Direitos dos sócios na Sociedade Limitada

Publicado em: 08/12/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 3,996 |

A responsabilidade do sócio no âmbito da sociedade limitada, é limitada de acordo com o valor das cotas do sócio, o teto da soma delas é o teto de sua responsabilidade, desse conceito vem que cada sócio responde pela sociedade até o limite de suas cotas. Conforme o art. 1.052 CC, na sociedade limitada, a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas, mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social, ou seja, faltando capital para pagamento de seus credores, é responsabilidade de determinado sócio a cobrir a dívida de acordo com o valor de sua cota e outros sócios ainda não integralizaram o valor de suas cotas, aquele sócio responderá solidariamente  com os demais sócios até a integralização do capital social.

De acordo com Fabio Ulhoa "o sócio tem, perante a sociedade, o dever de integralizar a quota subscrita, ou seja, de transferir do seu patrimônio para o social dinheiro, bens ou créditos, nos termos do compromisso contratual assumindo junto aos demais sócios".

Já o sócio remisso: aquele que não integraliza, em prazo estabelecido, a cota subscrita. Cabe à sociedade cobrar-lhe a sua dívida em juízo referente à cota que o sócio se predispôs a contribuir ou ainda, expulsar o sócio remisso da sociedade. Nesse caso o remisso receberá seu crédito referente às entradas concretizadas por ele, deduzidas as quantias correspondentes aos juros ou indenização pelo dano emergente da mora conforme o art. 1.004 do CC.

 

Direitos dos sócios na Sociedade Limitada

  1. Direitos pessoais (aqueles referentes à atividade do sócio na empresa) e direitos patrimoniais (referentes ao patrimônio social).

- Direitos Pessoais :

  1. Direito de participação nos lucros, conforme regula o art. 1.007 e 1.008 do CC.
  • Art. 1.007. Salvo estipulação em contrário, o sócio participa dos lucros e das perdas, na proporção das respectivas quotas, mas aquele, cuja contribuição consiste em serviços, somente participa dos lucros na proporção da média do valor das quotas.
  • Art. 1.008. É nula a estipulação contratual que exclua qualquer sócio de participar dos lucros e das perdas.
  1. A participação direta ou indireta na administração social: o sócio pode ser administrador ou não da sociedade, conforme o art. 1.010 do CC.
  • Art. 1.010. Quando, por lei ou pelo contrato social, competir aos sócios decidir sobre os negócios da sociedade, as deliberações serão tomadas por maioria de votos, contados segundo o valor das quotas de cada um.
  1. Direito de deliberação na sociedade através do voto: delibera-se na sociedade por força de voto e como critério é o valor da cota, conforme expusemos supra. Art. 1.071 e ss.
  2. Direito de recesso (dissidência): é o direito que o sócio minoritário tem de se retirar ou buscar em juízo pretensão que não foi de acordo com critérios de legitimidade em voz do campo majoritário da sociedade.
  3. Direito de Retirada: o sócio tem esse direito e seu exercício é imediato, desde que de acordo com a lei (art. 1.029 do CC).
  • Art. 1.029. Além dos casos previstos na lei ou no contrato, qualquer sócio pode retirar-se da sociedade; se de prazo indeterminado, mediante notificação aos demais sócios, com antecedência mínima de sessenta dias; se de prazo determinado, provando judicialmente justa causa.
  • Parágrafo único. Nos trinta dias subseqüentes à notificação, podem os demais sócios optar pela dissolução da sociedade.
  1.  Administração e fiscalização da administração: o sócio tem direito a participar direta (administrador) ou indiretamente (fiscalização) da sociedade.

 

 

 Referências bibliográficas:

http://bdjur.almedina.net/item. php?field=item_id&value=148096

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de Direito Comercial. Direito de Empresa. 12ª Edição: 2008. Editora Saraiva.

REQUIÃO, Rubens, Curso de direito comercial, v. 1.  

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/direitos-dos-socios-na-sociedade-limitada-3808611.html

    Palavras-chave do artigo:

    direitos dos socios

    Comentar sobre o artigo

    O presente estudo traz de forma bastante clara, objetiva e direta os aspectos relevantes do direito de empresa à luz do NCC (Parte 1)

    Por: Silvana Aparecida Wierzchónl Direitol 16/04/2008 lAcessos: 37,749 lComentário: 6

    Os Direitos Humanos têm uma posição bidimensional, retrata a conciliação entre os direitos do indivíduo e assegura um campo autêntico para a democracia. Visa garantir ao cidadão o respeito à vida, à liberdade, à igualdade e à dignidade. Está vinculada à questão social, fundamental a ser discutida uma vez que uma quantidade significativa de cidadãos encontram dificuldade em exercer a cidadania e seus direitos.

    Por: Thayse Fernandal Direito> Doutrinal 31/05/2013 lAcessos: 48
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A teoria do Direito natural e do contrato ou jusnaturalismo, mostra na prática, a evidência de uma grande inovação, pelo menos formalmente do pensamento político, não se fala mais em comunidade mais sociedade.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 09/08/2013 lAcessos: 36
    Robson Zanetti

    A indenização da pessoa compelida a se retirar da sociedade cedendo suas quotas aparece na matéria como uma condição de validade desta cláusula prevista contratualmente. A evicção sem indenização aparece como uma espoliação, o que os tribunais devem recusar com toda a razão.

    Por: Robson Zanettil Direitol 10/05/2010 lAcessos: 400

    Artigo publicado na Revista Eletrônica A Lógica do Direito

    Por: A LÓGICA DO DIREITOl Direito> Doutrinal 06/07/2010 lAcessos: 393

    O presente estudo traz de forma bastante clara, objetiva e direta os aspectos relevantes do direito de empresa à luz do NCC (Parte 2)

    Por: Silvana Aparecida Wierzchónl Direitol 22/03/2009 lAcessos: 9,582 lComentário: 1

    Este artigo foi publicado na Revista Compras Públicas: Legalidade e Transparência; da Editora CAPACITAR - Consultoria e Treinamentos em Licitações; edição de abril de 2009. O objetivo do artigo é analisar qual papel das políticas públicas sócio-ambientais na construção de uma gestão pública mais democrática e participativa no Brasil, com base no socioambientalimo.

    Por: Rejane Esther Vieiral Negócios> Administraçãol 13/11/2008 lAcessos: 4,812 lComentário: 3
    Tales Diego de Menezes

    Inicialmente, faz-se cabível ressaltar que o presente parecer possui desiderato tão somente de auxiliar profissionais e estudantes do Direito acerca das eventuais possibilidades da desconsideração da personalidade jurídica de sociedades limitadas na atual vigência do Direito Empresarial Brasileiro, vez que, por diversas vezes, senti-me duvidoso quanto ao referido assunto, e vi, por conseguinte, a real necessidade de um maior estudo, quiçá, mais cauteloso, porquanto, ressalte-se, devidamente pertinente.

    Por: Tales Diego de Menezesl Direito> Doutrinal 31/07/2009 lAcessos: 3,344 lComentário: 1
    Miguel Teixeira Filho

    Diante da impossibilidade de cobrança de débitos tributários da pessoa jurídica, certos órgãos fazendários tentam redirecionar a execução fiscal contra a pessoa dos sócios ou administradores, alegando, para tanto, que o Código Tributário Nacional, em seus artigos 134 e 135, permitem a responsabilização solidária do sócio ou administrador da pessoa jurídica inadimplente. O artigo analisa os limites para aplicação dos dispositivos legais em referência.

    Por: Miguel Teixeira Filhol Direito> Direito Tributáriol 14/07/2009 lAcessos: 2,287 lComentário: 1
    André Silva Barroso

    O presente trabalho trata sobre os títulos de crédito eletrônicos e a possível descaracterização do princípio da cartularidade, onde, para uma melhor compreensão sobre tal instituto, buscou-se um estudo sobre seu conceito, características e princípios. Num segundo estágio foi-se abordado os títulos de crédito eletrônicos, que surgiram pelos avanços tecnológicos principalmente pelo advento da internet.

    Por: André Silva Barrosol Direito> Doutrinal 05/12/2014
    Liziane Mont'Alverne de Barros

    A "judicialização da política" ou "politização da justiça" na composição dos cenário das ciências jurídicas e sociais nos diversos países do mundo e seus efeitos na expansão do Poder Judiciário no processo decisório das democracias contemporâneas. O presente artigo tem por escopo promover uma análise crítica do desenvolvimento desse fenômeno que vem sendo desenvolvido pelo Órgão de Cúpula do Judiciário – STF.

    Por: Liziane Mont'Alverne de Barrosl Direito> Doutrinal 04/12/2014

    O código civil concede ao testador o direito não só de instituir herdeiro ou legatário em primeiro grau, mas também o de lhes indicar substituto.

    Por: DÉBORA LUCIANO DE ALMEIDAl Direito> Doutrinal 03/12/2014 lAcessos: 11

    CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO É um mecanismo previsto na lei civil, que pode-se valer o devedor que queira desonerar-se e que esteja em dificuldades para o fazer.

    Por: Fernando Bartoli de Oliveiral Direito> Doutrinal 01/12/2014

    Artigos 1962, 1963 e 1814 do Código Civil É o ato de manifestação da vontade do autor da herança que exclui da sucessão, um herdeiro necessário, tipificando, nos permissivos legais, a sua vontade. Dá-se por testamento somente.

    Por: Thais Luz Firminol Direito> Doutrinal 29/11/2014 lAcessos: 12

    A conquista, o governo e a manutenção do Estado são preocupações centrais do pensamento maquiaveliano. Essa tríade tem de ser mantida custe o que custar, ainda que para tanto não se observem questões de ordem ética e moral, pelo menos, a moral e a ética medievais e da Itália renascentista. O bom governante tem de manter o Estado e, para tanto, dadas as circunstancias tem que agir hora pela força, hora pela razão e outras vezes deve saber conjugar ambas, só assim conseguirá governar.

    Por: FRANCISCO ESDRAS MOREIRA ROCHAl Direito> Doutrinal 28/11/2014 lAcessos: 11

    O Direito Sucessório Brasileiro, disciplinado pelo Código Civil Brasileiro de 2002, prevê dois tipos de sucessão hereditária que podemos nos deparar quando da abertura da sucessão, qual seja: sucessão legítima e sucessão testamentária, acerca desta, mais especificamente sobre sucessão testamentária na forma pública, que discorremos no presente trabalho.

    Por: Arthur Sarilhol Direito> Doutrinal 28/11/2014

    O presente artigo objetiva fazer uma análise sobre o crime de estupro mediante a realização da perícia médico-legal. Sabe-se que, uma vez consumado o crime, a realização da perícia é de suma importância, a fim de que seja apurada a realidade mais próxima dos fatos que ocorreram. Embora não seja prova completa da ocorrência do crime, o laudo médico obtido pelo exame de corpo de delito é a prova mais profunda para a constatação do mesmo.

    Por: danilol Direito> Doutrinal 27/11/2014 lAcessos: 14
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast