Lei de Execução Fiscal - Lei 6.830, de 22 de setembro de 1980

Publicado em: 23/12/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 803 |

Lei de Execução Fiscal - Lei 6.830, de 22 de setembro de 1980 - Certidão da Dívida Ativa – Exceção de Pré-Executividade

Dispõe sobre a cobrança judicial da Dívida Ativa da Fazenda Pública, e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Artigo. 1º - A execução judicial para cobrança da Dívida Ativa da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e respectivas autarquias será regida por esta Lei e, subsidiariamente, pelo Código de Processo Civil.

Artigo. 2º - Constitui ...

§ 2º -

§ 3º -

§ 4º -

§ 5º -

I –

II - o valor originário da dívida, bem como o termo inicial e a forma de calcular os juros de mora e demais encargos previstos em lei ou contrato.

III -

IV –

V –

VI –

§ 6º - A Certidão de Dívida Ativa conterá os mesmos elementos do Termo de Inscrição e será autenticada pela autoridade competente.

O que mais provoca a Exceção de Pré-Executividade, são o Inciso II e principalmente  o parágrafo 6º  da Lei Federal nº 6.830/80, pois os administradores dos municípios não se preocupam com a Certidão de Dívida Ativa, que deve respeitar a Lei. Por sua vez os magistrados não atentam corretamente para Lei nº 6.830/80, provocando o desrespeito aos contribuintes, podemos até exemplificar o que ocorre nos Municípios de Ribeirão Pires e Santa Isabel no Estado de São Paulo. Muitos contribuintes em certas fazes da vida, possuem dificuldades para pagarem seus impostos corretamente ou os impostos são abusivos, quando a Lei é feita com sabedoria e não os despreza. O que ocorre com as Execuções Fiscais é que o contribuinte bem como seu representante legal ficam abismados e assustados quando enfrentam uma Cobrança Judicial e desconhecem a Lei, pois deveriam requerer que a Prefeitura Municipal junte aos autos a Ficha de Inscrição do Imóvel (Termo de Inscrição). Não podem uns e outros reclamarem das atitudes dos administradores municipais que são políticos regionais, e na maioria das vezes não possuem competência administrativa, portanto se os referidos contribuintes não tomarem as atitudes que lhes compete, devem manter-se calados;

Na Certidão da Dívida Ativa é obrigatório constar o valor originário da dívida, bem como o termo inicial e a forma de calcular os juros de mora e demais encargos previstos em lei ou contrato (porcentuais, tabela aplicada e etc.), conforme o Artigo 2º, Inciso II da Lei 6.830/80. Quando o contribuinte procura a administração municipal para um acordo, é esbulhado com violência, sendo que as autoridades que deveriam coibir tais abusos, procuram não se envolver e o contribuinte que se dane com os seus direitos de consumidor. Uns poucos fazem as Leis, e muitíssimos as desrespeitam;

É muito bom entender que o compromissário-comprador do imóvel é parte legítima para interpor ação contra a cobrança de taxas públicas. O entendimento é da Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que negou o recurso do município de São Paulo contra o advogado Avair Bergamini. Para a ministra Eliana Calmon, relatora do processo, o compromissário-comprador é legítimo para discutir as taxas públicas cobradas com relação ao imóvel, pois sua posse do bem decorre de direito real pelo fato de ele assumir o ônus do proprietário. O advogado Avair Bergamini interpôs um mandado de segurança contra ato do diretor do Departamento de Rendas Imobiliárias da Secretaria de Finanças da Prefeitura Municipal de São Paulo. Na ação, o advogado pediu o cancelamento da cobrança de taxas de conservação de vias e lugares públicos, limpeza pública e combate a sinistros de acordo com os termos da Lei 12.288/96. O município contestou a ação afirmando ser legal a cobrança. Ele também alegou que Bergamini não seria legítimo para propor o processo, por não ser proprietário dos imóveis objetos das cobranças municipais. O Juízo de primeiro grau concedeu o pedido de Bergamini para afastar a exigência das taxas questionadas. De acordo com a sentença, a cobrança seria inconstitucional. Além disso, segundo a sentença, não colhe a preliminar de ilegitimidade de parte argüida (Bergamini). A circunstância do imóvel não estar cadastrado em nome do impetrante não lhe retira a legitimidade para questionar a taxa com fundamento na propriedade do imóvel. O município apelou. Segundo o apelante, Bergamini seria apenas compromissário-comprador e não o proprietário de fato do bem, portanto, não seria o titular da relação jurídica tributária. Para o município, o simples compromisso particular de compra e venda e cessão de direitos e obrigações apresentado não comprovaria a propriedade que, na verdade, seria de Hubert Rosseau Potteau. O Tribunal de Alçada Civil de São Paulo (TAC-SP) negou o apelo mantendo a decisão de primeiro grau. Com isso, o município recorreu ao STJ afirmando que o TAC-SP teria contrariado os artigos 34 e 123 do Código Tributário Nacional (CTN). Para o recorrente, apenas a prática do ato de possuir não seria suficiente para caracterizar a legitimidade ativa de Bergamini no mandado de segurança. A ministra Eliana Calmon rejeitou o recurso confirmando as decisões anteriores. Segundo a relatora, o compromissário-comprador detém o animus domini (ânimo de proprietário) para ajuizar o mandado de segurança contra o pagamento das citadas taxas, uma vez que sua posse decorre de direito real. A ministra lembrou o entendimento doutrinário sobre a distinção de direito real e direito pessoal. Distingue-se a posse oriunda de direito real, situação em que assume o possuidor o ônus do proprietário, daquela oriunda de direito pessoal, quando detém esse título pela só existência de um contrato, tal como a locação, o comodato, etc. Elaine Rocha (61) 319-6547.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/direito-tributario-artigos/lei-de-execucao-fiscal-lei-6830-de-22-de-setembro-de-1980-3906871.html

    Palavras-chave do artigo:

    iptu

    ,

    certidao da divida ativa

    ,

    excecao de pre executividade

    Comentar sobre o artigo

    O Conselho Nacional de Justiça tem-se preocupado em identificar processos de execução fiscal que poderiam ser extintos, em virtude de prescrição. Os operadores do direito podem antecipar essa identificação, por estarem próximos dos executados e com acesso aos processos executivos e – via exceção de pré-executividade – alegarem a prescrição ou a prescrição intercorrente.

    Por: roberto rodrigues de moraisl Direito> Direito Tributáriol 06/09/2009 lAcessos: 1,497
    Rian Vidal

    Reflexões jurídico-cidadãs em torno da excessiva carga tributária brasileira e o insatisfatório retorno ao contribuinte de serviços públicos de qualidade. O artigo fora publicação no Jornal do Tocantins, edição de 19 de Junho de 2014.

    Por: Rian Vidall Direito> Direito Tributáriol 02/03/2015
    Nagel & Ryzeweski Advogados

    Advogado alerta aos empresários sobre a importância de se fazer uma ação revisional bancária a fim de direcionar receitas e investimentos a setores que alavanquem seu negócio.

    Por: Nagel & Ryzeweski Advogadosl Direito> Direito Tributáriol 22/02/2015
    Miguel Teixeira Filho

    Art. 185 CTN (nova redação). Fraude à execução: Qual o tratamento a ser dado nos casos em que a alienação foi feita por quem, não constando originariamente na certidão de dívida ativa, sofreu redirecionamento da execução fiscal?

    Por: Miguel Teixeira Filhol Direito> Direito Tributáriol 10/02/2015
    Miguel Teixeira Filho

    Existe uma certa demora entre o ato de inscrição da dívida ativa e o ajuizamento da execução fiscal, ocasião em que o contribuinte poderá garantir a execução, para fins de afastar a presunção de inadimplência. O que pode ser feito enquanto isso?

    Por: Miguel Teixeira Filhol Direito> Direito Tributáriol 10/02/2015
    Miguel Teixeira Filho

    A relação entre o vendedor que realiza uma saída de mercadoria com destino ao adquirente é uma operação meramente comercial e nunca de cunho jurídico tributário. Portanto, não há que se falar em "tributo cobrado", para fins da lei penal fiscal.

    Por: Miguel Teixeira Filhol Direito> Direito Tributáriol 10/02/2015
    Nagel & Ryzeweski Advogados

    Advogado adverte que é possível às empresas reduzir os valores parcelados em até 30%. Basta uma revisão judicial.

    Por: Nagel & Ryzeweski Advogadosl Direito> Direito Tributáriol 30/01/2015 lAcessos: 18

    A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 traz em seu bojo diversas imunidades tributárias, entre elas, está a referente ao denominado Terceiro Setor. Esse é representado por instituições sem fins lucrativos, que prestam algum tipo de serviço Público à sociedade. A existência desse setor emana da tese de que o Primeiro e o Segundo Setores não conseguem atender todas as necessidades e anseios da população.

    Por: JOSÉ CARLOS MAIA SALIBA IIl Direito> Direito Tributáriol 23/12/2014 lAcessos: 23

    O conceito de livro passou por transformações radicais no decorrer dos milênios. Certamente, este foi um dos maiores inventos criados pela humanidade, tamanha a sua importância, que a Constituição de 1988 deu-lhe imunidade tributária. Porém, como a sua evolução continua, hoje encontra-se presente o livro eletrônico ou e-book que, na prática, possui a mesma utilidade da sua versão em papel.

    Por: JOSÉ CARLOS MAIA SALIBA IIl Direito> Direito Tributáriol 17/12/2014 lAcessos: 17

    Na vida existem momentos em que as nossas forças esmorecem de tal maneira que nos levam a pensar na morte, para fugir dos problemas que nos rodeiam e não temos forças para resolvê-los. É muito comum o desespero quando não encontramos ajuda de quem quer que seja, cujos irmãos até nos condenam, esmorecem as nossas forças e ficamos desesperados,

    Por: Antonio Lourol Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 26/02/2012 lAcessos: 122

    s.f. Prece sob forma de meditação; reza. / Curta prece litúrgica enunciada nas horas canônicas e na missa. / Discurso; sermão; fala. / Gramática Conjunto de palavras ordenadas segundo normas gramaticais, com sentido completo; proposição; enunciado de um juízo. // Oração fúnebre, discurso público pronunciado em honra do morto.

    Por: Antonio Lourol Religião & Esoterismo> Evangelhol 28/12/2011 lAcessos: 109

    NÃO SOU NENHUMA AMEBA, PARA EVOLUIR DO NADA, BUSCO PROVAS DA EVOLUÇÃO E NÃO AS ENCONTRO, DA MESMA FORMA PROCURO MACACOS E JÁ ESTOU CANSSADO DE TREPAR EM ÁRVORES. AFINAL ONDE ESTÃO AS PROVAS DA EVOLUÇÃO, OU SERÁ O VÁCUO?

    Por: Antonio Lourol Religião & Esoterismo> Evangelhol 28/05/2011 lAcessos: 104

    VERDADE, PROVA DA CRIAÇÃO, CRENDICES SEM FUNDAMENTO, VERDADE: sf (lat veritate) 1 Aquilo que é ou existe iniludivelmente. 2 Conformidade das coisas com o conceito que a mente forma delas. 3 Concepção clara de uma realidade. 4 Realidade, exatidão. 5 Sinceridade, boa-fé. 6 Princípio certo e verdadeiro; axioma.

    Por: Antonio Lourol Religião & Esoterismo> Evangelhol 06/01/2011 lAcessos: 162

    Tempo é dinheiro como dizem os economistas, portanto aplicamos o nosso tempo nos estudos, empregos, prestações de serviços, plantio, criação, extrações, comercio, industrialização e etc.. Em todas essas atvidades acontecem dívidas e percas, e normalmente trazem problemas psíquicos, portanto queremos auxiliar nos problemas e suas consequencias.

    Por: Antonio Lourol Finanças> Finanças Pessoaisl 02/12/2010 lAcessos: 312

    O que se procura com esta matéria é tranqüilizar o homem, que pela sua ignorância e insignificância vive aflito com as coisas que atualmente acontecem. Uma das principais razões é a crença, pois procura acreditar na crendice e não se importa com os fatos reais, sendo levado pelos alertas dos profetas do apocalipse, e pela sua ignorância entende que é o único vivente neste grandioso universo que é o reino de DEUS;

    Por: Antonio Lourol Religião & Esoterismo> Evangelhol 06/03/2010 lAcessos: 357 lComentário: 1

    O homem desde o seu nascimento é obrigado a se submeter às crendices, não possuindo escolha, até descobrir a verdade das suas submissões. A verdade é o único remédio para não envolver o homem ao atraso em sua vida, convivendo com o ridículo.

    Por: Antonio Lourol Psicologia&Auto-Ajudal 08/02/2010 lAcessos: 256

    Orientação nos problemas, suas causas e causadores

    Por: Antonio Lourol Religião & Esoterismo> Evangelhol 24/01/2010 lAcessos: 748
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast