Inventário Extrajudicial

Publicado em: 04/12/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 3,121 |

Inventário Extrajudicial

 

                             Ao falarmos em inventário, logo pensamos em juiz, fórum, lide, prazos intermináveis, e sem falar na espera de anos e mais anos até o fim do processo de inventário.

                            Em , de janeiro de 2007, foi  decretada a lei Nº. 11.441, a qual, altera a redação do art. 982, admitindo assim o inventário extrajudicial.

                           E qual a vantagem do inventário extrajudicial? Ele é muito mais rápido, o que é mais interessante para os herdeiro, bem como não sobrecarrega  ainda mais o judiciário.

                           No entanto existe alguns requisitos essenciais para que se possa utilizar-se desse mecanismo, como por exemplo não poderá de espécie alguma existir um testamento, os herdeiros devem ser capazes, devera existir total concordância entre os herdeiros, é expressamente obrigatório que os herdeiros tenham um advogado, e esse devera ser feito em um cartório.

                           Havendo todos esses requisitos, os herdeiros poderão se dirigir ao cartório, juntamente com seu advogado(s), para formalizar o processo de inventario.

                            Os herdeiros já saem do cartório com a escritura publica em mãos, essa escritura publica é a mesma coisa que o formal de partilha, que existe no processo de inventario feito de forma judicial.Assim em se tratando de inventario extrajudicial, ñ falamos em formal de partilha, e sim em escritura publica.

                            Outro fato importante, é que neste tipo de inventário, a escritura poderá ser lavrada em qualquer lugar, diferentemente do inventário judicial, o qual deve ser feito no ultimo domicilio do morto. Isso pode ser mais cômodo para o herdeiro que poderá lavrar a escritura onde melhor lhe convir.

                            Para aqueles que se declararem pobres, tanto a escritura como todos os demais atos notariais, serão gratuitos, ou seja, o  cartório não cobrará esse serviço dos herdeiros,  o que ao meu ver, não é o que em regra acontece, são poucos os casos de pessoas que não pagam esses serviços ao cartório, bem como se o herdeiro tem algo a receber, tera como pagar o cartório.

                            Contudo, podemos notar que desde 2007 com a implantação dessa nova lei, melhorou e muito tanto para os herdeiros, como para os advogados bem como para o sistema judiciário, pois existe um meio pratico e mais rápido como o inventário extrajudicial.

 

                                       Ariane Desirée de F. L. Lacerda.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/direito-artigos/inventario-extrajudicial-1542360.html

    Palavras-chave do artigo:

    inventario

    ,

    extrajudicial

    Comentar sobre o artigo

    trata-se de dissertação a respeito dos Requisitos para realização do Inventário Extrajudicial, bem como do respectivo procedimento à luz da Lei 11.441/2007 que altera os artigos 982 e 983 do Código de Processo Civil, bem como da regulamentação estabelecida pelo CNJ na Resolução 35/07.

    Por: Caio Alexandre Rosseto de Araujol Direito> Legislaçãol 04/12/2009 lAcessos: 8,573 lComentário: 1

    Dentre as inovações legislativas criadas nos últimos anos, encontra-se a Lei Federal nº 11.441, de 04 de janeiro de 2007, que tornou possível a feitura de inventários em cartório de notas, procedimento mais conhecido como inventário extrajudicial, que se faz através de Escritura Pública de Inventário.

    Por: Carrillo Advogadosl Direito> Doutrinal 21/01/2011 lAcessos: 1,565

    Geralmente, vemos que o Direito e o procedimento legislativo não acompanham a evolução da sociedade. Contudo, a Lei 11.441/2007 surgiu para fazer exceção a esta regra. Referida Lei criou a possibilidade de se processar o inventário em âmbito administrativo e, ao final, ter o registro da partilha efetuado por escritura pública, procedimento célere e menos oneroso do que o judicial.

    Por: Rosangela Teixeiral Direito> Legislaçãol 31/08/2013 lAcessos: 67

    Com a abertura da sucessão, os bens deixados pelo “de cujus” tornam-se herança que é transmitida imediatamente para os sucessores legítimos e testamentários, é o chamado PRINCÍPIO DA SAISINE. Porém o acervo do “de cujus” constitui uma universalidade de bens que precisam ser identificados e especificados para que se possa fazer a divisão entre os herdeiros. Para que essa individualização aconteça é preciso todo um procedimento, é o chamado INVENTÁRIO. Dentro do inventário pode ou não ocorrer a partilha, que poderá ser feita de forma judicial ou extrajudicial. O presente trabalho tem por objetivo definir e estudar tais procedimentos.

    Por: Ana Cláudia Fereira Santosl Direitol 02/12/2009 lAcessos: 14,308

    Considerações acerca do Inventário Administrativo - Reforma da Lei nº 11.441/07

    Por: lygia ananiasl Direitol 05/11/2009 lAcessos: 5,399 lComentário: 2

    É legalmente possível a partilha, de forma amigável, dos bens que compõem a herança, sendo requisitos para tal ato que os herdeiros sejam maiores e capazes. Sengundo Nelson Nery Júnior e Rosa Maria Andrade Nery, em seu Código Civil comentado, ao comentar o artigo 1.196, preleciona que "a partilha é negócio jurídico transacional e exige, para sua validade, os requisitos do negócio jurídico"...

    Por: Pedro Ribeiro Bonamichil Direitol 22/06/2010 lAcessos: 5,603
    Gisele Leite

    Considerações didáticas sobre a instauração de falência Considerações sobre a instauração de falência em face da recente legislação brasileira.

    Por: Gisele Leitel Educaçãol 14/02/2010 lAcessos: 1,046

    A língua falada e escrita é um sistema de signos em lenta e contínua modificação. A linguagem jurídica, inserida nesse contexto, embora mais rigorosa do que a linguagem coloquial, não está imune às transformações históricas, políticas e sociais que ocorrem no ambiente. Os cartórios são um bom exemplo disso. Ao longo de muitos anos, eles sofreram alterações funcionais, organizacionais e de regramento que, por sua vez, afetaram o significado do vocábulo"cartório".

    Por: Rosangela Teixeiral Direito> Legislaçãol 26/08/2013 lAcessos: 33
    EVILAZIO RIBEIRO

    A sociedade limitada está regida nos artigos 1.052 ao 1.087 do Código Civil de 2002, no entanto, este CÓDIGO ESTABELECE QUE, NAS OMISSÕES DE SEUS ARTIGOS, TAIS SOCIEDADES REGER-SE-ÃO, PELAS NORMAS DA SOCIEDADE SIMPLES (ARTIGOS 997 AO 1.038), OU SE PREVISTO EXPRESSAMENTE NO CONTRATO SOCIAL, A SOCIEDADE LIMITADA PODERÁ APLICAR AS NORMAS QUE REGEM AS SOCIEDADES ANÔNIMAS (ART. 1.053, PARÁGRAFO ÚNIC

    Por: EVILAZIO RIBEIROl Direito> Legislaçãol 30/11/2010 lAcessos: 14,515 lComentário: 1

    Estudo sobre o instituto da Barriga de Aluguel como prática frequente em vários países com o objetivo de averiguar como o direito brasileiro e o direito comparado solucionam os conflitos decorrentes dessa prática, bem como demonstrar algumas questões éticas que surgem nos conflitos dela decorrentes, principalmente quanto ao aspecto oneroso que, por muitas vezes, está presente nesse tipo de relação. Busca entender, ainda, o papel da bioética e do biodireito nesses conflitos.

    Por: Marília Oliveira Martinsl Direitol 17/09/2014

    Escritórios de advocacia são como qualquer empresa de qualquer setor: devem ser organizados para poder funcionar da melhor maneira possível e só fluir, gerando bons frutos disso e, é claro, lucro para os associados que exercem sua advocacia no local.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 16/09/2014

    Para fazer parte da advocacia brasileira, isto é, ser um advogado e poder exercer sua função um indivíduo deve possuir bacharel em Direito e ter conseguido aprovação no Exame de Ordem e ser regularmente inscrito na OAB, a Ordem dos Advogados do Brasil.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 08/09/2014

    No processo existente de Recuperação Extrajudicial podemos contar com um tipo de instituto que propicia o que seria uma nova solução. Através dela os devedores acabam negociando de forma direta com todos os credores, e ainda o Plano de recuperação determinado o que vai para a justiça apenas para que possa ser algo homologado.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 08/09/2014 lAcessos: 15

    Os problemas judiciais podem acontecer em qualquer segmento, como podemos perceber, a justiça influência em praticamente tudo dentro do nosso país, porém em boa parte dos casos, a mesma influência de forma negativa, na maioria das vezes tirando a oportunidade de trabalhadores ou até mesmo de empresários que estavam fazendo seu trabalho dentro da lei, mas que devido a leis mal feitas ou até mesmo pela falta de uma lei correta, acaba paralisando a atuação de uma empresa. O grande problema da paral

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 05/09/2014
    RFF Associados

    Em face dos constrangimentos orçamentais existentes foi, recentemente, aprovado em Conselho de Ministros a segunda proposta de alteração à Lei que aprovou o Orçamento de Estado para o ano de 2014.

    Por: RFF Associadosl Direitol 04/09/2014
    RFF Associados

    No passado dia 27 de Agosto de 2014 entrou em vigor a Lei n.º 61/2014, que aprovou o regime especial aplicável aos activos por impostos diferidos. Tal como a denominação indicia, o novo regime aplica-se aos activos por impostos diferidos que tenham resultado da não dedução de gastos e variações patrimoniais negativas com perdas por imparidade em créditos e com benefícios pós-emprego ou a longo prazo de empregados.

    Por: RFF Associadosl Direitol 04/09/2014

    Infelizmente, algo que podemos verificar com uma determinada facilidade nos dias de hoje, é o fato de que há uma grande quantidade de pessoas que podem ser declaradas judicialmente como insolventes, ou seja, que não tem condições de pagar pelas dívidas que realizou no decorrer de sua vida sem que isto influencia ou até mesmo prejudique as suas necessidades básicas. Sendo assim, claro, acaba por ser necessário que esta situação seja solucionada, e principalmente evitada. Então vamos entender agor

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 28/08/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast