Teoria da Natureza Jurídica do Casamento, casamento válido e influência da Igreja Católica

Publicado em: 14/06/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 2,690 |

 

De acordo com as aulas de Direito Civil V, em direito de família pudemos estudar os principais requisitos para que o casamento seja considerado válido, e nessa aula os artigos estudados em questão foram de 1511 a 1542 do código civil.

Há três teorias estudadas que gostaria de citar sucintamente para que se possa entender que o casamento não é só um ato de casar, mas também a representação da vontade de casar.

Natureza Jurídica do Casamento:

1º) Teoria Clássica: Contratualista, Para os adeptos desta teoria o casamento é um contrato civil, onde a vontade representa o seu maior momento. É a Teoria adotada pelo Código Frances, e no Brasil, Silvio Rodrigues nos preceitua que "Casamento é o contrato de direito de família que tem por fim promover a união do homem e da mulher, de conformidade com a lei, a fim de regularem suas relações sexuais, cuidarem da prole comum e se prestarem a mútua assistência" (Direito civil..., 2002, p. 19).  

2º) Teoria Institucionalista: Para essa corrente o casamento é uma grande instituição social, que tem também como momento maior o elemento Volitivo, no sentido de entrar para uma instituição. No Brasil essa teoria é seguida por Washington Monteiro de Barros, afirma que o casamento constitui "uma grande instituição social, que, de fato, nasce da vontade dos contraentes, mas que, da imutável autoridade da lei, recebe sua forma, suas normas e seus efeitos...A vontade individual é livre para fazer surgir a relação, mas não pode alterar a disciplina estatuída pela lei" (Curso de direito civil, Volume 2, Página 13).

3º) Teoria Mista ou Eclética: Para esta corrente o casamento é um ato complexo, que uni o elemento contratual com o elemento institucional. Quando manifestam a vontade, celebram um contrato e, quando o estado outorga a situação de casados, surge a instituição. No Brasil Maria Helena Diniz é adepta dessa corrente, e Eduardo Espínola também afirmando que: "Parece-nos, entretanto, que a razão está com os que consideram o casamento um contrato sui generis, constituído pela recíproca declaração dos contratantes, de estabelecerem a sociedade conjugal, base das relações de direito de família. Em suma, o casamento é um contrato que se constitui pelo consentimento livre dos esposos, os quais, por efeito de sua vontade, estabelecem uma sociedade conjugal que, além de determinar o estado civil das pessoas, dá origem às relações de família, regulados, nos pontos essenciais, por normas de ordem pública". (A família no direito civil brasileiro, páginas 48-50).

As hipóteses de Casamento válido:

Um casamento para ser válido deve atender as regras básicas enumeradas abaixo, as mais importantes dentre as demais.

1º ordem pública:

O estado considera o casamento de relevante interesse social, estando assim acima dos interesses particulares, sendo que não se considera ato particular o casamento é um ato público, pois essa união muda a forma de vida de duas pessoas em relação à sociedade, como por exemplo, quando uma pessoa vai casar ela planeja toda uma celebração que é considerado um rito de passagem entre o estado civil solteiro e o estado civil de casados, festas, viagens e demais. Sendo que como o próprio ditado diz "quem casa quer casa", as pessoas quando se casam tem o intuito de construir uma casa, filhos, juntar duas famílias diferentes, sendo assim terão impostos a pagar, gastos necessários com alimentação, escola, vestimentas, esportes e lazer. O casamento em si tem o interesse social, toda a sociedade se interessa por aquela ocasião, ao estado, passa a ser um dispositivo de ordem pública.

2º monogamia:

No sistema brasileiro só é possível celebrar um único casamento. Para existir segundas núpcias é necessário que a dissolução do vínculo ocorra, o que acontece com o divórcio, homologado na certidão de casamento a condição de divorciado (a) ou com a morte homologada a condição de viúvo (a) na certidão de casamento comprovada através da certidão de óbito. Caso isso não seja feito o casamento será nulo, ou anulável, porque bigamia no Brasil é crime.

A poligamia: não permite a mulher casar mais de uma vez, apenas o homem casar mais de uma vez. O que não é comum, essa é uma tradição envolvida com o tipo de nação mulçumana, o homem tem que provar para o estado que tem condições financeiras para bancar mais de uma mulher, isso porque a principal fonte de renda dos mulçumanos é a extração de petroléo. Mas a primeira mulher organiza tudo, todas as ordens dentro da casa é ela quem dá, distribuindo principalmente os dias em que o marido ficará com cada mulher para que não cause discórdia entre elas, se o homem morrer primeiro a primeira mulher herda tudo. Por isso que é comum a primeira mulher morrer primeiro.

A Poliandria: a mulher casa mais de uma vez, com vários maridos, isso é comum na índia, nas comunidades indiginas, é mais uma vez, ela é quem comanda tudo, a distribuição de comia, vestimentas, e os dias em que os maridos ficarão com ela.

3º incondicionalidade:

Por ser princípio de ordem pública não é permitido aos nubentes colocarem condições ao casamento. O casamento deve existir pelas formas estabelecidas pelo o estado, o estado previamente regulariza normas para que as pessoas se casem. Não é uma regra para cada casal, a mesma regra é para todos os casais que casou ou ainda irá casar.

4º ato solene:

A solenidade é essência do casamento, em relação a sua celebração. Não respeitada essas solenidades, acarretará a consideração jurídica de casamento inexistente, nulo ou anulável. Essa exigência traz a certeza do que aquilo que esta acontecendo é verdadeiro, a solenidade do ato. Existem requisitos essenciais que devem ser cumpridos antes do casamento, ou seja, o que se é preciso para casar, e se não cumprir e mesmo assim as duas pessoas casarem o casamento é inexistente.

Em 1º lugar o sexo deve ser diferente: só permite casar homem e mulher, não é possível casamento homossexual no código civil brasileiro. Atualmente está tramitando em Brasília um projeto que venha a regular a união Homoafetiva, pois falar homossexual é ofensiva, todas elas criam regrar para a união Homoafetiva, apenas para regular a união, porque o casamento teria que mudar a constituição federal, e esse é um procedimento muito mais difícil.

Em 2º lugar está a existência da celebração: sem celebração não há casamento, da mais simples a mais ponposa, há sempre um ato que concretize a celebração.

Em 3º lugar a manifestação de vontade: tem que manifestar a vontade de casar, porque o estado tem que ter a certeza de que as duas pessoas querem casar.

Hoje é proibido o sim com sinal é proibido, pois antigamente um homem que puxou o cabelo da mulher e fez com que ela fizesse um sim com a cabeça aquele foi um ato coercitivo, mas no entanto válido, até ser provado através de uma cinegrafista que gravou toda a cena e apresentou posteriormente , o sim tem que ser em alto e bom tom, para que não reste dúvida nenhuma da vontade expressada pela pessoa.

Esses são requisitos essenciais e se não forem preenchidos estaremos diante de um casamento inexistente.

Influência da Religião Católica:

Em alguns momentos de nossa vida podemos nos deparar com a influencia da Igreja Católica na história da humanidade, e junto dela os conceitos religiosos que não admitem a separação, o aborto, o uso de preservativos, a relação sexual antes do casamento, e entre outros. Não seria uma visão retrógada, mas sim a preservação de conceitos que atualmente muitos não dão valor atualmente.

E sendo assim uma vez casados (homem e mulher) no Brasil, com a cerimônia religiosa junto com a celebração civil, o oficial de cartório através de certidão delega poderes de Estado ao Ministro religioso indicado pelos nubentes, para que celebre com efeito civil a cerimônia religiosa. Nessa será emitida apenas uma certidão, e nessa constará todos os formalismos que devem ocorrer nessa celebração. Após a celebração a religião emite outra certidão que deverá ser entrega ao cartório, ou seja ao Estado, para dar o efeito civil. A Religião entrega aos cônjuges e essa certidão tem um prazo de 90 dias para ser feito registro, passado os 90 dias o casamento será nulo.

Diferentemente do que acontecia antigamente quando apenas era feito o casamento pela religião Católica soberana, com poderes de estado. E após a revolução Francesa foi que se transformou em poderes separados, assim também com o surgimento de diferentes religiões que seguem o mesmo Rito de certidão religiosa para ser Registrado o Casamento perante o estado.

Bibliografia:

Carlos Roberto Gonçalves, direito civil brasileiro, volume 6, direito de família de acordo com a lei número 12.133 de 17/12/2009, editora saraiva.

Aula do professor João Batista de Araujo Junior – Doutorada em Ciências Jurídicas e Sociais.

Vade Mecum, 3° edição compacta – editara Saraiva, artigos 1511 a 1542, páginas 267 e 270.

Sites jurídicos:

http://www.webartigos.com/articles/39191/1/Natureza-Juridica-do-Casamento/pagina1.html

 

   

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/teoria-da-natureza-juridica-do-casamento-casamento-valido-e-influencia-da-igreja-catolica-2633696.html

    Palavras-chave do artigo:

    casamento valido

    Comentar sobre o artigo

    Juliana Gentilini David

    Nesse artigo vamos saber as principais exigências feitas para que um casamento seja considerado válido, e se casso essas principais não forem cumpridas o casamento poderá ser considerado, inexistênte, nulo ou anulável.

    Por: Juliana Gentilini Davidl Direito> Doutrinal 05/06/2010 lAcessos: 1,125

    Este artigo acadêmico é uma explanação sobre casamento inválido e inexistente. A invalidade do casamento é tratado nos artigos 1.548 a 1.564 do código civil que são previstas as modalidades de anulação do casamento, que podem ser relativas, absolutas ou inexistentes. Neste artigo vamos discorrer sobre alguns desses códigos.

    Por: HEDILENE LIMAl Direito> Doutrinal 31/05/2011 lAcessos: 2,068

    Um trabalho, que nos mostra a finalidade do casamento, seus principios, a sua evoluçao histórica e seus varios conceitos

    Por: Guilherme Galãol Direitol 04/12/2009 lAcessos: 3,349
    Gerliann Aquino

    Impende-se destacar que o presente estudo propõe uma breve análise do instituto do casamento, enfatizando o deslinde de seus contornos fáticos e jurídicos.

    Por: Gerliann Aquinol Direito> Doutrinal 21/10/2009 lAcessos: 1,261 lComentário: 2

    O assunto refere-se sobre a dissolução do casamento e da sociedade conjugal, tipos de dissuloções, como e quando os côjunges podem requerer e/ou usufruir sobre tal.

    Por: Konrad Rondini de Mendonçal Direitol 17/06/2010 lAcessos: 5,623

    Um breve comentário sobre os requisitos para a validade do casamento e suas alterações frente o julgamneto da Adin 477-7 que reconheceu a união entre pessoas do mesmo sexo.

    Por: Dilaine Ferreira Moura Consolil Direitol 01/06/2011 lAcessos: 159

    Quando da invalidade do casamento, existe a cerimonia, o casamento em si já aconteceu, no entanto eivado de vicío, havendo algo dentro dele que não esta correto.

    Por: Calil Marques Faissall Direito> Doutrinal 21/06/2011 lAcessos: 352

    O presente artigo trata dos casos em que ocorre o casamento inexistente.

    Por: MARIANA PEREIRAl Direito> Legislaçãol 13/06/2011 lAcessos: 1,066

    O Casamento Putativo gera efeitos ao cônjuge que se encontra de boa-fé até a sentença anulatória e quanto aos filhos os efeitos se prolongam até mesmo depois do trânsito em julgado da sentença.

    Por: Dayana Mayara F. Palhanol Direitol 14/04/2009 lAcessos: 5,695 lComentário: 3

    Esse trabalho tem como objetivo esclarecer o que são contribuições sociais e quais as contribuições que se constituem, apresentando de que forma é calculada a contribuição tanto do empregado, doméstico e trabahador avulso. Observa-se portanto, qual a aplicação da alíquota para cada tipo de contribuinte, assim como valores mínimos que devem ser colaborados. Resta saber também, quais os percentuais de contribuição.

    Por: Simone Follmerl Direito> Doutrinal 21/10/2014

    O trabalho envolve questões referente a jornada de trabalho e os direitos do trabalhador.

    Por: Simone Follmerl Direito> Doutrinal 21/10/2014

    O adiantamento de contrato de cambio está conceituado nos informativos da BACEN como uma antecipação parcial ou total da moeda nacional relativa ao preço da moeda estrangeira vendida ao banco autorizado a operar no mercado de câmbio, pelo exportador, para entrega futura, feita antes do embarque da mercadoria ou da prestação do serviço.

    Por: Simone Follmerl Direito> Doutrinal 21/10/2014

    Projeto de monografia quais ações cautelares são passiveis de registrar ou averbar nos Registros de Imoveis, que podem ser Arresto Sequestro, Caução Penhora

    Por: Cristiane Duartel Direito> Doutrinal 19/10/2014

    Pode-se dizer em que cada profissão jurídica há mandamentos éticos pelo fato de desenvolverem uma importante função social, ainda é de extremo interesse da coletividade, que os atos praticados sejam controlados, no entanto não há uma regra que resolva todos os problemas existentes na área da atividade jurídica.

    Por: Cristiane Duartel Direito> Doutrinal 19/10/2014

    Reflexão a respeito do direito de vizinhança, com base em análise doutrinária e jurisprudencial.

    Por: Guilhermel Direito> Doutrinal 17/10/2014
    Bira Paulino

    Desaposentação, um nome tão complicado, mas com um significado simples e prático. Caros leitores, desaposentação nada mais é que a renúncia de uma aposentadoria já concedida seja ela por idade ou tempo de contribuição, em favor da concessão de um novo benefício, em razão da continuidade de contribuições pós aposentação.

    Por: Bira Paulinol Direito> Doutrinal 14/10/2014 lAcessos: 12

    A Família é a base do Estado. O poder familiar resume-se em responsabilidades e direitos que envolvendo a relação entre pais e filhos. A separação judicial, o divórcio e a dissolução da união estável não alteram as relações entre pais e filhos. A Alienação Parental é uma prática de desmoralização da figura de um dos genitores para com a criança. A Síndrome da Alienação Parental é o resultado desta prática. A atuação do advogado é de extrema importância para ajudar a dar fim nessa prática.

    Por: Cleidel Direito> Doutrinal 13/10/2014
    Juliana Gentilini David

    Artigo que visa abordar o cometimento de crime contra a previdência, com base em relatos de doutrinas, leis e jurisprudências.

    Por: Juliana Gentilini Davidl Direito> Doutrinal 11/06/2011 lAcessos: 138
    Juliana Gentilini David

    Esse artigo é para ressaltar o Princípio da Liberdade de Testar que tem como base a doutrina e jurisprudência predominante sobre o assunto, devendo ressaltar o direito dos herdeiros necessários.

    Por: Juliana Gentilini Davidl Direito> Doutrinal 11/06/2011 lAcessos: 1,191 lComentário: 3
    Juliana Gentilini David

    Esse trabalho tem como propósito demonstrar três maneiras de se adquirir o direito a sucessão que são: Herança, Legado e Partilha.

    Por: Juliana Gentilini Davidl Direito> Doutrinal 10/11/2010 lAcessos: 8,494
    Juliana Gentilini David

    Nesse artigo vamos saber as principais exigências feitas para que um casamento seja considerado válido, e se casso essas principais não forem cumpridas o casamento poderá ser considerado, inexistênte, nulo ou anulável.

    Por: Juliana Gentilini Davidl Direito> Doutrinal 05/06/2010 lAcessos: 1,125
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast