Princípio da Proibição da Dupla Punição frente à Reincidência

Publicado em: 04/10/2013 |Comentário: 0 | Acessos: 93 |

O Princípio da Proibição da Dupla Punição, ou "non bis in idem", dispõe ser inaceitável a dupla punição pelo mesmo fato.

Assim, conforme leciona Markian Kalinoski¹, não se admite, que o fato criminoso que deu origem à primeira condenação possa servir de substrato a uma agravação de pena em relação a um outro fato criminoso.

Nessa linha Alberto Silva FRANCO², pondera o princípio da legalidade não admite, em caso algum, a imposição de pena superior ou distinta da prevista e assinalada para o crime, sendo que a agravação da punição, pela reincidência, faz, "no fundo, com que o delito anterior surta efeitos jurídicos duas vezes".

Portanto, sob a ótica de um Estado Social e Democrático de Direito, a parte geral do Código Penal deve ser reinterpretada, repensando-se os seus bens jurídicos, à vista da matriz constitucional, podendo se afirmar que os antecedentes, assim como a reincidência, não autorizam a exasperação da pena sob pena de ferimento à Constituição Federal, pois fazem vigorar o antidemocrático direito penal do autor e implicam "bis in idem".

Nesse sentido colaciono jurisprudência (grifei):

Apelação crime. Roubo majorado pelo concurso de agentes. Condenação: inarredável diante do contexto probatório e do firme reconhecimento efetuado em juízo pelas vítimas. Pena. Antecedentes: assim como a reincidência, não autoriza a exasperação da pena por inconstitucional (faz vigorar o não-democrático direito penal do autor e implica indisfarçável bis in idem). Multa: não pode ser excluída porque pena o é. À unanimidade, deram parcial provimento ao recurso defensivo. (Apelação Crime Nº 70024139719, Quinta Câmara Criminal, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Amilton Bueno de Carvalho, Julgado em 18/06/2008)


Roubos majorados e formação de quadrilha armada. (...) Agravante da reincidência e valoração dos antecedentes: configura bis in idem e revigora o medieval direito penal do autor. Personalidade e conduta social: não podem elevar a pena-base, pena de violação ao direito fundamental da não invasão da intimidade. Majorante do emprego de arma: seu reconhecimento depende de perícia válida. Pena de multa: não pode ser excluída, pois legalmente cominada. Nulidade: o réu tem o direito de presenciar a produção da prova oral por ele arrolada, máxime estando preso, quando então tem o Estado o dever de conduzi-lo à solenidade para que exerça efetivamente a sua defesa do modo mais amplo. Improveram o apelo ministerial; deram parcial provimento ao apelo de Robson, com extensão ao não-apelante Bruno; e anularam o feito em relação a Thiago, prejudicado seu apelo. (Apelação Crime Nº 70023339393, Quinta Câmara Criminal, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Amilton Bueno de Carvalho, Julgado em 11/06/2008)

Furto. Condenação: autorizada pela prova. Reincidência e antecedentes: agridem o sistema. Tentativa: o redutor é mediano quando o caminho para a consumação está no seu meio. Deram parcial provimento ao apelo da defesa. Unânime. (Apelação Crime Nº 70023586233, Quinta Câmara Criminal, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Amilton Bueno de Carvalho, Julgado em 14/05/2008)

Quero dizer, desta forma, que não serve a reincidência para impor a aplicação do regime semi-aberto, por exemplo, tendo em vista que configuraria inaceitável dupla punição pelo mesmo fato, pois faz com que o delito anterior surta efeitos jurídicos duas vezes. Logo, para aplicação do regime a ser aplicado deve-se observar o Princípio da Proibição da Dupla Punição.

Referências Bibliográficas

¹ KALINOSKI, Markian. Reincidência: sua incompatibilidade vertical em face da Constituição Federal de 1988. Jus Navigandi, Teresina, ano 6, n. 55, mar. 2002. Acesso em: 01/08/2008.

² FRANCO, Alberto Silva. Código penal e sua interpretação jurisprudencial, p.781.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/principio-da-proibicao-da-dupla-punicao-frente-a-reincidencia-6784860.html

    Palavras-chave do artigo:

    principio reincidencia dupla punicao

    Comentar sobre o artigo

    JAIR APARECIDO RIBEIRO

    Este trabalho tem a finalidade, em mostrar um pouco o Sistema Penitenciário Paranaense, suas políticas públicas desenvolvidas que valorizam o trabalho prisional, a assistência educacional formal e profissionalizante, com incentivos ao esporte, e ao lazer em referência a LEP (Lei de execução Penal). Tendo como objetivo principal deste trabalho, demonstrar como o tratamento penal nas diversas unidades penais do Estado do Paraná, na forma de um ideal científico, nos moldes da LEP.

    Por: JAIR APARECIDO RIBEIROl Direitol 29/11/2009 lAcessos: 1,774

    Não raras vezes, os sócios das pessoas jurídicas de responsabilidade limitada a utilizam para obter vantagens pecuniárias mediante fraude, abuso de poder ou violação à Lei ou ao contrato social, graças à autonomia que o atual Código Civil lhes conferiu.

    Por: Rafael Rossi Morescol Direito> Doutrinal 18/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    SUMÁRIO 1. CLASSIFICAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES. 2. OBRIGACOES DE MEIO. 3. OBRIGACAO DE RESULTADO. 4. CONCLUSAO. 5. REFERENCIAS

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    SUMÁRIO. 1 TEORIA DA IMPREVISÃO. 1.1. CONCEITO. 1.2. REQUISITOS. 2 TEORIA DA SUPERVENIENCIA. 2.1. CONCEITO E REQUISITOS. 3 CONCLUSÃO. 4 REFERENCIAS

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Sumário. 1. INTRODUÇÃO. 2. RAZAO DA EXISTENCIA DOS TITULOS DE CREDITO. 3. CARACTERISTICAS DOS TITULOS . 4. SAQUE OU EMISSAO, ACEITE, AVAL E ENDOSSO.5. IMPOSSIBILIDADE TECNICA DE INCLUSAO EM DOCUMENTOS ASSINADOS DIGITALMENTE. 6. CONCLUSAO E CRITICA

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Direito Ambiental. Órgão de Atuação. IAP. Atuação e História. Controle de infrações. Conceito de Direito Ambiental. O Direito Ambiental é a área do conhecimento jurídico que estuda as interações do homem com a natureza e os mecanismos legais para a proteção do meio ambiente.

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Consultoria e modelo de contrato de lavra de empresa de sociedade por responsabilidade limitada

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Estudo baseado no livro "Temas de Psicologia Jurídica" de Leila Maria Torraca de Brito. Nele é possível adquirir uma visão mais amplificada da utilização da Psicologia jurídica dentro da aplicação do Direito.

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014
    Rafael Antonio Pinto Ribeiro

    Direito Romano. Conjunto de regras, que regem a sociedade romana desde as suas origens.

    Por: Rafael Antonio Pinto Ribeirol Direito> Doutrinal 14/09/2014

    Comete o crime de responsabilidade tipificado no art. 1º, XIV do DL 201/69 e não o crime de desobediência do art. 330 do CP ("Desobedecer a ordem legal de funcionário público"), capitulado entre os crimes praticados por particulares contra a Administração Pública, o Prefeito Municipal, quando, no exercício de suas funções, que deixar de cumprir ordem judicial.

    Por: Luciana Bergmann Raschel Direito> Doutrinal 08/10/2013 lAcessos: 55

    Pesquisa jurisprudencial e análise critica sobre a aplicação do preceito secundário (pena) do artigo 180, §1º do Código Penal, diante de possível previsão de DOLO EVENTUAL, em comparação com o previsto no "caput" do mesmo artigo com previsão expressa de DOLO DIRETO.

    Por: Luciana Bergmann Raschel Direito> Doutrinal 03/10/2013 lAcessos: 120

    O poder de polícia impõe coercitivamente aos particulares um dever de abstenção, seja de forma fiscalizadora, preventiva ou opressiva. A impossibilidade de tal poder de policia por particulares restou evidenciada na decisão da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1.717. A Administração Pública, desta forma, no exercício do referido poder, regulamenta as leis e controla sua aplicação, visando a garantia dos direitos da coletividade.

    Por: Luciana Bergmann Raschel Direito> Doutrinal 01/10/2013 lAcessos: 68

    A responsabilidade objetiva indica que o Estado possui dever de indenizar pelos danos que seus agentes causarem a outrem, no exercício da função, independentemente da existência da culpa. Trata-se, desta forma, da Teoria do Risco Administrativo, a qual prescinde do elemento culpa, porém exige a prova do nexo causal entre a ação da Administração e o dano. Outrossim, destaca-se o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.

    Por: Luciana Bergmann Raschel Direito> Doutrinal 01/10/2013 lAcessos: 42

    A água é bem de uso comum do povo, sendo necessário para a sobrevivência humana. Entretanto, trata-se de objeto de título oneroso. Assim, embora essencial para a permanência da vida na Terra, sabe-se que é um recurso natural limitado e, portanto, apesar de ser direito o seu uso, este deve ser regulado pelo Estado. Salienta-se que o direito de uso deste recurso natural por terceiros advém da conveniência e da oportunidade administrativa de delegar a outrem a gestão deste bem de domínio público.

    Por: Luciana Bergmann Raschel Direito> Doutrinal 01/10/2013 lAcessos: 44
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast