Se adaptando a uma nova Cultura

19/12/2012 • Por • 55 Acessos

As diferenças culturais podem ser um grande desafio para adaptação ou interação com o meio. E, em alguns casos, podem até ser responsáveis por gerar conflitos. Quem vive no Velho Continente, ou está simplesmente a fazer turismo Europa, sabe muito bem dos desafios que deve enfrentar durante o processo de adaptação a uma nova realidade.

No caso da cultura britânica, alguns hábitos - como, por exemplo: dirigir o carro no lado direito, falar constantemente sobre o tempo, tomar chá - podem até fazer com que as diferenças pareçam maiores do que realmente são.

Existem também as diferenças políticas que fazem com que, muitas vezes, o brasileiro não entenda o papel que a Família Real exerce na vida dos britânicos. Se para alguns ela é apenas um resquício do que ficou da era do Império Britânico, para os seus defensores, representa o fator de equilíbrio e de manutenção da unidade.

Nas relações pessoais também é possível perceber grandes diferenças: enquanto o brasileiro tem um temperamento vibrante e efusivo logo no primeiro encontro, o inglês é, em geral, reservado.

Como em qualquer relação, há vantagens e desvantagens nos dois lados: enquanto um turista pode sentir-se mais rapidamente à vontade quando chega a um lugar onde as pessoas parecem sempre felizes e acolhedoras, também é verdade que este temperamento não é garantia de amizades sinceras e duradouras. Conquistar a confiança e a intimidade de um inglês pode ser uma tarefa bem mais demorada, ao contrário da tendência do brasileiro de já abrir toda a sua vida logo no primeiro encontro. Mas também, é lógico, que uma amizade construída com mais cuidado e paciência tem mais chances de se transformar em uma relação mais sólida.

Na relação com os ingleses também pesa muito a questão do compromisso. Em Londres, percebe-se que respeitar este traço cultural dos ingleses pode fazer muita diferença para se ter uma adaptação bem sucedida, ou não.

Se você pensar bem, com o clima frio que toma conta do país a maior parte do ano, não pega bem marcar um encontro na rua e deixar uma pessoa esperando por um resfriado - por mais agasalhado que se esteja.

Não é muito fora do comum encontrar brasileiros que passam o tempo reclamando dos ingleses por serem tão formais,  chatos, por gostar de  roupas cinzas e escuras, por não ter jogo de cintura. Alguns chegam até a ter a ilusão de que podem mudar isso. Em alguns casos, pontos negaticos, como o famoso jeitinho brasileiro, são exaltados como se fossem virtudes que os ingleses deveriam adquirir.

No fundo, se você está vivendo no país onde é estrangeiro, a melhor forma de aproveitar tudo o que o lugar, sua gente e a sua cultura, têm a oferecer, é tentar entender e respeitar as diferenças. Até porque se alguém tiver que mudar para se adaptar, não vai ser o local, mas você, o imigrante. Adaptar-se à uma nova realidade cultural não significa abrir mão da própria identidade, mas simplesmente tornar a vida mais confortável e mais rica através da aceitação das diferenças.

Como turista, ou morador, uma das dicas de viagem mais importante: a sua vida, ou passeio por países e culturas diversas da sua, é bem mais confortável quando os preconceitos e o medo do diferente ficam fora dos seus itens de viagem.