Diálogo muito comovente entre uma aranha e uma mosca

23/07/2013 • Por • 72 Acessos

Olá, amigos do Artigonal! Esta é a triste história de um fato imaginário que acontece entre uma vaidosa Aranha e uma indefesa Mosca.

A Aranha e a Mosca

Uma Aranha tecia muito tranquilamente sua casa: uma armadilha infalível para pegar qualquer inseto que passasse por ela.

Todavia, uma descuidada Mosca passou pelo local e se prendeu na teia. Ela, quanto mais se debatia, mais se enroscava nos fios. Não bastando isso, ainda teve a infelicidade de ver a aranha se aproximar, lentamente, mostrando suas patas serrilhadas e pegajosas.

- Oh, Dona Aranha – suplicou a pobre Mosca. – Me liberta daqui, por favor. Me tire deste tormento angustiante.

- Hum, que pretensão! – sorriu a Aranha com desdém. – Eu, libertar você? Imagina! – Levantou uma pata e depois completou: - Você é minha presa, presa! Caiu na teia e virou prisioneira, minha prisioneira! E darei a você o destino que eu quiser.

- Caí na teia porque não sabia que estava aqui – defendeu-se a Mosca. – Eu não a vi quando voei distraída para cá. – Por favor, Dona Aranha, me liberte!

- Não e não! Não vou libertar você e pronto! Devia ter prestado atenção no caminho por onde anda. Na próxima vez, preste atenção. Menina, que estou dizendo? Próxima vez? Ah, que pena... Não tem próxima vez, pois. Você não tem chance de escapar.

Só que nesse momento passou um gavião. Arrastou parte da teia com suas asas. A Aranha por pouco não foi esmagada. Equilibrou-se no ar e gritou:

- Socorro!

Ninguém ali poderia ajudá-la, claro, a não ser a mosca, que a orientou como sair do apuro.

Depois do susto, a Aranha voltou à pose anterior. Isto é, ao domínio da situação.

Sentindo-se mesmo perdida, a Mosca a desafiou:

- Já que você prende todos os que caem em sua teia, por que não prendeu o gavião?

A aranha, soberba como sempre, pensou, pensou e depois respondeu:

- Simplesmente porque não gosto da carne de gavião. É muito amarga.

Moral da história: Tem gente que se considera o superior a todos os seres. Assim, mesmo na hora do perigo se sente vaidosa demais e mantém sua postura arrogante de ditador impiedoso.

Fonte:

Cazuza, de Viriato Correa 

Dicas de leitura:

O Porquinho no Espelho

Mokolóton Extraterrestre

Perfil do Autor

José Guimarães

Bacharel e Licenciatura em Matemática pela USJT-SP. Pós-Graduação em Matemática pela PUC-SP. Professor, escritor e blogueiro. Pagou seguro de vida por dez anos. Foi aposentado por invalidez por doença e traído pela Caixa Seguros, ladrona que negou o pagamento da indenização. Agora aprende a ganhar dinheiro na internet para manter a família. Estude diversos cursos digitais que ensinam Como ganhar dinheiro online Conheça o clube Como emagrecer de vez Alegre seu espírito lendo as Palavras de Deus