Reponsabilidades do Administrador

Publicado em: 07/12/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 237 |

Introdução

O presente artigo trata da responsabilidade limitada do administrador nas sociedades limitadas e anônimas. O objetivo é expor as principais características dessa responsabilidade e suas implicações, obviamente que são relevantes no campo jurídico. O artigo é baseado na opinião de renomados autores que serão citados na bibliografia.

Em primeiro lugar é de grande importância discorrer sobre as atividades que devem ser desempenhadas pelo administrador. Em suma, tem o objetivo de permitir que a sociedade consiga atingir os objetivos a que se propôs, quaisquer que sejam.

Em sociedades anônimas a administração não é cumprida por um só representante, pois quem realiza tal tarefa são os membros que compõe a diretoria; já nas sociedades limitadas tal cargo necessariamente não é ocupado por um só representante, neste caso gerente (ou gerentes), mas há essa possibilidade.

Administrador de Sociedade Limitada

Nas sociedades limitadas a gerência é um órgão da própria sociedade com a função de agir conforme vontade desta. Não há necessidade do gerente ou gerentes serem sócios, podendo ser até uma pessoa jurídica (para tanto deve existir esta possibilidade tratada no contrato social e posterior aprovação pela sociedade).

Quanto à capacidade do gerente há algumas restrições, que podem ser impostas pelo contrato social específico, quanto à sua atuação, obviamente além da obrigatoriedade de agir licitamente e de acordo com os objetivos da sociedade.

Desempenhar o cargo de gerente em uma sociedade implica em assumir responsabilidades e compromissos em nome da empresa, que responderá por tais atos na maioria dos casos, exceto (vide Decreto 3708/1919, art. 10) quando o gerente agir com excesso de mandato ou violando o contrato, ou mesmo a lei. Neste caso tem responsabilidade ilimitada e solidária com a sociedade e ou terceiros.

Quanto às ações de responsabilidade civil do administrador de sociedade limitada, tratadas no artigo 11 do Decreto 3708/1919, é prevista a possibilidade de ação de perdas e danos, mas sem responsabilidade criminal, contra sócio que indevidamente usar firma social, cabendo o papel de demandar à sociedade.


Administrador de Sociedade Anônima

Nestas sociedades quem realiza a administração são as diretorias ou o Conselho de administração.

O conselho de administração é composto por membros eleitos pela Assembléia Geral, (no mínimo três devem ser escolhidos). Esta mesma assembléia tem a capacidade de destituir qualquer desses eleitos, se assim decidido. Outra característica é o prazo máximo de administração, que é de três anos, com direito à reeleição, se assim permitido pela assembléia.

Além de eleger os diretores a Assembléia Geral tem caráter mais atuante na sociedade, como a fiscalização dos livros e capacidade de manifestação em relação à relatórios e contas da diretoria entre outros.

Os deveres do administrador na sociedade por ações

Tratados pela Lei 6404/76, são:

Diligência
O administrador deve agir em conformidade com a licitude e os interesses da sociedade, assim como não usar de seu poder delegado para agir sem autorização do Conselho ou da Assembléia.

Lealdade e sigilo
Estes deveres se confundem, pois ambos são tratados no artigo 155 da Lei das S/A. Por eles entendemos que o administrador deve, além de agir em conformidade com os objetivos da sociedade, também zelar pelas informações que a ele são confiadas e que têm papel indispensável para o desenvolvimento das atividades da empresa e que, portanto, devem ser mantidas dentro dela.

Proibição de agir em conflito de interesses

Como previsto no artigo 156 da Lei de Sociedades Anônimas, o administrador não pode agir em interesse próprio de forma diversa a da manifesta como vontade da empresa.

Informar
O administrador tem, ainda, como dever o de informar a qualquer acionista com mais de 5% do capital social, informações que sejam de relevância aos que compõem a companhia, dando total abertura a situação desta.

Civilmente o administrador não é responsável pelas obrigações assumidas pela companhia, mas sim por ato ilícito seu, sendo com culpa ou dolo, segundo art. 158 da LSA. A companhia pode processar seu administrador se assim deliberado pela Assembléia Geral, sendo o administrador destituído do cargo.

Se a Assembléia retardar a propositura por período superior a três meses qualquer acionista pode propô-la em nome da companhia. Em caso de a Assembléia escolher não responsabilizar o administrador qualquer acionista ou grupo deles, com 5% do capital social poderá promover ação judicial em nome da companhia, seguindo a hipótese de substituição processual originária, (art. 159 §4º). Destaca-se, então, a possibilidade de uma ação direta de um acionista ao administrador.

O prazo prescricional para a ação de responsabilidade é de 3 anos a partir da data de publicação da ata votação do balanço da Assembléia Geral.

Para encerrar, fica assim claro que se o administrador de ambas as sociedades agir com probidade e de acordo com as vontades sociais, não responderá ilimitadamente e de forma solidária com elas (assim sendo quem responderá será a sociedade), isso só ocorre se houver abusos ou excessos por parte daquele.

Bibliografia

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial: direito de empresa. v. 2. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito Civil: responsabilidade civil. v. 4. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2004.

Site do Superior Tribunal de Justiça - www.stj.gov.br. Acesso em: 28 nov. 2010

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/direito-artigos/reponsabilidades-do-administrador-3802798.html

    Palavras-chave do artigo:

    responsabilidades do administrador nas sociedades

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo visa uma discussão acerca das responsabilidades dos administradores na Sociedade Limitada.

    Por: Alan João Orlandol Direito> Doutrinal 12/12/2010 lAcessos: 455

    Discorremos sobre aspectos gerais a respeito do tema, com nuances legais e praticas, possibilitando que o leitor se familiarize com o assunto.

    Por: Adilson Kochl Direitol 07/12/2008 lAcessos: 36,185 lComentário: 2

    Na sociedade limitada, a responsabilidade dos sócios é limitada ao valor do capital social subscrito e integralizado, mas a realidade não é essa, tendo em vista que os bens particulares dos sócios da sociedade podem ser atingidos em faces das ações trabalhistas, tributárias.

    Por: Aline Ana Possamail Direito> Doutrinal 23/11/2011 lAcessos: 199
    Robson Zanetti

    O artigo 153 da Lei das Sociedades Anônimas estabelece: "Art. 153. O administrador da companhia deve empregar, no exercício de suas funções, o cuidado e diligência que todo homem ativo e probo costuma empregar na administração dos seus próprios negócios".

    Por: Robson Zanettil Direitol 10/05/2010 lAcessos: 83

    O presente artigo trata de principais elementos da responsabilidade e direitos dos sócios no âmbito da sociedade limitada.

    Por: Ana Carolina da Silval Direito> Doutrinal 08/12/2010 lAcessos: 4,126

    Não há que se negar que a história do homem, principalmente do homem moderno, está interligada ao surgimento e desenvolvimento do mercado. A empresa, desde os primórdios, alterou e influenciou o comportamento da sociedade em inúmeros aspectos: sociais, políticos, jurídicos e econômicos, e com o advento da Revolução Industrial o comércio passou a dar destaque à empresa e ao papel do empresário, exigindo do direito uma regulamentação que fosse capaz de atender as necessidades daquele momento.

    Por: STEPHANIE GIRALDIl Direito> Doutrinal 24/03/2015

    O presente artigo almeja refletir sobre a função do contador na sociedade, suas principais responsabilidades e o vasto campo de atuação que a área contábil propicia. O trabalho apresenta como o contabilista deve se portar perante as constantes mudanças no mercado de trabalho e como se manter atualizado para não ficar fora do mesmo.

    Por: FRANCISCA SOARESl Negócios> Administraçãol 05/01/2011 lAcessos: 7,562

    O texto versa sobre inclusão/exclusão no contexto da educação escolar. Reflete sobre o papel do gestor educacional e sua importância no processo da inclusão do "diferente".

    Por: Rubem Menezesl Educaçãol 29/04/2008 lAcessos: 18,677 lComentário: 2
    Gerisval Alves Pessoa

    Discute o conceito de Responsabilidade Social Empresarial (RSE), que atualmente dada a relevância do tema, deixou de ser uma opção para tornar-se fator estratégico na política das empresas. Apresenta uma breve explanação do histórico do Grupo Mateus e principalmente sobre as suas práticas de Responsabilidade Social Empresarial.

    Por: Gerisval Alves Pessoal Negócios> Gestãol 10/07/2010 lAcessos: 1,176
    Robson Zanetti

    Na prática se constata que as condenações por perdas e danos decorrentes da gestão culposa do administrador são relativamente raras; a responsabilidade desse é mais freqüente no caso de violação da lei e do contrato social. Uma vez realizando má gestão(1), o sócio-administrador será responsabilizado.

    Por: Robson Zanettil Direitol 10/05/2010 lAcessos: 154

    Vamos aproveitar este momento para explicar que os contratos de seguros de veículos tem que pagar pelos seguintes danos: * DANOS CORPORAIS * DANOS MORAIS * DANOS MATERIAIS OU PATRIMONIAIS

    Por: Bento Jr Advogadosl Direitol 23/03/2015

    Abordagem do surgimento e internacionalização dos Direitos Humanos e sua importância, a Declaração Universal como sistema global de proteção dos Direitos Humanos e demais convenções, incorporação no sistema Brasileiro e suas divergências sobre os tratados internacionais de Direitos Humanos, a Convenção sobre a eliminação de todas as formas de descriminação contra a mulher e sua fundamentação na igualdade.

    Por: RENATO PORTELA E VASCONCELOSl Direitol 04/03/2015 lAcessos: 13
    Giovanna Santos

    Encontrado em 1967 um importante relatório contendo detalhes sobre um terrível genocídio contra povos indígenas resultam em dizimação de tribos inteiras.

    Por: Giovanna Santosl Direitol 25/02/2015

    Objetivando-se um melhor entendimento da possibilidade de ocorrência deste fenômeno no meio comercial mundial, buscou-se realizar um estudo detalhado sobre a origem do crédito, sua evolução histórica e conceito, as principais espécies de títulos de crédito, características, e princípios fundamentais. Evidenciou-se ainda um foco nos estudos sobre o art. 889 do CC 2002 que instituiu a possibilidade de emissão de títulos de crédito a partir de caracteres criados em computador ou meio equivalente.

    Por: Francisco José Jácome de Melol Direitol 19/02/2015 lAcessos: 28

    No cenário atual diversos protestos, manifestações puderam ser vistos nas ruas, inicialmente contra o aumento das passagens de ônibus, mas, todos sabem que um conjunto de fatores desencadeou esse protesto em que parte da pauta das manifestações é um resultado das políticas do governo na ultima década.

    Por: Gleidson Mateus de Melol Direitol 16/02/2015 lAcessos: 20
    Natal Moro Frigi Frigi

    A indicada contribuição fora instituída pela Lei Complementar nº 110/2001, art. 1º, com a finalidade de remunerar os expurgos inflacionários dos Planos Collor e Verão, onde a multa sobre o saldo acumulado do FGTS que era de 40% passou a ser de 50%, todavia, o trabalhador continua recebendo os mesmo valor, pois o aumento (10%) ficaria para a União Federal com o objeto de  remunerar as correção indicadas.

    Por: Natal Moro Frigi Frigil Direitol 14/02/2015

    Eventualmente, verifica-se a necessidade de se obter determinados documentos ou até mesmo informações nos órgãos públicos, contudo, na grande maioria dos casos a tentativa é frustrada em virtude de tanta burocracia. Ocorre que, o acesso a essas informações é direito constitucional do cidadão e o presente artigo se presta, justamente, a conferir mecanismos para que esse garantia seja cumprida.

    Por: Fábio Silva Andradel Direitol 28/01/2015 lAcessos: 24

    O presente artigo visa fornecer subsídios e elementos suficientes para que os proprietários revendedores de combustíveis possam reverter as multas aplicadas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP apenas com uma pequena mudança na rotina de seus estabelecimentos.

    Por: Fábio Silva Andradel Direitol 28/01/2015 lAcessos: 23
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast