Propriedade Resolúvel

Publicado em: 21/06/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 9,700 |

SUMÁRIO:

Conceito. Natureza Jurídica. Revogação "ex tunc". Revogação "ex nunc"

 

Conceito-O Código Civil,no titulo pertinente à propriedade,traz o capitulo VIII dedicado à Propriedade Resolúvel,que abrange os artigos 1359 e 1360.

A propriedade resolúvel é aquela em que seu próprio titulo traz uma condição resolutiva ,subordinada ao advento de uma condição,quando esta sobrevier,ocorrerá o término do direto para o seu titular,seja por força da declaração,ou por determinação judicial. 

De acordo com a presente matéria,é possível no momento da aquisição de um bem incluir cláusula resolutória,que pode consistir num termo ou em uma condição,ocorrendo o advento do primeiro ou o implemento do segundo,extingue-se o direito.Não quer dizer que a propriedade não seja perpétua,o que consiste em uma das principais características da propriedade,mas poderá ter um fim já previsto.

Sob um prisma ilustrativo,é valido citar o exemplo de um pai que doa para a filha uma fazenda,incluindo em seu titulo a condição de que ela não se case com o seu desafeto,caso ela desobedeça a condição do pai casando-se com o rapaz,ela perderá a fazenda.Ressalte-se que enquanto ela não se casar a propriedade sobre a fazenda é perpétua,mas, uma vez que ela descumprir a condição resolutiva a propriedade estará resolvida.

Natureza Jurídica- A natureza jurídica da Propriedade resolúvel gera controvérsias. Para uma corrente ela é domínio de natureza especial, para outros é uma propriedade comum, condicionada por modalidade de ato jurídico, neste caso haveria a aplicação das regras gerais relativas à condição e ao termo,previstas na Parte Geral do Código Civil.Para Washington de Barros Monteiro "a primeira opinião é a verdadeira,porquanto a propriedade resolúvel apresenta caráter peculiar,não encontrado nas demais formas dominiais:a previsão de seu desaparecimento no próprio ato constitutivo do direito".

Revogação "ex tunc"-Assim dispõe o art.1359 do C.C.:"Resolvida a propriedade pelo implemento da condição ou pelo advento do termo,entende-se também resolvidos os direitos reais concedidos na sua pendência e o proprietário,em cujo favor se opera a resolução,pode reivindicar a coisa do poder de quem a possua ou detenha."

Ocorrendo a Condição Resolutória,no silêncio desta,a propriedade retorna para o antigo proprietário,porém,caso o contrato indique  beneficiários,estes serão os novos proprietários.

Por contar com todos os poderes inerentes à propriedade, o proprietário poderá aliená-la. Porem o adquirente do bem sobre o qual pende condição ou termo resolutivo,não poderá alegar prejuízo ou ignorância à respeito da condição,portanto na ocorrência da condição resolutiva o adquirente perderá o bem,pois assumiu o risco da resolução.

Operando-se a condição o efeito será ex tunc,ou seja,todos os direitos constituídos em sua pendência se desfazem,como se nenhum deles tivessem ocorrido.

Revogação "ex nunc"-Não obstante o art. 1360 do C.C assim dispõe:"Se a propriedade se resolver por outra causa superveniente, o possuidor,que a tiver adquirido por titulo anterior à sua resolução,será considerado proprietário perfeito,restando à pessoa,em cujo beneficio houve a resolução,ação contra aquele cuja propriedade se resolveu para haver a própria coisa ou o seu valor."

Esta revogação opera efeitos "ex nunc",pois advêm de causa superveniente,não prevista no contrato,posterior à transmissão da propriedade,portanto não poderá prejudicar direitos adquiridos por terceiros,uma vez que o adquirente não poderia ter previsibilidade da causa. 

Se uma pessoa recebe um imóvel em doação e depois vende,o adquirente será considerado proprietário perfeito.Se por acaso futuramente o doador resolver revogar a doação por ingratidão do donatário, o adquirente não poderá ser prejudicado,pois não poderia prever,resta ao doador,apenas cobrar o donatário quanto ao valor da coisa.

Na pratica a propriedade resolúvel é de difícil operacionalização, pois o adquirente deve assumir o risco da resolução da propriedade.Ainda que adquira o bem por um valor abaixo do que realmente deveria ser pago,haverá algum dispêndio financeiro.Obviamente que cada caso deverá ser analisado individualmente,pois algumas vezes as condições que norteiam o negócio jurídico podem ser favoráveis ao adquirente,dependendo da finalidade para qual se destina a propriedade.

 

  -Bibliografia:

-Monteiro-Washington de Barros-Curso de Direito Civil-Editora Saraiva.

-Gonçalves-Carlos Roberto- Direito Civil Brasileiro-Editora Saraiva.

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/propriedade-resoluvel-2696877.html

    Palavras-chave do artigo:

    propriedade resoluvel condicao termo

    Comentar sobre o artigo

    O presente artigo analisa a propriedade resolúvel, suas características e efeitos

    Por: Alexandre Loureiro Barreiral Direito> Doutrinal 22/06/2010 lAcessos: 1,243

    O propósito desse texto é perpassar o atributo da perpetuidade da propriedade, bem como na evidência de que o direito de propriedade não mais pode ser visualizado, sob a ótica constitucional e das diretrizes que regem o atual Código Civil, em especial o princípio da operabilidade, como um direito pleno, intangível, independentemente de fatores externos que possam enfraquecê-lo, posto que sofre uma gama de fatores que podem revogar tal direito.

    Por: rogeriol Direito> Doutrinal 29/11/2010 lAcessos: 822
    Claudiana Andrioli

    Esse artigo trata-se primeiramente de propriedade,para que assim seja exposto os principais temas sobre a propriedade ficuciária.

    Por: Claudiana Andriolil Direitol 10/11/2010 lAcessos: 3,567

    Trata o artigo do terceiro interessado na cessão fiduciária de direitos sobre coisas móveis, bem como títulos de crédito.

    Por: Ana Paula Rossil Direito> Doutrinal 06/10/2013 lAcessos: 36

    o objetivo deste artigo é analisar a prisão civil do devedor fiduciário sem esgotar o tema. Também será discutida de forma concisa, a inconstitucionalidade da prisão civil em face à CF/88. Iniciaremos com um conceito de propriedade fiduciária, seus modos de constituição e as obrigações do fiduciário e do fiduciante passando-se ao procedimento a ser seguido no caso de inadimplemento da obrigação, e então à conversão da ação de busca e apreensão em ação de deposito expondo-se sua base legal.

    Por: Cinthia Paes Lemmil Direitol 08/12/2010 lAcessos: 438

    O presente trabalho apresenta os requisitos indispensáveis para validação dos contratos regidos pela alienação fiduciária em garantia, mostrando os sujeitos da relação, sua forma de constituição, sua comprovação perante terceiros, o objeto de garantia e os direitos e deveres do fiduciário e fiduciante.

    Por: CARLUCIO ARAUJO FERREIRAl Direito> Legislaçãol 10/06/2014 lAcessos: 89
    EVILAZIO RIBEIRO

    e acordo com o art. 1225, são direitos reais: • A propriedade • A superfície • As servidões • O usufruto • O uso • A habitação • O direito do promitente comprador do imóvel • O penhor • A hipoteca • A anticrese Estes foram enumerados em numerus clausus, pois os direitos reais só podem ser criados por lei. No entanto, a esta relação deve ser acrescentada A POSSE (art. 1196), que é a exteriorização do domínio: Art. 1.196. Considera-se possuidor todo aquele que tem de fato o exercício, pleno ou não

    Por: EVILAZIO RIBEIROl Direito> Legislaçãol 28/02/2011 lAcessos: 4,925

    Este artigo tem por finalidade descrever brevemente os institutos da herança jacente e da herança vacante, dentro do direito sucessório brasileiro.

    Por: Thiago Olivato Venturosol Direito> Doutrinal 14/12/2010 lAcessos: 688

    O Código Civil Brasileiro permite que a pessoa capaz ao instituir herdeiro ou legatário poderá indicar substituto. Há previsão de duas espécies de substituição: a) A Vulgar ou Ordinária, que por sua vez divide-se em Simples ou Singular, Coletiva ou Plural e Recíproca; b) Fideicomissária, que quando combinada com a Vulgar poderá ser Compendiosa

    Por: Ana Claudia Vicentel Direito> Doutrinal 06/06/2011 lAcessos: 2,034 lComentário: 1

    A toxicologia forense tem por fim científico identificar a presença de substâncias químicas nos casos de investigação de violência, homicídios, suicídios, acidentes e uso de drogas de abuso para aplicação legal. No Brasil observa-se um aumento no número de intoxicações e óbitos causados por substâncias químicas como medicamentos, agrotóxicos e drogas de abuso com motivos de interesse legal nos últimos anos. Diante desse quadro esse trabalho veio abordar essa grave realidade no nosso país.

    Por: danilol Direito> Doutrinal 18/11/2014 lAcessos: 12

    O presente trabalho busca explicar detalhadamente as leis de circulação e a teoria geral do direito. Procura mostrar a característica de cada uma delas, como funciona a circulação dos títulos de crédito e de que forma se faz a circulação.

    Por: Thiago Augusto Zartl Direito> Doutrinal 17/11/2014

    O estudo das Escolas Criminológicas tem como principal função demostrar as causas do crime. Primeiramente ocorreu o domínio da Escola Clássica, em seguida a Escola Positiva e por fim a Escola Crítica. Todas contribuíram para o estudo da criminologia contemporânea.

    Por: Silvana Grando dos Santosl Direito> Doutrinal 17/11/2014
    Felipe Lermen Jaeger

    A responsabilidade civil pós-contratual teve origem na doutrina alemã, no início do século XX, mais precisamente em 1910 e as primeiras decisões relativas ao tema apareceram na década de 20. Posteriormente se expandiu para os países como Portugal Argentina e Itália.

    Por: Felipe Lermen Jaegerl Direito> Doutrinal 17/11/2014
    Felipe Lermen Jaeger

    Esse artigo visa estudar o ordenamento brasileiro de normas e delimitar a aplicação da lei no tempo bem como verificar a possibilidade de sua existência em prejuízo.

    Por: Felipe Lermen Jaegerl Direito> Doutrinal 17/11/2014
    André Boaratti

    Pretende-se introduzir brevemente o Direito Internacional Privado por meio da relação entre as duas definições mais importantes e o seu objeto.

    Por: André Boarattil Direito> Doutrinal 17/11/2014
    André Boaratti

    O presente texto tem por objetivo demonstrar algumas fases que ofereceram significativas contribuições para a configuração atual do Direito Internacional Privado: A Idade Média, por meio do surgimento dos burgos, e a Idade Moderna, através das mudanças nas esferas política e econômica, e o período atual marcado pelo estabelecimento de um mercado global.

    Por: André Boarattil Direito> Doutrinal 16/11/2014

    No período pós-eleições, advogado e diretor do Sindicato dos Servidores da PGE/RS faz uma avaliação do que aconteceu durante e após às eleições, principalmente no que se refere a relacionamentos.

    Por: Sindispgel Direito> Doutrinal 16/11/2014

    O Código Civil Brasileiro permite que a pessoa capaz ao instituir herdeiro ou legatário poderá indicar substituto. Há previsão de duas espécies de substituição: a) A Vulgar ou Ordinária, que por sua vez divide-se em Simples ou Singular, Coletiva ou Plural e Recíproca; b) Fideicomissária, que quando combinada com a Vulgar poderá ser Compendiosa

    Por: Ana Claudia Vicentel Direito> Doutrinal 06/06/2011 lAcessos: 2,034 lComentário: 1

    O artigo trata dos impedimentos matrimonias elencados pelo Código Civil de 2002, limitam-se ao número sete. São situações de fato e de direito que impossibilitam a realização de um casamento. São requisitos que comportam a validade e a regularidade do casamento, sob pena de nulidade do ato.

    Por: Ana Claudia Vicentel Direito> Doutrinal 13/12/2010 lAcessos: 486
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast