Agenda 21

Publicado em: 14/09/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 5,666 |

SUMÁRIO

 

I  Introdução

II   Desenvolvimento

III  Conclusão

VI   Referencias

 

AGENDA   21

 I   INTRODUÇÃO

          Pretende-se com o presente estudo analisar a importância da Agenda 21 no contexto que ressalta a defesa do meio ambiente como forma de resguardar não só o equilíbrio de todo o ecossistema, mais a manutenção de uma boa qualidade de vida as pessoas.

II   DESENVOLVIMENTO

 

            A agenda 21, que foi o resultado da Conferência das Nações Unidas sobre meio ambiente e desenvolvimento realizada no Rio de Janeiro em junho de 1992 é apontada como sendo um dos mais importantes documentos de meio ambiente, buscando uma harmonização do desenvolvimento econômico com a proteção ambiental, estabelecendo parcerias mundiais de cooperação entre os Estados, agências de desenvolvimento, organizações das Nações Unidas e por grupos setoriais independentes.

            A elaboração da Agenda procura focalizar a interdependência das dimensões ambiental, econômica, social e institucional, buscando uma parceria entre governo, setor produtivo e sociedade civil, tendo como fim o desenvolvimento sustentável. De acordo com o Princípio 4 da Agenda 21, para se alcançar o desenvolvimento sustentável, a proteção ambiental constituirá parte integrante do processo de desenvolvimento e não pode ser considerado isoladamente deste. O desenvolvimento econômico faz parte da própria evolução do homem, se este for cerceado o homem passaria a ficar estagnado no tempo, de uma forma ou de outra o desenvolvimento econômico necessita das matérias primas ambientais e do uso de todos os tipos de recursos que o meio ambiente possa oferecer, o que deve acontecer é uma boa gestão ambiental, que para Machado (2006), se chama ‘desenvolvimento sustentável’, que segundo Baracho Júnior (1999), tem um conceito:

 

                                  [...] proposto pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (World Comission on Environment and Development) que significa um desenvolvimento que faz face às necessidades das gerações presentes sem comprometer a capacidade das gerações futuras na satisfação de suas próprias necessidades.(BARACHO JÚNIOR,1999, p.187)

           Milaré (2007), trabalhando sobre o tema, destaca a necessidade de se reverter o crescente processo de degradação ambiental, mediante o desenvolvimento sustentável, que segundo o autor tem as seguintes características:

[...] o desenvolvimento sustentável exige da sociedade que suas necessidades sejam satisfeitas pelo aumento da produtividade e pela criação de oportunidades políticas, econômicas e sociais iguais para todos. Ele não pode por em risco a atmosfera, a água, o solo e os ecossistemas, fundamentais à vida na Terra. O Desenvolvimento sustentável é um processo de mudança no qual o uso dos recursos, as políticas econômicas, a dinâmica populacional atual e futuro para o progresso humano. Apesar de reconhecer que as atividades econômicas devem caber à iniciativa privada, a busca do desenvolvimento sustentável exigirá, sempre que necessário, a intervenção dos governos nos campos social, ambiental, econômico, de justiça e de ordem pública, de modo a garantir democraticamente um mínimo de qualidade de vida para todos. (MILARÉ, 2007, p. 63)

                  

A Conferência acima citada, conhecida também como Rio 92, contou com a participação de 170 países. Segundo Antunes a Agenda 21

é uma declaração política firmada pelos Estados e não tem força obrigatória, muito embora os seus signatários venham desenvolvendo toda uma série de ações para a sua implementação”.(ANTUNES, 2005,p.341)

Trata-se de um texto assumido oficialmente pelos países representados naquele encontro mundial e, nada mais sensato que os países signatários ao verificarem pontos positivos façam valer o que no documento esteja estipulado, pois, segundo Milaré (2007,p.90), “quando trata dos meios de implementação, a Agenda 21 ressalta a promoção da consciência ambiental e o fortalecimento das instituições para o desenvolvimento sustentável, dando evidência a instrumentos e mecanismos legais internacionais”.

Demonstrando que a cooperação internacional é um tema revestido de especial relevância, haja vista, que ação isolada de um ou de alguns países em defesa de uma melhor qualidade de vida e maior proteção do patrimônio ambiental, pouco resultado produzirá na contenção dos problemas se conjuntamente não trabalharem. A cooperação no Direito Internacional tem sido apontada como sendo o início da solução de muitos problemas que assolam o planeta Terra. Percorrendo-se a Declaração Rio/92 constatam-se várias formas indicadas para a cooperação ambienta. Assim, segundo Milaré (2007,p.1164), é tão importante à afirmação de que “o meio ambiente não conhece fronteiras”.   

            A agenda 21 é um instrumento dinâmico capaz de abarcar as áreas em que os recursos naturais existentes poderiam ser preservados. Se as políticas públicas e tudo o mais que está nela consignado forem, de fato, levados a cabo, será suficiente para impedir práticas que possam prejudicar os recursos naturais. Uma preocupação em nível internacional, como ressalta Antunes ao afirmar que “cada um dos capítulos da Agenda 21 busca definir um conjunto de ações e atividades a serem cumpridas na ordem internacional que se materializarão em tratados e convenções específicos”. (ANTUNES, 2005,p.341).

            Não pairam dúvidas de que seu conteúdo é sério e que a reunião contou com membros de significante relevo da área ambiental. Na verdade, quem irá definir ou mesmo reafirmar o que foi consignado nesses instrumentos será a política ambiental adotada pelo Estado, que deve contar com uma estrutura capaz de proteger o meio ambiente. Isso, certamente, leva em consideração a forma econômica e de Estado adotada, sempre buscando o fortalecimento da consciência dos Poderes Públicos e da sociedade, no sentido de criarem ou aperfeiçoarem o ordenamento jurídico necessário à gestão ambiental num cenário de desenvolvimento sustentável.

  

III   CONCLUSÃO

          Pelo presente estudo, conclui-se que a Agenda 21 é um dos mais importantes documentos de meio ambiente, que visa abarcar as áreas em que os recursos naturais existentes poderiam ser preservados, buscando definir um conjunto de ações e atividades a serem cumpridas na ordem internacional que se materializarão em tratados e convenções específicos.

 

 IV   REFERÊNCIAS 

ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito Ambiental. 8 ed., Rio de Janeiro: Lúmem Júris, 2005.

BARACHO JÚNIOR, José Alfredo de Oliveira. Responsabilidade Civil por dano ao meio ambiente. Belo Horizonte: Del Rey, 1999.

MACHADO, Paulo Afonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro. 15 ed., São Paulo: Malheiros, 2007.

MILARÉ, Edis. Direito do Ambiente. 5 ed. São Paulo: Revistas dos tribunais, 2007.

 

 

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/agenda-21-1230632.html

    Palavras-chave do artigo:

    agenda 21

    ,

    protecao do meio ambiente

    ,

    medidas

    Comentar sobre o artigo

    Sergio Sebold

    O presente trabalho faz uma retrospectiva dos grandes encontros internacionais sobre a problemática do meio ambiente; estabelece algumas reflexões sobre o compromisso ético das nações na busca de uma solução que possa conseguir um desenvolvimento sustentável de longo prazo; e conclui com abandono da atual lógica de poder através da competitividade, pela lógica da solidariedade como o único parâmetro de sobrevivência.

    Por: Sergio Seboldl Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 21/05/2011 lAcessos: 749
    beatriz diniz

    Por derivar do modelo de desenvolvimento, o comércio exterior vende a cadeia produtiva da insustentabilidade, o que é exemplificado pela propaganda, uma das atividades meio do sistema. Nesta discussão sobre as implicações do comércio na temática socioambiental é colocada como questão de fundo a precisão e a urgência em mudar os rumos do desenvolvimento econômico, com o objetivo de esboçar que devem ser interpretadas sob a ótica do Desenvolvimento Sustentável.

    Por: beatriz dinizl Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 04/04/2009 lAcessos: 684
    DANIELY LOPES

    Este trabalho tem por objetivo mostrar que a ética está no dia-a-dia das pessoas. Está inserida no cuidado com o material escolar; na atenção com os colegas;no respeito aos familiares e educadores;na valorização do patrimônio cultural e histórico;no cuidado com o ambiente.

    Por: DANIELY LOPESl Educaçãol 02/03/2010 lAcessos: 10,301 lComentário: 3
    Cosme de Jesus Souza

    Este trabalho monográfico tem por finalidade verificar e mostrar com deve ser vista e aplicada a Gestão Ambiental dentro e fora das empresas. Reconhecer que o meio ambiente vem sofrendo uma série de prejuízos ao longo dos séculos, causados pela intervenção humana, pois o homem na ânsia de progredir, cada vez mais tem se apropriado dos recursos naturais de forma inadequada. Observar que as medidas de proteção ambiental não foram criadas para impedir o desenvolvimento econômico. Enfatizar que uma

    Por: Cosme de Jesus Souzal Educação> Ensino Superiorl 10/01/2011 lAcessos: 4,669
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Direito Ambiental. Órgão de Atuação. IAP. Atuação e História. Controle de infrações. Conceito de Direito Ambiental. O Direito Ambiental é a área do conhecimento jurídico que estuda as interações do homem com a natureza e os mecanismos legais para a proteção do meio ambiente.

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014 lAcessos: 21

    O presente artigo diz respeito a um prévio levantamento teórico-metodológico para dissertação de Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento Sustentável, no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, a pesquisa inter-relaciona gestão de resíduos sólidos, políticas públicas e ações que visam a geração de renda para famílias que atuam na cadeia de coleta e comercialização de resíduos sólidos para reciclagem na Cidade de Belém, Estado do Pará.

    Por: Tatylene do S.C. Freirel Notícias & Sociedade> Meio Ambientel 27/01/2010 lAcessos: 4,196

    Pretendeu-se com este estudo, focalizar a Interdisciplinaridade da Educação Ambiental desenvolvida na E.E.E.F e M. Eneida de Moraes, com a finalidade de tornar evidentes as vantagens de trabalhos interdisciplinares desenvolvidos pelos educadores junto aos educandos com qualidade e com a finalidade de perceber como os educadores trabalham a interdisciplinaridade da E.A na sala de aula, principalmente do Ensino Fundamental, onde a criança começa a ter responsabilidade de cidadão brasileiro.

    Por: Cristina Ferreiral Ciências> Biologial 13/07/2008 lAcessos: 25,647 lComentário: 21

    O presente artigo procura demostrar o esforço de várias empresas em investirem continuamente em atitudes positivas e inovadoras , não só no âmbito financeiro e econômico, mas também nos aspectos socioabientais com o objetivo da melhoria da qualidade de vida dos seus colaboradores e de seu público alvo.

    Por: Tayana de Moraes Percel Carreira> Recursos Humanosl 19/05/2009 lAcessos: 3,055

    De acordo com a figura de monitoramento orbital de queimadas (INPE/CNPM-EMBRAPA) e da imagem coletada do satélite CBERS-2 fica claro, a ação antrópica de retirada da cobertura vegetal, principalmente na zona rural destacando-se áreas de assentamento e também a atividade agropecuária. A área total da cobertura vegetal descoberta atingiu 18.705,909847 ha. Torna-se necessário a implantação de um Viveiro Agroflorestal, com função principal para produção de mudas de espécies nativas.

    Por: BRITO SOBRINHO, J. C. C.l Ciênciasl 06/12/2010 lAcessos: 976 lComentário: 1

    O presente artigo tem a finalidade de relatar as principais características, em um âmbito político e social, de um período da história brasileira: a República Velha. É essencial analisar, ainda que de forma sucinta, seus antecessores e suas conseqüências. Para tal fim, buscamos um embasamento em celebres obras como "Coronelismo, Enxada e Voto", de Victor Nunes Leal e "Os Donos do Poder", de Raymundo Faoro.

    Por: Antônio Faustino Moural Direito> Doutrinal 17/12/2014
    André Silva Barroso

    O presente trabalho trata sobre os títulos de crédito eletrônicos e a possível descaracterização do princípio da cartularidade, onde, para uma melhor compreensão sobre tal instituto, buscou-se um estudo sobre seu conceito, características e princípios. Num segundo estágio foi-se abordado os títulos de crédito eletrônicos, que surgiram pelos avanços tecnológicos principalmente pelo advento da internet.

    Por: André Silva Barrosol Direito> Doutrinal 05/12/2014
    Liziane Mont'Alverne de Barros

    A "judicialização da política" ou "politização da justiça" na composição dos cenário das ciências jurídicas e sociais nos diversos países do mundo e seus efeitos na expansão do Poder Judiciário no processo decisório das democracias contemporâneas. O presente artigo tem por escopo promover uma análise crítica do desenvolvimento desse fenômeno que vem sendo desenvolvido pelo Órgão de Cúpula do Judiciário – STF.

    Por: Liziane Mont'Alverne de Barrosl Direito> Doutrinal 04/12/2014

    O código civil concede ao testador o direito não só de instituir herdeiro ou legatário em primeiro grau, mas também o de lhes indicar substituto.

    Por: DÉBORA LUCIANO DE ALMEIDAl Direito> Doutrinal 03/12/2014 lAcessos: 11

    CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO É um mecanismo previsto na lei civil, que pode-se valer o devedor que queira desonerar-se e que esteja em dificuldades para o fazer.

    Por: Fernando Bartoli de Oliveiral Direito> Doutrinal 01/12/2014

    Artigos 1962, 1963 e 1814 do Código Civil É o ato de manifestação da vontade do autor da herança que exclui da sucessão, um herdeiro necessário, tipificando, nos permissivos legais, a sua vontade. Dá-se por testamento somente.

    Por: Thais Luz Firminol Direito> Doutrinal 29/11/2014 lAcessos: 12

    A conquista, o governo e a manutenção do Estado são preocupações centrais do pensamento maquiaveliano. Essa tríade tem de ser mantida custe o que custar, ainda que para tanto não se observem questões de ordem ética e moral, pelo menos, a moral e a ética medievais e da Itália renascentista. O bom governante tem de manter o Estado e, para tanto, dadas as circunstancias tem que agir hora pela força, hora pela razão e outras vezes deve saber conjugar ambas, só assim conseguirá governar.

    Por: FRANCISCO ESDRAS MOREIRA ROCHAl Direito> Doutrinal 28/11/2014 lAcessos: 11

    O Direito Sucessório Brasileiro, disciplinado pelo Código Civil Brasileiro de 2002, prevê dois tipos de sucessão hereditária que podemos nos deparar quando da abertura da sucessão, qual seja: sucessão legítima e sucessão testamentária, acerca desta, mais especificamente sobre sucessão testamentária na forma pública, que discorremos no presente trabalho.

    Por: Arthur Sarilhol Direito> Doutrinal 28/11/2014

    O presente texto tem por escopo analisar de forma sucinta o tratamento legal do direito ambiental nas últimas décadas, principalmente a partir de 1970. Fazendo uma breve análise do tratamento dado à proteção e regulamentação das atividades relacionadas ao meio ambiente nas constituições brasileira, iniciando na Constituição do Império, promulgada em 25.03.1824, finalizando na sistemática da Constituição de 1988.

    Por: AYSLAN VINICIUS DOS SANTOSl Direito> Doutrinal 14/09/2009 lAcessos: 5,924
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast