Os Europeus No Brasil Colonia:formação Étnica Do Povo Brasileiro

Publicado em: 16/04/2010 |Comentário: 2 | Acessos: 1,546 |

Vários povos contribuíram para a nossa formação no Brasil Colônia; porém,dentre todos,os portugueses,talvez por serem nossos descobridores e colonizadores,suplantaram todos os outros. A nossa cultura foi desenhada pelos lusos,começando pela língua falada e escrita –a Língua Portuguesa- e pelos costumes e tradições que repassaram para nós. É importante salientar que, eles mesmo,os portugueses,nunca tiveram uma unidade étnica e cultural,fruto que foram de uma mistura de muitos povos(ligúrios,celtas,iberos,fenincios,visigodos,vândalos,alanos,árabes e judeus)que traçaram até seu tipo físico,pois existem portugueses louros,morenos,baixos e altos,,de olhos verdes,azuis ou negros. Os povoadores que vieram para o Brasil procediam das regiões do Douro e do Minho, da Beira,Trás-os-Montes, da Estremadura, do Alentejo e,embora em pequena quantidade,das Ilhas. A presença do português está na língua , que dominou as comunicações e é falada até hoje num país continental como o Brasil, no traçado das cidades antigas-igrejas,cadeia,casa da Câmara-,nos sobrados,nos fortes que protegiam as cidades,nos utensílios domésticos e nas festas religiosas. A casa tradicional baiana era sem tirar nem por, uma réplica da casa portuguesa::mesmo traçado original,mesma fachada,mesma divisão de cômodos. Depois da porta de entrada, vinha um corredor comprido,ladeado de quartos semi-escuros e terminando numa ampla sala de jantar. A cozinha, o banheiro, incrivelmente desconfortável e o alojamento dos escravos eram construídos fora da casa. Essa divisão estava presente também nos suntuosos sobrados, construídos sem fundações e com paredes de madeira recobertos de barro;durava assim até os proprietários melhorarem de condição,quando ,então,fincavam as fundações e refaziam paredes de adobe ou tijolo. No início a construção das vilas obedecia a uma planta tradicional; praça central quadrada,igreja,cadeia e casa da Câmara com ruas partindo á direita e á esquerda,tanto transversais como longitudinais,porém sempre estreitas e irregulares. Com o passar dos anos as cidades criaram vida própria e foram crescendo desordenadamente, com vielas e becos desalinhados, como se via em Coimbra e Lisboa. O português,povo muito tradicionalista ,trouxe consigo para o Novo Mundo a fé nos dogmas da sua religião,os atos litúrgicos da Igreja de Roma e as festas tradicionais;trouxe também as superstições,os costumes e as comidas. Mas,o colonizador não era segregacionista;incorporou elementos da cultura africana,como,por exemplo a festa de maior prestígio em Salvador,a do Senhor do Bonfim,que dura quase quinze dias no mês de Janeiro. A origem desta festa está na devoção ao Cristo Crucificado trazida de Setúbal pelo Capitão Teodósio Rodrigues de Faria que construiu a Igreja do Bonfim no alto da Colina Sagrada. A cultura negra incorporou a esta festa as Águas de Oxalá,(Sr.do Bonfim na cultura ioruba)tradicional lavagem das escadarias da igreja,na terceira quinta feira do mês de Janeiro,quando centenas de baianas nos seus trajes típicos e carregando porrinhas de água de cheiro,acompanhadas de milhares de fiéis e espectadores deslumbrados,lavam as escadarias para expulsar as más energias e o mau olhado. A presença, na Bahia,de uma cultura agrária,escravista e mercantil,com uma estrutura social fundamentada na hierarquia,na oligarquia e na repressão,é um remanescente da sociedade desta época colonial e predomina nos dias de hoje,principalmente no Nordeste. Ao chegar numa terra de nômades, caçadores e pescadores, o colono português implantou uma economia açucareira , capitalista e mercantil,conforme predominava do século XIV. Trouxe a cana de açúcar dos Açores e da Madeira e plantou nas terras conquistadas; construiu engenhos e começou a produzir açúcar,o artigo de maior procura no mundo europeu. Plantou também o algodão e fumo. É necessário esclarecer que, em Lisboa estava o poder central que mandava em tudo,representado na pessoa do rei e seus conselheiros a quem obedeciam os governadores e vice-reis;logo abaixo vinham os grandes fazendeiros e senhores de engenho,parceiros coloniais;em seguida vêm os plantadores de cana de açúcar,pequenos fazendeiros dependentes dos senhores de engenho para a moagem da cana e a comercialização do açúcar,o ouro-branco da época. Quase na base desta pirâmide social estavam os lavradores pobres que só possuíam seus braços para o trabalho e estavam quase ao nível dos escravos que fechavam a pirâmide.A única diferença é serem brancos. Os moradores urbanos,oficiais militares,funcionários,altos comerciantes,exportadores,mestres,artesãos eram considerados "homens bons" apesar de lhe faltarem terras ou riquezas. Senhor de baraço e cutelo no seu engenho,o português,dirigia suas propriedades com mão de ferro,submetidos ás suas ordens e desejos seus escravos,seus agregados e sua numerosa família que incluía avós,tios,sobrinhos,primos,além da esposa e filhos legítimos e dos milhares de bastardos tidos com negras e índias. Talvez não tivesse poder político,mas,não era carta fora do baralho e freqüentemente era consultado nas questões que diziam respeito á província. Prova disto é a proibição de 1663 que tornava ilegal a penhora e execução por dívidas nas fábricas e nos engenhos.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 4 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/cronicas-artigos/os-europeus-no-brasil-coloniaformacao-etnica-do-povo-brasileiro-2164701.html

    Palavras-chave do artigo:

    povos

    ,

    formacao

    ,

    cultura

    Comentar sobre o artigo

    JAIRO CARDOSO

    O objetivo deste artigo é somar esforços na construção e implementação de políticas públicas baseadas no diálogo e na troca permanente de saberes entre as comunidades de baixa renda, escolas, e universidades, voltadas, principalmente, para a democratização do acesso e da permanência, com sucesso, nos diferentes níveis do sistema de ensino público.

    Por: JAIRO CARDOSOl Educaçãol 15/05/2011 lAcessos: 617
    Glésia Pierera Santos da Cruz

    Algumas considerações que retratam a importância da escola respeitar, valorizar e inserir em seu curriculo as contribuições emergidas do saber popular. A "Cultura popular e a escolarização", valoriza a cultura da comunidade, conduzindo-a a escola na perspectiva de resgatar o saber popular e suas contribuições para a preservação da memória de um povo.

    Por: Glésia Pierera Santos da Cruzl Educação> Ciêncial 29/03/2011 lAcessos: 240

    Este artigo aborda as condições objetivas de trabalho dos professores de Sociologia, relacionadas as questões de lutas contra o racismo,às dificuldades por eles enfrentadas no trato com os alunos,à existência ou não de preconceito no espaço escolar e como tratar o assunto no cotidiano e nas relações estabelecidas na escola.

    Por: HELENA DA SILVA MIRANDAl Educação> Ciêncial 31/05/2011 lAcessos: 390

    O objetivo deste trabalho é apresentar uma analise bibliográfica e quanto a característico da leitura fantástica que apresenta dentro da obra que a cultura afrodescendente representa. Assim pretendo brevemente repassar as informações adquiridas no contexto para invadir o campo imaginário do leitor. Nela tendo uma ação artística de finalidade concreta do gênero literário ao contar uma história mitológica e lendária com a função educativa.

    Por: Eraldo Pereira Madeirol Educação> Ensino Superiorl 18/02/2014 lAcessos: 196
    Bruno Santos Teodoro

    A presente obra vai analisar a aplicação da Lei 11.645/08, que institui o ensino de Historia e Cultura Africana, Afro-brasileira e o ensino de Historia e Cultura Indígena nas escolas de Ensino Fundamental e Médio, alterando a Lei 9.394/96 e tem como principal objetivo promover uma educação que conhece e valoriza a diversidade, na escola que constitui um espaço privilegiado para a aquisição do conhecimento, o desenvolvimento do cidadão e a sua inserção na sociedade.

    Por: Bruno Santos Teodorol Educação> Ensino Superiorl 27/02/2011 lAcessos: 825

    RESUMO O artigo aqui apresentado tem como objetivo, descrever, relatar, discutir a importância das lutas como forma pedagógica possível na cultura e na formação social de estudantes. Identificamos que as lutas se fazem presente e pode se manifesta de varias formas: o ato de se sentir oprimido, acuado, fome, injustiçado, sosobrevivência, defesa, conquista. Mudanças se fazem através de elaboração de metodologias inovadoras, pois a pratica das lutas atua como válvula de escape.

    Por: jose pinto da silval Educação> Educação Infantill 08/04/2010 lAcessos: 605

    O artigo propõe uma reflexão sobre o uso do conceito de cultura como manutenção de certos costumes e hábitos e inferiorização de outros, diferenciando o que é ou não verdadeiro, o que é bom e o que é mau, o que deve ou não ser valorizado. Após a reflexão teórica pretende-se possibilitar a conscientização o valor das diferentes expressões culturais, reconhecendo que não há formas culturais melhores ou piores, mas diferentes. Deste modo, espera-se que o educador paute sua prática com respeito às d

    Por: Bruno Carrascol Educaçãol 21/02/2013 lAcessos: 111
    Alinne do Rosário Brito

    O trabalho se estabelece como uma classe fundamental para se constituir uma relação social, diante do qual se alicerça os padrões da humanidade, se gera conhecimento se cria uma consciência do real. Contudo a sociedade que pertencemos corroída pelo capital o trabalho passa a ser uma necessidade da vida, construindo um ser dicotomizado e alienado, logo assume um processo produtivo que se torna comprometido por quem está formando e por aquele a ser formado.

    Por: Alinne do Rosário Britol Educaçãol 23/07/2012 lAcessos: 161
    Maria Raichelda Freitas Silva

    Este artigo tem como temática "Linguagem e Cultura Popular: A Família como a Principal Formuladora". E apresenta aspectos relevantes da linguagem como instrumento fundamental para o desenvolvimento do homem. Tem o objetivo de analisar o processo da linguagem discutindo seu inicio, tendo a família como a principal base. Aponta alguns conceitos de críticos e estudiosos, assim como, dos pesquisadores sobre a linguagem, e ainda discutir a realidade dessas línguas.

    Por: Maria Raichelda Freitas Silval Educaçãol 19/06/2012 lAcessos: 1,481

    Carta a Dona Dilma Rousseff, mui digna Presidenta do Brasil e candidata a reeleição, pedindo que suspenda a propaganda "Ai, Minas Gerais, quem conhece o Aécio não vota jamais..."

    Por: Osorio de Vasconcellosl Literatura> Crônicasl 17/10/2014

    Quando nos referimos à política, devemos fazer um paralelo, uma comparação entre duas palavras, política e politicagem. São sinonímias contraditas e que refletem diferenciais hercúleos, do que seja a verdade em sua plenitude. Sabemos, de antemão, que existe uma variedade enorme de políticas, desde a comercial, passando pela familiar e indo até a política monetária. Política é ciência, é arte, é a ciência dos fenômenos referentes ao Estado (ciência política).

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 15/10/2014

    As eleições presidenciais de 2014 correm o risco de ser decididas com a ajuda de técnicas hipnóticas.

    Por: Osorio de Vasconcellosl Literatura> Crônicasl 13/10/2014

    À gangorra em cima dos políticos deverá contrapor-se a gangorra embaixo do eleitor. Caso contrário, o Estado deixará de ser laico.

    Por: Osorio de Vasconcellosl Literatura> Crônicasl 12/10/2014

    Dizem os políticos: saúde será prioridade em meu governo. Sim, é possível, exceto em relação às doenças.

    Por: Osorio de Vasconcellosl Literatura> Crônicasl 02/10/2014

    O espectro da corrupção visto como garantia de um futuro promissor, alegre e feliz. O drama da atualidade às vésperas das eleições presidenciais.

    Por: Osorio de Vasconcellosl Literatura> Crônicasl 26/09/2014

    Segundo Hammed (por Francisco do Espírito Santo Neto) a rigor, família é uma instituição social que compreende indivíduos ligados entre si por laços consanguíneos. A formação do grupo familiar tem como finalidade a educação, implicando, porém, outros fatores como amor, atenção, compreensão, coerência e, sobretudo, respeito à individualidade de cada componente do instinto doméstico. Uma expressão belíssima, esclarecedora, no entanto, vem se deformando nos dias atuais.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 25/09/2014
    João Henrique Bento

    Viver não parece algo tão complicado. Parece-me que a dificuldade está em encontrar a harmonia perfeita do fantástico movimento do existir naturalmente. Enfrento a grande dificuldade da existência, deparo-me com a enormidade da vida e penso: "nada sou!". O pensamento é um impulso para descortinar os mistérios da vida. É uma forma de aperceber-se nesse movimento complexo, dinâmico e envolvente. Estou decidido, quero pensar e viver. Assim sigo os tortuosos caminhos da existência humana.

    Por: João Henrique Bentol Literatura> Crônicasl 25/09/2014
    Miriam de Sales

    QUAL SERÁ O PERFIL DO POVO BRASILEIRO?Será que somos cúmplices das coisas desagradáveis que acontecem na nossa sociedade a começar pela escolha dos nossos políticos? Se não estamos satisfeitos só nós podemos mudar tudo isto,mas,estaremos preparados?É disto que trata este artigo já lido e aplaudido por dezenas de leitores.Faça v´cê ,também a sua reflexão ,principalmente agora ás portas do segundo turno desta disputadíssima eleição.

    Por: Miriam de Salesl Notícias & Sociedade> Polítical 07/10/2014
    Miriam de Sales

    COMO VOCÊ,CARO LEITOR,VÊ OS PRESIDENCIÁVEIS?VAMOS ANALISAR JUNTOS?AFINAL,ESTA É A MAIS IMPORTANTE DAS ESCOLHAS,POIS ,DEFINIRÁ O NOSSO FUTURO COMO PAÍS.RETROCEDEREMOS PARA OS PRIMÓRDIOS DA CIVILIZAÇÃO?AVANÇAREMOS NA ECONOMIA?E OS PROGRAMAS SOCIAIS,QUE FUTURO TERÃO? COMO VOCÊS VEEM,MUITOS QUESTIONAMENTOS E POUCAS CERTEZAS.O TAMANHO DA NOSSA RESPONSABILIDAFDE ASSUSTA UM POUCO NÃO É?

    Por: Miriam de Salesl Notícias & Sociedade> Polítical 03/09/2014 lAcessos: 11
    Miriam de Sales

    O premiado filme brasileiro faz jus ao sucesso,pois,trata de um assunto polêmico,quase um tabú,sobre as consequências das relações extra - conjugais e o custo emocional,principalmente para as mulheres.É um filme denso,chocante,baseadoo numa história real,a de Neide,"A Fera da Penha",que matou ,por vingança,a filinha do amante.

    Por: Miriam de Salesl Arte& Entretenimento> Cinema e TVl 22/06/2014 lAcessos: 13
    Miriam de Sales

    Visitando,como escritora convidada,o salão internacional do livro,em Turim,Itália/2014 pude perceber o avanço da nossa literatura ,na Europa,a importância da nossa presença neste evento,um dos mais importantes da Europa e ,dado ao número de visitantes,a comprar livros e participar de mesas literárias,compreender que a Literatura escrita e impressa continua tendo um público muito fiel e compartilhante.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 28/05/2014 lAcessos: 12
    Miriam de Sales

    Uma avaliação criteriosa sobre as festas literárias no Brasil e no mundo.Como escolher,porque participar.Divulgação,vantagens,investimentos.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 27/03/2014 lAcessos: 25
    Miriam de Sales

    O título,disse alguém,é como uma mulher bonita atravessando a rua;o trânsito para quando ela passa.Você a vê ,de relance,mas,quer saber tudo sobre ela,descobrir seus mistérios. Com o livro e os blogs é assim,também ;e,desde que o conteúdo seja tão bom quanto o continente,o livro corre o risco de virar Best – seller. Se o autor acerta com o título tem muitas chances de vender seu livro.Leia essas dicas.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 16/03/2014
    Miriam de Sales

    Crônica de uma escritora - editora tentando desmistificar o mercado editorial e,numa conversa informal com candidatos a escritores,mostrar-lhe um pouco desta nossa realidade,ás vezes muito dolorosa para o bolso e para o ego. Uma boa oportunidade de leitura e conhecimento para quem ainda não sabe o que fazer com seus sonhos.A autora já tem livros publicados ,alguns já na 4ª edição e dirige uma editora que já publicou 30 títulos impressos e 15 digitais.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 09/03/2014
    Miriam de Sales

    Uma visita a velhos sebos é muito importante para o leitor;lá podemos descobrir até edições raras e livros perfeitos a custo baixo.Uma ideia jocosa sobre como livros vão parar nos sebos vvai diverti-lo,amigo leitor.

    Por: Miriam de Salesl Literatural 26/01/2014 lAcessos: 19

    Comments on this article

    1
    juliana 11/05/2010
    logico q vcs nao vao publicar nao sao bestas !!! do, do , do ...........
    1
    juliana 11/05/2010
    eu odiei vcs nao imformao nada certo ? perguntei sobre os imigrantes euroupeus e vcs ve falar de : portugueses fala serio , ne .........
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast