Elementos de Empresa

Publicado em: 09/10/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 6,284 |

Com a evolução do código civil de 2002 surge uma nova concepção do que são os elementos de empresa, ou seja, o direito passa a observar esta relação tão antiga, de um prisma mais evoluído tendo uma visão mais contemporânea e adequada à realidade econômica. Embora haja algumas discrepâncias entre os doutrinadores, principalmente no que tange ao conceito da finalidade da atividade empresarial, o que podemos observar é que o Direito Empresarial diferente do Comercial passa a ter uma ligação direta com o Direito Civil. Para Carvalho de Mendonça:

 

"Empresa é a organização técnico-econômica que se propõe a produzir, mediante  a combinação dos diversos elementos, natureza, trabalho e capital, bens e serviços destinados à troca (venda), com esperança de realizar lucros, correndo os riscos por conta do empresário, isto é, daquele que reúne, coordena e dirige esses elementos sob a sua responsabilidade."

 

Dessa forma a expressão elemento de empresa ganha um significado mais moderno e adequado, pois, de uma maneira mais estrita, cada fator dentro da organização empresarial passa a ser um elemento específico, dos quais podemos compreender como parte integrante de um seguimento imprescindível para a economia, a atividade empresarial. Os elementos de empresa são os bens, o capital e o trabalho, estes elementos também podem ser vistos como, o estabelecimento, o empresário e a atividade empresarial.

 

Neste caso, a gestão dos fatores de produção que constituem essa empresa e que ao mesmo tempo devem direcionar o foco da atividade para um seguimento específico do mercado, fica a cargo do empresário ou da sociedade empresária responsável pelo andamento dos negócios. Que farão com que a empresa, ou melhor, a atividade obtenha o resultado esperado. Para o legislador o empresário pode exercer toda e qualquer atividade econômica que tem por objeto a produção e circulação de bens e a prestação de serviços, desde que a atividade seja lícita. "Art. 966. Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços."

No entanto, de acordo com o parágrafo único do artigo 966 do Código Civil de 2002, é ressalvado o exercício de profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística.

"Não se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa."

Empresário:

O conceito, de empresário tem origem no código italiano, e está explícito no artigo supracitado, no qual definimos entre outras coisas a questão do profissionalismo.

O profissionalismo depende de três características básicas, são elas;

1 - A habitualidade, que é o mesmo que periodicidade, ou seja, o sujeito que corriqueiramente pratica aquela atividade.

2 - A Pessoalidade – O empresário exercer pessoalmente ou contrata pessoas que irão trabalhar em nome dele, o que não exige que o mesmo execute todas as tarefas inerentes a sua atividade.

3 – Informações necessárias à atividade – O empresário deve deter as informações necessárias sobre os produtos e serviços para a prestação de seu negócio, o que podemos chamar de conhecimento técnico necessário para a atividade.

Empresa ou Atividade Empresarial

Como foi dito anteriormente, empresa é sinônimo de atividade, ou seja, ao contrário do que a grande maioria das pessoas pensa, empresa não é a coisa, nem muito menos o imóvel, empresa é a atividade que tem por objetivo o lucro. Para Rubens Requião: empresa é:

"a organização dos fatores da produção exercida, posta a funcionar, pelo empresário. Desaparecendo o exercício da atividade organizada do empresário, desaparece, ipso facto, a empresa."

Estabelecimento e ou bens de capital

O estabelecimento é bem mais do que somente o local onde esta situada a sede da empresa.

Código Civil – art. 1.142. Considera-se estabelecimento todo complexo de bens organizado, para exercício da empresa, por empresário, ou por sociedade empresária.

O estabelecimento comercial compreende um conglomerado de bens e com isso podemos citar alguns, nos quais essa relação é mais óbvia os bens móveis e imóveis;  estoque;  equipamentos; máquinas;  marcas; patentes; direitos;   pontos de vendas; arquivo de clientes  e centenas de outros itens, impossíveis de serem inteiramente relacionados, mas que  sejam utilizados para o exercício de empresa pelo empresário ou pela sociedade empresária.

No entanto, para o empresário individual, existe uma questão que deve ser observada, a de que os bens pessoais do titular da empresa, a pessoa física, eventualmente possam ser confundidos com bens da atividade empresarial.

 


Bibliografia

CARVALHO DE MENDONÇA. J. X. Tratado de Direito Comercial Brasileiro. 6a ed. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1957.

 

RUBENS REQUIÃO - Curso de direito comercial. Vol. 1, 24ª Ed. São Paulo: Saraiva 2000.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/elementos-de-empresa-3437698.html

    Palavras-chave do artigo:

    elementos de empresa

    ,

    empresa

    ,

    direito empresarial

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo trás algumas definições sobre as atividades empresariais, tais como: conceito de empresa, atividades não empresariais, empresa individual, empresa individual de responsabilidade limitada, registro público de empresas, livros empresariais, atividade empresarial irregular e prepostos.

    Por: Eppensol Educação> Ensino Superiorl 23/05/2014 lAcessos: 18
    Agatha Gonçalves Santana

    Tradução do artigo: UBILLOS, Juan Maria. Eficacia horizontal de los derechos fundamentales: las teorias y la practica. In: TEPEDINO, Gustavo (org.) Direito civil contemporâneo: Novos problemas à luz da legalidade constitucional, São Paulo: Atlas, 2008, p. 219-237.

    Por: Agatha Gonçalves Santanal Direito> Doutrinal 07/03/2012 lAcessos: 372

    Nome empresarial , conceito e seus caracteres. No mundo que vivemos hoje, competitivo e capitalista, devemos ter algum modo de distinção e diferenciação para q consigamos nos destacar.Assim uns dos mecanismos usados para identificação de uma atividade econômica e não confundir com seus próprios sócios é o nome empresarial.

    Por: JOnathan Rodriguesl Direitol 09/12/2010 lAcessos: 602

    O presente trabalho procura analisar a estrutura de capital e seus reflexos nos resultados da empresa, mostrando razões para utilizar capital próprio ou de terceiros num determinado empreendimento, mesmo em tempos de crise financeira como o que estamos vivendo. Diante da crise, pessoas e empresas têm que buscar saídas criativas e inovadoras que nem sempre são pensadas ou buscadas em tempos de afluência. Em tempos de crise, empresas e pessoas empreendem mudanças que não teriam coragem de fazer e

    Por: ALAELSON CRUZ DOS SANTOSl Finanças> Créditol 24/09/2009 lAcessos: 2,250
    Sergio Lellis

    Nome Empresarial – é aquele utilizado pelo empresário para se identificar enquanto sujeito exercente de uma atividade econômica

    Por: Sergio Lellisl Direito> Doutrinal 08/12/2010 lAcessos: 208
    Alisson Lopes

    O objetivo deste artigo é analisar como a gestão do clima organizacional pode impactar nas negociações sindicais de forma positiva. Além disso, traçar os desdobramentos e resultados alcançados dentro de uma organização que possui a gestão do clima organizacional como estratégia de negócio.

    Por: Alisson Lopesl Carreira> Recursos Humanosl 24/01/2012 lAcessos: 3,260
    Dr Jeferson - Advogado

    Advogados – "Direito Imobiliário" – Dicas na Compra e venda de imóveis na planta, usados, documentação, vistoria, locação, etc. São Paulo, SP, Maio, 31, 2010 (www.advbr.com.br) – Este artigo trata sobre as principais dúvidas na compra de imóveis na planta, imóveis novos prontos e usados, bem como dá dicas sobre cuidados com a documentação e vistoria. Leia mais em www.advbr.com.br

    Por: Dr Jeferson - Advogadol Direito> Legislaçãol 31/05/2010 lAcessos: 10,922
    Ricardo Zani

    A responsabilidade técnica dos contadores aumentou com o do novo Código Civil. São os artigos 1.177 e 1.178 que tratam da responsabilidade do profissional em contabilidade:

    Por: Ricardo Zanil Direito> Direito Tributáriol 25/10/2010 lAcessos: 909
    Adriano Martins Pinheiro

    Segundo o artigo 966 do Código Civil: "Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços."

    Por: Adriano Martins Pinheirol Direito> Doutrinal 20/10/2009 lAcessos: 21,053 lComentário: 1
    Silvia Ferreira dos Santos

    O presente artigo teve como objetivo principal mensurar a utilização dos Relatórios Contábeis como instrumento de Controle Financeiro nas Organizações. Com os resultados obtidos, espera-se auxiliar na conscientização da importância de utilização dos relatórios contábeis no controle financeiro junto às organizações. A pesquisa apresentada demonstra que a Contabilidade Gerencial é uma ferramenta muito importante para os gestores na tomada de decisões.

    Por: Silvia Ferreira dos Santosl Educação> Ensino Superiorl 30/11/2011 lAcessos: 1,353

    O artigo faz uma breve abordagem da violência e exploração sexual de crianças e adolescentes, passeando pelos tipos e motivos de tal prática, consequências para as vitimas e legislação que pune os agressores e resguarda os direitos dos agredidos, uma vez que, segundo a ONU, o Brasil é o 1º em Exploração sexual infanto-juvenil da America Latina.

    Por: ingryd ribeirol Direito> Doutrinal 21/12/2014

    O presente artigo tem a finalidade de relatar as principais características, em um âmbito político e social, de um período da história brasileira: a República Velha. É essencial analisar, ainda que de forma sucinta, seus antecessores e suas conseqüências. Para tal fim, buscamos um embasamento em celebres obras como "Coronelismo, Enxada e Voto", de Victor Nunes Leal e "Os Donos do Poder", de Raymundo Faoro.

    Por: Antônio Faustino Moural Direito> Doutrinal 17/12/2014
    André Silva Barroso

    O presente trabalho trata sobre os títulos de crédito eletrônicos e a possível descaracterização do princípio da cartularidade, onde, para uma melhor compreensão sobre tal instituto, buscou-se um estudo sobre seu conceito, características e princípios. Num segundo estágio foi-se abordado os títulos de crédito eletrônicos, que surgiram pelos avanços tecnológicos principalmente pelo advento da internet.

    Por: André Silva Barrosol Direito> Doutrinal 05/12/2014
    Liziane Mont'Alverne de Barros

    A "judicialização da política" ou "politização da justiça" na composição dos cenário das ciências jurídicas e sociais nos diversos países do mundo e seus efeitos na expansão do Poder Judiciário no processo decisório das democracias contemporâneas. O presente artigo tem por escopo promover uma análise crítica do desenvolvimento desse fenômeno que vem sendo desenvolvido pelo Órgão de Cúpula do Judiciário – STF.

    Por: Liziane Mont'Alverne de Barrosl Direito> Doutrinal 04/12/2014

    O código civil concede ao testador o direito não só de instituir herdeiro ou legatário em primeiro grau, mas também o de lhes indicar substituto.

    Por: DÉBORA LUCIANO DE ALMEIDAl Direito> Doutrinal 03/12/2014 lAcessos: 13

    CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO É um mecanismo previsto na lei civil, que pode-se valer o devedor que queira desonerar-se e que esteja em dificuldades para o fazer.

    Por: Fernando Bartoli de Oliveiral Direito> Doutrinal 01/12/2014 lAcessos: 11

    Artigos 1962, 1963 e 1814 do Código Civil É o ato de manifestação da vontade do autor da herança que exclui da sucessão, um herdeiro necessário, tipificando, nos permissivos legais, a sua vontade. Dá-se por testamento somente.

    Por: Thais Luz Firminol Direito> Doutrinal 29/11/2014 lAcessos: 15

    A conquista, o governo e a manutenção do Estado são preocupações centrais do pensamento maquiaveliano. Essa tríade tem de ser mantida custe o que custar, ainda que para tanto não se observem questões de ordem ética e moral, pelo menos, a moral e a ética medievais e da Itália renascentista. O bom governante tem de manter o Estado e, para tanto, dadas as circunstancias tem que agir hora pela força, hora pela razão e outras vezes deve saber conjugar ambas, só assim conseguirá governar.

    Por: FRANCISCO ESDRAS MOREIRA ROCHAl Direito> Doutrinal 28/11/2014 lAcessos: 13
    Ulisses Lima Diniz

    A solidariedade em conta corrente, como forma de dirimir as referentes questões de Obrigação. Evitando a indevida cobrança da prestação a uma das partes.

    Por: Ulisses Lima Dinizl Direito> Doutrinal 22/04/2010 lAcessos: 1,349
    Ulisses Lima Diniz

    Tratar dos princípios e fundamentos dos fatos e atos jurídicos relacionando a casos hipotéticos e jurisprudências contextualizados no âmbito da disciplina de direito civil II, e com significativa relevância na didática jurídica.

    Por: Ulisses Lima Dinizl Direito> Doutrinal 06/01/2010 lAcessos: 593
    Ulisses Lima Diniz

    Tratá-se de uma análise sobre a culpabilidade, em sentido estrito, de forma que, a retratação do direito possa ser efetiva diante da circunstâncias apresentadas no texto.

    Por: Ulisses Lima Dinizl Direito> Doutrinal 18/12/2009 lAcessos: 2,061
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast