismo, torna-se inviável induzirmos na época atual a autoridade contemporânea no rol de nossa vida, seja algo de véspera, ou pela ação dos governos, cuja intenção jamais poderá ser construída aos poucos. Autoridade envolvida nas aspirações do povo brasileiro, a espera é por demais desgastante urgem medidas que satisfaçam a todos, democratizar não significa esperar.

     


O “artesanato” aplicado ao ensino não condiz com a realidade. Acompanhando o avanço da tecnologia o planejamento estratégico, tático e operacional é um remédio curador de todos os males, seria de bom alvitre e de grande utilidade para os educadores de todas as categorias. Neste círculo, estão inclusas todas as autoridades em escala ascendente e crescente. O pensamento do professor Aquino Groppa seria interpretado em forma de poemas, trovas e contos com certeza. De tanto esperar, pensar e tomar decisões, certas ou erradas cansaremos. Associados as propostas negociadas e reinventadas continuamente iremos chegar à estagnação.  No universo de milhões de crianças famintas que só comparecem as aulas pela merenda escolar, a maioria não sabe ler e escrever, mesmo esteja sendo aprovada de ano em ano.

Onde está à responsabilidade da Secretaria de Educação Municipal e Estadual que não eliminam estas chagas que se transformam em cânceres, é imoral instituir lei autorizando o aluno(S) a não repetir ano, têm que passar mesmo sacrificando as férias dos estressados professores e dos alunos desinteressados. A fome é tão grande fruto de um salário miserável, que a inapetência já consumiu parte dos neurônios dos alunos do ensino fundamental e o aproveitamento é muito pouco, aprendem a desenhar seu nome e a balbuciar algumas palavras.


A ritualização tão preconizada é utópica na política atual, a pessoa do autor talvez tenha esquecido que os governos federais, estaduais e municipais não investem no social, principalmente na educação, saúde e segurança, parafraseando um grande apresentador de telejornal: “Isto é uma vergonha”. Hoje o mercado de trabalho visa açambarcar mentes privilegiadas, de fina educação, com experiência comprovada, a educação pública o que têm a oferecer aos estudantes de hoje, aos heróis anônimos que muitas vezes atravessam enormes distâncias em embarcações, em paus-de-arara,  no lombo de jumentos enfrentando poeira, calor, chuva e outras intempéries da natureza e no final do mês como diz o “professor Raimundo” o salário OH! A educação pública carece de tudo e ainda surgem políticos sagazes e diretores desonestos que desviam o incentivo ao ensino que é a merenda escolar. A Trindade, educação, saúde e segurança arquejam e se providências urgentes e bem planejadas e executadas não forem tomadas às letargias agirão com rigor aniquilando-a, e jamais ascenderão esperanças de um povo sofrido que só é lembrado em época de eleições. Vejo de um modo singelo, singular como Júlio Groppa se refere ao aluno e a sala de aula. Nos tempos antigos o ensino público tinha suas vantagens e nuances o exame de admissão “era um verdadeiro vestibular”, aqueles alunos que nada queriam só bagunçar, iam barrar nos bancos dos colégios particulares, pois todos eles eram conhecidos pelo jargão popular: “Pagou passou”, infelizmente na época atual a situação se inverteu, os particulares cresceram e os públicos estão em petição de miséria.

Um azimute totalmente desnorteado, um furor envolvente, as escolas particulares engolindo as públicas; o professor do ensino público estressado trabalha e não vê recompensa em seu bolso. A maioria passa fome, vai ao trabalho a pé, não dispõe de vil metal para pagar passagens e para compensar assumem a árdua tarefa de dois expedientes para ganhar um pouquinho mais, vitaminar seu ganho com genérico ou similar. Os contratos pedagógicos explicitam as condições mínimas para que as aulas ocorram a contento. Como? Não sei.

É um pacto de confiança entre professor e aluno, são formas sutis de ritualização da sala de aula, são estratégias e consagração dos diferentes papéis de professor e aluno, esses protagonistas do mundo das idéias e seu “encantamento”, que poucos conhecem. (a velha estória da carochinha). No perpassar do tempo existem mais fracassos, realizações poucas, aspirações muitas. Amigo Groppa a clareza que o alunado tem de seus deveres ficou oculta, nas universidades e faculdades acontece o mesmo, o professor sofre, na extensão do campus e na sala de aula, a conversa paralela corre à solta e a turma do fundão atrapalha tudo.

A clareza que o aluno tem de seus deveres está longe de acontecer. Existe exceção é claro. O respeito mútuo, o exercício livre do pensar e a alegria de tomar parte da vida não são conseqüências, é obrigação. Ressalte-se a beleza de suas conotações, só que talvez um belo sonho tenha concretizado sua ritualização da sala de aula, nem as religiões estão usando o ritual, ele estressa e banaliza quem a usa. Estamos carentes de renovação, aulas de Campo, participação efetiva dos alunos em seminários, exterminarem a timidez, para que não venhamos a lamentar a qualidade dos profissionais que são colocados no mercado de trabalho. Já ouviram falar em FOFA (Fortalezas, oportunidades, fraquezas e ameaças), tudo devemos colocar em jogo, pontos fortes, pontos fracos, quebrar paradigmas.

Neste país onde corrupto inescrupuloso pede exame de DNA para papéis, o que vou dizer para as futuras gerações. O sucesso está no cumprimento do dever legal. Precisamos auferir aos nossos estudantes a confiança em si, “Em princípio, o homem que se exalça, que ergue uma estátua à sua própria virtude, anula, por esse simples fato, todo mérito real que possa ter.” Entretanto, que direi daquele cujo único valor consiste em parecer o que não é? Admito de boa mente que o homem que pratica o bem experimenta uma satisfação íntima em seu coração; mas, desde que tal situação se exteriorize, para colher elogios, degenera em amor próprio. O Amor próprio não é factual destarte a historiografia, que se assemelham às carochinhas que tentam nos passar e induzir. O bom pedagogo precisa diamantizar idéias e lançá-las no espaço rotineiro de seu trabalho, jamais poderão esquecer que a organização é o caminho para o sucesso, eliminando as rotinas, as regras fixas, a mesmice, o ostracismo, a inércia e apresentar sua estrutura organizacional, sua grade curricular, idéias inovadoras farão elastecer seus valores e aumentar sua capacitação.

Ressalte-se mais uma vez que professores têm seus limites e às vezes as idéias geniais podem nascer de uma classe menos culta. Nunca devemos ser céticos, nem usar o conluio e sim colimar, cônsono aos objetivos da coletividade. Com estas perspectivas em mente o corolário (conclusão/resultado) será o almejado, o planejado e o executado. De afogadilho jamais.  O ensino não sobrevive de fábulas e sim da realidade e do esforço de cada um.


 

 ANTONIO PAIVA RODRIGUES-ACADÊMICO DA ALOMERCE E MEMBRO DA ACI

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 23 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/cotidiano-artigos/ritualizacao-na-sala-de-aula-616670.html

    Palavras-chave do artigo:

    melhoria qualidade ensino

    Comentar sobre o artigo

    Eduardo Luis Ferreira

    A avaliação na educação é um tema muito polêmico, pois avaliar requer um intrincado de meios, métodos e percepção/intuição profissional, cabendo a ele transmitir através de nota a evolução ou não do educando, tornando uma tarefa não muito fácil, haja vista que, existe um prazo determinado para esta avaliação. Na história da avaliação educacional constata-se que alunos e professores freqüentemente tem sido alvo dos interesses dos avaliadores, sob múltiplas e variadas perspectivas. Hoje a avaliaçã

    Por: Eduardo Luis Ferreiral Educaçãol 20/07/2010 lAcessos: 7,038

    Resumo O maior desafio na atualidade é alcançar um alto nível de qualidade no ensino escolar. Porém, para o gestor conduzir a escola na busca por este objetivo de qualidade no processo de ensino-aprendizagem nas escolas é preciso identificar os problemas, descobrir suas causas e, principalmente, trabalhar para eliminá-las. O que seria a parte mais difícil do trabalho, por causa da dificuldade que implica manter toda a equipe envolvida no processo e compromissada com o propósito. Não há mudanças

    Por: Cleonir Alves da Luzl Educação> Ensino Superiorl 24/08/2011 lAcessos: 685

    Este artigo teve como finalidade investigar as dificuldades dos docentes do IFAC no tocante à avaliação do ensino-aprendizagem na modalidade PROEJA, como forma de auxiliar na orientação da prática pedagógica. Estuda os critérios avaliativos utilizados em sala de aula e sua relação com o planejamento de ensino global da Instituição. A pesquisa foi enriquecida com o trabalho de campo através de entrevistas semi-estruturadas e análise documental do projeto político-pedagógico dos cursos técnicos.

    Por: Gilmara Amorim de Moraesl Educação> Ensino Superiorl 01/12/2012 lAcessos: 165

    Descrição de um problema de comunicação nas IFES, apontando uma falha na veiculação das informações destinadas aos alunos. O estudo é realizado na Universidade Federal Rural de Pernambuco, com uma pesquisa que fornece fundamentos para captar dificuldades dos alunos quanto ao nível de informações veiculadas, para, em seguida, criar medidas para implementar meios de comunicação afim de obter melhoria na veiculação das informações necessárias quanto aos procedimentos existentes nas Universidades.

    Por: Rúbia Wanessa dos Reis Cruzl Educação> Ensino Superiorl 04/09/2009 lAcessos: 3,139
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    O artigo destaca a avaliação, tema esse voltado às séries do ensino fundamental. Consiste nas interrogativas sobre o que é avaliação da aprendizagem, avaliação do rendimento e auto-avaliação e sua eficácia. Apresentamos também os critérios para uma avaliação qualitativa, buscando mostrar através das concepções dos autores pesquisados a importância do preparo do educador.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Educação Infantill 22/05/2011 lAcessos: 3,504

    A pesquisa foi feita a partir da observação de como se dá o letramento: oralidade e escrita e a utilização da análise lingüística como fator identificador das maiores dificuldades dos alunos em sala de aula. Além disso, observaram-se as condições de produção textual e verificaram-se quais gêneros discursivos orais e escritos foram mais trabalhados em sala de aula e qual a influência da oralidade nos textos de escrita espontânea. A escolha desse tema surgiu a partir da necessidade de aprofundar c

    Por: Darci Martinsl Educação> Educação Infantill 14/11/2014 lAcessos: 25
    Tania R. Steinke

    Promover a valorização da formação continuada dos docentes e coordenadores pedagógicos que atuam no Ensino Médio das escolas públicas.

    Por: Tania R. Steinkel Educaçãol 19/10/2014 lAcessos: 23

    Ensinar é algo que deve ser fruto de contínuas reflexões é por isso que esse artigo se desdobra na busca em analisar as carências do ensino de Gramática e Língua Portuguesa no nosso País e percorre o trajeto que vai desde o surgimento da primeira gramática na Grécia Antiga e da constituição do nosso idioma até o cenário atual, no contexto nacional. Pretende-se mostrar quão relevante é para o sistema educacional brasileiro que as aulas dessas disciplinas transformem-se em ensinamentos úteis e pra

    Por: Carla Cunhal Educação> Línguasl 28/02/2014 lAcessos: 141

    pesquisas que apontam para a existência de alunos desinteressados em sala de aula e também pela carência de novos recursos que possam auxiliar no processo educativo.

    Por: Julcelho Marins da Silval Educação> Educação Onlinel 29/09/2008 lAcessos: 7,375 lComentário: 2

    Este é um Trabalho de Conclusão de Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis do Instituto de Ciências Humanas e Sociais – UFMT/CUR/ICHS.O interesse pela temática foi despertado por meio da minha participação ativa no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, nas atividades da prática na sala de aula na escola pública conveniada e, ao mesmo tempo, nas disciplinas estudadas no curso de Pedagogia durante os anos de forma

    Por: Roselene Batista Gill Educaçãol 26/11/2014
    Angélica Silva

    Para a maioria das pessoas, "ser produtivo" significa terminar um projeto da faculdade, entregar o relatório para o chefe, ir à academia ou fazer uma faxina geral na casa. Na verdade, uma grande parte de ser "produtivo" é dizer aos outros o quão produtivo você é.

    Por: Angélica Silval Notícias & Sociedade> Cotidianol 15/01/2015

    Entenda todo o processo de autorização do concurso público do INSS. Essa autorização tem sido objeto de muita polêmica, por isso resolvemos esclarecer tudo sobre ela.

    Por: Guilhermel Notícias & Sociedade> Cotidianol 13/01/2015

    Em 1915 uma seca devastadora castigou sem piedade o brasileiro inclusive o povo nordestino, os mais velhos contam que naquele ano foi uma época de muito sofrimento

    Por: Erandirl Notícias & Sociedade> Cotidianol 06/01/2015

    "É necessário que eu diminua e o Cristo cresça." (João Batista - João, 3:30). Eis algumas respostas à indagação proposta: Antídoto de muitos males, formadora de novos hábitos, indicadora eficaz do encontro consigo mesmo. Ressarcimento perante a consciência, fornalha renovadora das densas energias de culpa

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 05/01/2015

    Mais que em outros tempos, o orbe tem desenganado e tornado mais difícil à vida hominal. Numa sociedade egoísta, desumana e competitiva por excelência, massificante e indiferente, tornamo-nos quase sempre embrutecidos, pessimistas e passamos a achar natural o egoísmo, o egocentrismo e o "cada um para si" e Deus para todos, como se a responsabilidade, a altivez e a ética não fossem atribuições de cada um. O homem tem seus atributos, suas ações benéficas ou maléficas, independente ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 05/01/2015

    Por um caminho estreito sem proteção e com muitos pedregulhos, ansiávamos por uma diretriz, por uma matriz, por um azimute que nos posicionássemos mais tranquilos, e fora de perigo. Estávamos sem lenço e sem documento num lugar esquisito, tenebroso, assombroso que nos fazia arrepiar quando algo começava a piar. Folhas secas ao sabor do vento se misturavam a folhagem do local, os pirilampos com sua luz genial davam um tom especial ao local.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 04/01/2015

    Somos botões viçosos de espinheiros fortuitos não nascemos com destino gratuito, precisamos regar adubar e melhorar, nosso jardim, nosso coração, enfim de rosas, papoulas e jasmins. Precisamos nos livrar do egoísmo e conter a intolerância, pois somos normais, além de hominais somos normais, mas a nossa imperfeição pode nos levar a caminhos tortuosos em verdadeiros desalinhos.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/01/2015

    Podemos dizer que o amor é o combustível das almas. Estamos sempre em busca do alimento espiritual condizivel com a nossa formação, origem, geração e constituição. Na medida em que o tempo passa, apesar dos apetrechos legais colocados a disposição do hominal, ele não tem crescido o esperado em termos de comportamento. Se ainda não sabemos ou não aprendemos a amar é porque não nos desenvolvemos o bastante para alcançarmos o objetivo

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 03/01/2015

    Os acontecimentos do dia a dia, os atos e fatos, a inoperância dos governos (municipal, estadual e federal), a desumanidade, a falta de amor ao próximo, o egoísmo exacerbado, o apegamento exagerado às coisas materiais, em especial o vil metal ganho de forma irregular, a violência, a disputa homérica pelo poder, pelas melhores pastas governamentais e o desprezo incomum aos pobres, carentes e ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 25/01/2015

    Teus olhos são lindos, brilhantes e chamativos de amor fecundo… Suas pálpebras tem algo incomum, pois são como duas conchas iluminadas, Encantam como ninguém, todavia, porém, contudo deixam um encanto profundo. A tua face emoldura uma bela senhora de beleza descomunal e de sutilezas diferenciadas. Olhos acesos, coloridos, embevecidos de amor que chamam a atenção do mundo…

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 22/01/2015

    O que entendemos e o que se entende por Espírito? Segundo os teólogos e as grandes religiões, espírito é pela sua essência espiritual, um ser indefinido, abstrato, que não pode ter ação direta sobre a matéria, sendo-lhe indispensável um intermediário que é o envoltório fluídico, o qual, de certo modo; faz parte integrante dele. O que caracteriza essencialmente o espírito é a consciência, isto é, o eu, mediante o qual ele se distingue do que não está nele,...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 16/01/2015

    Os cientistas estudam há anos a formação do mundo, a origem do universo e como surgiu a vida na Terra. Temos a informar que segundo nossos estudos e conhecimentos viviam na Terra, seres estranhos, que mais se pareciam com macacos do que Homens, de modo que os estudiosos os chamam homens-macacos.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 16/01/2015 lAcessos: 11

    A benevolência para com os semelhantes, fruto do amor ao próximo, produz a afabilidade e a doçura, que lhe são a manifestação. A dor é uma bênção que de Deus envia aos seus eleitos, não vos aflijais, pois, quando sofrerdes, mas bendizei, ao contrário, o Deus todo-poderoso que vos marcou pela dor neste mundo para a glória do céu. Tudo se resume em paciência e doçura, dois atributos que todo ser humano poderá enfrentar no orbe em que vivemos. Por incrível que pareça os dicionários quando se ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 15/01/2015

    Ao iniciarmos esse artigo queremos definir o que seja religião. Uma palavra de derivação latina (religione) refere-se à crença na existência de uma força ou forças sobrenaturais, considerada(s) como criadora(s) do Universo, e que como tal deve(m) ser adorada(s) e obedecida(s). A manifestação de tal crença por meio de doutrina e ritual próprios, que envolvem, em geral, preceitos éticos. Virtude do homem que presta a Deus o culto que lhe é devido.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 13/01/2015

    A Pátria brasileira passa por momentos difíceis, dolorosos e preocupantes, no entanto, aqueles que se deixam iludir por fabulosas promessas, normalmente não cumpridas, continuam alheios aos problemas brasileiros. Existe uma necessidade premente de que os brasileiros neófitos em termos de política procurem estudar mais um pouquinho, no intuito, de aprender pelo menos onde começa o fio da meada.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 12/01/2015

    Uma pergunta de poder eminente, mas com escolho em virtude da nossa neofiticidade em termos de história, e pela deficiência de alguns em termos de etiologia, ou mesmo da etimologia das palavras. Na concepção mais usual, igreja significa templo cristão. Palavra que deriva do grego enklesía, assembleia de cidadãos, assembleia de fiéis, e do latim eclesia. Outras sinonímias estão assim delineadas: "autoridade eclesiástica, a comunidade dos cristãos, o conjunto de fiéis ligados pela mesma ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 11/01/2015
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast