TIPOS DE TESTAMENTO

Publicado em: 22/06/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 6,026 |
<!-- @page { margin: 2cm } P { margin-bottom: 0.21cm } A:link { color: #444444 } -->

TIPOS DE TESTAMENTO

Testamento é um meio escrito encontrado pelo homem de deliberar mesmo após sua morte.

 

Como regra geral, todos os testamentos tem forma especial e forma ordinária, sendo que cada grupo deles, possui três tipos:

 

Os de forma ordinária são testamentos comuns, qualquer cidadão pode se valer dele, não exigindo nenhum pré-requisito. Seus tipos são o testamento público, o testamento cerrado e o testamento particular.

 

Já os de forma especial são o oposto, exigem-se requisitos e pessoalidade para sua realização. Dividem-se em testamento marítimo, o testamento aeronáutico e o testamento militar.

 

A seguir vamos dar uma breve noção a respeito de cada um deles.

 

Testamentos Ordinários:

Testamento público: é elaborado por tabelião em cartório de notas e este é responsável por guardar a cédula em seu cofre, saindo o testador do cartório com uma escritura pública com a assinatura do oficial. É mais difícil de ser anulado, pois é eivado de fé pública, entretanto por ser público, qualquer pessoa tem acesso a seu conteúdo.

Requisitos (art. 1864, CC):

  1. tem que ser escrito por tabelião, no livro de notas do cartório. Não é necessário que seja elaborado no cartório, o tabelião tem liberdade de ir à casa do testador;

  2. as declarações do testador são a base da escrituração, podendo ser usada uma minuta feita pelo advogado desde que o testador a leia. O mudo não pode testar;

  3. após a escrituração o tabelião procedera a leitura do escrito em voz alta na presença de todos. No caso do testador ser surdo, ele próprio fará a leitura. No caso de ser analfabeto ele designa o leitor que não pode estar entre as testemunhas, podendo inclusive ser o próprio tabelião;

  4. são necessárias duas testemunhas que devem estar presentes do começo ao fim da escrituração;

  5. após a leitura todos assinam o testamento. Caso o testador não possa ou não saiba assinar, uma das testemunhas à sua escolha assina a rogo.

 

Testamento cerrado: por sua forma de elaboração e seu conteúdo sigiloso, também é conhecido como místico ou secreto. Do mesmo modo que seu sigilo é uma vantagem, passa a ser um problema visto que pode desaparecer. Só pode ser aberto pelo juiz e caso seja aberto por outro, torna-se nulo.

Requisitos:

  1. deve ser escrito pelo próprio testador ou alguém a seu rogo. Caso seja escrito mecanicamente, todas as suas folhas devem ser assinadas;

  2. deverá ser aprovado por tabelião;

  3. o testador deverá levar duas testemunhas para a elaboração do auto de aprovação;

  4. após a última palavra constante do testamento o tabelião começa a mão a elaborar o auto, não podendo escrever no verso, devendo constar nele data, local, nomes do testador e testemunhas e particularidades da aprovação;

  5. assim como o testamento público, apenas o auto deverá ser lido a todos os presentes;

  6. o auto de aprovação será assinado por todos os presentes;

  7. o testador deverá cerrar e coser o testamento.

 

Testamento particular: ele é feito sem intervenção do Estado o que o torna de fácil elaboração. Dada sua simplicidade não pode existir a certeza de sua execução.

Requisitos:

  1. deve ser escrito pelo próprio testador, mecanicamente ou de próprio punho;

  2. deverá ser lido por, no mínimo, três testemunhas;

  3. após sua leitura deve ser assinado pelas testemunhas;

  4. com a morte do testador, deve-se entrar com a Ação de Publicidade Registro e Cumprimento. Quando ela for recebida pelo juiz ele publicará internamente no edital do fórum e fará a citação dos herdeiros legítimos e a intimação das testemunhas para a Audiência de confirmação de testamento. De todas as testemunhas envolvidas o juiz ouvirá apenas três escolhidas pelo autor da ação e estas deverão dizer a mesma coisa sobre a forma com que foi elaborado o testamento.

 

Testamentos Especiais:

Testamento Marítimo: o testador deve estar viajando a bordo de um navio brasileiro de guerra ou mercante. Este pode estar parado desde que em terra não seja possível elaborar um tipo ordinário de testamento; o testador deve estar dentro dele, podendo ser passageiro ou tripulante e não é necessário que seja no mar, pode ser em rio.

 

Divide-se em testamento marítimo público, que é o elaborado pelo comandante do navio em seu diário de bordo, e testamento marítimo escrito, escrito pelo próprio testador que deverá procurar o comandante acompanhado por duas testemunhas para que ele faça constar do seu diário de bordo que foi elaborado o testamento.

 

No primeiro porto que o navio atracar, o comandante deve descer com ambos os tipos de testamento e entregar para a autoridade administrativa portuária. Este, por sua vez entrega a ele um recibo que prova o recebimento do testamento.

 

Este testamento caducará depois de noventa dias após o desembarque, exceto quando não houver meio de se elaborar testamento ordinário.

 

Testamento aeronáutico: tem os mesmos requisitos do testamento marítimo, entretanto o testador deve estar a bordo de um avião brasileiro.

 

Testamento militar: divide-se em:

Testamento militar público: deve ser escrito por tabelião e em sua falta, pelo comandante.

Deve ser presenciado por duas testemunhas ou três se o testador não puder ou souber assinar.

Testamento militar escrito: o testador escreverá de próprio punho datando e assinando por extenso, devendo entregar a oficial de patente na presença de duas testemunhas, e este anotará em qualquer parte do testamento o local e data que foi apresentado a ele, assinando também as testemunhas.

Testamento nuncupativo: utilizado por quem esta em combate ou ferido, falando o testador a duas testemunhas sua vontade. Após sua morte as testemunhas procuram o oficial de patente para reduzir a termo as declarações, termo este que será assinado pelos três.

 

BIBLIOGRAFIA:

GONÇALVES. Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro. Volume VII. Direito das Sucessões. Editora Saraiva. 2° edição revista e atualizada. 2007.

VENOSA. Sílvio de Salvo. Direito Civil. Volume 7. Direito das Sucessões 5ª Edição. Ed. Jurídico Atras

VADE MECUM. Editora Saraiva. 9º edição. 2010

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/doutrina-artigos/tipos-de-testamento-2703608.html

    Palavras-chave do artigo:

    testamento

    Comentar sobre o artigo

    Carolina Cintra Barbosa

    Síntese dos tipos de testamento e seus requisitos

    Por: Carolina Cintra Barbosal Direito> Jurisprudêncial 27/11/2010 lAcessos: 1,351

    O presente artigo tem como objetivo estudar as formas ordinárias de testamento, ambas elencadas no Artigo 1.862 do Código Civil de 2002,

    Por: Marcelo Rodriguesl Direito> Doutrinal 26/11/2014

    QUAIS SÃO E QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DO TESTAMENTOS EM NOSSA LEGISLAÇÃO CIVIL.

    Por: João Luiz Morais de Freitasl Direito> Legislaçãol 15/12/2010 lAcessos: 1,199
    matheus henrique

    Qualquer pessoa, para testar, há de recorrer as formas ordinárias de testamento, que são os comuns (publico, cerrado e particular), para circunstancias normais. o Código faculta o emprego de testamentos especiais, que so podem ser utilizados em casos excepcionais em que se encontra aquele que pretende manifestar a sua ultima vontade e que justificam a diminuição da formalidades e exigências legais, nas emergências apontadas.

    Por: matheus henriquel Direitol 15/12/2010 lAcessos: 913

    O presente trabalho fará uma pequena introdução sobre o testamento em geral, dando ênfase as principais características dos testamentos especiais.

    Por: Tatiana Magalhãesl Direitol 02/12/2010 lAcessos: 937

    Este trabalho tem por escopo abordar a respeito dos pressupostos e requisitos no tocante ao testamento cerrado, como forma de herança testamentaria, sendo uma das formas de testamentar.

    Por: Luiz Fernando da Silval Direito> Legislaçãol 23/11/2009 lAcessos: 3,895
    Rafael Paiva

    As diversas formas de testar no direito brasileiro de acordo com o codigo civil

    Por: Rafael Paival Direitol 08/12/2009 lAcessos: 725
    washington almeida

    Testamento é ato de ultima vontade do individuo. Dentre as varias formas de se testar uma delas é a forma publica feita no cartório de notas oralmente tomada a termo pelo tabelião ou seu substituto.

    Por: washington almeidal Direito> Doutrinal 04/11/2009 lAcessos: 19,001 lComentário: 6

    O Direito Sucessório Brasileiro, disciplinado pelo Código Civil Brasileiro de 2002, prevê dois tipos de sucessão hereditária que podemos nos deparar quando da abertura da sucessão, qual seja: sucessão legítima e sucessão testamentária, acerca desta, mais especificamente sobre sucessão testamentária na forma pública, que discorremos no presente trabalho.

    Por: Arthur Sarilhol Direito> Doutrinal 28/11/2014 lAcessos: 11

    Com base no ordenamento jurídico compreendido no Código Civil de 2002, através do artigo 1868 a 1875, o testamento cerrado será escrito pelo próprio testador ou por uma pessoa designada, podendo ser escrito a punho, mecânica ou digitação no caso dessas duas ultimas sendo todas as folhas numeras e assinadas pelo testador e só terá eficácia após o auto de aprovação lavrado por tabelião diante de duas testemunhas.

    Por: Wendel Antonio Alvaresl Direitol 23/11/2014

    O artigo faz uma breve abordagem da violência e exploração sexual de crianças e adolescentes, passeando pelos tipos e motivos de tal prática, consequências para as vitimas e legislação que pune os agressores e resguarda os direitos dos agredidos, uma vez que, segundo a ONU, o Brasil é o 1º em Exploração sexual infanto-juvenil da America Latina.

    Por: ingryd ribeirol Direito> Doutrinal 21/12/2014

    O presente artigo tem a finalidade de relatar as principais características, em um âmbito político e social, de um período da história brasileira: a República Velha. É essencial analisar, ainda que de forma sucinta, seus antecessores e suas conseqüências. Para tal fim, buscamos um embasamento em celebres obras como "Coronelismo, Enxada e Voto", de Victor Nunes Leal e "Os Donos do Poder", de Raymundo Faoro.

    Por: Antônio Faustino Moural Direito> Doutrinal 17/12/2014
    André Silva Barroso

    O presente trabalho trata sobre os títulos de crédito eletrônicos e a possível descaracterização do princípio da cartularidade, onde, para uma melhor compreensão sobre tal instituto, buscou-se um estudo sobre seu conceito, características e princípios. Num segundo estágio foi-se abordado os títulos de crédito eletrônicos, que surgiram pelos avanços tecnológicos principalmente pelo advento da internet.

    Por: André Silva Barrosol Direito> Doutrinal 05/12/2014
    Liziane Mont'Alverne de Barros

    A "judicialização da política" ou "politização da justiça" na composição dos cenário das ciências jurídicas e sociais nos diversos países do mundo e seus efeitos na expansão do Poder Judiciário no processo decisório das democracias contemporâneas. O presente artigo tem por escopo promover uma análise crítica do desenvolvimento desse fenômeno que vem sendo desenvolvido pelo Órgão de Cúpula do Judiciário – STF.

    Por: Liziane Mont'Alverne de Barrosl Direito> Doutrinal 04/12/2014

    O código civil concede ao testador o direito não só de instituir herdeiro ou legatário em primeiro grau, mas também o de lhes indicar substituto.

    Por: DÉBORA LUCIANO DE ALMEIDAl Direito> Doutrinal 03/12/2014 lAcessos: 13

    CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO É um mecanismo previsto na lei civil, que pode-se valer o devedor que queira desonerar-se e que esteja em dificuldades para o fazer.

    Por: Fernando Bartoli de Oliveiral Direito> Doutrinal 01/12/2014 lAcessos: 11

    Artigos 1962, 1963 e 1814 do Código Civil É o ato de manifestação da vontade do autor da herança que exclui da sucessão, um herdeiro necessário, tipificando, nos permissivos legais, a sua vontade. Dá-se por testamento somente.

    Por: Thais Luz Firminol Direito> Doutrinal 29/11/2014 lAcessos: 15

    A conquista, o governo e a manutenção do Estado são preocupações centrais do pensamento maquiaveliano. Essa tríade tem de ser mantida custe o que custar, ainda que para tanto não se observem questões de ordem ética e moral, pelo menos, a moral e a ética medievais e da Itália renascentista. O bom governante tem de manter o Estado e, para tanto, dadas as circunstancias tem que agir hora pela força, hora pela razão e outras vezes deve saber conjugar ambas, só assim conseguirá governar.

    Por: FRANCISCO ESDRAS MOREIRA ROCHAl Direito> Doutrinal 28/11/2014 lAcessos: 13

    Após determinado tempo trabalhando e contribuindo para o INSS, podemos ter o desligamento do servidor de forma remunerada, caso denominado de Aposentadoria. No presente trabalho iremos analisar uma das modalidades de aposentadoria: APOSENTADORIA ESPECIAL.

    Por: Nícial Direito> Doutrinal 12/12/2010 lAcessos: 158
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast