Resumos. Ação Civil Pública

Publicado em: 21/07/2009 |Comentário: 5 | Acessos: 42,018 |

Ação civil Pública,

Ação que tem por objetivo responsabilizar por danos morais e patrimoniais causados ao meio-ambiente, ao consumidor, à ordem urbanística, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico, a interesse difuso ou coletivo, por infração da ordem econômica e da economia popular. Prevista na Lei nº 7.347, de 24 de Julho de 1985.

Segundo a doutrina, não é taxativo o rol dos direitos que podem ser buscados através da ação civil pública e nem o dos instrumentos processuais de tutela coletiva. Aplica-se no caso, o denominado Princípio da Não-Taxatividade.

De acordo com o art. 21, parágrafo único, incisos I e II do Código de Defesa do Consumidor, temos as seguintes definições:

Interesses e direitos difusos.

  • São aqueles transindividuais, de natureza indivisível, de que sejam titulares pessoas indeterminadas e ligadas por circunstâncias de fato.
  • São direitos que pertencem a todos, com titulares indeterminados, não podendo ser individualizado, eis que o bem jurídico é indivisível. O que gera a junção de interesses, é uma situação de fato.
  • Ex. Dano ambiental que causa a poluição da água; dano a um patrimônio histórico, artístico, turístico; dano a patrimônio público; propaganda enganosa e abusiva que atinge a todas as pessoas indeterminadamente.

Interesses ou direitos coletivos.

  • São os transindividuais, de natureza indivisível de que seja titular grupo, categoria ou classe de pessoas ligadas entre si ou com a parte contrária por uma relação jurídica base.
  • Ex. conjunto de pais de alunos que sofreram aumento abusivo da mensalidade escolar, gerando a eles um dano coletivo em sentido estrito. Note-se que os titulares são identificáveis e podem propor uma Ação Civil Pública para evitar o aumento.

Pretensões que não podem ser veiculadas por ação civil pública-

  • Tributos;
  • Contribuições previdenciárias;
  • Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS;
  • Outros fundos de natureza institucional cujos beneficiários podem ser individualmente determinados.

Legitimidade para propor a ação principal e a cautelar-

A legitimação para a propositura da ação civil pública é extraordinária, concorrente (os entes legitimados podem atuar ao mesmo tempo no pólo ativo da ação) e disjuntiva (nenhum dos entes legitimados depende da concordância dos outros para mover a ação civil pública).

As ações civis públicas poderão ser propostas pelo(a)(s):

a. Ministério Público.

  • Tal legitimidade também está prevista no art. 129, III da CF.
  •  O Ministério Público, se não intervier no processo como parte, atuará obrigatoriamente como fiscal da lei.

b. Defensoria Pública.

  • A lei 11.448/07 trouxe legitimidade para a Defensoria Pública, consolidando entendimento tanto da doutrina quanto da jurisprudência.

c. União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios.

d. Autarquia, empresa pública, fundação ou sociedade de economia mista.

e. Associação que, concomitantemente:

e. a) esteja constituída há pelo menos 1 (um) ano nos termos da lei civil;

e. b) inclua, entre suas finalidades institucionais, a proteção ao meio ambiente, ao consumidor, à ordem econômica, à livre concorrência ou ao patrimônio artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico.

  • Requisito da pré-constituição das associações - Poderá ser dispensado pelo juiz, quando haja manifesto interesse social evidenciado pela dimensão ou característica do dano, ou pela relevância do bem jurídico a ser protegido.

Litisconsórcio facultativo. Dois casos:

  1. Fica facultado ao Poder Público e a outras associações legitimadas habilitar-se como litisconsortes de qualquer das partes.
  2. Admitir-se-á o litisconsórcio facultativo entre os Ministérios Públicos da União, do Distrito Federal e dos Estados na defesa dos interesses e direitos que podem ser objeto de defesa através da ação civil pública.

Desistência ou abandono da causa por associação legitimada

Em caso de desistência infundada ou abandono da ação por associação legitimada, o Ministério Público ou outro legitimado assumirá a titularidade ativa.

Foro competente-

Foro do local onde ocorrer o dano, cujo juízo terá competência funcional para processar e julgar a causa.

  • Prevenção – A propositura da ação prevenirá a jurisdição do juízo para todas as ações posteriormente intentadas que possuam a mesma causa de pedir ou o mesmo objeto.

As ações civil públicas podem ter por objeto-

  • Condenação em dinheiro;
  • Cumprimento de obrigação de fazer ou não fazer.

Ação cautelar

Pode ser intentada objetivando, inclusive, evitar o dano ao meio ambiente, ao consumidor, à ordem urbanística ou aos bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico

Mandado liminar-

Poderá ser concedido pelo juiz, com ou sem justificação prévia.

  • Decisão- Está sujeita a agravo.

Suspensão da execução da liminar-

  • A requerimento de pessoa jurídica de direito público interessada, e para evitar grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia pública, poderá o Presidente do Tribunal a que competir o conhecimento do respectivo recurso suspender a execução da liminar, em decisão fundamentada, da qual caberá agravo para uma das turmas julgadoras, no prazo de 5 (cinco) dias a partir da publicação do ato.

Multa cominada liminarmente - Só será exigível do réu após o trânsito em julgado da decisão favorável ao autor, mas será devida desde o dia em que se houver configurado o descumprimento.

Compromisso de ajustamento de Conduta

Os órgãos públicos legitimados poderão tomar dos interessados compromisso de ajustamento de sua conduta às exigências legais, mediante cominações, que terá eficácia de título executivo extrajudicial.

Petição inicial

Para instruí-la o interessado poderá requerer às autoridades competentes as certidões e informações que julgar necessárias, a serem fornecidas no prazo de 15 (quinze) dias.

Legitimidade para promover a iniciativa do Ministério Público.

  • Qualquer pessoa , facultativamente;
  • Servidor público, obrigatoriamente.

Provocação da iniciativa do Ministério Público

O interessado deverá ministrar-lhe informações sobre fatos que constituam objeto da ação civil e indicando-lhe os elementos de convicção.

Juízes e tribunais-

Se, no exercício de suas funções, tiverem conhecimento de fatos que possam ensejar a propositura da ação civil, remeterão peças ao Ministério Público para as providências cabíveis.

Ministério Público- Dois papéis:

  1. Intervém no processo como parte.
  2. Caso contrário, atuará obrigatoriamente como fiscal da lei

Inquérito Civil

Poderá ser instaurado pelo Ministério Público, sob sua presidência. Para tanto, poderá:

  • Requisitar, de qualquer organismo público ou particular, certidões, informações, exames ou perícias, no prazo que assinalar, o qual não poderá ser inferior a 10 (dez) dias úteis

Negativa de certidão ou informação-

  • Somente nos casos em que a lei impuser sigilo, hipótese em que a ação poderá ser proposta desacompanhada daqueles documentos, cabendo ao juiz requisitá-los.

Crime-

Recusa, o retardamento ou a omissão de dados técnicos indispensáveis à propositura da ação civil, quando requisitados pelo Ministério Público. Constitui crime, punido com pena de reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos, mais multa de 10 (dez) a 1.000 (mil) Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional – ORTN

Arquivamento do Inquérito –

Se o órgão do Ministério Público, esgotadas todas as diligências, se convencer da inexistência de fundamento para a propositura da ação civil, promoverá o arquivamento dos autos do inquérito civil ou das peças informativas, fazendo-o fundamentadamente.

Nesse caso os autos do inquérito civil ou das peças de informação arquivadas serão remetidos, sob pena de se incorrer em falta grave, no prazo de 3 (três) dias, ao Conselho Superior do Ministério Público. Lá, será submetido a uma sessão para exame e deliberação, onde a promoção de arquivamento será  homologada ou rejeitada.

  • Até que ocorra a sessão, poderão as associações legitimadas apresentar razões escritas ou documentos, que serão juntados aos autos do inquérito ou anexados às peças de informação.

Deixando o Conselho Superior de homologar a promoção de arquivamento-

  • Será designado, desde logo, outro órgão do Ministério Público para o ajuizamento da ação.

Ação que tenha por objeto o cumprimento de obrigação de fazer ou não fazer

O juiz determinará o cumprimento da prestação da atividade devida ou a cessação da atividade nociva, sob pena de execução específica, ou de cominação de multa diária, se esta for suficiente ou compatível, independentemente de requerimento do autor.

Havendo condenação em dinheiro

  • A indenização pelo dano causado reverterá a um fundo gerido por um Conselho Federal ou por Conselhos Estaduais de que participarão necessariamente o Ministério Público e representantes da comunidade.
  • Os recursos serão destinados à reconstituição dos bens lesados.

Efeito suspensivo no recurso-

Poderá ser conferido pelo juiz para evitar dano irreparável à parte.

Execução-

  • Em princípio, será promovida pela associação autora.
  • Será promovida pelo Ministério Público, após decorridos sessenta dias do trânsito em julgado da sentença condenatória, sem que a associação autora tenha executada.
  • Facultada igual iniciativa aos demais legitimados.

Efeitos da sentença civil em ação civil pública

Fará coisa julgada erga omnes, nos limites da competência territorial do órgão prolator.

Exceção ao efeito erga omnes-

  • Se o pedido for julgado improcedente por insuficiência de provas, hipótese em que qualquer legitimado poderá intentar outra ação com idêntico fundamento, valendo-se de nova prova.

Litigância de má-fé-

Em caso de litigância de má-fé, a associação autora e os diretores responsáveis pela propositura da ação serão solidariamente condenados em honorários advocatícios e ao décuplo das custas, sem prejuízo da responsabilidade por perdas e danos.

Custas , emolumentos, honorários periciais e despesas-

Nas ações civis públicas, não haverá adiantamento de custas, emolumentos, honorários periciais e quaisquer outras despesas, nem condenação da associação autora, salvo comprovada má-fé.

 

Jorge André Irion Jobim. Advogado de Santa Maria, RS

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 9 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/direito-artigos/resumos-acao-civil-publica-1056714.html

    Palavras-chave do artigo:

    meandros da justica

    Comentar sobre o artigo

    Diversos são os métodos de se interpretar a lei, no entanto, todos eles buscam o mesmo fim, a busca da justiça real. A hermenêutica jurídica tem grandessíssima importância na sociedade, pois molda a imperatividade do direito impositivo e o senso de justiça para cada caso, visando a justiça social.

    Por: Vagner Caovilal Direito> Legislaçãol 28/07/2013 lAcessos: 57
    José VIRGÍLIO Dias de Sousa

    DISCURSO CRÍTICO ACERCA DE DECISÕES PROFERIDAS POR TRIBUNAIS SUPERIORES, TOMADAS NA CALADA DA NOITE, EM SINTESE AQUELAS PROFERIDAS PELO STF, QUE VÃO CONTRARIAMENTE AO SENTIMENTO DE JUSTIÇA SOCIAL E DEIXA CLARO A INDIGANÇÃO POPUPLAR EM CASOS POLÊMICOS.

    Por: José VIRGÍLIO Dias de Sousal Direitol 03/01/2010 lAcessos: 268

    Este artigo foi publicado na Revista Compras Públicas: Legalidade e Transparência; da Editora CAPACITAR - Consultoria e Treinamentos em Licitações; edição de abril de 2009. O objetivo do artigo é analisar qual papel das políticas públicas sócio-ambientais na construção de uma gestão pública mais democrática e participativa no Brasil, com base no socioambientalimo.

    Por: Rejane Esther Vieiral Negócios> Administraçãol 13/11/2008 lAcessos: 4,809 lComentário: 3

    Tenho visto e escutado, inclusive pelos órgãos de imprensa, a divulgação dessa frase destituída de verdade, já que ela fica endeusando uma instituição e demonizando outra, coisa que pode ser deletéria em tempos de crise, momento em que a sociedade e os organismos do Estado devem agir conjuntamente.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direitol 08/05/2009 lAcessos: 596

    Exposição simplificada sobre os meios mais utilizados na interpretação e integração das normas jurídicas.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direitol 25/08/2009 lAcessos: 13,614

    A analogia é justamente a aplicação a uma hipótese não prevista em lei, de disposição estabalecida para casos semelhantes.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direitol 10/08/2009 lAcessos: 3,582 lComentário: 2

    No momento em que uma pessoa é submetida a um processo penal, ela passará a sofrer conseqüências, que nós podemos considerar como a antecipação de uma pena corporal não tipificada nos códigos penal e processual penal.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 06/05/2009 lAcessos: 544

    A absolvição fará com que juridicamente, o nome da pessoa fique sem máculas. O questionamento que fica é a respeito do estigma que recai sobre a pessoa processada penalmente. Será que um dia ela conseguirá se desvencilhar da marca infamante que recai sobre ela por ter sido suspeita da prática de um ilícito penal?

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direitol 12/05/2009 lAcessos: 2,416

    Aplausos para uma lei que há muito já se fazia necessária diante da grande quantidade de casos de alienação parental que afloram no judiciário.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Legislaçãol 07/09/2010 lAcessos: 1,099 lComentário: 1

    Aviso aos navegantes. O uso de drogas continua sendo considerado infração penal previsto no art. 28 da lei 11.343 de 2.006. Através do referido artigo, são punidas várias condutas, tal como, adquirir, guardar, ter em depósito, transportar ou trazer consigo, para consumo pessoal, drogas sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direitol 19/06/2009 lAcessos: 240

    Este artigo acadêmico tem por grande objetivo esclarecer as duvidas referentes ao polêmico artigo 1.790 do Código Civil. Desta maneira, vários argumentos serão expostos para que haja total compreensão do texto que traz o artigo, diante a concorrência na União Estável.

    Por: Henrique Tirintan Amoriml Direitol 30/10/2014

    Trata-se de uma resenha sobre o documentário Ouro Azul - Guerras Mundial das Águas, que mostra a briga dos países para conseguir água, a exploração de empresas na extração da água para comercialização, o custo da água em outros países.

    Por: Sue Hellen Maidanal Direitol 27/10/2014

    Trata-se de uma resenha crítica sobre o livro Estação Carandiru, escrito por Dráuzio Varella.

    Por: Sue Hellen Maidanal Direitol 27/10/2014

    Sabe qual a diferença entre insolvência e falência? Leia o artigo e saiba mais!

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 27/10/2014

    Com o término da faculdade, a dúvida entre advocacia privada e concursos se faz muito presente. Mas qual caminho a seguir? Saiba mais!

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 22/10/2014

    Trata-se de um artigo que pretende fornecer breves apontamentos acerca da Escola da Exegese. No início do Século XIX, surgiu a Escola da Exegese em meio ao caos político e social da França revolucionária.

    Por: JOSÉ CARLOS MAIA SALIBA IIl Direitol 21/10/2014

    Sabe o que é advocacia administrativa? Advocacia administrativa é um crime previsto por lei. Saiba mais!

    Por: Sayuri Matsuol Direitol 13/10/2014

    O artigo em questão trata do direito que a mulher gestante tem de receber alimentos do pai ou do suposto pai da criança. Será falado das possibilidades e das provas para receber os alimentos.

    Por: Janainal Direitol 13/10/2014

    Apesar do fato de que já existem riquezas demais acumuladas, principalmente em um país rico como o Brasil, eles que não se atrevam a desejar mais do que aquelas insignificâncias que lhes permitem usufruir. Eles que se mantenham covardes diante do aparato repressivo do estado e se acostumem com a mediocridade de suas vidas. Se querem ser um gigante, que o sejam, mas sejam um gigante domesticado, sempre fazendo exercícios de genuflexão perante seus senhores.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 02/01/2014 lAcessos: 26

    E é aí então que cometemos mais um de nossos enganos: não existe o jogar fora. É claro que jogamos fora de nossa casa strictu sensu, aquele pequeno território delimitado por muros ou cercas dentro do qual está a construção em que residimos, mas não de nossa casa latu sensu que é o planeta.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 26/02/2013 lAcessos: 52

    As nuvens cerradas da inquisição e do obscurantismo estão pairando sobre o STF durante o julgamento da Ação Penal 470. Mas não nos preocupemos, afinal quando chegar a hora do julgamento (se chegar) do mensalão do PSDB ou Privataria Tucana, os ventos do iluminismo irão voltar a arejar as mentes dos seus ministros. Eles então deixarão de ser verdugos cortando cabeças a mando dos membros da aristocracia e convenientemente voltarão a ser magistrados na verdadeira acepção da palavra.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 21/10/2012 lAcessos: 32

    Os magistrados são pressionados a atenderem aos desejos rasteiros do populacho insuflado pelas palavras inflamadas verberadas pelos falsos defensores da moral e dos bons costumes e ai deles se não se dobrarem à demanda da mídia. Serão esculachados e terão suas honestidades colocadas em dúvida, sempre sob a alegação de que foram certamente "comprados" por alguém.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 26/09/2012 lAcessos: 85

    Então eu me dei conta de como seria tão mais bonito e fascinante o mundo do direito se, quando deixássemos o plano das abstrações e ingressássemos no âmbito dos casos concretos, os seus atores como juízes, promotores e advogados descessem de seus pedestais, se despissem de seus trajes com as cores da empáfia com que costumam se vestir e, ao invés de quererem sobrepor seus notórios saberes jurídicos uns sobre os outros, resolvessem se aventurar juntos em busca de uma maior proximidade daquilo que

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 03/08/2012 lAcessos: 39

    Como se pode ver, a CPI não tem poder acusatório, não exerce as funções do ministério público e não tem atribuição de julgar, condenando ou absolvendo. No final do prazo estabelecido, caso os investigados não tenham sido considerados inocentes de plano com o conseqüente arquivamento do inquérito parlamentar, o relatório será enviado ao Ministério Público e ele sim, será o encarregado de analisar tais conclusões e decidir se é o caso de promover a responsabilidade civil ou criminal.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Direito> Doutrinal 30/07/2012 lAcessos: 36

    Acontece que existe na área do direito, uma modalidade de culpa, a denominada "culpa in eligendo", que é justamente aquela que se configura quando o agente não toma as cautelas necessárias para a escolha de uma coisa e de pessoa para exercer uma atividade. É a negligência, a falta de critérios e cuidados na hora da escolha dos nossos representantes ou prepostos.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Notícias & Sociedade> Polítical 23/07/2012 lAcessos: 918

    Tudo está regulamentado, direcionado conforme o script determinado pelo sistema e nós apenas desempenhamos os papéis que ele nos determina ou permite que desempenhemos. Colocaram rédeas em nossos corpos e pensamentos e ai daquele que se insurgir e tentar caminhar fora dos trilhos.

    Por: Jorge André Irion Jobiml Notícias & Sociedade> Polítical 05/07/2012 lAcessos: 84

    Comments on this article

    1
    zeze 02/04/2011
    eu gostaria de saber sobre essa acao civel publica do fgts numero.01951.15.2010.5.8.0201
    -1
    zeze 02/04/2011
    pprocesso fgts
    0
    Cicero dos Santos 13/12/2010
    Rejane, voce é muito gata parabens pelo texto que voce escreveu , gosto muito de ver voece neste blog.
    vai aui meu e-mail ciceronayara@hotmail.com
    1
    Maria Auxiliadora Melo 17/06/2010
    Agradeço e parabenizo pela qualidade do texto aproveitando a oportunidade para solicitar que seja dada continuidade ao assunto,trazendo-nos um resumo/análise crítica sobre o PL. 5.139/09, daticamente,de forma tão esclarecedora quanto o material ora comentado. Parabéns. Abraços. Auxiliadora Melo.
    1
    teixeira 26/07/2009
    Os meus sinceros agradecimentos, na qualidade de internauta, ao amigo IRION, pela qualidade do texto "Ação Civil Pública", que inclusive pode e deve ser usado como resumo pelos concurseiros de nível médio e superior, assim como pelo público leigo em geral, cônscio dos seus deveres e direitos, para um exercício pleno da cidadania. Altamente didático. Parabéns. Estamos aguardando publicações do mesmo nível, ou melhor se possível.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast