Codicilo

Publicado em: 07/12/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 2,660 |

CODICILOS

 

A palavra codicilo é de origem latina, era considerada diminutivo de codex , que se traduz por código, pois o testamento era o codex grande, e o codicilo um testamento pequeno. Simplificando, trata-se de um ato de última vontade, para as disposições de pequeno valor.

Dispõe o artigo 1.881 do Código Civil sobre os codicilos:

Toda pessoa capaz de testar poderá, mediante escrito particular seu, datado e assinado, fazer disposições especiais sobre o seu enterro, sobre esmolas de pouca monta a certas determinadas pessoas, ou, indeterminadamente, aos pobres de certo lugar, assim como legar móveis, roupas ou jóias, de pouco valor, de seu uso pessoal.

O que pode perceber é que o codicilo é limitado, restrito, não tem o mesmo alcance do que o testamento, mas ele tem vida própria, pois independe da existência de testamento.

Não se exige muitas formalidades para existência de um codicilo, mas, deve ser inteiramente escrito, datado e assinado pelo disponente, não se exigindo assinatura de testemunhas.

O codicilo pode ser utilizado pelo autor da herança para várias finalidades, dentre elas: fazer disposições sobre o seu enterro, deixar esmolas de pouca monta, reabilitar o indigno, deixar bens móveis, roupas e jóias desde que de pequeno valor. Não pode ter bens imóveis, necessariamente tem que ser móveis, mas que sejam também de pequeno valor.

Existe uma discussão sobre a questão desse pequeno valor, quando que é considerado de pequena monta e esse problema é solucionado pelo contexto social, ou seja, para descobrir quando é de pequeno valor não se leva em conta o valor do patrimônio e sim o do contexto social.

Sobre a revogação de um codicilo preceitua Carlos Roberto Gonçalves:

“A revogação do codicilo pode ser expressa ou tácita. É expressa quando o codicilo é revogado por outro codicilo, ou por outro testamento, com menção à intenção de revogá-lo. É tácita quando se dá pela elaboração de testamento posterior, de qualquer natureza, sem confirmá-lo, ou modificá-lo”.

O codicilo pode, assim, revogar outro codicilo, um testamento também pode revogar um codicilo, mas, no entanto, codicilo não revoga testamento pois, este só pode ser revogado por outro testamento.

Os artigos que dispõem sobre os codicilos são os 1.881 a 1.885 do Código Civil.

 

 

BIBLIOGRAFIA:

                   GONÇALVES, CARLOS ROBERTO. Direito Civil Brasileiro – volume 07 – Direito das Sucessões. São Paulo: Edição, 2007 – Editora Saraiva.

                   VADE MECUM, Acadêmico de Direito-8ª Edição – Editora Rideel, 2009.

                   VENOSA, SÍLVIO DE SALVO. Direito Civil – volume 07 – Direito das sucessões. São Paulo : Atlas, 2009.

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/direito-artigos/codicilo-1549956.html

    Palavras-chave do artigo:

    codicilo

    Comentar sobre o artigo

    Este trabalho tem por objetivo esclarecer os leitores a respeito do codicilo, que se trata de instituto em que o codicilante poderá deixar a seus herdeiros, bens de pequeno valor, como roupas, jóias e móveis de uso pessoal, desde que esses possuam valor ínfimo.

    Por: PRISCILA FONTANAl Direito> Legislaçãol 24/05/2011 lAcessos: 565
    Derick

    O artigo discorre sobre a necessidade do instituto do codicilo nos dias de hoje, sendo que muitos acreditam este ser inútil considerando-se o fato do testamento poder dispor sobre tudo que o codicilo dispoe.

    Por: Derickl Direito> Doutrinal 13/06/2010 lAcessos: 173

    Estudo sobre finalidades e prática do codicilo na legislação brasileira.

    Por: SILVIO BRANDANI BERTAGNOLIl Direitol 02/12/2009 lAcessos: 516
    tiago luis

    palavra codicilo é de origem latina codex, que significa código, porém, o vocábulo em questão traz em si a idéia de diminutivo. Partindo disso, codicilo seria um diminutivo de código, ou um pequeno escrito.

    Por: tiago luisl Direitol 10/12/2009 lAcessos: 705

    O presente artigo visa apresentar uma breve análise da finalidade e aspectos do codicilo.

    Por: Silvia Sant\' Anna Consiglieril Direitol 03/12/2009 lAcessos: 1,226
    Michele de Souza Calura

    Explicar o que significa o codicilo, qual a sua finalidade e seus requisitos.

    Por: Michele de Souza Calural Direito> Legislaçãol 05/12/2010 lAcessos: 769

    O presente trabalho trata-se do questionamento da omissão do artigo 1881 e seguintes do Código Civil Brasileiro vigente que não menciona critério e nem estipula valor quando diz "pouco valor" ou "pouca monta".

    Por: Camila Fernandesl Direitol 30/11/2009 lAcessos: 321 lComentário: 1

    Codicilo é uma disposição de última vontade do testado, sendo realizado a próprio punho datado e assinado, conforme observado no artigo 1.881 do Código Civil.

    Por: Ederson Junior de Almeidal Direitol 07/12/2009 lAcessos: 367

    Codicilo e uma forma de exteriorização do ato de ultima vontade do autor, no intuito de dispor sobre seus bens de menor valor. O autor terá que fazê-lo por escrito, de forma holográfica, e ao fim devera ser datado e assinado. O instituto foi incluído em nosso ordenamento jurídico, no intuito de facilitar a vontade do autor em deliberar seus bens apos sua morte.

    Por: israell Direitol 07/12/2009 lAcessos: 53

    Estudo sobre o instituto da Barriga de Aluguel como prática frequente em vários países com o objetivo de averiguar como o direito brasileiro e o direito comparado solucionam os conflitos decorrentes dessa prática, bem como demonstrar algumas questões éticas que surgem nos conflitos dela decorrentes, principalmente quanto ao aspecto oneroso que, por muitas vezes, está presente nesse tipo de relação. Busca entender, ainda, o papel da bioética e do biodireito nesses conflitos.

    Por: Marília Oliveira Martinsl Direitol 17/09/2014

    Escritórios de advocacia são como qualquer empresa de qualquer setor: devem ser organizados para poder funcionar da melhor maneira possível e só fluir, gerando bons frutos disso e, é claro, lucro para os associados que exercem sua advocacia no local.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 16/09/2014

    Para fazer parte da advocacia brasileira, isto é, ser um advogado e poder exercer sua função um indivíduo deve possuir bacharel em Direito e ter conseguido aprovação no Exame de Ordem e ser regularmente inscrito na OAB, a Ordem dos Advogados do Brasil.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 08/09/2014

    No processo existente de Recuperação Extrajudicial podemos contar com um tipo de instituto que propicia o que seria uma nova solução. Através dela os devedores acabam negociando de forma direta com todos os credores, e ainda o Plano de recuperação determinado o que vai para a justiça apenas para que possa ser algo homologado.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 08/09/2014 lAcessos: 15

    Os problemas judiciais podem acontecer em qualquer segmento, como podemos perceber, a justiça influência em praticamente tudo dentro do nosso país, porém em boa parte dos casos, a mesma influência de forma negativa, na maioria das vezes tirando a oportunidade de trabalhadores ou até mesmo de empresários que estavam fazendo seu trabalho dentro da lei, mas que devido a leis mal feitas ou até mesmo pela falta de uma lei correta, acaba paralisando a atuação de uma empresa. O grande problema da paral

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 05/09/2014
    RFF Associados

    Em face dos constrangimentos orçamentais existentes foi, recentemente, aprovado em Conselho de Ministros a segunda proposta de alteração à Lei que aprovou o Orçamento de Estado para o ano de 2014.

    Por: RFF Associadosl Direitol 04/09/2014
    RFF Associados

    No passado dia 27 de Agosto de 2014 entrou em vigor a Lei n.º 61/2014, que aprovou o regime especial aplicável aos activos por impostos diferidos. Tal como a denominação indicia, o novo regime aplica-se aos activos por impostos diferidos que tenham resultado da não dedução de gastos e variações patrimoniais negativas com perdas por imparidade em créditos e com benefícios pós-emprego ou a longo prazo de empregados.

    Por: RFF Associadosl Direitol 04/09/2014

    Infelizmente, algo que podemos verificar com uma determinada facilidade nos dias de hoje, é o fato de que há uma grande quantidade de pessoas que podem ser declaradas judicialmente como insolventes, ou seja, que não tem condições de pagar pelas dívidas que realizou no decorrer de sua vida sem que isto influencia ou até mesmo prejudique as suas necessidades básicas. Sendo assim, claro, acaba por ser necessário que esta situação seja solucionada, e principalmente evitada. Então vamos entender agor

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 28/08/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast