Poder de Polícia - Administrativo

Publicado em: 21/06/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 585 |

Poder de Polícia

Introdução

Não é desconhecido o falto de que o Estado deve atuar á sombra do princípio da supremacia do interesse público. Significa dizer que o interesse particular há de curvar-se diante do interesse coletivo.

Quando o Poder Público interfere na órbita do interesse privado para salvaguardar o interesse público, restringindo direitos individuais, atua no exercício do poder de polícia.

Sentido Amplo e Estrito

A expressão poder de polícia comporta dois sentidos, um amplo e um estrito. Em sentido amplo, poder de polícia significa toda e qualquer ação restritiva do Estado em relação aos direitos individuais. É princípio constitucional o de que "ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude da lei" (art.5, II, CF).

Em seu sentido estrito, o poder de polícia se configura como atividade administrativa, que consubstancia, como vimos, verdadeiramente prerrogativa conferida aos agentes da Administração, consistente no poder de restituir e condicionar a liberdade e a propriedade.

Conceito

O Poder de polícia como a prerrogativa de direito público que, calcada na lei, autoriza a Administração Pública a restringir o uso e o gozo da liberdade e da propriedade em favor de interesse da coletividade.

Poder de Polícia Originário e Delegado

Ante o princípio de quem pode o mais pode o menos, não é difícil atribuir ás pessoas políticas da federação o exercício do poder de polícia. Afinal, sem lhes incumbe editar as próprias leis limitativas, de todo coerente que se lhes confira, em decorrência, o poder de minudenciar as restrições. Trata-se aqui do poder de polícia originário, que alcança, em sentido amplo, as leis e os atos administrativos provenientes de tais pessoas.

Quando a lei confere a uma entidade administrativa algum tipo de poder, diz-se que há na hipótese poder de polícia delegado.

Em determinadas situações em que se faz necessário o exercício do poder de polícia fiscalizatória (normalmente de caráter preventivo), o Poder público atribui a pessoas privadas, por meio de contrato, a operacionalização material de fiscalização através de máquinas especiais, como ocorre, por exemplo, na triagem em aeroportos para detectar eventual porte de objetos ilícitos ou proibidos. Aqui o Estado não se despe do poder de polícia nem procede a qualquer delegação, mas apenas atribuiu ao executor a tarefa de operacionalizar máquinas e equipamentos, sendo-lhe incabível, por conseguinte, instituir qualquer tipo de restrição; sua atividade limita-se, com efeito, á constatação de fatos.

Competência

A competência para exercer o poder de polícia é, em princípio, da pessoa federativa á qual a Constituição Federal conferiu o poder de regulamentar a matéria. Na verdade, os assuntos de interesse nacional ficam sujeitos á regulamentação e policiamento da União; as matérias de interesse regional sujeitam-se ás normas e á polícia estadual; e os assuntos de interesse local subordinam-se aos regulamentos edilícios e ao policiamento administrativo municipal.

Fundamento

No que concerne ao benefício resultante do poder de polícia, constitui fundamento dessa prerrogativa do Poder de Polícia o interesse público. A intervenção do Estado no conteúdo dos direitos individuais somente se justifica ente a finalidade que deve sempre nortear a ação dos administradores públicos, qual seja, o interesse da coletividade.

Finalidade

Deste modo, outra não poderia ser a finalidade dessa intervenção através do poder de polícia senão a de proteção dos interesses coletivos, o que denota estreita conotação com o próprio fundamento do poder, ou seja, se o interesse público é o fundamento inspirador dessa atuação restritiva do Estado, há de constituir alvo dela a proteção do mesmo interesse. Este tem que se entendido em sentido amplo, para alcançar todo e qualquer aspecto, como o material, moral, cultural, ecológico etc.

Atuação da Administração

No exercício da atividade de polícia, pode a Administração atuar de duas maneiras.

Em primeiro lugar, pode editar atos normativo, que têm como característica o seu conteúdo genérico, abstrato e imparcial, qualificando-se, por conseguinte, como atos dotados de amplo círculo de abrangência. Nesse caso, as restrições são perpetrados por meio de decretos, regulamentos, portarias, instituições e outros de idêntico conteúdo.

Além desses, pode criar também atos concretos, estes preordenados a determinados indivíduos plenamente identificados, como são, por exemplo, os veiculados por atos sancionatórios, como a multa, e por atos de consentimentos, como as licenças e autorizações.

Atos de fiscalização

A fiscalização apresenta duplo aspecto: um preventivo, através do qual os agentes da Administração procuram impedir um dano social, e um repressivo, que em faze da transgressão da norma de polícia, redunda na aplicação de uma sanção. Neste ultimo caso, é inevitável que a Administração, deparando a conduta ilegal do administrado, imponha-lhe alguma obrigação de fazer ou não fazer. Como exemplo, cite-se o caso em que o indivíduo construiu em área pública, tendo decidido o STJ que a construção clandestina em logradouro público está sujeita á demolição, não tendo o invasor de má-fé direito á retenção, nem á indenização pelo município de eventuais benfeitorias.

Limites

Bem averba Creatella JR. que a faculdade repressiva não é, entretanto, ilimitada, estando sujeita a limites jurídicos: direito do cidadão, prerrogativas individuais e liberdades públicas asseguradas na Constituição e nas leis.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/poder-de-policia-administrativo-4933949.html

    Palavras-chave do artigo:

    poder

    Comentar sobre o artigo

    Bruno Lima Rocha

    "Para uma Teoria Libertária do Poder" é uma série de resenhas elaboradas sobre artigos ou livros de autores do campo libertário que discutem o poder. Seu objetivo é apresentar uma leitura contemporânea de autores que vêm tratando o tema em questão e trazer elementos para a elaboração de uma teoria libertária do poder, que poderá contribuir na elaboração de um método de análise da realidade e de estratégias de bases libertárias, a serem utilizadas por indivíduos e organizações.

    Por: Bruno Lima Rochal Notícias & Sociedade> Polítical 01/07/2011 lAcessos: 118
    Gabriela Valério Fernandes

    Este Trabalho tem como objetivo esclarecer algumas duvidas sobre o poder familiar com relação a pessoa dos filhos, enfoca a questão histórica do Poder familiar e suas causas de perda.

    Por: Gabriela Valério Fernandesl Direitol 27/11/2012 lAcessos: 76
    Claudio Bezerra de Menezes

    O instituto da Arbitragem é apresentado em boa-fé como um relevante instrumento popular de dizer o Direito, tendo como suportes importantes a Celeridade do processo e satisfação latu e strictu sensu do jurisdicionado quanto ao acesso à justiça. A defesa ardorosa em prol da popularização do instituto da Arbitragem tem como objetivo maior suprir alternativamente a carência dos menos afortunados em recorrerem à Justiça para tentarem dirimir seus litígios.

    Por: Claudio Bezerra de Menezesl Direito> Doutrinal 16/07/2011 lAcessos: 204
    Bruno Lima Rocha

    Para uma Teoria Libertária do Poder" é uma série de resenhas elaboradas sobre artigos ou livros de autores do campo libertário que discutem o poder. Seu objetivo é apresentar uma leitura contemporânea de autores que vêm tratando o tema em questão e trazer elementos para a elaboração de uma teoria libertária do poder, que poderá contribuir na elaboração de um método de análise da realidade e de estratégias de bases libertárias, a serem utilizadas por indivíduos e organizações.

    Por: Bruno Lima Rochal Notícias & Sociedade> Polítical 02/06/2011 lAcessos: 80

    Desde os primórdios o homem demonstra sua necessidade de se expressar e para isso molda no mundo uma nova criação. Como um demiurgo, o homem visita o mundo dos possíveis e dele trás novas formas e conceitos que transcendem a natureza, transfigurando o mundo em tudo o que faz. Uma das mais elevadas manifestações humanas é a Arte que, por sua natureza alcança o infinito, e enquanto existe não deixa de impressionar. A Arte passa então a estar sob outra emanação humana: o Poder.

    Por: Cláudio Antônio Arantes Pompeul Arte& Entretenimento> Artel 30/06/2013 lAcessos: 29

    Poder de Polícia: instrumento do Estado(poder público) para impor sua soberania sobre a população em seu território. Não há hierarquia de poder de polícia, pois é instrumento único para exercício da soberania do Estado.

    Por: Osmar Ventrisl Direito> Doutrinal 04/03/2012 lAcessos: 219
    Jorge Henrique M. Evangelista

    Discorre sobre a limitação ao Poder Constituinte Originário, com ênfase na limitação decorrente dos Tratados Internacionais que versam sobre Direitos Humanos. Procura mostrar a importância das normas internacionais à efetivação da democracia dos Estados por meio da pesquisa bibliográfica, trazendo posicionamentos de doutrinadores de renome. Deste, concluiu-se pela necessidade dos Estados Democráticos adotarem as normas internacionais como legítimas defensoras da dignidade humana e direitos.

    Por: Jorge Henrique M. Evangelistal Direito> Doutrinal 15/07/2011 lAcessos: 590
    Manuela Salim Tomicioli Silva

    O poder de polícia da Administração Pública em seus pontos mais relevantes.

    Por: Manuela Salim Tomicioli Silval Direitol 09/06/2011 lAcessos: 191

    O poder familiar, antigo "pátrio poder". Definido como "um conjunto de direitos e obrigações, quanto à pessoa do filho menor não emancipado, exercido, em igualdade de condições, por ambos os pais, para que possam desempenhar os encargos que a norma jurídica lhes impõe, tendo em vista o interesse e a proteção do filho." Sua importância e principais características.

    Por: Juliana Castejonl Direito> Doutrinal 07/06/2011 lAcessos: 505

    O artigo trata do conceito, características, titularidade para o exercício do Poder Familiar, além de trazer o conteúdo do mesmo, bem como as causas de extinção e suspensão do Poder Familiar.

    Por: Elisa Frigatol Educação> Ensino Superiorl 01/06/2011 lAcessos: 3,931

    Mais de 16 (dezesseis) anos depois da promulgação da Lei 9.605/98, que sepultou qualquer dúvida acerca da possibilidade de imputação penal à pessoa jurídica no âmbito formal, intensas críticas doutrinárias ainda são feitas ao instituto. Este artigo pretende analisar a razoabilidade destas críticas, principalmente à luz da atual realidade de criminalidade de crimes relacionados com as pessoas coletivas a ser combatida.

    Por: Ana Lídia Soares Vasconcelol Direito> Doutrinal 26/03/2014
    Isabel Cochlar

    "Casais aptos a adoção e devidamente inscritos na fila nacional, que concordam em receber uma criança com guarda provisória, amargam meses e meses de espera"

    Por: Isabel Cochlarl Direito> Doutrinal 24/03/2014

    Especialista destaca que a empresa é a responsável por oferecer condições de trabalho adequadas a todos os trabalhadores, individual ou coletivamente

    Por: Eduardo Gastaudl Direito> Doutrinal 18/03/2014

    INTRODUÇÃO. 1. Adoção. 1.1. Considerações históricas sobre o instituto da adoção. 1.2. Conceito e características do instituto. 1.3. Tratamento dado ao instituto da adoção pelas leis brasileiras. 1.4. Requisitos, espécies e características da adoção. 1.5. Princípios. 2. Afetividade. 3. Analisando a decisão judicial. Conclusão. Este artigo tem por fim discutir os fundamentos que alicerçam decisão judicial inovadora que, com base no melhor interesse da criança, julgou procedente a adoção unilatera

    Por: SILHIA VASCONCELOSl Direito> Doutrinal 22/02/2014 lAcessos: 26

    Trata-se de assunto relativo a dificuldade do comerciante apresentar defesa em face de autuações do inmetro

    Por: Antonio Carlos Pazl Direito> Doutrinal 19/02/2014 lAcessos: 21

    OCORRENDO O VENCIMENTO ANTECIPADO DO CONTRATO SURGE PARA O CREDOR A PRETENSÃO DE COBRANÇA. CABE A ELE EXIGIR DE PRONTO A INTEGRALIDADE DA DÍVIDA, MITIGANDO O PRÓPRIO PREJUÍZO, POIS TEM O DEVER DE BOA-FÉ CONTRATUAL.

    Por: HELEN CRISTINA CRUZl Direito> Doutrinal 18/02/2014 lAcessos: 50
    ANA KARLA FONTELES CAVALCANTI

    O presente artigo trata da possibilidade de recalcular judicialmente os valores para uma nova aposentadoria, favorecendo o aposentado que ainda continua contribuindo para o INSS.

    Por: ANA KARLA FONTELES CAVALCANTIl Direito> Doutrinal 09/02/2014 lAcessos: 20

    Diretor do Sindispge questiona: o Plano de Carreira dos Servidores (Lei n. 13.380/2010), que visa a valorização do quadro de serviços auxiliares da Casa, surge como um entrave: como aplicar uma lei que faz justamente o oposto do que a filosofia do gabinete da PGE prega?

    Por: Sindispgel Direito> Doutrinal 08/02/2014

    Um aprofundamento sobre um dos regimes de bens entre os cônjuges que a lei nos fornece, do regime de comunhão universal.

    Por: João Francisco Riosl Direito> Doutrinal 08/06/2011 lAcessos: 230

    Síntese dos principais pontos pertinentes sobre este título.

    Por: João Francisco Riosl Direitol 30/11/2010 lAcessos: 1,770 lComentário: 1
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast