Direitos e Garantias Individuais

Publicado em: 11/11/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 355 |

O início do presente trabalho deve ser precedido de uma breve leitura do artigo 5ª, de nossa carta magna:

"Art.5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade".

O artigo 5º da Constituição Federal de 1988, prevê garantias fundamentais de sobrevivência aos brasileiros e estrangeiros, ou seja, de acordo com o artigo todos tem direito  a saúde, educação, propriedade, etc; que por sua vez é obrigação do Estado em abstrato oferecer tais condições.Vale ressaltar que de acordo com o artigo 5º o direito das liberdades individuais com o direito de expressão, conforme inciso IV – (é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato).

O artigo prevê condições de vida, sem preconceito com relação sexo, raça, cor, idade. Defesa a integridade moral e indenização quando o individuo sofrer algum tipo de humilhação que possa interferir a sua moral.Trata de atributos essenciais à pessoa humana.Tem valor maior de abrangência no âmbito a proteção à pessoa humana, daí o cunho de ser, esta o fundamento, o valor máximo a ser tutelado, indistintamente do âmbito publico ou privado.

A pessoa humana sendo considerada como centro do ordenamento jurídico:

Direito à integridade física,

-          direito à vida, ao corpo

Direito à integridade moral

-          direito à honra

Direito à integridade psíquica

-          liberdade religiosa, de expressão

1. As Garantias Constitucionais

As garantias se traduzem em remédios processuais constitucionais para a defesa dos direitos individuais da pessoa humana. A pessoa lesionada em seus direitos poderá buscar o restabelecimento do estado anterior ou sanar a violação.

1.1. Mandado de segurança (inc. LXX art.5º)

É a defesa mais eficaz contra qualquer ilegalidade ou abuso do poder por parte de autoridade, que possa atingir os direitos fundamentais do homem. Há um prazo para ser impetrado que é de 120 dias.O mandado de segurança só podia ser impetrado individualmente por um cidadão, pessoa física. Agora ele pode ser impetrado coletivamente pelas organizações previstas no inciso LXX.

1.2. Mandado de Segurança coletivo (inc. LXX art.5º)

O mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por partido político com representação no Congresso Nacional, por organização sindical, entidade de classe ou associação legalmente constituída e em funcionamento há pelo menos um ano, em defesa dos interesses de seus membros ou associados.

1.3. Mandado de injunção (inc. LXXI art.5º)

É instrumento constitucional do qual se servirá alguém que se sinta prejudicado, em virtude de inexistência normativa, para postular em juízo, a proteção dos direitos aludidos pelo art.º 5, LXXI, da CF, por ventura violados. (in RT 682/33)

1.4. Habeas-Corpus (inc. LXVIII art.5º)

É um remédio constitucional para proteger a liberdade de locomoção.Cabe o habeas-corpus sempre que alguém esteja privado de sua liberdade locomoção, ou ameaçado de ver-se privado dela, por violência ou coação, conseqüência de ilegalidade ou abuso de poder.

1.5. Habeas-data (inc.LXXII art.5º)

Possibilita ao indivíduo saber se tem ficha em órgão de informação, o que dela consta e, se necessário, mandar fazer retificações. É um instrumento constitucional capaz de assegurar ao indivíduo o acesso às referências e informações sobre a sua pessoa e entidades públicas e privadas e de também garantir a retificação de dados incorretos.

1.6. Ação Popular (inc. LXXV art.5º)

É o processo judicial destinado a anular atos ilegais prejudiciais ao interesse do povo ou que atingirem o patrimônio público ou das entidades de que o Estado participa.

2. Direitos Sociais

Art.6º a 11º - Os direitos sociais são: educação, saúde, trabalho, lazer, segurança, moradia, previdência social, proteção a maternidade e à infância e assistência aos desamparados; são portanto, também considerados como direitos fundamentais. Os direitos sociais visam a uma melhoria de condições de existência por meio de prestações de serviço pelo Estado que deverá assegurar a criação de serviços de educação, saúde, habilitação, trabalho e outros.

2.1. Da Nacionalidade

Art.12 e 13 – No direito constitucional vigente, os termos nacionalidade e cidadania, ou nacional e cidadão, têm sentido distinto: nacional é brasileiro nato ou naturalizado; cidadão qualifica o nacional no gozo dos direitos políticos e os participantes da vida do Estado.Os fundamentos sobre a aquisição da nacionalidade é matéria constitucional, mesmo naqueles casos em que ela é considerada em textos de lei ordinária.

Os brasileiros natos: é alguém que seja considerado nato, revelando três situações definidoras de nacionalidade primária no Brasil, são elas:

  • Os nascidos no Brasil, quer sejam filhos de pais brasileiros ou de pais estrangeiros, a não ser que estejam a serviço de seu país;
  • Os nascidos no exterior, de pai ou mãe brasileiros, desde que qualquer deles esteja a serviço do Brasil.
  • Os nascidos no exterior, de pai ou mãe brasileiros, desde venham a residir no Brasil e optem, em qualquer tempo, pela nacionalidade brasileira;

Os brasileiros naturalizados: o art.12,II, prevê o processo de naturalização, só reconhecendo a naturalização expressa, aquela que depende de requerimento do naturalizando, e compreende duas classes:

  • Ordinária: é a concedida ao estrangeiro residente no país, que preencha os requisitos previstos  na lei de naturalização, exigidas aos originários de países de língua portuguesa apenas residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral (art.12,I,a).
  • Extraordinária: é reconhecida aos estrangeiros, residentes no Brasil há mais e 15 anos ininterruptos e sem condenação penal, desde que requeiram a nacionalidade brasileira. A ausência temporária do estrangeiro no território brasileiro não significa que a residência não foi contínua, pois há que se distinguir entre residências contínua e permanência contínua.

A regra geral é que não pode haver distinção entre nato e naturalizado. Porém se a Constituição expressamente permitir, pode ocorrer algumas vantagens ao brasileiro nato em relação ao naturalizado como por exemplo, o art.12, parágrafo 3º que diz:

"São privativos de brasileiros natos os cargos:

de Presidente e Vice-Presidente da República; de Presidente da Câmara dos Deputados; de Presidente de Senado Federal;  de Ministro do Supremo Tribunal Federal; da carreira diplomática; de oficial das Forças Armadas de Ministro de Estado da Defesa"

2.2. Direitos Políticos

Os direitos políticos consistem na disciplina os meios necessários ao exercício da soberania popular. A Constituição emprega a expressão direitos políticos, em seu sentido estrito,como o conjunto de regras que regula os problemas eleitorais. O núcleo fundamental dos direitos políticos consubstancia-se no direito de votar e ser votado.

Os direitos de cidadania adquirem-se mediante alistamento eleitoral na forma da lei. A qualidade de eleitor decorre do alistamento, que é obrigatório para os maiores de 18 anos e facultativo para os analfabetos, os maiores de 16 e menores de 18 (art.14,parágrafo 1º,I e II).Pode-se dizer então que a cidadania se adquire com a obtenção da qualidade de eleitor, que documentalmente se manifestam posse do título de eleito válido.

"Dispositivos constitucionais: Art.14 – A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante: plebiscito; referendo e iniciativa política."

2.3. Dos Partidos Políticos

"Art.17 – É livre criação, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos, resguardados  soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os direitos fundamentais, os direitos fundamentais da pessoa humana e observados os seguintes preceitos:

I-      caráter nacional;

II-     proibição de recebimentos de recursos financeiros de entidade ou governo estrangeiros ou de subordinação a estes;

III-    prestação de contas à justiça Eleitoral;funcionamento parlamentar de acordo com a lei;"

Associação permanente de indivíduos que, professando a mesma ideologia política, buscam a conquista legal de poder político, a fim de cumprir determinado programa político-social.

Os Direitos Políticos Positivos consistem no conjunto de normas que  asseguram o direito subjetivo de participação no processo política e nos órgãos governamentais, garantindo a participação do povo no poder de dominação política das diversas modalidades de sufrágio.

As instituições fundamentais configuram o direito eleitoral, tais como o direito de sufrágio e os sistemas e procedimentos eleitorais.

Direito de Sufrágio: é universal e o voto é direto, secreto e tem valor igual. O sufrágio é um direito público subjetivo de natureza política, que tem o cidadão de eleger, ser eleito e de participar da organização e da atividade do poder estatal. O consentimento do povo que legitima o exercício do poder configurando sua função primordial, que é a seleção e nomeação das pessoas que hão de exercer as atividades governamentais. É um direito público subjetivo democrático, que cabe ao povo nos limites técnicos do princípio da universalidade e da igualdade de voto e de elegibilidade. Fundamenta-se no princípio da soberania popular por meio de representantes. Diz-se sujeito ativo (direito de votar) e passivo (direito de ser votado). Aquele caracteriza o eleitor, o outro, o elegível.

Para votar depende das seguintes condições: nacionalidade brasileira, idade mínima de 16 anos, posse de título de eleitoral e não ser conscrito em serviço militar obrigatório (art.14 da CF).O voto é ato fundamental do exercício do sufrágio, no que tange sua função eleitoral; é a sua manifestação no plano prático.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de Direito Constitucional. 13 Ed. São Paulo: Saraiva, 1990.

BLECKMANN, Albert. Staatsrecht II - Grundrechte, 3a edição, Colônia, Berlim, Bonn, München, 1989.

BRASIL. Constituição. Constituições de 1946, 1967, 1969 e 1988: Quadro Comparativo. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 1992.

HESSE, Konrad. Elementos de direito constitucional da república Federal da Alemanha. Tradução de Luiz Afonso Heck. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1998

MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional. Ed. Atlas: São Paulo, 2005.

REBELLO Pinho, Rodrigo César. Sinopses Jurídicas – Teoria Geral da Constituição e Direitos Fundamentais. Ed. Saraiva, 2005.

SALDANHA, Nelson. Filosofia do Direito. Rio de Janeiro: Ed. Renovar. 1998.

SILVA, José Afonso. Curso de Direito Constitucional Positivo.São Paulo: Revista dos Tribunais,1990.p.293

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/direitos-e-garantias-individuais-5387505.html

    Palavras-chave do artigo:

    constituicao

    ,

    cidadania

    ,

    dignidade

    Comentar sobre o artigo

    MELO, Getúlio Costa

    O presente trabalho apresenta o conceito de cidadania frente ao contemporâneo Estado Democrático de Direito, as evoluções históricas, sociais, filosóficas, e sua relação aos Direitos Humano, numa perspectiva até os tempos da atual Constituição da República Federativa do Brasil.

    Por: MELO, Getúlio Costal Direitol 03/12/2013 lAcessos: 56
    CÍCERO MARREIRO DE SOUSA NETO

    Este artigo tem como objetivo discutir questões importantes relacionadas a construção da cidadania. Os desastres relacionados ao meio ambiente resultam em inúmeras crises ambientais ao redor do planeta, e tem ocasionado grande preocupações, figurando como desafios a serem vencidos tanto pela sociedade, como pela ciência. Nesse panorama, as questões da cidadania ambiental ganha destaque, pois a educação baseada na ética ecológica possui papel fundamental na modificação do agir humano.

    Por: CÍCERO MARREIRO DE SOUSA NETOl Educaçãol 20/11/2014
    William

    O presente artigo trata sobre o que vem a ser a Cidadania, considerando o enfoque histórico, onde a cidadania tratava-se até de uma forma de discriminação, pois não todos eram detentores desse título, até chegar ao enfoque atual, com a visão voltada aos Direitos Humanos, garantindo esse título à todas as pessoas.

    Por: Williaml Direito> Doutrinal 21/05/2013 lAcessos: 45

    O Inquérito Policial é instrumento democrático e multifacetado, promove garantia social e individual, evita juízos apressados e errôneos. Afigura-se num bastião contra injustiças que não raro soerguem de uma sociedade desigual, à qual reserva a pobreza para uma maioria que experimenta as mazelas do capitalismo cada vez mais contraditório e, não bastasse isso, suporta toda a severidade da legislação, que embora tenha por gênese ser impessoal e abstrata, atinge com maior rigor os criminosos rotula

    Por: JOÃO ROMANO DA SILVA JUNIORl Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 31/05/2011 lAcessos: 259

    TEM POR OBJETIVO PRINCIPAL BUSCAR O CIDADÃO PARA QUE O MESMO FAÇA PARCERIA COM A POLICIA PARA COMBATER A CRIMINALIDADE.

    Por: archimedes jose melo marquesl Law> Criminall 17/06/2009 lAcessos: 144

    Mostra que a realidade da Policia atual é outra, diversa da Polícia de outrora em que se desrespeitavam todos os Direitos do Cidadão, ao mesmo tempo em que recorre para uma união entre as partes para uma melhor forma de combate ao crime que toma proporções insuportáveis no nosso país.

    Por: archimedes jose melo marquesl Direitol 10/06/2009 lAcessos: 1,261 lComentário: 1

    Com o término do período de ditadura militar, José Sarney, sucessor de Tancredo Neves, encaminhou ao Congresso Nacional uma proposta de emenda à Constituição de 1969, que resultou na EC n.º 26, de 27 de novembro de 1985. Tal emenda convocou a supracitada Assembléia Nacional Constituinte, composta pelos próprios deputados federais e senadores da época, ao mesmo tempo, congressistas e constituintes - muitos deles vítimas dos abusos e arbitrariedades cometidos durante o regime militar ditatorial. A mencionada Constituinte, instalada no dia 1º de fevereiro de 1987, veio a concluir seus trabalhos tão-somente em 05 de outubro de 1988, com a promulgação, sob a proteção divina, da atual Carta Republicana. “Declaro promulgado o documento da liberdade, da democracia e da justiça social do Brasil”, bradou Ulysses Guimarães, símbolo das “Diretas”.

    Por: Nourmirio Bittencourt Tesseroli Filhol Direitol 18/11/2008 lAcessos: 7,736
    Diogo Pereira da Silva

    O presente trabalho retrata a cultura e a cidadania em seus aspectos históricos, analisando as ações e transformações do ser humano nas sociedades, em si mesmo e no mundo, estruturando conhecimentos e adequando-os na sua vivência e focalizando suas contribuições na formação das gerações, tendo ênfase o contexto cultural, o qual servirá como norte para as transgressões humanas em meio às regras, hábitos, costumes, sendo esses fatores contribuintes nas ações humanas enquanto formação do cidadão.

    Por: Diogo Pereira da Silval Educaçãol 12/05/2009 lAcessos: 21,205 lComentário: 2

    O artigo contextualiza o direito do trabalho e relaciona o direito ao trabalho como fator de garantia aos direitos fundamentais, como a dignidade da pessoa humana e a erradicação da pobreza.

    Por: Stephane Shanne Monteiro Guimarãesl Direitol 04/11/2009 lAcessos: 1,301 lComentário: 1
    André Reis

    Este trabalho traz um estudo da matéria educação em todas as Constituições brasileiras considerando o cenário social, econômico e político de cada período. A finalidade deste artigo é proporcionar um entendimento de como o assunto se desenvolveu até culminar na atual Constituição - cuja temática educacional é tratada como direito fundamental e incluída no rol de direitos sociais.

    Por: André Reisl Direito> Doutrinal 18/01/2011 lAcessos: 1,419

    A toxicologia forense tem por fim científico identificar a presença de substâncias químicas nos casos de investigação de violência, homicídios, suicídios, acidentes e uso de drogas de abuso para aplicação legal. No Brasil observa-se um aumento no número de intoxicações e óbitos causados por substâncias químicas como medicamentos, agrotóxicos e drogas de abuso com motivos de interesse legal nos últimos anos. Diante desse quadro esse trabalho veio abordar essa grave realidade no nosso país.

    Por: danilol Direito> Doutrinal 18/11/2014 lAcessos: 16

    O presente trabalho busca explicar detalhadamente as leis de circulação e a teoria geral do direito. Procura mostrar a característica de cada uma delas, como funciona a circulação dos títulos de crédito e de que forma se faz a circulação.

    Por: Thiago Augusto Zartl Direito> Doutrinal 17/11/2014

    O estudo das Escolas Criminológicas tem como principal função demostrar as causas do crime. Primeiramente ocorreu o domínio da Escola Clássica, em seguida a Escola Positiva e por fim a Escola Crítica. Todas contribuíram para o estudo da criminologia contemporânea.

    Por: Silvana Grando dos Santosl Direito> Doutrinal 17/11/2014 lAcessos: 13
    Felipe Lermen Jaeger

    A responsabilidade civil pós-contratual teve origem na doutrina alemã, no início do século XX, mais precisamente em 1910 e as primeiras decisões relativas ao tema apareceram na década de 20. Posteriormente se expandiu para os países como Portugal Argentina e Itália.

    Por: Felipe Lermen Jaegerl Direito> Doutrinal 17/11/2014
    Felipe Lermen Jaeger

    Esse artigo visa estudar o ordenamento brasileiro de normas e delimitar a aplicação da lei no tempo bem como verificar a possibilidade de sua existência em prejuízo.

    Por: Felipe Lermen Jaegerl Direito> Doutrinal 17/11/2014
    André Boaratti

    Pretende-se introduzir brevemente o Direito Internacional Privado por meio da relação entre as duas definições mais importantes e o seu objeto.

    Por: André Boarattil Direito> Doutrinal 17/11/2014
    André Boaratti

    O presente texto tem por objetivo demonstrar algumas fases que ofereceram significativas contribuições para a configuração atual do Direito Internacional Privado: A Idade Média, por meio do surgimento dos burgos, e a Idade Moderna, através das mudanças nas esferas política e econômica, e o período atual marcado pelo estabelecimento de um mercado global.

    Por: André Boarattil Direito> Doutrinal 16/11/2014

    No período pós-eleições, advogado e diretor do Sindicato dos Servidores da PGE/RS faz uma avaliação do que aconteceu durante e após às eleições, principalmente no que se refere a relacionamentos.

    Por: Sindispgel Direito> Doutrinal 16/11/2014
    Anízio Marcelo Gonçalves

    O Acordo de Acionista é o instrumento que visa à prevenção das lides internas, harmonizando as participações societárias e de uma forma ou outra, tranqüilizando os ânimos dos acionistas, a medida em explicita contratualmente alguns fatos futuros e principalmente, as linhas conjuntas de soluções e atos, que deverão ser adotados, garantindo aos mesmos, uma maior transparência nos negócios da companhia e uma segurança jurídica necessária a ordem societária.

    Por: Anízio Marcelo Gonçalvesl Direito> Doutrinal 30/11/2011 lAcessos: 181
    Anízio Marcelo Gonçalves

    O acordo de acionista amplia o rol de possibilidade da sociedade anônima, estabelecendo condições e situações, pré-definindo rumos e antecipando medidas e decisões. Revestido na forma de contrato e ao mesmo tempo, com embasamento legal no artigo 118, da Lei das Sociedades Anônimas, busca compor os interesses de acionistas de forma individual, garantindo-lhes a livre negociação das ações ou o exercício do direito a voto, ou ainda o poder de controle acionário

    Por: Anízio Marcelo Gonçalvesl Direito> Direito Tributáriol 30/11/2011 lAcessos: 313
    Anízio Marcelo Gonçalves

    A constituição Inglesa datada de 1215, que incluiu em seus textos as primeiras referências aos direitos fundamentais, hoje, expressos nas constituições dos Estados modernos ocidentais, consolidou a trajetória das vertentes do direito atual. Todavia, outros autores defendem que a verdadeira constituição liberal, onde realmente foram positivados os direitos fundamentais, surgiu com a declaração dos Estados americanos no século XVIII, iniciadas pela declaração do Estado de Virgínia, em 1776.

    Por: Anízio Marcelo Gonçalvesl Direito> Doutrinal 11/11/2011 lAcessos: 378
    Anízio Marcelo Gonçalves

    A atual Constituição da República, promulgada em 1988, sensível às mudanças do mundo globalizado, em seu artigo quinto do titulo dois nos define com sendo os destinatários da proteção todos os brasileiros e estrangeiros residentes no país, municiando em uma interpretação teleológica toda e qualquer pessoa com destinatário desta proteção e como instrumento necessário para que se assegure, plenamente, o exercício da cidadania.

    Por: Anízio Marcelo Gonçalvesl Direito> Doutrinal 11/11/2011 lAcessos: 175
    Anízio Marcelo Gonçalves

    A análise crítica proposta por Engelmann, através da utilização de conceitos estabelecidos por Hart e Bobbio, denotou uma nova perspectiva sobre o Positivismo Jurídico a qual chamamos de Positivismo analítico. Anterior à formação do Estado, quando todos os homens eram essencialmente iguais e sendo assim, todos teriam direito a tudo, denotava sempre uma situação de guerra. Desta forma, interesses comuns eram conflituosos e colocava em risco a vida daqueles que desejam aquele bem.

    Por: Anízio Marcelo Gonçalvesl Direito> Doutrinal 11/11/2011 lAcessos: 255
    Anízio Marcelo Gonçalves

    A principal finalidade da Constituição da República, promulgada em 1988, com as mudanças do mundo globalizado, foi de garantir toda e qualquer pessoa com instrumentos necessários para que se assegure, plenamente, o exercício da cidadania e seus direitos fundamentais, pressupostos elementares para exercício da liberdade, necessários para assegurar a todos, uma existência digna, livre e igual.

    Por: Anízio Marcelo Gonçalvesl Direito> Doutrinal 11/11/2011 lAcessos: 145
    Anízio Marcelo Gonçalves

    A legislação tributária não deverá extrapolar seu objetivo, no que tange as definições e conceitos já explicitados pelo Direito Civil, não cabendo então, à norma tributária alterar, modificar, ampliar ou atenuar conceitos expressos pela norma civil, sob pena de ineficácia.

    Por: Anízio Marcelo Gonçalvesl Direito> Direito Tributáriol 30/05/2011 lAcessos: 192
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast