Da promessa de fato de terceiro

Publicado em: 10/05/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 826 |

A promessa de fato de terceiro está prevista nos artigos 439 e 440 do Código Civil e ela implica no fato de que uma pessoa se compromete com outra a obter o consentimento de uma terceira pessoa na conclusão de um contrato sem ter recebido preliminarmente o consentimento desta última pessoa para a conclusão deste contrato. A eficácia deste contrato depende da ratificação posterior da terceira pessoa que não está, a priori, obrigada a nada.

A pessoa que se compromete com outra a obter o consentimento de uma terceira pessoa normalmente assume este compromisso porque tem um bom relacionamento com esta última, seja ele decorrente de amizade ou de laços de família. Desta forma, para realizar a venda de um imóvel que se encontra indivisível quando um dos co-proprietários é ausente ou menor, os outros co-proprietários se comprometem a obter sua ratificação posteriormente.

A promessa de fato de terceiro possui uma fase de antecipação onde não existe ainda a conclusão do contrato em virtude da ausência do consentimento da terceira pessoa e uma segunda fase onde existe a decisão da terceira pessoa.

Na fase de antecipação o objetivo é o de realizar um contrato válido que possa ser executado, substituindo-se a vontade de uma das partes ainda não expressa, que é justamente a da terceira pessoa.

O contratante que se compromete a obter o comprometimento da terceira pessoa assume uma responsabilidade pessoal pelo fato prometido. Neste momento existe um contrato imperfeito e válido porque ainda não houve a ratificação pela terceira pessoa, ficando somente os contratantes obrigados.

A promessa de fato de terceiro não é submetida a alguma forma particular e pode inclusive ser tácita.

A promessa feita pela pessoa que se compromete a obter o consentimento de um terceiro para a conclusão do contrato acarreta uma intromissão no patrimônio deste último devido a uma representação desprovida de poderes a qual depende da ratificação do representado.

Através da ratificação o terceiro aprova a iniciativa daquele que o representou desprovido de poderes e esta sua manifestação é unilateral, ou seja, caberá a ele a opção em concluir ou não o contrato.

Segundo o artigo 440 do Cciv, "nenhuma obrigação haverá para quem se comprometer por outrem, se este, depois de se ter obrigado, faltar à prestação. " Com a ratificação a obrigação daquele que se comprometeu em obter o consentimento do terceiro deixa de existir. O promitente assume somente a responsabilidade que ocorrerá a ratificação e não que o contrato será executado pelo terceiro. A obrigação do promitente é de resultado.

A partir do momento em que ocorre a ratificação o terceiro torna-se parte no contrato e este opera efeitos retroativos, salvo quando a ratificação for de um contrato nulo frente a terceiros.

A recusa do terceiro pode ser explícita ou resultar de um ato manifestando sua vontade de não o concluir, como o ajuizamento de uma ação reivindicatória exercida contra a pessoa que tenha tomado posse de seu bem. Se o terceiro demorar para tomar uma decisão ele poderá ser constituído em mora.

A falta de ratificação acarreta a responsabilidade por perdas e danos (desde que provados) do promitente frente a seu co-contratante, conforme estabelece o caput do artigo 439 do Cciv, em virtude de que este se comprometeu em obter o consentimento do terceiro.

A falta de ratificação acarreta a responsabilidade contratual e ela não existirá se o terceiro for o cônjuge do promitente, dependendo da sua anuência o ato a ser praticado, e desde que, pelo regime do casamento, a indenização, de algum modo, venha a recair sobre os seus bens, consoante estabelece o parágrafo único do artigo 439 do CCiv.

A promessa de obter o consentimento do terceiro não deve ser confundida com o fato do promitente dizer que fará o possível para obter o consentimento do terceiro, aqui existe uma obrigação de meio e não de resultado como ocorre com a promessa de fato de terceiro.

Uma dúvida pode surgir: quando o promitente não conseguir obter a ratificação do terceiro poderá ele mesmo substituir o terceiro na conclusão do contrato. Em sendo possível me parece ser plenamente eficaz esta substituição, ela não ocorrerá quando o contrato não for intuitu personae. O próprio contrato pode prever esta situação.

A falta de ratificação produz efeitos análogos àqueles decorrentes de uma anulação.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/direito-artigos/da-promessa-de-fato-de-terceiro-2337575.html

    Palavras-chave do artigo:

    outros

    Comentar sobre o artigo

    HAMILTON SERPA

    ‘...QUE UM NASCE PRÁ SOFRER ENQUANTO OUTRO RI' – SERÁ? Esta música do grande Tim Maia, que nos embalou nos anos setenta/oitenta com o seu vozeirão, dão mostra de como muitos seres humanos se acham um "joguete" do acaso. Esta visão distorcida dá a entender que tudo é aleatório na vida do ser humano enquanto todo o resto no Universo é perfeito.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 23/02/2012 lAcessos: 67
    Ivan Guedes

    Vivemos numa sociedade cega, onde as pessoas não conseguem ver o outro. Fomos criados para enxergar o outro e não a nós mesmos!!

    Por: Ivan Guedesl Religião & Esoterismo> Evangelhol 11/03/2011 lAcessos: 354

    Uma experiência gratificante que tivemos, num passeio a uma região acidentada e mata fechada em busca de uma linda cachoeira

    Por: Paulo Sergiol Religião & Esoterismo> Religiãol 27/03/2008 lAcessos: 781
    Bruno Lima Rocha

    Neste artigo da série, retomando a arena prioritária para este modelo e suas razões, subordinando o conceito de hábitos de vida incorporados a uma classe, fração ou setor desta e sua estrutura de código decifrável, incorporável para o recrutamento e treinamento político para uma organização política de tipo não-eleitoral.

    Por: Bruno Lima Rochal Notícias & Sociedade> Polítical 27/05/2010 lAcessos: 75
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Um exemplo clássico. A melhor definição dada. Reflita. O que deve ser pensado. Faça um mapa. Do tamanho do planeta terra. No meio dele. Coloque um pontinho azul. Compare esse ponto. Analogicamente. Com o tamanho dos demais. Universos paralelos.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 02/12/2013 lAcessos: 11
    Meio News RJ

    A abertura de filiais de empresas de outros estados no Rio de Janeiro cresceu 16% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2010, de acordo com a Junta Comercial do Rio de Janeiro (Jucerja).

    Por: Meio News RJl Negócios> Pequenas Empresasl 05/09/2011 lAcessos: 47
    HAMILTON SERPA

    Com o advento ocorrido no Egito levantou-se muitas opiniões que o mesmo deveria acontecer aqui no Brasil, mas que não acontece porque o povo brasileiro é muito subserviente, acomodado, pacato, parecendo que não tem sangue nas veias.

    Por: HAMILTON SERPAl Literatura> Crônicasl 17/03/2011 lAcessos: 45
    Bruno Lima Rocha

    Neste artigo, apresento o debate e as conseqüências na indústria das mídias derivadas da cobertura e da versão do ataque israelense a frota de seis barcos de ajuda humanitária que saíram de Ancara, na Turquia e tinham como destino a Faixa de Gaza, sitiada e bloqueada por Israel.

    Por: Bruno Lima Rochal Notícias & Sociedade> Polítical 09/06/2010 lAcessos: 71

    O deputado federal Ricardo Berzoini (PT-SP), em artigo "Os avanços do governo Lula e 2010", publicado no jornal Campograndenews, em 04/01/2010, como não poderia deixar de ser, vem tecer rasgados elogios à atuação do governo federal, retratando de forma de campanha política um País que não é o verdadeiro Brasil, com os seus graves problemas sociais ainda não resolvidos, que a comunidade internacional não conhece.

    Por: Julio César Cardosol Notícias & Sociedade> Polítical 11/01/2010 lAcessos: 92
    Sandra Regina da Luz Inácio

    Muitas doenças são passiveis de cura com o avanço da medicina, mas até hoje ninguém conseguiu achar um antídoto poderoso o suficiente para curar a mágoa.

    Por: Sandra Regina da Luz Ináciol Relacionamentosl 03/07/2009 lAcessos: 5,288

    O Direito Penal Econômico é uma matéria jurídica que visa coibir ou punir as condutas ilícitas com um conjunto de regras que tem o escopo de sancionar, com penas próprias, no âmbito das relações econômicas, as ofensas ou perigo aos bens ou interesses juridicamente relevantes. Essa ciência coaduna, perfeitamente, com a corrupção existente no alto escalão da sociedade brasileira, perfazendo com que haja uma diminuição nessa prática prejudicial para os rumos da nação.

    Por: JOSÉ CARLOS MAIA SALIBA IIl Direitol 17/12/2014

    Trata-se do processo informal de modificação da Constituição Federal, a mutação constitucional. Tema que se encontra em evidência, especialmente em decorrência da morosidade do Senado Federal em editar a resolução disciplinada pelo art. 52, X, da CF/1988.

    Por: Josildo Muniz de Oliveiral Direitol 15/12/2014

    Insolvência civil é a situação na qual uma pessoa física contrai uma determinada dívida sem estar devidamente respaldada pelo potencial financeiro de seus bens móveis e imóveis.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 12/12/2014

    O artigo 321 descrito acima, presente no Código Penal Brasileiro, se refere ao ato da advocacia administrativa, hoje considerado crime no território brasileiro. A advocacia administrativa ocorre quando um funcionário público realiza tarefas e se move em favor para e de interesses terceiros dentro da administração pública.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 08/12/2014

    Revogação do testamento total ou parcial. Código Civil do Artigo 1.969 `a 1.975. Testamento como vimos é um negocio jurídico.

    Por: Clibas Clementil Direitol 07/12/2014

    Os direitos fundamentais nas relações de trabalho têm especial importância configurada na desigualdade das partes envolvidas na relação de emprego, razão pela qual se faz necessária a horizontalização dos direitos fundamentais, como forma de limitação dos poderes do empregador sobre o trabalhador, parte hipossuficiente.

    Por: Alessandro Freitas Ribeirol Direitol 03/12/2014 lAcessos: 11

    Este artigo irá abordar acerca das formas especiais de testamento (marítimo, aeronáutico e militar), bem como as suas principais peculiaridades, ressaltando que estes não são de livre escolha do homem e só são possíveis diante a existência de circunstâncias e situações excepcionais, as quais serão avaliadas ao longo deste trabalho.

    Por: Maria Eduarda M. de O. Reisl Direitol 03/12/2014 lAcessos: 14

    O presente artigo tem o objetivo principal de apresentar apontamentos acerca da redução da imputabilidade penal no Brasil. Primeiramente, traz uma análise histórica dos diferentes tratamentos dado a imputabilidade penal ao longo dos anos pelo ordenamento jurídico pátrio. Na sequência analisa-se o Estatuto da criança e do adolescente, bem como as medidas socioeducativas aplicadas aos menores infratores, visto como sujeitos em peculiar estágio de desenvolvimento.

    Por: ivaneidel Direitol 02/12/2014
    Robson Zanetti

    Os produtores rurais passar a dispor, com a Lei 12651/2012, de instrumentos legais para a organização de mercados para o Pagamento por Serviços Ambientais / Ecossistêmicos – PSA/PSE. Para participar destes mercados, os arranjos territoriais – infraestrutura verde – são mais competitivos, e as cooperativas tem vocação na organização de produtores rurais para atingir fins específicos. Instituições como o SENAR e o SEBRAE contribuem para garantir e melhorar competitividade da economia nacional, e a

    Por: Robson Zanettil Direitol 16/07/2013 lAcessos: 38
    Robson Zanetti

    Em todo o mundo, a questão ambiental migrou para tema central da pauta internacional. As relações que existem no comércio internacional entre os impactos ambientais e as taxas de importação / exportação são de especial interesse para o Brasil, que detem uma competitividade muito grande em uma crescente economia verde. Com o crescimento de mercados para produtos e serviços com qualidade ambiental, há uma tendência clara para a valorização dos ativos ambientais das propriedades rurais.

    Por: Robson Zanettil Direitol 08/07/2013 lAcessos: 113
    Robson Zanetti

    Artigo que aborda HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR

    Por: Robson Zanettil Direitol 23/02/2012 lAcessos: 225
    Robson Zanetti

    A loteria judicial é uma forma fácil de se enriquecer. Sua probabilidade de ganho é muito maior do que qualquer loteria, e é legalizada. Existem vários tipos de apostas

    Por: Robson Zanettil Direito> Legislaçãol 22/09/2011 lAcessos: 67
    Robson Zanetti

    A Emenda Constitucional n.º 45/2004 veio a estabelecer no artigo 114, inciso VI, a competência da Justiça do Trabalho para as ações de indenização por dano moral, ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho.

    Por: Robson Zanettil Direito> Legislaçãol 21/09/2011 lAcessos: 68
    Robson Zanetti

    O Código de Defesa do Consumidor (CDC) ao disciplinar a publicidade, em seu art. 37, veda a publicidade enganosa.

    Por: Robson Zanettil Direito> Legislaçãol 19/09/2011 lAcessos: 118
    Robson Zanetti

    A falta de possibilidade em usar uma denominação social, ou nome de fantasia, é um empecilho claro para formação de novas bancas de advocacia com vários membros, o que se revela uma restrição de acesso ao mercado, e uma prática anti-concorrencial.

    Por: Robson Zanettil Direito> Legislaçãol 25/08/2011 lAcessos: 137
    Robson Zanetti

    A Economia Verde surge como um dos mais crescentes ramos de negócios globais. A especialização dos sistemas de produção e prestação de serviços, para incluir os aspectos ambientais de qualidade, faz com que a Responsabilidade Socioambiental Corporativa evolua de exceção para regra nos negócios. O futuro aponta um crescimento da Economia Verde, em detrimento a tradicional, com sendo o mais importante motor econômico mundial até 2050.

    Por: Robson Zanettil Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 22/08/2011 lAcessos: 103
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast