Triste Carta A Papai Noel

Publicado em: 19/12/2009 |Comentário: 2 | Acessos: 376 |

Papai Noel,

Escrevo esta carta com esperança de ser lido novamente daqui a alguns anos, pelos meus netos Pedro, Maria Clara, Isabella e João Enrique, os quais chegaram a este Mundo agora muito recentemente; e ainda estão aprendendo as letras.

Todavia, espero que aí por volta de 2030, a geração dos meus netos possa avaliar se, enfim, triunfou a estupidez humana, ou se conseguimos, pelo menos, manter viva a esperança.

Ando angustiado porque tenho um entendimento de que, neste início de Milênio, não estamos atravessando apenas mais um momento de turbulência. Estamos dentro do olho do furacão.

A história contemporânea nos levou ao término da onda industrial, à drástica diminuição do Estado, à universalização da sociedade da informação (dominada pelo grande capital financeiro internacional), ao crescimento extraordinário dos fundos de previdência e aos lucros astronômicos das grandes instituições financeiras, fenômeno que fez explodir o estoque de recursos financeiros disponíveis, dos quais uma boa parte tem se destinado a perigosas especulações de curtíssimo prazo.

E, pior que tudo, o crédito aparentemente fácil resultou no endividamente generalizado das famílias, uma bomba (bolha) de efeito retardado que vai explodir na cara dos mais pobres.

Falo do "capital volátil". Um dinheiro sem pátria, ganancioso, sem coração, que quer ganhar muito e, se possível, muito rapidamente.

Algumas fontes chegam a estimá-lo em mais de 30 trilhões de dólares. Com um poder diabólico.

Nada deste dinheiro é investido para melhorar a qualidade de vida, não há interesse em acabar com a fome, nem preservar o meio ambiente do nosso planeta, nem desenvolver qualquer economia, além de ser incontrolável. É a especulação pura e simples.

Além disso, Papai Noel, é preciso não esquecer a virulência da política externa da (por enquanto) maior potência do planeta, agora estimulada pela "vitória" das forças mais conservadoras no Congresso dos EUA.

Para manter os lucros do complexo industrial-militar, e para conquistar reservas estratégicas; já estão preparando também a invasão de outras nações, quiçá uma guerra entre as duas Coréias.

Relembro: para depor Saddam Hussein, Bush mentiu e sacrificou, além das vidas de milhares de iraquianos (mártires, na visão árabe); desrespeitou a ONU, a OTAN (aliança militar ocidental), a coalizão antiterror; comprometeu a imagem dos EUA diante do mundo; destruiu monumentos e milhares de relíquias do berço da civilização e a própria noção de que a humanidade progride, ou deveria estar evoluindo.

Bush inaugurou a barbárie contemporânea. E o elegante Barack Obama, agora Prêmio Nobel da Paz, "salvou" o sistema financeiro, e vai mantendo o dedo no gatilho.

Aparentemente, o mundo caminha, perigosamente, sob uma estúpida hegemonia, no médio prazo, para a barbárie de alta tecnologia.

Será o início do indesejado triunfo da estupidez humana? Será que a imbecilidade das massas populares (da patuléia) realmente não tem limites?

Desconfio que as conseqüências desta globalização imperialista serão desastrosas, pois o que se vê é a concentração de riquezas, ao lado do crescimento da miséria, da exclusão social, e da violência urbana.

Papai Noel, na estação futuro, Pedro, Maria Clara, Isabella e João Enrique poderão tirar a limpo se valeu a pena este avô haver sonhado com a Estrela da Manhã; ou se a estupidez humana triunfou.

Por favor, não me culpe por não gostar mais da sua imagem de bom velhinho. Saiba o senhor que torço e vibro para que, com os pés bem firmes no chão, toda a geração dos meus netos possa ter os olhos, o coração e a mente nas estrelas. Sou um otimista incurável, apesar de você, sua alienação e seu consumismo.

Ingenuamente, talvez, como queria Agostinho (354 a 430 d.C), eu persisto com a Esperança, ao lado de suas duas filhas lindas: a Indignação e a Coragem de continuar lutando por um mundo melhor.

E que Pedro, Maria Clara, Isabella e João Enrique possam encontrar motivos para continuar gostando de sua pessoa.

Eu, de minha parte, não consigo mais gostar do senhor. Mudei, porque o mundo mudou, e mudou também o Natal.

Se quiser ainda me encontrar, procure-me no olhar triste das crianças de rua.

Opinião política por Rinaldo Barros

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/cronicas-artigos/triste-carta-a-papai-noel-1602226.html

    Palavras-chave do artigo:

    historia capital volatil complexo industrial militar estupidez humana

    Comentar sobre o artigo

    RINALDO BARROS

    Desconfio que as conseqüências desta globalização imperialista serão desastrosas, pois o que se vê é a concentração de riquezas, ao lado do crescimento da miséria, da exclusão social, e da violência urbana. Papai Noel, na estação futuro, Pedro, Maria Clara, Isabella e João Enrique poderão tirar a limpo se valeu a pena este avô haver sonhado com a Estrela da Manhã; ou se a estupidez humana triunfou.

    Por: RINALDO BARROSl Literatura> Crônicasl 23/12/2010 lAcessos: 1,701
    RINALDO BARROS

    Escrevo esta carta com esperança de ser lido novamente daqui a alguns anos, por vocês, meus netos (Maria Clara, Pedro, Isabella, João e Lucas), os quais chegaram a este Mundo agora recentemente; e pouco ainda sabem dos mistérios da vida neste lindo planeta azul. Todavia, espero que aí por volta de 2030, a geração dos meus netos possa avaliar se, enfim, triunfou a estupidez humana, ou se conseguimos, pelo menos, manter viva a esperança. Prestem atenção!

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 05/05/2013

    A politicagem e a politicalha avançam a passos largos arrasando tudo que veem pela frente, consumindo o patrimônio monetário da nação, e ninguém de sã consciência, quer enfrentar esse batalhão perigoso de corruptos, que está aí fazendo miséria, empobrecendo a sociedade brasileira e, contribuindo para o aumento de consumo de drogas, que é o viés mais possante da criminalidade.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 07/04/2014 lAcessos: 19

    Diz o clichê popular de que quando uma fruta cai ou despenca do pé está madura, e no ponto de ser saboreada. Já na Internet esse acontecimento tem uma sinonímia bastante complicada. Na Rede Mundial de Computadores, essa nuança quando dita pelo assinante da seguinte forma: "O sinal caiu" é uma péssima notícia, pois significa que você vai ficar sem condições de efetuar qualquer trabalho, pesquisa, ou inserir qualquer documentação em sites, blogs, ou mesmo participar de curso por correspondência.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 29/03/2014
    Miriam de Sales

    Uma avaliação criteriosa sobre as festas literárias no Brasil e no mundo.Como escolher,porque participar.Divulgação,vantagens,investimentos.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 27/03/2014
    HAMILTON SERPA

    Na década de setenta houve uma explosão de seitas de todos os vieses que se espalharam pelo mundo. Muitas dessas alguns anos depois já tinham sumido ou perdido a sua áurea de novidade e caíram no esquecimento. Mas o que aqui queremos falar não é da filosofia destas seitas, mas lembrar que naquela época algumas delas tinham como linha doutrinária estocar provisões em face de um próximo "fim do mundo" ou para o caso de uma guerra nuclear.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 24/03/2014

    A violência exacerbada que atinge todo o mundo tem como viés principal o egoísmo. O egoísmo significa a qualidade de egoísta e o amor exclusivo a si próprio. O homem egoísta é aquele que trata só dos seus interesses e por esse motivo se transforma em verdadeiro comodista. Como leitores e nós temos notado uma determinada ânsia dos veículos de Comunicação de manchetear os jornais com a desgraça alheia. Em determinada dia notamos em uma manchete de primeira página que no final mais violento teriam

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 24/03/2014

    O menino decide conversar com sua mãe a quanto a seu tempo, percebendo que, na verdade, não era mais um menino.

    Por: Niégel Literatura> Crônicasl 24/03/2014
    jeremias f. torres

    (...) Levando-se em consideração qualquer uma dessas palavras ao "pé da letra", não é difícil concluir que ninguém nas grandes capitais é normal. O grande problema é que ninguém admite sua insanidade, seu desequilíbrio e sua incapacidade de lidar com problemas de tosa sorte(...).

    Por: jeremias f. torresl Literatura> Crônicasl 23/03/2014
    jeremias f. torres

    (...)Para ser mais preciso: três mil seiscentos e cinqüenta dias; quatrocentos e oitenta e seis semanas, cento e vinte meses; oitenta e sete mil e seiscentas horas e finalmente, trinta e um milhões cento e quatro mil minutos, atuando como coadjuvante. Não ganhei o Oscar pela interpretação e tampouco fui indicado ao Livro dos Recordes o GUINESS BOOK, por ter suportado "Dona Suspeita"!(...)

    Por: jeremias f. torresl Literatura> Crônicasl 23/03/2014
    RINALDO BARROS

    Lamentavelmente, os intelectuais desta geração se despolitizaram, impregnados pela ideia-mestra de que "não há mais utopias", dedicando-se unicamente à academia – onde, "a rigor, não há diferença entre um filósofo e um engenheiro". Ou seja, as ciências ‘duras" dominam as pesquisas e detêm a hegemonia.

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 06/04/2014
    RINALDO BARROS

    Todos os dias lemos os jornais e ouvimos a televisão que nos dizem várias coisas sobre políticos profissionais: o que o Presidente da República fez, o que o Deputado de tal partido comentou, o que o Prefeito de tal cidade construiu. No entanto, isto é realmente Política? Será que Política é apenas o conjunto de ações e palavras dos políticos profissionais? Do mesmo modo, não nos perguntamos em que exatamente consiste nossos direitos de Cidadania. O que faz de cada um de nós um cidadão?

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 20/03/2014
    RINALDO BARROS

    Entendo que os pobres são as primeiras vítimas da violência. A desigualdade lhes impõe uma situação de desamparo tamanho que, para além da violência latente na condição de carência, confrontada com o esbanjamento de recursos dos mais ricos e poderosos, ficam sem defesa alguma, e são impotentes contra a violência do seu dia-a-dia. Na periferia, dominada por redes criminosas em razão da omissão do Estado, famílias inteiras convivem com o risco de desconstituição familiar...

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 12/03/2014
    RINALDO BARROS

    É óbvio que a educação é a base que falta para que o Brasil deixe de ser um país de injustiças sociais e econômicas. E é patético que nosso futuro ainda dependa da manipulação escancarada da população mais carente, desinformada e despreparada, sem condições de discernir o que é melhor para si e para a nação. Estamos presos na encruzilhada do labirinto.

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 05/03/2014
    RINALDO BARROS

    A tendência individualista de nossa época reforça o temor de conviver com as diferenças humanas, afinal, morar junto implica, sobretudo, sermos tolerantes, compreender o outro, termos que dividir espaços e coisas e aceitar conferir a todo o momento que o outro não nos preenche.

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 26/02/2014
    RINALDO BARROS

    Todavia, é forçoso reconhecer os méritos do governo atual: a economia cresceu e milhares de novos empregos foram criados, a área social ganhou impulso, e surpreendentemente o País saiu (?) da crise antes do esperado. Em que pese a desigualdade social ainda inaceitável e o câmbio atrapalhar as exportações, o futuro econômico do Brasil é promissor e o PT governo ajudou a construí-lo; a partir da sábia manutenção da política econômica do governo anterior e da preservação do Plano Real.

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 19/02/2014
    RINALDO BARROS

    Rostos cobertos em manifestações, por sua vez, são sinal de reconhecimento de que se quer praticar atos ilegais, anti-humanos, da mesma forma que a prática da corrupção política mostra o desprezo pelas necessidades do povo e por regras de competição eleitoral equânime. Ambos são crimes contra a Democracia.

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 12/02/2014
    RINALDO BARROS

    O atual modelo hegemônico de crescimento econômico, globalizado, gerou enormes desequilíbrios. Se, por um lado, nunca houve tanta riqueza no mundo, por outro lado, a miséria, a violência, a degradação ambiental, a poluição e a barbárie aumentam geometricamente dia-a-dia. Em contraponto, é totalmente viável a idéia do Desenvolvimento Sustentável (DS), buscando conciliar o desenvolvimento econômico e tecnológico com a preservação ambiental e com a redução da pobreza no mundo.

    Por: RINALDO BARROSl Notícias & Sociedade> Polítical 31/01/2014 lAcessos: 15

    Comments on this article

    0
    lucas 10/10/2010
    : MEU NOME E LUCAS oi querido papae noel pesso rompas PODE SE USADAS EU NAO LIGO PORQUE EU SOU POBRE. EU TENHO12 ANOS SOMOS 5 PESSOA AQUI EM CASA minha duas irma uma de 11 anos e a outra de 3 aninho SE VC NAO PODE MIDA AS roupas eu vou ficar TRISTE SE VC NAO PUDE MIM DA ROUPA MADA PELOMESNOS MATERIAIS DE ESCOLA PARA MINHA IRMA E EU TE AGRADESO DE CORAวAO moro no fundo de uma casa ENDEREวO AVENIDA DUQUES DE CAIXIAS. QUADRA 138,LOTE 27 SETOR GARAVELO CEP 74930490 APARECIDA DE GOIยNIA ESTOU ESCREVEDO NO PC DA MINHA TIA MAIS NA VERACIDADE ELA NAO E MINHA TIA EU QUE CHAMO ELA ASSIM COFINHO NO SENHOR
    0
    lucas 08/10/2010
    MEU NOME E LUCAS oi querido papae noel pesso rompas PODE SE USADAS EU NAO LIGO PORQUE EU SOU POBRE. EU TENHO12 ANOS SOMOS 5 PESSOA AQUI EM CASA minha duas irma uma de 11 anos e a outra de 3 aninho SE VC NAO PODE MIDA AS roupas eu vou ficar TRISTE SE VC NAO PUDE MIM DA ROUPA MADA PELOMESNOS MATERIAIS DE ESCOLA PARA MINHA IRMA E EU TE AGRADESO DE CORAÇAO moro no fundo de uma casa ENDEREÇO AVENIDA DUQUES DE CAIXIAS. QUADRA 138,LOTE 27 SETOR GARAVELO CEP 74930490 APARECIDA DE GOIÂNIA ESTOU ESCREVEDO NO PC DA MINHA TIA MAIS NA VERACIDADE ELA NAO E MINHA TIA EU QUE CHAMO ELA ASSIM COFINHO NO SENHOR
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast