Inventário Extrajudicial

Publicado em: 04/12/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 3,136 |

Inventário Extrajudicial

 

                             Ao falarmos em inventário, logo pensamos em juiz, fórum, lide, prazos intermináveis, e sem falar na espera de anos e mais anos até o fim do processo de inventário.

                            Em , de janeiro de 2007, foi  decretada a lei Nº. 11.441, a qual, altera a redação do art. 982, admitindo assim o inventário extrajudicial.

                           E qual a vantagem do inventário extrajudicial? Ele é muito mais rápido, o que é mais interessante para os herdeiro, bem como não sobrecarrega  ainda mais o judiciário.

                           No entanto existe alguns requisitos essenciais para que se possa utilizar-se desse mecanismo, como por exemplo não poderá de espécie alguma existir um testamento, os herdeiros devem ser capazes, devera existir total concordância entre os herdeiros, é expressamente obrigatório que os herdeiros tenham um advogado, e esse devera ser feito em um cartório.

                           Havendo todos esses requisitos, os herdeiros poderão se dirigir ao cartório, juntamente com seu advogado(s), para formalizar o processo de inventario.

                            Os herdeiros já saem do cartório com a escritura publica em mãos, essa escritura publica é a mesma coisa que o formal de partilha, que existe no processo de inventario feito de forma judicial.Assim em se tratando de inventario extrajudicial, ñ falamos em formal de partilha, e sim em escritura publica.

                            Outro fato importante, é que neste tipo de inventário, a escritura poderá ser lavrada em qualquer lugar, diferentemente do inventário judicial, o qual deve ser feito no ultimo domicilio do morto. Isso pode ser mais cômodo para o herdeiro que poderá lavrar a escritura onde melhor lhe convir.

                            Para aqueles que se declararem pobres, tanto a escritura como todos os demais atos notariais, serão gratuitos, ou seja, o  cartório não cobrará esse serviço dos herdeiros,  o que ao meu ver, não é o que em regra acontece, são poucos os casos de pessoas que não pagam esses serviços ao cartório, bem como se o herdeiro tem algo a receber, tera como pagar o cartório.

                            Contudo, podemos notar que desde 2007 com a implantação dessa nova lei, melhorou e muito tanto para os herdeiros, como para os advogados bem como para o sistema judiciário, pois existe um meio pratico e mais rápido como o inventário extrajudicial.

 

                                       Ariane Desirée de F. L. Lacerda.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/direito-artigos/inventario-extrajudicial-1542360.html

    Palavras-chave do artigo:

    inventario

    ,

    extrajudicial

    Comentar sobre o artigo

    trata-se de dissertação a respeito dos Requisitos para realização do Inventário Extrajudicial, bem como do respectivo procedimento à luz da Lei 11.441/2007 que altera os artigos 982 e 983 do Código de Processo Civil, bem como da regulamentação estabelecida pelo CNJ na Resolução 35/07.

    Por: Caio Alexandre Rosseto de Araujol Direito> Legislaçãol 04/12/2009 lAcessos: 8,610 lComentário: 1

    Dentre as inovações legislativas criadas nos últimos anos, encontra-se a Lei Federal nº 11.441, de 04 de janeiro de 2007, que tornou possível a feitura de inventários em cartório de notas, procedimento mais conhecido como inventário extrajudicial, que se faz através de Escritura Pública de Inventário.

    Por: Carrillo Advogadosl Direito> Doutrinal 21/01/2011 lAcessos: 1,574

    Geralmente, vemos que o Direito e o procedimento legislativo não acompanham a evolução da sociedade. Contudo, a Lei 11.441/2007 surgiu para fazer exceção a esta regra. Referida Lei criou a possibilidade de se processar o inventário em âmbito administrativo e, ao final, ter o registro da partilha efetuado por escritura pública, procedimento célere e menos oneroso do que o judicial.

    Por: Rosangela Teixeiral Direito> Legislaçãol 31/08/2013 lAcessos: 75

    Com a abertura da sucessão, os bens deixados pelo “de cujus” tornam-se herança que é transmitida imediatamente para os sucessores legítimos e testamentários, é o chamado PRINCÍPIO DA SAISINE. Porém o acervo do “de cujus” constitui uma universalidade de bens que precisam ser identificados e especificados para que se possa fazer a divisão entre os herdeiros. Para que essa individualização aconteça é preciso todo um procedimento, é o chamado INVENTÁRIO. Dentro do inventário pode ou não ocorrer a partilha, que poderá ser feita de forma judicial ou extrajudicial. O presente trabalho tem por objetivo definir e estudar tais procedimentos.

    Por: Ana Cláudia Fereira Santosl Direitol 02/12/2009 lAcessos: 14,366

    Considerações acerca do Inventário Administrativo - Reforma da Lei nº 11.441/07

    Por: lygia ananiasl Direitol 05/11/2009 lAcessos: 5,425 lComentário: 2

    É legalmente possível a partilha, de forma amigável, dos bens que compõem a herança, sendo requisitos para tal ato que os herdeiros sejam maiores e capazes. Sengundo Nelson Nery Júnior e Rosa Maria Andrade Nery, em seu Código Civil comentado, ao comentar o artigo 1.196, preleciona que "a partilha é negócio jurídico transacional e exige, para sua validade, os requisitos do negócio jurídico"...

    Por: Pedro Ribeiro Bonamichil Direitol 22/06/2010 lAcessos: 5,686
    Gisele Leite

    Considerações didáticas sobre a instauração de falência Considerações sobre a instauração de falência em face da recente legislação brasileira.

    Por: Gisele Leitel Educaçãol 14/02/2010 lAcessos: 1,050

    A língua falada e escrita é um sistema de signos em lenta e contínua modificação. A linguagem jurídica, inserida nesse contexto, embora mais rigorosa do que a linguagem coloquial, não está imune às transformações históricas, políticas e sociais que ocorrem no ambiente. Os cartórios são um bom exemplo disso. Ao longo de muitos anos, eles sofreram alterações funcionais, organizacionais e de regramento que, por sua vez, afetaram o significado do vocábulo"cartório".

    Por: Rosangela Teixeiral Direito> Legislaçãol 26/08/2013 lAcessos: 37
    EVILAZIO RIBEIRO

    A sociedade limitada está regida nos artigos 1.052 ao 1.087 do Código Civil de 2002, no entanto, este CÓDIGO ESTABELECE QUE, NAS OMISSÕES DE SEUS ARTIGOS, TAIS SOCIEDADES REGER-SE-ÃO, PELAS NORMAS DA SOCIEDADE SIMPLES (ARTIGOS 997 AO 1.038), OU SE PREVISTO EXPRESSAMENTE NO CONTRATO SOCIAL, A SOCIEDADE LIMITADA PODERÁ APLICAR AS NORMAS QUE REGEM AS SOCIEDADES ANÔNIMAS (ART. 1.053, PARÁGRAFO ÚNIC

    Por: EVILAZIO RIBEIROl Direito> Legislaçãol 30/11/2010 lAcessos: 14,779 lComentário: 1

    Trata-se de uma resenha sobre o documentário Ouro Azul - Guerras Mundial das Águas, que mostra a briga dos países para conseguir água, a exploração de empresas na extração da água para comercialização, o custo da água em outros países.

    Por: Sue Hellen Maidanal Direitol 27/10/2014

    Trata-se de uma resenha crítica sobre o livro Estação Carandiru, escrito por Dráuzio Varella.

    Por: Sue Hellen Maidanal Direitol 27/10/2014

    Sabe qual a diferença entre insolvência e falência? Leia o artigo e saiba mais!

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 27/10/2014

    Com o término da faculdade, a dúvida entre advocacia privada e concursos se faz muito presente. Mas qual caminho a seguir? Saiba mais!

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 22/10/2014

    Trata-se de um artigo que pretende fornecer breves apontamentos acerca da Escola da Exegese. No início do Século XIX, surgiu a Escola da Exegese em meio ao caos político e social da França revolucionária.

    Por: JOSÉ CARLOS MAIA SALIBA IIl Direitol 21/10/2014

    Sabe o que é advocacia administrativa? Advocacia administrativa é um crime previsto por lei. Saiba mais!

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 13/10/2014

    O artigo em questão trata do direito que a mulher gestante tem de receber alimentos do pai ou do suposto pai da criança. Será falado das possibilidades e das provas para receber os alimentos.

    Por: Janainal Direitol 13/10/2014

    Objetiva-se averiguar o bloco econômico do Mercosul, fundado por meio do Tratado de Assunção de 1991, desde o seu contexto histórico até os moldes atuais, abordando a estrutura e o funcionamento de seus órgãos bem assim a proteção aos direitos sociais e econômicos e os mecanismos de solução de controvérsias, no âmbito do bloco econômico.

    Por: Cristiane Sampaio Diogol Direitol 10/10/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast