O Voto - Um Direito Político

Publicado em: 09/04/2008 |Comentário: 10 | Acessos: 35,661 |




O texto constitucional, no capítulo dos direitos políticos, afirma que a soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos.

O voto é obrigatório para os maiores de dezoito anos e facultativo para os analfabetos, os maiores de setenta anos e os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos.

O voto é, portanto, um direito e ao mesmo tempo uma obrigação.
Votar, segundo Buarque de Holanda, é manifestar por voto o que sente ou pensa; dar o seu voto (a favor ou contra alguém ou algo).
Esse substantivo, voto, que traduz a ação de votar, é de grande importância para o cidadão consciente de seus deveres cívicos.

Numa democracia o voto é uma força, força que pode mudar o destino político de um povo.

Como, então, utilizar bem essa força para eleger os nossos governantes?

É fundamental que o eleitor, aquele que tem direito de eleger pelo voto seu representante, pense antes de votar.

O que é pensar? É exercer uma função pertinente a determinada faculdade da mente humana.


A função de pensar, praticada como ensina a Logosofia - ciência do pensar consciente -, manifesta-se quando o ser, ao efetuar por império do novo saber as primeiras reflexões, percebe que nessa função, na qual começa a exercitar-se, sua vontade intelectiva atua respondendo à direção manifestamente lúcida da consciência. Sente, ao mesmo tempo, que pensa sob o auspício de uma concepção psicológica humana e observa que suas reflexões adquirem maior amplitude. Esta primeira confirmação da verdade que lhe anuncia o saber logosófico promove seu primeiro entusiasmo.
Há uma diferença fundamental entre a nova forma de exercer a função de pensar e a corretamente praticada. Essa diferença apoia-se no fato de que, enquanto a última corresponde quase que exclusivamente a necessidades do momento, atendendo a reclamos ou urgências de ordem material ou urgências de ordem material ou intranscendente, a função de pensar, orientada pelo método logosófico, obedece invariavelmente a um plano de vastos alcances na ordem mental, psicológica e espiritual; em outras palavras, à realização do processo consciente de evolução humana. A faculdade de pensar não atua aqui isoladamente, mas sim, conduzida pelo próprio método, conecta cada esforço que realiza com uma perspectiva ou oportunidade mediata ou imediata que deverá ser preparada com antecipação.

A faculdade de pensar, fazendo parte da inteligência, para ser exercida, não deve fazê-lo, como vimos, isoladamente, deve requerer o concurso de outras faculdades mentais, como a de refletir, observar, meditar, dentre outras.

Assim, ao pensar no voto, o cidadão para praticá-lo conscientemente deverá conhecer quem pode merecê-lo; deve, também, observar as virtudes públicas e morais dos candidatos, refletir sobre suas propostas de governo e, após reunir todos esses elementos e outros que julgar lícitos e proveitosos, pensar em que votar e, com dignidade e discrição votar com plenitude de consciência. Jamais anular essa força cívica, esse direito inalienável do cidadão livre e independente em seu pensar.
____________________

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 20 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/direito-artigos/o-voto-um-direito-politico-382544.html

    Palavras-chave do artigo:

    voto

    ,

    direito

    ,

    logosofia

    Comentar sobre o artigo

    O Direito Penal Econômico é uma matéria jurídica que visa coibir ou punir as condutas ilícitas com um conjunto de regras que tem o escopo de sancionar, com penas próprias, no âmbito das relações econômicas, as ofensas ou perigo aos bens ou interesses juridicamente relevantes. Essa ciência coaduna, perfeitamente, com a corrupção existente no alto escalão da sociedade brasileira, perfazendo com que haja uma diminuição nessa prática prejudicial para os rumos da nação.

    Por: JOSÉ CARLOS MAIA SALIBA IIl Direitol 17/12/2014

    Trata-se do processo informal de modificação da Constituição Federal, a mutação constitucional. Tema que se encontra em evidência, especialmente em decorrência da morosidade do Senado Federal em editar a resolução disciplinada pelo art. 52, X, da CF/1988.

    Por: Josildo Muniz de Oliveiral Direitol 15/12/2014

    Insolvência civil é a situação na qual uma pessoa física contrai uma determinada dívida sem estar devidamente respaldada pelo potencial financeiro de seus bens móveis e imóveis.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 12/12/2014

    O artigo 321 descrito acima, presente no Código Penal Brasileiro, se refere ao ato da advocacia administrativa, hoje considerado crime no território brasileiro. A advocacia administrativa ocorre quando um funcionário público realiza tarefas e se move em favor para e de interesses terceiros dentro da administração pública.

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 08/12/2014

    Revogação do testamento total ou parcial. Código Civil do Artigo 1.969 `a 1.975. Testamento como vimos é um negocio jurídico.

    Por: Clibas Clementil Direitol 07/12/2014

    Os direitos fundamentais nas relações de trabalho têm especial importância configurada na desigualdade das partes envolvidas na relação de emprego, razão pela qual se faz necessária a horizontalização dos direitos fundamentais, como forma de limitação dos poderes do empregador sobre o trabalhador, parte hipossuficiente.

    Por: Alessandro Freitas Ribeirol Direitol 03/12/2014 lAcessos: 11

    Este artigo irá abordar acerca das formas especiais de testamento (marítimo, aeronáutico e militar), bem como as suas principais peculiaridades, ressaltando que estes não são de livre escolha do homem e só são possíveis diante a existência de circunstâncias e situações excepcionais, as quais serão avaliadas ao longo deste trabalho.

    Por: Maria Eduarda M. de O. Reisl Direitol 03/12/2014 lAcessos: 13

    O presente artigo tem o objetivo principal de apresentar apontamentos acerca da redução da imputabilidade penal no Brasil. Primeiramente, traz uma análise histórica dos diferentes tratamentos dado a imputabilidade penal ao longo dos anos pelo ordenamento jurídico pátrio. Na sequência analisa-se o Estatuto da criança e do adolescente, bem como as medidas socioeducativas aplicadas aos menores infratores, visto como sujeitos em peculiar estágio de desenvolvimento.

    Por: ivaneidel Direitol 02/12/2014
    MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGAS

    O registro do documento tem validade perante terceiros. Tal formalidade serve apenas para dar publicidade ao ato, de maneira que ele possa ser oponível a terceiros.

    Por: MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGASl Direito> Doutrinal 06/08/2014 lAcessos: 44
    MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGAS

    O Termo de Acordo firmado entre particulares envolvendo questões tributárias não tem valor jurídico, porque o contribuinte não detém a competência tributária para estabelecer normas dessa ordem. Esse poder de tributar é conferido ao ente público, pela Constituição.

    Por: MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGASl Direito> Direito Tributáriol 02/07/2012 lAcessos: 71
    MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGAS

    O direito à dedução integral dos gastos com educação na Declaração de Rendas é constitucional e o limite para essa dedução, exigido pelo Fisco, afronta o texto maior. Cabe ao Estado garantir a educação e a imposição de um limite, sem qualquer fundamento jurídico, compromete o caráter essencial da atividade educacional.

    Por: MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGASl Direito> Direito Tributáriol 02/07/2012 lAcessos: 144
    MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGAS

    O Imposto de Renda sobre Ganho de Capital não incide sobre valor recebido a título de desapropriação em face de sua natureza indenizatória. Súmula do extinto TRF - Tribunal Federal de Recursos já dispunha sobre a não sujeição ao Imposto de Renda de indenização recebido em virtude de desapropriação.

    Por: MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGASl Direito> Direito Tributáriol 02/07/2012 lAcessos: 235
    MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGAS

    A empresa constituída sob a forma LTDA em 1964, não está obrigada a se adaptar às novas normas previstas pelo Código Civil de 2002.

    Por: MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGASl Direito> Doutrinal 26/08/2010 lAcessos: 2,115 lComentário: 3
    MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGAS

    A paralisação do precesso de execução por determinado período pode levar à decretação da prescrição, a chamada, "prescrição intercorrente".

    Por: MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGASl Direito> Direito Tributáriol 09/04/2008 lAcessos: 173,621 lComentário: 11
    MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGAS

    A empresa em débito com o fisco não fica impedida, por esse motivo, de ter deferido o seu pedido de autorização de impressão de talonário de notas fiscais.

    Por: MARCO AURÉLIO B. ABREU CHAGASl Direito> Direito Tributáriol 09/04/2008 lAcessos: 662

    Comments on this article

    3
    john 08/09/2011
    vote com consiencia.
    3
    john 08/09/2011
    o direito do voto e publico
    -3
    RAMAXAMBALA 19/10/2010
    ESTE SITE É UMA PORCARIA Q Ñ TEM O Q AS PESSOAS PROCURAM
    HIHIHIHIHIHIHIHIHIHIHIHIHI
    -1
    ruan 07/10/2010
    todos vcs ~s viados q ñ tm oq faaaaaaaaaaaaaaazer
    -2
    latiny 10/09/2010
    viado
    3
    Carla 02/09/2010
    Apenas vamos votar com conciência.
    -2
    francy 27/09/2009
    apreciei muito seu comentário
    -3
    Sabrina 02/09/2009
    Não encontrei o que eu queria, bjs :*
    -3
    batman 06/07/2009
    RONALDO
    2
    Sinval Martinho Lacerda 09/06/2009
    Prezado Marco Aurélio.

    Gostei muito do artigo, principalmente quando você se refere à função de pensar. Se possível, pedir-lhe-ia que me enviasse os sites ou links onde costuma publicar seus artigos.
    Afetuosamente.
    Sinval
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast