O princípio da boa-fé objetiva nos diversos ramos do direito brasileiro

Publicado em: 03/04/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 304 |

O princípio da boa-fé objetiva nos diversos ramos do direito brasileiro

O princípio da boa-fé objetiva, previsto no art. 422 do código civil, tem o significado atribuído ao dever de honestidade, transparência e lealdade entre as partes contratantes nos diversos contratos firmados no âmbito comercial.

Com efeito, as partes, em uma relação contratual, devem pautar suas condutas de forma proba, íntegra, informando quaisquer vícios ocultos ou defeitos, por exemplo, na venda de automóvel, mesmo que de particular para particular, isto é, excluída da relação de consumo.

Nesse sentido, as vendas de veículos com o hodômetro adulterado devem ser consideradas nulas por violarem a boa-fé que o comprador esperado do vendedor, além de caracterizar o delito de estelionato.

Destarte, no âmbito penal a boa-fé também deve estar presente, sob pena de caracterizar o mencionado crime do art. 171 do código penal (quando a má-fé se consubstancia na conduta do agente que tem a intenção de enganar para lograr proveito patrimonial indevido).

Nas relações de consumo, referido princípio vem expresso na Lei 8.078/90  (artigos 4º, III e 51,IV), e preconiza o dever que tem o fornecedor de serviços em informar, de forma clara, todas os eventuais valores de multas e punições, por exemplo, em hospedagens, contratos, observando-se, ainda, a proporcionalidade entre os respectivos valores.

Por seu turno, no âmbito do direito do trabalho, advogado e cliente devem informar todas as informações necessárias para a defesa dos direitos, e os acordos firmados devem ser claros e explicados ao trabalhador.

De outra banda, na seara comercial a boa-fé se revela, por exemplo, no dever de guardar segredo acerca de uma fórmula sigilosa da coca-cola (por exemplo), expandindo-se para além da relação contratual ( pós contrato).

Registre-se o fato de que  a boa-fé se revela na fase anterior ao contrato ( nas promessas de compra e venda, onde as partes devem firmar, com lealdade e honestidade, o real propósito de cumprir com o contrato, entregando, por exemplo, a escritura definitiva de compra e venda de um imóvel.

Ressalte-se, ainda, a incidência do referido princípio durante o cumprimento do contrato, onde, por exemplo, o locatário deve informar acerca de qualquer modificação no imóvel ( benfeitoria)

Por derradeiro, após o período contrato, incide o dever de guardar sigilo em relação a relatórios de pacientes (médico) e clientes (advogados), inclusive posteriormente à consulta ou o processo.

Diante de tais considerações, conclui-se que o princípio da boa-fé objetiva encontra-se inserido nos diversos ramos das relações jurídicas, devendo nortear a decisão dos magistrados, quando se depararem com situações abusivas e lesivas dos direitos dos respectivos cidadãos envolvidos.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/o-principio-da-boa-fe-objetiva-nos-diversos-ramos-do-direito-brasileiro-5797358.html

    Palavras-chave do artigo:

    o principio da boa fe objetiva nos diversos ramos do direito brasileiro

    Comentar sobre o artigo

    Hebert Mendes de Araújo Schütz

    O objetivo deste trabalho evidencia, em primeiro plano, a legislação brasileira e sua relação com a Convenção Internacional das Nações Unidas sobre Contratos de Compra e Venda Internacional de Mercadorias, estabelecida em Viena em 11 de abril de 1980, no âmbito da Comissão das Nações Unidas para o Direito Mercantil Internacional, e em vigor desde 1988.

    Por: Hebert Mendes de Araújo Schützl Direito> Doutrinal 14/06/2011 lAcessos: 261

    Trabalho acadêmico voltado para discutir na seara jurídica as questões atinentes ao choque entre princípios, momento em que se aplica o princípio da proporcionalidade.

    Por: Marcelo Passianil Direito> Doutrinal 03/11/2008 lAcessos: 3,151

    O artigo em tela tem por objetivo analisar a Teoria da Imprevisão como um instituto de mitigação ao paradigma contratual do pacta sunt servanda, bem como verificar a sua aplicabilidade frente aos institutos principiológicos do Código de Defesa do Consumidor.

    Por: Nilzete Aparecida R O Ferreiral Direito> Legislaçãol 04/02/2013 lAcessos: 194

    Entendimento doutrinário e jurisprudencial acerca do crime de evasão de divisas. A evolução da jurisprudência e a divergência nos nossos tribunais. O conteúdo e aplicabilidade das diversas cartas- circulares emitidas pelo Banco Central do Brasil- BACEN. O conceito de divisas e outros temas de direito econômico. Aspectos práticos e teóricos na investigação da polícia federal, BACEN, e Ministério Público Federal.

    Por: Leandro Bastos Nunesl Direito> Doutrinal 07/03/2012 lAcessos: 1,211

    O meio ambiente bem comum de uso do povo. O tema abordado neste trabalho tem como finalidade o seguinte questionamento: há instrumentos legais e administrativos para proteger e conservar o meio ambiente? O objetivo geral: confrontar aspectos positivos e negativos sobre a preservação e conservação ambiental, uma vez que há legislações e doutrinas, que disciplinam o tema, mas não conseguem atingir essa meta legal na sua totalidade.

    Por: joão batistal Direito> Legislaçãol 15/05/2012 lAcessos: 319

    A estrutura do Sistema Educacional Brasileiro é resultado de uma série de mudanças ao longo da história da educação no Brasil. Ao desenvolver este trabalho foi fundamental a concepção dos aspectos sobre as fases e contextualização deste sistema na seleção dos conteúdos e até na estruturação deste trabalho.

    Por: Alexandrel Educaçãol 26/05/2011 lAcessos: 1,329

    A palavra dominium, do latim, está relacionada com dominus, que significa soberano, autoridade e poder. Houve evolução do termo, entretanto, sem perder o significado primitivo, hoje ele tem também o seguinte significado: despesas comuns pagas por todos os moradores de um edifício ou de um conjunto de edifícios. No sentido técnico da palavra "condomínio" segundo a lei expressa brasileira, trata-se do direito exercido por mais de uma pessoa sobre o mesmo objeto. O objetivo deste estudo foi trazer

    Por: PAULO CESAR GOMES SILVAl Direito> Doutrinal 27/05/2010 lAcessos: 10,728 lComentário: 9

    CDC art. 2º - Consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza produto ou serviço como destinatário final.

    Por: Arnaldo Xavier Jr.l Direito> Doutrinal 26/04/2009 lAcessos: 1,948
    Fábio Araújo de Holanda Souza

    Este trabalho insurge aspectos introdutórios e gerais do Direito de Família com o fito de tornar a leitura desta temática consubstancial aos princípios arraigados na Constituição não obstante suas peculiaridades culturais e eternas evoluções conceituais inerentes aos paradigmas que surge consoante a dinâmica social.

    Por: Fábio Araújo de Holanda Souzal Direito> Doutrinal 18/04/2011 lAcessos: 3,691

    Não raras vezes, os sócios das pessoas jurídicas de responsabilidade limitada a utilizam para obter vantagens pecuniárias mediante fraude, abuso de poder ou violação à Lei ou ao contrato social, graças à autonomia que o atual Código Civil lhes conferiu.

    Por: Rafael Rossi Morescol Direito> Doutrinal 18/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    SUMÁRIO 1. CLASSIFICAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES. 2. OBRIGACOES DE MEIO. 3. OBRIGACAO DE RESULTADO. 4. CONCLUSAO. 5. REFERENCIAS

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    SUMÁRIO. 1 TEORIA DA IMPREVISÃO. 1.1. CONCEITO. 1.2. REQUISITOS. 2 TEORIA DA SUPERVENIENCIA. 2.1. CONCEITO E REQUISITOS. 3 CONCLUSÃO. 4 REFERENCIAS

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Sumário. 1. INTRODUÇÃO. 2. RAZAO DA EXISTENCIA DOS TITULOS DE CREDITO. 3. CARACTERISTICAS DOS TITULOS . 4. SAQUE OU EMISSAO, ACEITE, AVAL E ENDOSSO.5. IMPOSSIBILIDADE TECNICA DE INCLUSAO EM DOCUMENTOS ASSINADOS DIGITALMENTE. 6. CONCLUSAO E CRITICA

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Direito Ambiental. Órgão de Atuação. IAP. Atuação e História. Controle de infrações. Conceito de Direito Ambiental. O Direito Ambiental é a área do conhecimento jurídico que estuda as interações do homem com a natureza e os mecanismos legais para a proteção do meio ambiente.

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Consultoria e modelo de contrato de lavra de empresa de sociedade por responsabilidade limitada

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Estudo baseado no livro "Temas de Psicologia Jurídica" de Leila Maria Torraca de Brito. Nele é possível adquirir uma visão mais amplificada da utilização da Psicologia jurídica dentro da aplicação do Direito.

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Direito Romano. Conjunto de regras, que regem a sociedade romana desde as suas origens.

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014

    Direito à educação e a data de corte das escolas. A resolução do MEC. A norma constitucional. Ilegalidade. As liminares na Bahia. Conclusões

    Por: Leandro Bastos Nunesl Direitol 07/03/2013 lAcessos: 35

    FORÇA INTERIOR Quem algum dia não ficou diante da indecisão, da fraqueza do próprio ser? Os obstáculos, desde o nascimento, acompanham o ser humano, em prol do seu próprio progresso.

    Por: Leandro Bastos Nunesl Religião & Esoterismo> Religiãol 21/02/2013 lAcessos: 51

    VIBRAÇÕES INTERNAS E DESEJOS OCULTOS Há muitos habitantes no planeta, gente de toda espécie. Quando estamos no trabalho, encontramos sorrisos, semblantes tristes, desconfiados, colegas que se dizem amigos, e alguns amigos verdadeiros.

    Por: Leandro Bastos Nunesl Religião & Esoterismo> Religiãol 20/02/2013 lAcessos: 66

    o livre arbítrio e as consequências futuras. Transição planetária, desastres coletivos (expiações em massa), ilusões da matéria. Muito fácil proferir discurso, e não segui-los. Allan Kardec mencionava que a prova mais difícil é a da riqueza e do poder, pois, embora muitos a queiram, poucos conseguem lidar, sem que se iludam nas facilidades efêmeras dos prazeres mundanos.

    Por: Leandro Bastos Nunesl Religião & Esoterismo> Religiãol 19/02/2013 lAcessos: 49

    O direito às terras dos quilombolas. Breve histórico. Fundamentação jurídica no texto constitucional. Exemplificação e citação da legislação aplicável. Conclusões e sugestões para regularização da área.

    Por: Leandro Bastos Nunesl Direito> Doutrinal 14/08/2012 lAcessos: 43

    A convocação do procurador-geral da República à CPI do Carlinhos Cachoeira. A impossibilidade jurídica de convocação do chefe do Ministério Público da União. A vedação com base no princípio da separação dos poderes. Conclusões aplicáveis aos MInistros do SUpremo Tribunal Federal.

    Por: Leandro Bastos Nunesl Direito> Doutrinal 11/05/2012 lAcessos: 66

    A divergência jurisprudencial acerca do delito de peculato previsto no art. 312 do código penal. O entendimento consolidado nos tribunais, incluindo os tribunais superiores. A visão doutrinária. Conclusões.

    Por: Leandro Bastos Nunesl Direito> Doutrinal 26/04/2012 lAcessos: 947

    O PRINCÍPIO DA PROSPERIDADE.APLICAÇÃO NAS DIVERSAS ESFERAS SOCIAIS. REFLEXOS NO DESENVOLVIMENTO SOCIAL. A IMPORTÂNCIA PARA AS GERAÇÕES FUTURAS. CONCLUSÕES E SUGESTÕES.

    Por: Leandro Bastos Nunesl Direito> Doutrinal 17/04/2012 lAcessos: 192
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast